Home page

18 de novembro de 2018

Responsável: Constantino K. Riemma


Orientações do I Ching aos eleitores brasileiros
Consulta de Constantino K. Riemma
21.outubro.2018
No período final que antecede segundo turno para as eleições presidenciais de 2018, estamos diante de fortes antagonismos e tensões em disputa. O que devemos considerar? Qual seria nossa melhor conduta?
Para refletirmos sobre as forças em jogo que antecedem a votação, fiz uma consulta ao I Ching — esse precioso oráculo oriental — com o propósito de veicular a resposta no painel sobre as Eleições de 2018 no Clube do Tarô.
A mensagem do Livro encadeia o hexagrama inicial — 23. Desintegração — com três linhas móveis e o hexagrama final: 62. Pequeno Excesso. Diante do volume de indicações, optei por reproduzir o texto tradicional e oferecer aos Amigos do Clube do Tarô um espaço para troca de compreensões e pontos de vista sobre a mensagem recebida.
Para não confundir com o texto oracular, coloquei minhas breves observações pessoais numa coluna mais estreita e adicionei o sinal ( • ).
Eleições 2018 - I Ching - hexagrama 23 - Desintegração
O oráculo
Desintegração. Não é favorável seguir em direção alguma, seja qual for.
Interpretação: O oráculo nos coloca diante da decadência natural de todas as coisas, representada pela obscuridade que sucede o período luminoso, pelo inverno que vem na seqüência do verão. Em períodos como esse, em que os inferiores tomam conta da situação, não há espaço para o homem de qualidade. Não é favorável empreender coisa alguma.
O melhor é continuar onde nos encontramos e aceitar a situação, tomando como modelo o homem nobre que contempla com isenção os períodos de seca e de cheia, a eterna sucessão dos opostos, tanto no espaço celeste quanto na terra.
Frente às leis cósmicas não cabe a interferência humana. Devemos nos recolher na quietude, para consolar o coração e cultivar nossos dons para o período de renovação que chegará a seu tempo. Agora não é covardia, e sim sabedoria, aceitar a situação, evitando os gestos impulsivos de reação.
 
• Podemos confirmar, pela mensagem inicial do I Ching, que atravessamos um momento bem difícil em que as alternativas são discutíveis e conflitantes.
Em momentos como esse, o melhor caminho é evitar o envolvimento nas disputas ferrenhas, recolher-se e buscar compreender os ciclos cósmicos e humanos.
 
Conselho
O homem nobre fortalece os que estão abaixo dele, para assegurar a paz e a estabilidade de sua posição.
Interpretação: A força dos governantes ou dos dirigentes de uma empresa repousa sobre a base representada pelo povo ou por seus trabalhadores. Estes devem ser o alvo de sua generosidade, do mesmo modo como a terra sustenta a todos. Os dirigentes que atuam desse modo tornam sua posição segura; eles não exploram, mas promovem a prosperidade do conjunto.
 
• Diante dessa situação o importante é considerarmos o candidato que será, de fato, mais cuidadoso com a população e com todos os que se encontram no mundo do trabalho.
Também poderíamos entender esse conselho do I Ching como dirigido para cada um de nós e não só para os governantes: darmos atenção a todos aqueles que estão à nossa volta, cuidarmos dos que se encontram sob nossa dependência.
 
[ As três linhas móveis, que expressam diferentes aspectos e transformações do quadro descrito pelo hexagrama inicial — 23. Desintegração — foram as seguintes: ]
Linha móvel (seis) na terceira posição significa:
Rompendo sua ligação com eles.
Nenhuma culpa.
Um homem se encontra em meio a um ambiente nocivo ao qual está exteriormente ligado. Porém, ele tem vínculos internos com um homem superior. Com isso consegue atingir o equilíbrio que o liberta das tendências dos homens inferiores que o rodeiam. Assim, cria-se um antagonismo com eles, mas isso não é um erro.
 
• O recado dessa terceira linha do hexagrama da Desintegração é o de não nos deixarmos contaminar pelas confusões deste momento. Ao seguir uma referência superior, acima das baixarias, poderemos encontrar um equilíbrio, apesar dos conflitos que continuarão por ai.
 
Linha móvel (seis) na quarta posição significa:
A cama se desintegra até a pele. Infortúnio.
Aqui o problema alcança não somente o lugar de repouso, mas atinge até mesmo o seu ocupante. O texto não traz qualquer advertência ou comentário. A desintegração tendo chegado ao seu máximo não pode mais ser evitada.
 
• O oráculo não deixa dúvida de que nos encontramos, neste exato momento, numa situação de desagregação e de corrupção que contamina todo organismo social.
 
Linha móvel (nove) na sexta posição significa:
Um grande fruto ainda não foi comido.
O homem superior recebe uma carruagem.
A casa do homem inferior se desintegra.
Aqui a desintegração chega ao final. Quando o infortúnio esgota suas forças, retornam épocas melhores. A semente do bem permanece, e é justamente quando o fruto cai ao chão que o bem renasce de sua semente. O homem superior recupera sua influência e sua efetividade. Ele é sustentado pela opinião pública, como se estivesse sobre uma carruagem. A maldade do homem inferior volta-se contra ele próprio. Sua casa é destruída. Aqui se manifesta uma lei da natureza. O mal não é nefasto apenas para o bem, mas termina por destruir-se a si próprio. Pois o mal, vivendo somente da negação, não pode subsistir em si mesmo. O homem inferior se conduz melhor quando é controlado pelo homem superior. 
 
• A sexta linha do hexagrama acena o passo seguinte, muito animador: renascimento do bem, representado por um homem eleito pelo povo, ao mesmo tempo em que ocorrre a destituição daquele que exerce um papel inferior.
 
Eleiçoes 2018 I Ching - hexagrama 62 Pequeno Excesso
O oráculo
O Pequeno Excesso assegura progresso e realização.
A persistência correta traz recompensas.
É possível realizar pequenas coisas, mas não as grandes.
Os pássaros que voam alto avisam:
é favorável descer, e não subir.
Haverá muito boa sorte.
Interpretação: O oráculo prevê sucesso para os pequenos, porque é o momento de serem recompensados pela persistência correta. Também denominado Preponderância do Pequeno, Pequeno Excesso ou Pequeno Exagero, esse hexagrama esclarece a relação entre o excesso e a carência, bem como o caminho para harmonizar essas duas faces do destino.
Não é uma época para alimentar aspirações muito altas, mas para limitar-se a metas mais humildes. Justamente nessa adequação às exigências do momento é que se encontra a solução para as carências e danos do período. É esse o sentido da imagem do pássaro que não deve se exceder, voando para altitudes superiores à sua força, mas sim descer para a terra onde se encontra o seu ninho.
A modéstia e a conduta correta serão recompensados pela boa sorte.
Conselho
O homem nobre é humilde em sua conduta; no luto ele dá predominância à tristeza; em suas despesas prevalece a economia.
Interpretação: Aquele que busca pela consistência íntima deve estar atento, mais que o homem comum, à conduta adequada à cada situação. Ele é consciencioso em cada ato.
Em caso de luto, a emoção significa mais para ele do que as formalidades externas. Em seus gastos pessoais ele é muito simples e despretensioso. Mas o essencial dessa atitude que se afasta do comum é que em assuntos externos ele está ao lado dos humildes.
 
• O hexagrama final — 62. Pequeno Excesso — mantém o clima animador da última linha do hexagrama inicial, 23. Desintegração. Alerta, porém, para não esperarmos uma solução mágica e para persistirmos na boa conduta e na prática do bem, dando atenção às pequenas coisas que se encontram ao nosso alcance.
 
 
A todos que quiserem conhecer melhor o Ching ou fazer consultas online gratuitas, via celular, indicamos: http://iching.com.br
 
Constantino K. Riemma constantinokr@clubedotaro.com.br
Outros trabalhos seus no Clube do TarôAutores
Edição: CKR – 21/10/2018
Partilhe seus comentários ou interpretações sobre o recado do IChing
  Baralho Cigano
  Tarô Egípcio
  Quatro pilares
  Orientação
  O Momento
  I Ching
Publicidade Google
 
Todos os direitos reservados © 2005-2018 por Constantino K. Riemma  -  São Paulo, Brasil