Home page

16 de setembro de 2019

Responsável: Constantino K. Riemma


   Galeria dos arcanos | Os textos simbólicos  
Oráculo da Harah - Os significados
Harah Nahuz indica atributos para cada imagem, incluindo sugestões para Mentalizações.
0 – A Dançarina
Verbo: Ousar. Arcano do Tarot: O Louco. Elemento: Ar. Cor: Amarelo, Dourado.
Incenso: Alecrim.
Mentalização:
Qualquer som.
Qualquer textura.
Qualquer sabor.
Qualquer visão.
Não se prenda à definição conceitual do quê e para quê. Apenas sintonize-se com o que a percepção sensorial te estimula. Agora!
Te traz um sorriso nos lábios, brilho nos olhos e vivacidade à pele?
Então, entregue-se e deixe essa energia ditar o ritmo, a direção, o movimento.
Como uma cigana, floreie seus caminhos com paixão e alegria, dançando sua fé, suas próprias leis de andarilha, ousada em sua liberdade de Sentir e Ser.
I – A Conexão
Verbo: Tocar. Arcano do Tarot: O Mago. Elemento: Ar. Cor: Vermelho. Incenso: Cravo.
Mentalização:
Fogo, Terra, Água e Ar; estão em plenitude à sua frente.
Os quatro elementos em equilíbrio, à sua disposição.
Essa riqueza nada significa, nada faz por si só...  são instrumentos que dependem do seu manuseio. Toque.
O sonho que flutua acima de sua cabeça, vai se conduzir através de seu corpo e fluir através das mãos com que você lapida sua realidade.  Essa é a magia.
Conecte-se e materialize no hoje, tornando-se transmissor a irradiar o seu sonho, através dos instrumentos que tem em mãos.
II – O Véu
Verbo: Guardar. Arcano do tarot: A Sacerdotisa. Elemento: Agua. Cor: Pérola.
Incenso: Jasmim
Mentalização:
O que existe por trás do Véu?
Quem está ali?
Essa é uma resposta, que somente quem está por de trás dele pode dar.
Somente Ela tem acesso a si.  Somente Ela pode entrar em si e descobrir a resposta.
Quem está de fora, percebe o Véu e suas cores, apenas. Visualiza a barreira que encobre, consegue divisar contornos e sombras.  
E assim que deve ser.
Pois existem momentos, que pedem nosso silêncio, nossa pausa, nosso insinuar.
Que sejamos mais Sombra do que Luz, mais a Cortina do que a Paisagem.
Existem momentos em que precisamos nos cobrir, transformando-nos em mulheres veladas.
Esse é um deles.
III – Florescer
Verbo: Expressar. Arcano do Tarot: A Imperatriz. Elemento: Terra. Cor: Verde Esmeralda.
Incenso: Rosa Amarela.
Mentalização:
A flor é a expressão de vitória de uma semente e a promessa implícita de um fruto, de alimento farto.
Vitória e fartura são atributos que não se contém, dada sua imponência e beleza: se mostram ao mundo em sua maturidade e exuberância, e universalmente reconhecemos o que é belo, o que triunfa e grandiosamente prospera.
Expresse-se como uma Flor.
É o momento de Flores. Ser.
IV – Possuir
Verbo: Estruturar. Arcano do Tarot: O Imperador. Elemento: Fogo. Cor: Vinho.
Incenso: Cedro.
Mentalização:
Como é o mundo que você tem nas mãos?
Azul? Rosa? Negro? Brilhante? Fosco?
Áspero? Macio? Espinhoso? Florido?
Redondo? Quadrado?
Não importa!
Você pode ter a impressão que seu mundo é um grande e vazio emaranhado de linhas.  E é...  enquanto você estiver fora dele, é o que ele será.
Ter nas mãos, não é Possuir.  Quando você realmente tomar posse de seu mundo, o preencherá daquilo que você é, daquilo que acende a sua mente, e, através do fogo das ideias, conquista.
V – As chaves
Verbo: Formalizar. Arcano do Tarot: O Papa. - Elemento: Terra. Cor: Cobre.  
Incenso: Lavanda
Mentalização:
Uma chave abre uma porta, mas não todas.
Muitas chaves podem abrir as suas respectivas portas, mas nem sempre aquela que você deseja abrir.
Para cada porta, a chave que combina com seu respectivo segredo.
Ética, Fé, Moral, Empatia, Paciência, A palavra: são chaves.
O oposto disso, também.
Você é a chave mestra.
E a Vida, uma folha em branco para que possa anotar uma a uma, as chaves que usou, as portas que abriu, as portas que fechou, para referências futuras.
Um dia você voltará e perceberá que as chaves nunca mudam.
VI – A Escolha
Verbo: Optar. Arcano do Tarot: Os Enamorados. Elemento: Ar. Cor: Laranja.
Incenso: Eucalipto.
Mentalização:
Relacionar-se é o exercício fundamental para SER.
É através do outro que você pratica a si mesma... na conversa, no olhar, no toque.
A paixão do outro, é a sua paixão espelhada.
O amor do outro, é seu amor projetado.
O outro que te retém, é sua vontade de ficar.
Aquele que te instiga à frente é a representação de sua sede por novos caminhos.
O outro é um espelho.
E o mundo, um labirinto de espelhos.
Cada passo, uma nova possibilidade de escolher quem é você.
VII – Os Pés
Verbo: Direcionar. Arcano do Tarot: O Carro. Elemento: Fogo. Cor: Rubi.  
Incenso: Patchuli.
Mentalização:
O Yin e o Yang.
A Luz e as Trevas.
O Masculino e o Feminino.
O direito e o Esquerdo.
Nunca a Antítese do outro, mas simplesmente forças da natureza, que somadas geram movimento, impulsionam.
Um pé à frente do outro.
Esquerdo e direito se alternando, assim se caminha. E é preciso aprender a andar, antes de chegar à Dança Plena.
VIII – O Mérito
Verbo: Ponderar. Arcano do Tarot: A Justiça. Elemento: Terra. Cor: Marrom.  
Incenso: Olíbano.
Mentalização:
A Espada pode tanto desferir o golpe fatal, quanto consagrar um cavaleiro.
Pode representar o ultimo suspiro de uma vida, como o primeiro fôlego de vitórias futuras.
A própria Espada, que fora forjada no fogo, nada teme e nada lhe surpreende: ela traz em si a frieza do metal e o poder de espelhar em sua superfície, a verdade de uma trajetória inteira exatamente como ela é.
E revela no golpe ou na benção, a expressão do seu Merecimento.
IX – O Tempo
Verbo: Interiorizar. Arcano do Tarot: O Eremita. Elemento: Terra. Cor: Cinza.
Incenso: Capim Limão.
Mentalização:
Que horas são?
Existe a hora que seu relógio mostra, mas não necessariamente é a mesma de seu Tempo interno.
Nele, um a hora pode conter séculos.  E, séculos podem ter passado num milésimo de segundo.
Saturno, sempre soturno e indecifrável, nos desafia a ajustar os tempos interno e externo e criar um compasso uníssono.
E para isso, é preciso desacelerar, olhar para seus próprios ponteiros. Que horas são?
X – Ritmos
Verbo: Fluir. Arcano do Tarot: A Roda da Fortuna. Elemento: Água. Cor: Roxo.
Incenso: Noz Moscada.
Mentalização:
Você está dançando neste exato momento: um leve inclinar de cabeça, um suave movimento de mãos... seu corpo está falando!
Algumas vezes ele grita, noutras ele sussurra, mas nunca se cala.
Seu corpo, sempre está em dança.
E a vida traz a música.
Rege a orquestra que sonoriza a sua performance.  E, com maestria, traz a frente ora os violinos, ora as flautas, ora o Coro. Em alguns momentos, somente a percussão.
E quando você acha que dominou aquela música, tudo muda.
Ritmos que te convidam a improvisar.
XI – Ânima
Verbo: Ser. Arcano do Tarot: A Força. Elemento: Fogo. Cor: Amarelo. Incenso: Canela.
Mentalização:
O veneno da serpente.  A ferocidade do tigre.  A visão da águia. A majestade do leão.
Animal.
Faz de seu atributo, a via de sobrevivência, utilizando suas garras e dentes, fluindo com a natureza, sem pudor de ser o que é.
Animal. Dotado de ânima.
Ânima, a Alma.
O instinto animal é a sua alma falando.
Ela não lhe dirá para se tornar uma serpente, tigre, águia ou leão... mas sim lhe desafiará a resgatar a força das suas próprias garras, o domínio de seu próprio voo, a capacidade de extrema visão, o movimento da serpente espiralando sabedoria, lhe darão majestade sobre o que antes te subjugou.
Escute as palavras da alma. Ela fala sobre Força. Seja!
XII – O Sacrifício
Verbo: Libertar. Arcano do Tarot: O Pendurado. Elemento: Água. Cor: Verde Claro.
Incenso:
Mirra.
Mentalização:
Onde o mundo vê mãos atadas, existem simplesmente mãos unidas em Oração.
No lugar das amarras, laços que se estendem a uma dimensão além-sideral.
E, a inversão, apenas uma nova versão para o corpo ser – quando o que se é, não bastou, é preciso inverter: o sagrado é oposto ao profano, e somente trabalhando o profano, é que chegaremos ao sagrado.
Esse é o trabalho. É o ofício sacro. O sacrifício.
XIII – Os Ciclos
Verbo: Transformar. Arcano do Tarot: A Morte. Elemento: Fogo. Cor: Vermelho.
Incenso: Sal Grosso.
Mentalização:
Devolva para a Terra.
Ela sabe o que fazer, envolvendo o que nela repousa como se fosse semente.
O que é morte para o mundo, é vida para a terra, que abriga dentro de si, eras infinitas que alimentarão eras futuras.
E somente Ela permanece vigilante e testemunha que nunca existiu, nem existirá morte...
Foram os Ciclos se cumprindo.
XIV – A Sublimação
Verbo: Transcender. Arcano do Tarot: A Temperança. Elemento: Água. Cor: Lilás.
Incenso
: Violeta .
Mentalização:
A tempestade nada tem de sublime.
Ela é cinza, tórrida, intensa... devastadora em seus raios, em sua água cheia de mágoa (má água), que não simplesmente fecunda, ela violenta o solo e destoa de seus próprios irmãos de essência, confundindo os lagos, rios e mares.
Mas como tudo na natureza é feito de contrastes, o cinza dá lugar ao azul e o estio traz o Sol, que aquece todas as águas, derramando seu calor e tornando sublime cada gota antes bravia.
Sublimação, tornar sublime o que antes era caos.
Transformar os braços em asas, e fazer do abraço um voo, e sobrevoar o arco da promessa, pintado com cores que só o tempo sabe pintar.
XV – A Vaidade
Verbo: Desejar. Arcano do Tarot: O Diabo. Elemento: Terra. Cor: Preto.  
Incenso
: Manjericão.
Mentalização:
E a boca perguntou por que tanto carmim, aonde já se tinha o vermelho por nascença.
A pele perguntou por que outra pele em camadas de pó era ali depositada, como se jogasse terra para fechar um túmulo, era assim que os poros se sentiam... sem respirar, soterrados.
Os olhos, esses nada perguntaram, porque já não podiam ver.
Mas os ouvidos escutaram o espelho gritar: “Vaidade”
E a vaidade é a paixão que não acasala, é sozinha para não dividir aquilo que extrai, e não se reproduz: apenas infla, e vai adentrando a morada e pedindo mais, mais, mais.
Mais maquiagem.  Mais poder de persuasão maquiado de inteligência. Mais futilidade maquiada de beleza. Mais luxúria maquiada de sensualidade. Mais arrogância maquiada de maturidade. Mais materialismo maquiado de determinação.
E quando o espelho grita não se olha para ele, mas sim para os céus, pedindo que nos dispa daquela mentira toda, e as mãos se confundem em prece e praga contra todo um passado. Pedimos redenção. E até isso é vaidade.
XVI – A Ilusão
Verbo: Conscientizar. Arcano do Tarot: A Torre. Elemento: Fogo. Cor: Prata Azulada.
Incenso
: Olíbano
Mentalização:
Na infância, temos bonecas e casinhas. Somos deuses em miniatura, expressando desejos.
Decidindo destinos. Sendo quem queremos ser, e vendo o que queremos ver.  
Você já parou de brincar?
Ou ainda conta uma história, simulando um diálogo que é somente a expressão de sua infantil arrogância?
E a sua casinha, sua roupinha, seu bolinho de terra que você insiste em dizer que é de chocolate?
Permanecer na brincadeira, depois de certa idade, denota que o amadurecimento não aconteceu, e que uma criança mimada reside aonde um adulto repleto de potencialidades precisa acordar. E será despertado, nem que para isso, o castelinho seja quebrado.
XVII – A Inspiração
Verbo: Sonhar. Arcano do Tarot: A Estrela. Elemento: Ar. Cor: Violeta.  
Incenso: Sândalo.
Mentalização:
Inspirar é trazer ar para dentro de si, revitalizando no sentido mais literal, encher-se de vida, renovar-se.
E não conseguimos o ar olhando para baixo... Olhe para cima. Céu. Grandeza. Plenitude.
 Acima da sua cabeça, numa esfera que sequer você pode compreender, está todo o ar para te nutrir, de uma forma que não é preciso compreender.
Basta inspirar, inspirar a imensidão azul e deixar que ela traga a luz das estrelas para dentro de você, e que seus olhos reflitam tudo isso.
E assim, inspirados e com olhos brilhantes, é possível Aspirar, Ser e Ter.
Necessariamente nessa ordem.
XVIII – A Lua
Verbo: Sentir. Arcano do Tarot: A Lua. Elemento: Água. Cor: Prata.
Incenso:
Rosa Branca.
Mentalização:
A donzela que se esconde, é a mesma mulher que se mostra em plenitude e amadurece em sabedoria, rainha em todas as formas, até definhar e renascer novamente.
Nos mostra a vida, e da vida nada sabemos.  Nos mostra a morte que não queremos ver.
E na incompreensão e impossibilidade de racionalização, o nosso olhar para a Rainha é absolutamente sensorial.
Olhar para a Lua pode significar olhar para dentro. Tocar a Lua é tocar os mais escondidos cantos de si... nossas próprias cidades desabitadas... Iluminar-se de Lua, é iluminar as sombras e olhar o que estava escuro. E isso, somente com um olhar sensorial.  É preciso sentir.
Sentimos a Lua.
Sentimo-nos Lua.
Donzelas. Mulheres.  Anciãs.  Definhando. Renascendo. Brilhando.
XIX – O Sol
Verbo: Iluminar. Arcano do Tarot: O Sol. Elemento: Fogo. Cor: Dourado.
Incenso:
Canela.
Mentalização:
Energia.  Luz.  Calor.
A vida gira em torno disso.
O Sol é o centro.  E ele irradia, porque é luz. .
Seus raios não são para nós, embora deles vivamos.
Mesmo que todos fechem as janelas, mesmo assim ele vai irradiar.
Irradiar não é um querer, mas sim uma expressão.
Só se pode expressar aquilo que se é.  
Quando você se torna o centro, encontra sua luz, sua fonte de calor e energia, e sua vitalidade transborda, transcende.
E não importa mais janelas fechadas.
Você estará em atitude de Sol.  Solitude.
E é nesse momento que você percebe que o mundo é seu.
XX – A Música
Verbo: Renascer. Arcano do Tarot: O Julgamento Elemento: Fogo. Cor: Branco.
Incenso
: Lavanda.
Mentalização:
Os olhos se fecharam, e o silêncio entorpeceu.
Até que nada houvesse para escutar, nem para ver.
Era hora de dormir.
E, durante o sono sem sonhos (quase um pesar), a música chegou.
Chegou como uma convidada que cansamos de esperar, numa festa que já tinha acabado.
E lá entra, entra no salão abandonado, no corpo inerte e pouco a pouco se faz ouvir.
Seus instrumentos ecoam antigas melodias, que só você conhece.  Traz de volta o instante precioso, sem que se retroceda. O mesmo instante que se perdeu, lhe é devolvido. Agora.
A festa recomeça.  De onde parou.
Levanta-te e Dança!
XXI – A Dança
Verbo: Dança. Arcano do Tarot: O Mundo Elemento: Terra. Cor: Azul Anil.
Incenso: Alfazema.
Mentalização :
Sou aquela que um dia conjugou o verbo.
Pretéritos, perfeitos, imperfeitos, mais que perfeitos...
Futuro do presente, futuro condicional.
Conjuntivo, imperativo, infinitivo pessoal.
Eu dancei, eu dançava, eu dançara. .
Eu dançarei, eu dançaria.
Se eu dançasse, quando eu dançar...
Dança tu.
Para eu dançar...
Conjugando o verbo em todos os tempos, em todas as pessoas.
Eu, tu, eles, nós, vós, eles.
Magos, Sacerdotisas, Imperatrizes e Imperadores, Papas... me ensinaram cada passo.
No caminho dos Enamorados, exerci meu livre arbítrio, sem arbitrariedades, e no Carro direcionei meus cavalos, sem receio de olhar nos olhos da Justiça e desafiar sua balança.
Compartilhei a luz do Eremita, me deixei arrebatar pela Roda da Fortuna, domei o leão da Força e me rendi, ao sagrado oficio, sentando-me à sombra do Pendurado. Sorri para A Morte, renasci nas asas do Anjo da Temperança e me aliei ao Diabo para construir a Torre da qual nós dois caímos fulminados. Me purifiquei na Estrela e mesmo quando a Lua me distraiu me voltei para outra estrela maior, O Sol.
Eu danço.  Tu danças. Ele dança. Nós dançamos. Vós dançais. Eles dançam. Dança o tarot.
E quando os anjos do juízo final me chamaram, eles disseram:
“De tanto conjugar o verbo, você é a própria essência. Já não és mais a Dançarina. És a própria Dança.”
Soberana das Águas
Verbo: Amar. Arcano do Tarot: Rainha de Copas. Cor: Azul Claro. Incenso: Jasmim.
Mentalização:
O cálice em suas mãos pede para ser desvendado.
Te convida a entrar.
Somente o mergulho te dirá sobre as águas.
Águas doces de fonte prateada, transbordando esplendor, te nutrem.
Espirais de águas salgadas, ondulações onde seu corpo dança... mas das quais não podes beber.
Profundas e negras, onde descemos para encontrar tesouros perdidos, mesmo sob o risco de se perder.
Geleiras inabitáveis, que esperam a misericórdia do Sol.
Do que seu cálice transborda?
Seu amor, sua arte, sua essência, seus sentimentos: são dons trazidos pelas águas.
Onde se misturam a força de Yemanjá, os encantos de Oxum, o poder de Afrodite, a intuição de Morgana, a abundância de Lakshimi, o canto das Sereias.
Mergulhar em seu cálice é banhar-se no Amor Universal e conhecer todas as suas faces, e falar todas as suas linguagens.
Ele está no olhar da Sacerdotisa.  No colo da Grande Mãe.  Na risada de uma criança.
Na amizade que nós tornamos irmãs, onde as águas substituem laços de sangue.
Na alquimia entre almas que se buscam, para viver o Amor aliançados como homem e mulher.
E, quando emergimos dessas águas, somos a própria vida que dela nasceu.
Um batismo que nos nomeia simplesmente de Amor.
Temos então a soberania sobre o Amor e é através dele que falamos, é por ele que lutamos, é nele que nos fortalecemos e vencemos.
Soberana da Terra
Verbo: Desfrutar. Arcano do Tarot: Rainha de Ouros. Cor: Dourado.
Mentalização:
O ouro que possuis, fala da tua história.
Quanto mais ouro, maior a tua convicção de merecê-lo.
Não importa se buscou descobrir minas com as próprias mãos, ou se ele veio como tributo de seus súditos, ou mesmo presente de Reis, ou recompensa de árduo trabalho... não, não importa de onde ele veio, pois se você não o julgasse seu, não o teria.
Ter. A primeira coisa que temos, é um corpo.
A alma na carne. Encarnados.
É assim que sentimos o gosto, a textura, os aromas, o prazer... tudo aquilo que vem da terra, o chão que pisas, é o mesmo chão que deves cultivar, para que ele te alimente.
Numa terra abandonada, nada floresce... o abandono se opõe à prosperidade. Não cultivar aquilo que é seu, é renegar o ouro que é teu por direito. Daquilo que podes desfrutar.
Assuma sua terra, a soberania sobre seu corpo.  E as riquezas contarão o quanto a sua alma brilha.
Soberana do Ar
Verbo: Pensar. Arcano do Tarot: Rainha de Espada. Cor: Prata.
Mentalização:
As maiores batalhas não são vencidas na lâmina de uma espada, mas sim na força da inteligência.  Ela é quem desfere o golpe fatal e derruba exércitos inteiros.
Usar a inteligência é a estratégia para a vitória, sob quaisquer que seja o desafio.
Mas, antes de guerrear e vencer, use a inteligência para escolher as batalhas que realmente valem a pena.
Nem todo Reino, merece ser conquistado por você.
Não é qualquer um que tem o privilégio de ser chamado de “inimigo”.
E a maioria não está a sua altura para ser considerado como oponente.
Use a inteligência para que a razão te mostre qual a sua verdadeira luta.
E lembre-se, quando você se arma, é simplesmente um soldado.  Quando você aprende a desarmar, se torna Rainha.
Soberana do Fogo
Verbo: Energizar. Arcano do Tarot: Rainha de Paus. Cor: Vermelho.
Mentalização:
Quem é essa mulher a quem foi confiado o elemento mais sagrado, sob quais todas as coisas terrenas se transformam?
Ela não chega, ela Acende.  Não fala simplesmente: Ilumina.
Não sorri... ela Aquece.  Não sofre, ela Queima e Purifica toda a dor.
Intensidade é seu nome. E a fé, sua filosofia.
Aqueles que não temeram sua luz, os poucos que atreveram a sentir seu calor, a esses poucos, ela revelou o segredo:
“Não fui escolhida pelos Deuses. Eu escolhi. Um dia, perguntei à Divindade do Sol, sobre os seus segredos. ele tocou meu ventre e disse: ‘o segredo está aqui, você é a chama’. E então, compreendi, não sou soberana do fogo, sou o Fogo, soberana de mim mesma.”
Contato com a autora:
Harah Nahuz (Carla Daniela Balenzuella Nunes) é taróloga,
psicoterapeuta holística, professora de dança do ventre:
www.respostasdotarot.blogspot.com.br
Outros trabalhos seus no Clube do Tarô: Autores
Edição: CKR – novembro.13
   Galeria dos arcanos | Os textos simbólicos  
  Baralho Cigano
  Tarô Egípcio
  Quatro pilares
  Orientação
  O Momento
  I Ching
Publicidade Google
 
Todos os direitos reservados © 2005-2019 por Constantino K. Riemma  -  São Paulo, Brasil