Home page

13 de dezembro de 2018

Responsável: Constantino K. Riemma


Tarot of the New Vision:
Uma nova perspectiva do Tarot Rider Waite
Vera Miranda
 
Este tarô, concebido por Pietro Alligo e projetado pelos irmãos Raul e Gianluca Cestaro, foi publicado pela editora Lo Scarabeo em 2003 – quase cem anos após o lançamento do tarô criado por Arthur Edward Waite, o qual serve de base para uma releitura bastante original, tanto dos arcanos maiores, quanto dos  arcanos menores.
Como toda releitura, o Tarot of the New Vision traz contribuições novas para a interpretação das cartas, mas também diversos questionamentos. A proposta de Pietro Alligo de mostrar o que há nos bastidores e/ou na plateia das “cenas” concebidas por Waite, embora muito interessante, pode causar estranheza e ser encarada quase como uma heresia pelos tarólogos mais conservadores.
Neste primeiro texto não entraremos no mérito dessa questão que, por si só, daria outra resenha sobre esse instigante deck de tarot. Nossa intenção aqui é apenas fazer uma avaliação inicial de suas cartas sob o ponto de vista de uma profissional que trabalha com o Rider Waite desde 1997, embora tenha se iniciado no ano de 91 com o Tarô Crowley.
O Mago no New Vision Tarot
O Mago no New Vision Tarot
 
Antes de analisar as alterações apresentadas pelo Tarot of the New Vision, vale a pena ressaltar a irreverência de seu criador, especialmente na carta do Mago, que foi, como não poderia deixar de ser, o iniciador dessa resenha.
Encontrei este Mago, acidentalmente, quando estava navegando pelos sites e blogs de tarô; achei-o extremamente divertido e bem caracterizado, embora num primeiro momento tivesse me questionado até que ponto a utilização de um tarô, cujo mago fosse abertamente apresentado como um trapaceiro, seria adequado para uso no dia a dia profissional (ainda mais sabendo que muitas vezes, especialmente na primeira consulta,  alguns clientes costumam “testar” a capacidade intuitiva, ou, melhor dizendo, de “adivinhação”,  do tarólogo).
Lembrando a descrição do Mago por Edith  Waite no livro O Tarô Universal de Waite, Ed. ISIS, pág 48, temos:
“(...) o Mago é o conduto de um poder superior que domina todo o mundo material. Dado que o único que podemos ver no mundo físico é o conduto, às vezes os atos que realiza o Mago nos parecem mágicos. O nome do Mago pode parecer estranho para alguém que tem o poder real, já que a palavra “mago” evoca a imagem de um ilusionista, cujo único poder é a habilidade manual e a desorientação. Não obstante, em muitos aspectos o  Mago é também similar ao
ilusionista. Ele está seguro da sua destreza e de sua habilidade para produzir os efeitos que deseja. Seu poder real vem das forças externas a ele e ele não tem poder sem estas fontes, pois depende de quem está “atrás do cenário”, de modo igual ao ilusionista. Não obstante, tanto o mago como o Mago são da mesma forma importantes para seus poderes, como seus poderes são para eles. Sem um conduto, o poder em si mesmo é inútil”.
Vejamos agora, lado a lado, os Magos do Rider Waite e do Tarot of the New Vision, de forma a facilitar a análise comparativa dos mesmos.
O Mago no original de Waite e o New Vision Tarot
O Mago no original Rider-Waite e no New Vision
A versão da carta concebida por Pietro Alligo mostra um Mago diante de uma plateia de camponeses e, por trás dele, um macaquinho de circo puxando a sua capa, o que torna a carta cômica e passa uma ideia de engodo. Pressupõe-se, com base na carta original de Waite, que para a plateia ele seja percebido como um homem confiante, hábil e de conhecimento. No entanto, o cenário, quando visto por trás dele, revela que essa primeira impressão não é totalmente verdadeira, já que os elementos circenses indicam que ele não pode ser levado tão a sério e que, embora ele continue sendo O Mago, não se deve esquecer que ele é Hermes, com todas as suas conotações mitológicas de trapaças, enganos e ludibriações. Não se deve esquecer também que ele possui o dom palavra, articulando-as bem e torcendo os fatos, a ponto de tornar as mentiras tão reais quanto possíveis verdades.
Outro aspecto que chama a atenção na versão do Tarot of the New Vision é o fato de que a mesa do referido Mago não contém os quatro tradicionais instrumentos utilizados nos rituais mágicos e que correspondem aos quatro naipes do tarô (bastão/espiritualidade, espada/pensamento, taça/emoção e moedas/concretização). Apenas dois deles estão sobre sua mesa (taça e moeda), enquanto os dois outros (bastão e espada) encontram-se no chão, escondidos e fora da visão da “plateia”, o que nos dá a impressão de que O Mago não deseja que a mesma tenha uma ideia completa dos seus dons e poder de realização, e que só irá lançar mão desses poderosos instrumentos em situações emergenciais.
A Papisa no New Vision Tarot   O Carro no New Vision Tarot   O Pendurado no New Vision Tarot   O Sol no New Vision Tarot
Outros exemplos para exame futuro: A Alta Sacerdotisa, O Carro, O Pendurado e o Sol
Quando comecei a escrever esta resenha planejei dar uma visão geral comparativa dos arcanos maiores do Tarot of the New Vision vis-à-vis o Tarot Rider Waite. Ledo engano. O Mago ou “o mago” me seduziu com seus truques e me estendeu o tapete vermelho, para que só ele, e mais ninguém, ficasse em evidência. Rendi-me às suas peripécias/encantos e deixo para breve as análises dos demais arcanos maiores e menores desse tarô – alguns interessantíssimos e bastante inovadores.
 
Bibliografia:
Waite, Edith. O Tarô Universal de Waite. Ed. ISIS Ltda., 2004.
Blog “La Bitacora de Alchemy”  e “Las Cartas de Alchemy”, ambos de BeTina:
www.labitacoradealchemy-tarot.blogspot.com.br/2008/05/tarot-nueva-visin-new-vision.html
Blog Marcello Tarot:
www.marcellotarot.com/index.php?option=com_content&task=view&id=46&Itemid=51&lang=english
Fotos das cartas do Tarot of the New Vision:
www.flickr.com/photos/26583213@N04/sets/72157605321104776/show
 
Contato com a autora:
Vera Miranda, taróloga e astróloga, atende em
Salvador, Bahia, desde 1995: veravilanova@gmail.com
Outros trabalhos seus no Clube do Tarô: Autores
Edição: ckr – julho.13
Revisão: Ivana Mihanovich
  Baralho Cigano
  Tarô Egípcio
  Quatro pilares
  Orientação
  O Momento
  I Ching
Publicidade Google
 
Todos os direitos reservados © 2005-2018 por Constantino K. Riemma  -  São Paulo, Brasil