Home page

17 de outubro de 2019

Responsável: Constantino K. Riemma


O carro que anda pelas fendas do rei que roda!
Cristina Guedes
 
A palavra carro tem muito sentido psicológico dentro do Tarô. Minha primeira associação é que este arcano nos traz oportunidades, autodescobrimento, comando, movimento, progresso e determinação. Nos tarôs clássicos e modernos, o Arcano com esta desenvoltura e talento de impulso chama-se O Carro - Arcano VII. Neste momento da conexão da jornada O Carro nos avisa que há o progresso vindouro, que há processos em andamento, que há caminho novo e muita direção. Este é um Arcano que simboliza a ação que se toma após uma decisão. Aquilo que foi resolvido está a ser executado, é a realização desenvolvida na vida do consulente. O simbolismo dos cavalos é muito claro: símbolos da força adestrada pelo cocheiro que avança rápido numa carruagem de força, rapidez, energia e muita liderança. O cocheiro ou auriga, como também é conhecido, só precisa domar e direcionar um e outro cavalo, porque esses dois animais são muito velozes. Seria realmente de se esperar que o cocheiro lhes segure as rédeas com toda força!
O Carro no Tarô de Marselha
O Carro no Tarô de Marselha
 
Mas o nosso Arcano sete é bastante ligeiro e toma um rumo firme, pois está determinado a cumprir mais etapas evolutivas. Numa outra vertente, posso dizer que esta carta também mostra que se por acaso falte autocontrole ou espírito competitivo na vida do consulente, este terá que se esforçar para o adquirir, pois será de extrema importância para o sucesso nos seus intuitos. É uma carta representativa e expressiva porque avisa para você tomar controle da sua vida e não impedir seu progresso. Aí será preciso focar-se naquilo que realmente lhe interessa de uma forma destemida, ou seja, corajosa e ousada. Caso esta carta apareça como obstáculo, sugiro ao consulente se libertar urgente de influências externas impeditivas dos seus objetivos, estas influências poderão estar a ser demasiado controladoras e autoritárias e você terá que contornar isso, ouvindo, medindo, embarcando, mas sempre avançando.
Júbilo e vitória, considero O Carro uma das cartas mais felizes do Tarô, pois promete realização e sucesso em todos os sentidos. Nesta carta somos ao mesmo tempo conquistadores e desbravadores ao usarmos da luz intelectual para o nosso equilíbrio do bem e do poder para que tudo seja feito em nome da nossa inteligência e sabedoria. Para alguns o carro seria de Osíris, para outros o que conduziu o profeta Elias aos céus. O carro significa o ser humano equilibrado e, portanto, bem sucedido, que foi capaz de decidir corretamente e na hora certa.
No plano físico, representa a submissão dos elementos da natureza e da matéria ao talento e a inteligência do
homem, portanto, para o consulente, a influência do carro é positiva. Assim como o carro dos nossos dias em sua trajetória tem de correr para levar alguém para algum lugar, nosso Carro do Tarô também é bem dirigido e determinante, pois esta é uma mensagem indiscutível de sucesso, assim está escrito que o consulente está fadado à vitória final para seus empreendimentos, desejos e aspirações. Indica também possível viagem.
Do jeito que vão as coisas, o Carro está, sem dúvidas, correndo para uma liderança e rumo de vida, por isso recomendo ao consulente ainda planejar o seu itinerário exato e ficar de olhos bem abertos para equilibrar as tendências da estrada. Agora é o equilíbrio que estou falando para você. Manter a harmonia é muito significante nesta carta, já que a escolha quando não é harmonizada não vale a pena ser vivida. Aconselho o uso da percepção direcionada aí. Deve prestar mais atenção nas coisas e pessoas que estão à sua volta, pois tudo se deslanchará de um modo muito ligeiro. A autoconsciência o ajuda a ter sucesso desse modo se você assim agir andando nesse veículo de poder.
O Carro representa um ego maduro, forte, assertivo, seguro de si, no controle das suas emoções e do meio que o rodeia. O Carro indica ainda uma união de opostos por causa da simbologia dos cavalos. Por instinto, eles correm em diferentes direções, mas devem e podem ser comandados de modo a correrem juntos na mesma direção. O controle deve ser exercido sempre que há oposição de emoções, de vontades, de necessidades, de pessoas, de circunstâncias; dando-lhes uma só direção, a nossa direção do desenrolar pela inteligência. Para tal, é essencial ter confiança e motivação.
O Princípio da Mudança, Movimento, Combinação de mobilidade e atividade é a força geradora desse Arcano Sete. O Gerador, Motivador e Viajante auriga representa uma necessidade de combinar quietude com atividade. Ter controle, portanto, ter a motivação para perseguir o determinado desejo. É a nova força dissolvendo formas antigas. Uma época de transparência que vem, de ir além do passado, começar com nova energia, e assumir a responsabilidade por sua condição atual. Estar totalmente sintonizado com um processo ou evento em movimento rápido. Esse é o Arcano da Consciência, das tolerâncias e das limitações da situação, o saber instintivo de como agir e reagir para dirigir ou afetar o movimento que surge de dentro para fora.
Não se afastar da situação porque ela não pode ser controlada de longe será também muito importante. No Carro você se torna parte disso e, portanto, capaz de dirigir seu rumo. É o princípio do domínio por meio da mudança. Autodomínio, energia controlada e dirigida e, portanto, vitória. Herói. Guerreiro. Auriga. Por uma causa muito nobre. Na maior parte do tempo estamos tão apressados na nossa rotina de velocidade e tempo que sequer nos damos conta de como a nossa visão é limitada das coisas que estão à nossa  volta.  Se pudéssemos  tirar a velocidade e domar o
 
O Carro no Morgan-Greer Tarot
O Carro no Morgan-Greer Tarot
tempo de nossa vida e examiná-la sob ângulos diferentes, teríamos uma percepção diferente de nós mesmos.
Todavia, aspectos que podem nos fazer parar esse Carro podem nos decepcionar quando são vistos sob outro ângulo. Nesse caso, às vezes, é bom não parar se a vida não parece ajustar-se, porque a maneira como as encaramos é demasiado rigorosa! Vemos um bom exemplo disso no Arcano O Carro porque convivemos com tempos e eixos diferentes. E se pensarmos bem em atingir nossas metas com respeito ao tempo divino seremos nossos maiores amigos.
E já que teremos um auriga animador numa parte diferente das nossas rodas de alma. Embora todos gostem de nós, podem alguns não gostar de um de nossos aspectos particulares. Mas isso não nos impedirá de seguir adiante na jornada. Amigos diferentes conhecem histórias distintas de nós e todas as histórias são peças diferentes que se combinam para compor um mosaico de presença única e animadora. Todas as histórias contribuem para formar a história única do nosso carro particular. Isso é como a prece mística que nos leva a intimidade mais profunda com o Divino. A nossa alma é como a roda desse Carro, pois ela recebe o beijo de Deus de diversas maneiras, tempos e velocidades! Esses são os Ecos Eternos do nosso Carro interior e viajante de almas! Afinal, estamos todos em infinitas viagens.
Assim desejo que você tenha o senso de uma feliz direção, um plano bem examinado para os capítulos seguintes da sua viagem. Vença o seu Destino. Desejo essa vitória da sua autodisciplina que envolve trazer conteúdos inconscientes à consciência para o propósito de sua realização mais plena. Não se esqueçam de olhar as rodas do Céu. Voltem seus olhares a outros lugares desse Carro que não sejam suas preocupações diárias, alguns instantes o tempo volta um pouco. Olhem o céu, a noite girante. Olhem o Rei portando domando seus Cavalos. Olhem as cores do Carro, porque olhando-as, vocês superam o que olham e começarão a comungar com o Cosmo, também, olhem os elementos da natureza em volta de vocês. Isso reforçará sua possibilidade de dirigir-se, pelo Amor, até as grandes fendas do coração!
Abraços, amigos, e que o poder da vitória concentrada lhes alcancem sempre dentro deste Carro particular.
Apolo e o símbolo do carro
As atribuições de Apolo – Apolo, embora não pertença à primeira geração dos Olímpicos, é considerado, na Antiguidade, como uma das divindades mais importantes do seu panteão. A sua faceta mais importante é a de deus solar, como podemos verificar pelos seus epítetos: "O Dourado", o deus "com cabelos de ouro" e, sobretudo, "o brilhante", que os romanos transformaram em Febo. A sua faceta de deus solar torna-o um deus benéfico e purificador. É ele que faz germinar a vida e espalha a felicidade, apresentando-se por isso, quer como um deus pastoril quer como um deus poeta e músico, o Musageta (o condutor das Musas). Como divindade da luz, Apolo deverá combater a obscuridade e, por essa razão, o seu oráculo tem por missão projetar a claridade sobre as sombras que roubam aos humanos o conhecimento. Mas o sol benéfico e purificador pode ser, também, um agente de destruição. Deste modo, os raios solares eram entendidos, pelos gregos, como flechas assassinas disparadas pelo cruel arqueiro. As mesmas flechas que, certamente, mataram todos os filhos da arrogante Níobe. É esta faceta da personalidade do deus que pode, de resto, explicar o seu nome (o verbo grego apoilumi significa destruir).
Apolo em seu carro, pintura de Luca Giordano
Apolo em seu carro
Pintura de Luca Giordano (1683)
Os amores de Apolo – Apolo não foi insensível ao amor, muito embora a tradição não lhe atribua nenhuma união legítima. Ele amou e foi muito amado, mas apesar de tão dotado de dons, quer físicos quer espirituais, conheceu várias vezes seguidas o sofrimento e a humilhação. A ninfa Dafne, filha da Terra, foi a primeira a repelir os avanços do deus. Um certo dia, quando Apolo decidira vergá-la ao seu amor, a ninfa fugiu. Mas o deus perseguiu-a e encontrou-a. E quando se preparava para prendê-la com as suas mãos robustas, esta, desesperada, pediu ajuda a sua mãe, a Terra, que se abriu e fechou sobre Dafne. Nesse mesmo lugar, nasceu algum tempo depois um loureiro (em grego: daphné) e Apolo transformou-o numa árvore sagrada, a árvore apoliniana, por excelência. Corónis era filha do rei dos Lápidas. Apolo desejou-a e possuiu-a, mas a princesa ficou grávida e, temendo não manter o amor do deus durante toda a vida, decidiu desposar um mortal. Acontece que Apolo foi informado da notícia e condenou Corónis e o seu marido à morte. Mas estavam os dois cadáveres a arder na pira fúnebre, quando o deus veio retirar do corpo da mãe, o seu filho, ainda vivo. Asclépio foi então confiado ao centauro Quiron, que lhe ensinou a arte da medicina.
Apolo em seu carro solar
Apolo em seu carro solar
Pintura de Frederik Arthur Bridgman
Os combates de Apolo – As aventuras e as proezas atribuídas a Apolo são inumeráveis. Enfrentou Héracles quando este, descontente com o oráculo, se apoderou do tripé sagrado onde se encontrava a sacerdotisa de Delfos, a Pítia. Zeus viu-se, então, obrigado a intervir, como mediador, a fim de que o confronto entre os seus dois filhos tivesse fim. No decurso da campanha contra Tróia, Agamérnrion raptou Criseida, filha do sacerdote de Apolo, e o deus decidiu vingar-se, espalhando uma epidemia de peste entre os Gregos, e obrigando o seu chefe a libertar a cativa. Apolo não tolerava afrontas, mas quando não fazia uso do seu arco e das suas flechas, dedicava-se à música. Um dia, o sátiro Mársias decidiu desafiar Apolo no domínio musical. Midas, rei da Frígia, juntamente com as Musas, foram escolhidos como árbitros deste concurso. As Musas pronunciaram-se a favor de Apolo, mas Midas preferiu a flauta dupla de Mársias à lira do deus. Como castigo, Apolo dotou-o de umas orelhas de burro. Quanto ao sátiro, o deus mandou suspendê-lo num pinheiro. Apolo gozava, no Olimpo, de proteções privilegiadas. O seu pai Zeus dedicava-lhe uma afeição muito particular. Assim, quando o deus do sol se manifestava, todos os imortais se erguiam imediatamente, e enquanto a sua mãe o aliviava das suas armas, o rei dos deuses ofertava-lhe uma taça de néctar. Então, Apolo, com a sua beleza surpreendente, fazia brotar da sua lira sons verdadeiramente divinos, acompanhados em coro pelas Musas. E logo todo o Olimpo se punha a cantar e a dançar.
O carro
 
Esteja ou não consciente,
o fato de estar sozinho nos mostra
que cada viagem dá uma volta
para esse carro aventurar.
Aprendemos,
é apenas uma oportunidade de orientar,
talvez investigar o que acaba,
tronos, moveis, efeitos, rodas,
defronte do rei
iremos embarcar.
Basta-nos pegar o número sete,
dá uma inclinada de leve
para o equilíbrio chegar.
 
Carro de Apolo no Tarot de Robert Place
 
      Tarô de Robert Place  
De volta para casa (dirigindo)
Apolo
 
Leva-me para a casa do mundo, meu comandante,
eu não sei voltar
logo no corcel não poderei ficar.
Leva-me para a casa do mundo, meu comandante,
eu não sei explorar
encruzilhada ou destino não quero enfrentar.
Meu comandante,
oh meu rei brilhante
de carro de fogo secular.
Meu comandante,
seus cavalos transfixados
não podem parar.
Continue!
Sem missões obrigatórias,
sem conflitos de oratória,
E daqui em diante
toda natureza do instante
é nosso passeio particular.
Poemas de Cristina Guedes para a Exposição
A Casa do Mundo no Reino dos Arcanos
Museu São Francisco - João Pessoa - PB
agosto.12
Contato com a autora:
Cristina Guedes é jornalista, poeta e consultora em Tarô
Atende pelo (41) 9930.0853 e (83) 8790.7777
www.facebook.com/cristinasguedes
Outros trabalhos seus no Clube do Tarô: Autores
 
  Baralho Cigano
  Tarô Egípcio
  Quatro pilares
  Orientação
  O Momento
  I Ching
Publicidade Google
 
Todos os direitos reservados © 2005-2019 por Constantino K. Riemma  -  São Paulo, Brasil