Home page

17 de outubro de 2019

Responsável: Constantino K. Riemma


A Roda da Fortuna e os ciclos do Destino
Cláudia Hauy
 
A vida é cíclica e tudo o que existe está em constante movimento. Esta idéia é expressa na décima carta do Tarô através da imagem de humanos com características de animais irracionais correndo por uma grande roda; pelos lados, um deles a escala, enquanto o outro desce por ela, movendo-se no sentido dos ponteiros de um relógio, sinalizando a passagem do tempo e como corremos com ou contra ele. Acima, sobre um pedestal, um jovem reina, estável; e abaixo, um ancião movendo-se de quatro com o peso da roda sobre as costas, despossuído de qualquer reinado,  é o único ser totalmente humano que aparece na carta.
A Roda no tarô Visconti Sforza
A Roda da Fortuna
Carta do Tarô Visconti Sforza (1450),
restaurado por AA Atanassov (2005)
 
No centro da carta, uma figura feminina alada e de olhos vendados, um ser além-homem que parece segurar a Roda do Destino mantendo-a no eixo, cabendo aos que nela giram, adaptar-se ao ritmo que ela dá, esforçando-se sempre pela ascensão.
Todos somos submetidos aos giros da roda, às mudanças naturais da vida, à passagem do tempo. Mas também a fazemos girar através de nossos movimentos: movimentos instintivos pela sobrevivência e pela satisfação dos desejos, movimentos sociais por melhor qualidade de vida, movimentos espirituais por elevação. Todos buscando chegar na parte superior da Roda e passar o maior tempo possível na melhor condição de vida, confortáveis, estáveis, seguros e, dependendo das ambições de cada um, poderosos.
A Roda da Fortuna ilustra a impermanência; ela mostra que nada é eterno, tudo é passageiro. Existem vários pontos onde se pode estar na roda da vida, e nenhuma posição é permantente. A estabilidade em uma relação, a riqueza, com todas as facilidades que ela proporciona e a juventude por ser o auge da vitalidade, dão uma sensação de poder. Por outro lado,  a solidão, a pobreza e o envelhecimento trazem tristeza e insegurança. Mas tudo isto é transitório; em qualquer fase da vida podemos nos sentir jovens ou senis, podemos ter altos e baixos, momentos de vitória e momentos de derrota, ciclos para os quais devemos estar preparados, mantendo o maior equilíbrio possível.
A inconstância e a instabilidade são aspectos apresentados, mas a carta indica que deve-se lidar com elas com destreza, atitude e capacidade de adaptação.
Para os que crêem na Reencarnação, este arcano representa o carma e as sucessivas encarnações pelas quais passamos, com seus estágios de aprendizado e diversos graus de evolução não lineares e sim circulares, onde cada volta da roda significa uma de nossas vidas, com seu início, meio e fim.
A Roda da Fortuna mostra situações ou relações cármicas, que são aquelas que se apresentam como situações difíceis, limitantes, por vezes repetitivas, pelas quais se possa passar, onde problemas reincidentes ou pessoas que nos trazem desafios parecidos insistem em surgir e fazer parte de nossas vidas, até que tenhamos aprendido o modo correto de agir para romper os vínculos negativos e nos libertarmos do padrão de sofrimento que nos liga a tais problemas e pessoas.
Para saber o que fazer para melhorar nossas vidas, de que modo nos libertar de problemas e como ser mais felizes é que buscamos informações, conselhos e orientações de oráculos, como o Tarô.
O Tarô ajuda a conhecer, entender e transformar para melhor o nosso Destino e A Roda da Fortuna é o arcano que fala diretamente sobre esta “identidade abstrata” chamada Sorte, objeto de estudo dos oráculos. A carta em seu sentido normal e bem posicionada em um jogo, significa Boa Sorte, bons ventos soprando à nosso favor. O acaso irá nos favorecer, e nós, avisados sobre isto, poderemos aproveitar melhor todas as boas oportunidades que virão.
Quando esta carta aparece em uma leitura, a mudança já está em curso e os movimentos estão sendo feitos, ou serão feitos em breve, para que venha uma nova e melhor fase. Pode ser uma mudança favorável à nossa vida material, mudança física, de residência, de emprego, de cônjuge, de aparência; ou pode ser uma profunda mudança interna, a superação de dificuldades há muito vivenciadas e o fim de um aprisionamento.
Em geral, devemos agir de uma determinada forma para que as mudanças sejam positivas, o que significa agir de acordo com a situação e com a posição que estivermos na roda, sempre eticamente,  para obter resultados edificantes e para que o momento atual possa ser o ponto de mutação para um estágio superior da existência.
Como conselho, a carta alerta para aceitar a mudança, sem temor; não ficar preso a um círculo vicioso de pensamentos, hábitos ou ações, agindo mecanicamente, sem refletir; e não nos ater a um único ponto de vista, pois o cenário muda de acordo com o local de onde se observa. Mudar o enfoque pelo qual se encara uma situação mostra soluções ainda não vistas e traz novas perspectivas à vida.
Tudo na vida precisa de movimento, nosso corpo, nossa mente, nosso cotidiano e estando em sintonia com o movimento, pulso e ritmo da Natureza, as mudanças tendem a ser sempre positivas.
fevereiro.13
Contato com o autor:
Cláudia Hauy - www.claudiahauy.com.br
Outros trabalhos seus no Clube do Tarô: Autores
 
  Baralho Cigano
  Tarô Egípcio
  Quatro pilares
  Orientação
  O Momento
  I Ching
Publicidade Google
 
Todos os direitos reservados © 2005-2019 por Constantino K. Riemma  -  São Paulo, Brasil