Home page

20 de setembro de 2019

Responsável: Constantino K. Riemma


A Força e seus arcanos Sucessor e Ressoante
Estudo sobre o método Nei Naiff
Cláudia Ferrari
A carta d’A Força neste estudo é representada segundo os baralhos clássicos mantendo-se na sua posição original no arcano 11 enquanto A Justiça está no arcano 8; não seguindo a inversão mágica proposta por Arthur Edward Waite anos depois.
Alguns baralhos antigos como o Mantegna e o Minchiate (que não seguem a linha dos Tarots tradicionais) representam A Força por uma mulher derrubando uma coluna (sendo que no Minchiate ela é especialmente posicionada representando o arcano 7).
A Força no baralho Mantegna e Minchiate
A Força representada nos baralhos de Mantegna (1465) e Minchiate (1700)
Já em todas as versões do Tarot de Marselha esta carta é representada por uma mulher pondo a mão na boca de um leão sentado.
Ainda é possível encontrar esta carta representada por um homem domando um leão, como propõe Liz Greene no Tarot Mitológico. Neste baralho a relação associativa é feita diretamente com o mito de Hércules e do Leão de Neméia.
A Força nos baralhos de Jean Noblet e Mitológico
A Força – o arcano central deste estudo – no tarot de Jean Noblet (1650) e no Mitológico (1988)
Ilustrada de uma maneira ou de outra, o significado primordial desta carta é o seu próprio nome: A Força. Seja ela física, mental, espiritual ou de qualquer outra ordem. Num sentido secundário esta carta está ligada ao controle do instinto e de si mesmo. Toda força extrema precisa ser controlada e transmutada para seguir o caminho da ordem e não do caos.
Segundo o professor Nei Naiff cada Arcano do Tarot possui duas energias básicas e imediatas reverberando ao seu redor. Uma é o Arcano Sucessor, a carta que imediatamente sucede o Arcano em questão (quando estamos tratando dos Arcanos Maiores). Esta carta é uma tendência do que está por vir, uma energia real, próspera e a princípio inevitável. O Arcano Sucessor é a possibilidade mais concreta da direção para onde a situação em questão está caminhando. É a direção favorável positiva e a tendência mais indicada para o consulente seguir. Já o Arcano Ressoante (carta calculada através de redução pitagórica) trata da tendência negativa, ilusória, vazia e dissociativa. Trata da zona de conforto, da situação empacada que o consulente prefere permanecer ao invés de encarar o novo e o desconhecido. Sabemos que todas as cartas do Tarot tem seu polo positivo e seu polo negativo. O Arcano Sucessor trata do polo positivo e o Arcano Ressoante trata do polo negativo.
Neste estudo faço uma demonstração de como pode se fazer na prática uma análise do Arcano Sucessor e Ressoante tomando como exemplo a carta d’A Força.
Já se sabe que A Força trata literalmente em primeiro plano de seu significado e em seus desdobramentos de como domar esta força. Veremos agora que seu Arcano Sucessor é o de número 12, arcano seguinte à Força: O Enforcado. E que primeira lição não se daria a uma força descontrolada senão olhar a situação por uma nova perspectiva? Pelo olhar de cabeça para baixo do enforcado? Que sugestão não se poderia dar ao consulente para parar, estagnar um momento e pensar? Plantar a cabeça no solo e usar a razão ao invés da força física?
Se tomarmos como exemplo O Enforcado do Tarot de Marselha, observaremos que existem seis galhos cortados de cada lado das árvores onde ele está pendurado. Outra boa lição não seria aparar as arestas desta força transformando o caos em ordem?
Se casarmos A Força do Tarot Mitológico com O Enforcado do Tarot de Marselha, que relações poderíamos fazer? No mito grego Hércules é o principal representante da força. Em princípio da força descomunal, da força descontrolada que fez Zeus decidir dar-lhe os 12 trabalhos por meio do rei Euristeu. E qual não seria a função destes 12 trabalhos senão domar esta força? Aparar as arestas (as mesmas 12 representadas na carta d’O Enforcado noTarot de Marselha) e  através destas arestas aparadas a aquisição do alto controle.
Desdobrando um pouco mais esta ideia -  esta relação a seguir fora do método Nei Naiff - podemos observar que através de uma inversão numérica de 12 ( O Enforcado) para 21 ( O Mundo) alcançamos a resolução final do processo. Vejamos que o Mundo é a carta diretamente oposta ao Enforcado por inversão numérica arábica e elementos de cena. E será através do esforço do enforcado em enxergar esta nova perspectiva oferecida e domar sua força é que ele adquire o autocontrole e poderá ter o mundo aos seus pés
O Pendurado e o Mundo no Tarot de Jean Noblet
O Pendurado – arcano sucessor da força – e o Mundo – arcano invertido do Pendurado.
Cartas do tarot de Jean Noblet (1650)
Nos arcabnos acima, temos elementos de cena opostos: o Enforcado está de cabeça para baixo e olha pra cima; o Mundo está de pé e olha pra baixo; o Enforcado é homem, está vestido e esconde as mãos; o Mundo é mulher, está nua ecde braços abertos; o Enforcado tem seis galhos cortados de cada lado, representando a morte num ciclo de 12 números; o Mundo tem os quatro símbolos de cada elemento dos signos fixos do zodíaco, representando a vida num ciclo de 12 signos. O número 12 está diretamente relacionado aos 12 trabalhos de Hércules e sua força para passar por cada etapa da vida.
De volta ao método Nei Naiff, observamos que enquanto O Enforcado como Arcano Sucessor d’A Força trabalha o aspecto positivo da carta, A Papisa como Arcano Ressoante irá trabalhar o aspecto negativo da mesma.
A Papisa por excelência em seu aspecto positivo representa a intuição feminina, a reflexão, a passividade, o estudo, a prudência...
A Papisa noTarot de Jean Noblet
A Papisa - o arcano Ressoante da Força
Tarot de Jean Noblet (1650)
Num sentido negativo e atendo-se ao que poderia ser a zona de conforto d’A Força o indivíduo aqui ressoa inércia. Acomoda-se na situação de poder que a força lhe proporciona e não apara as arestas, não olha a situação por nenhuma outra perspectiva. Se insiste nessa postura e não visa o avanço para o Arcano Sucessor, para O Enforcado e para todo o sacrifício que ele implica, a tendência pode ser a tirania. A força desequilibrada, obsessiva, o caos. Do mesmo modo, se o indivíduo encontra-se na posição de oprimido desta força de outrem e se acomoda, aceita ficar na atitude passiva, confortável e conhecida d’A Papisa e não se esforça para passar para O Enforcado e impor seus limites aparando as arestas deste opressor, o resultado também será catastrófico. A boa medida das coisas implica em esforço e dificuldade. As colunas da inércia devem ser derrubadas sempre. Há que se lutar, pois nenhum caminho de luz é fácil.
Segundo esta linha de ensinamento, as cartas dos Arcanos Maiores tem um movimento circular e dos Arcanos Menores, linear.  Portanto o cálculo do Arcano Sucessor e Ressoante se dá de forma diferente entre os Maiores e os Menores. Aos que quiserem aprofundar esta técnica e aprender o cálculo dos Arcanos Sucessores e Ressoantes, devem procurar o livro Vida e Destino Volume 2 nos Estudos Completos do Tarô  apresentado na bibliografia deste estudo.
Esta análise que apresentei é apenas uma dentre as milhares de possibilidades que a técnica oferece. No jogo de Tarot e na busca do conhecimento não existe o certo e o errado. Os caminhos são apresentados e cada um com sua experiência de vida, irá desenvolver análises de forma única, pois cada ser humano tem uma maneira impar e exclusiva de decodificar símbolos e de olhar para este mundo. Usando a lógica, casando imagens de diversos baralhos, evocando os arquétipos, os mitos, os contos de fadas e - principalmente - acreditando na luz que guia cada um de nós, poderemos chegar a resultados incríveis. A força, a iluminação e o caminho estão à disposição de todos. Basta abrir os olhos! Basta olhar para a vida sempre com novas perspectivas!
 
Bibliografia:
Naiff, Nei.  Estudos Completos do Tarô, volumes 1 e 2. Editora Best Seller. 2015
Bailey. Alice A. Os Trabalhos de Hércules. Association Lucis Trust. 2008 
 
Cláudia Ferrari,
licenciada em Língua e Literatura Portuguesa e Brasileira - USP.
Sua palestra sobre o Tarot Sola Busca pode ser vista em:
www.facebook.com/edu.scarfon/videos/650490995113750/?pnref=story  
Contato: www.clauferrari2003.wix.com/clauferrari#!gallery
Outros trabalhos seus no Clube do TarôAutores
Edição: CKR – 8/11/2016
  Baralho Cigano
  Tarô Egípcio
  Quatro pilares
  Orientação
  O Momento
  I Ching
Publicidade Google
 
Todos os direitos reservados © 2005-2019 por Constantino K. Riemma  -  São Paulo, Brasil