Home page

21 de abril de 2019

Responsável: Constantino K. Riemma


Do jeito que o Diabo não gosta
Cristina Guedes
 
Ele contorcia-se diante da inocência. Ele organizava rebeliões entre os Anjos. Ele possuía muita influência entre todos. Ele arrasou o perfeito paraíso e empolgou os filhos da Criação. Ele deixou o emprego de Anjo e pediu demissão do céu. Ele tinha uma natureza ambiciosa e um ego inflado de seu próprio valor. Ele tinha grandes especialidades e por isso queria obter mais autoridade. Ele feria ele mesmo. Ele abria caminhos com seus encantos e buscava vingança sempre que se sentia ameaçado. Imaginem. Ele se tornou um símbolo retorcido e deformado em nossa sociedade. E até que ele gostava de imaginar-se o filho predileto de Deus.
Não é assim, que muitos contam a sua história dentro da cultura judaico-cristã. É evidente que estou falando do Arcano XV - O Diabo do Tarô. Ele é uma figura arquetípica muito presente nos problemas cruciais que envolvem o bem e o mal.  Pois ele circula dentro das sombras mais especificamente humanas como: inveja, orgulho, gula, cobiça, medo, horror, luxúria, ambição, degeneração e egoísmo. E quanto mais o Homem o rejeita mais prisioneiro se torna da sua bestialidade.
O Diabo no Tarô de Marselha-Camoin
O Diabo
Tarô de Marselha-Camoin
 
Vivenciar a dualidade do ser, criar e destruir, colaborar e prender, vejam que o Diabo levou séculos para ser autonomamente diabólico e eficaz. Sua linguagem tornou-o tanto material quanto espiritual. E poucos são capazes de ver suas pretenções. Os iluminados sabem enxergá-lo sem temer. Pois convenceram-se que ele é apenas a mais cega das confusões humanas. Como um menino imediatamente acima da média normal e bastante ardiloso, este símbolo é bem mais observado nos excessos de emocionalismo, fanatismos e manipulações. O Diabo reflete-se com o mais famoso adversário de Deus. O seu caráter duvidoso é parte do seu plano e dos seus truques assombrosos. 
Ele é o Arcano e senhor do medo e sabemos que para se viver bem é preciso superar esse medo, ou melhor, todos os grandes medos precisamos afastar de nós se quisermos prosseguir na jornada da luz. Então, dominar os instintos é o maior recado deste Arcano.Traduzindo, a carta XV traz uma figura clássica com chifres, asas de morcego, e pés de animal, impunhando uma arma ou um forcado. Ele está sobre um pedestal em forma de cálice invertido, na mão esquerda segura um objeto que pode ser um cetro, uma espada ou uma tocha, ladeando o pedestal há dois diabletes menores com expressão de indiferentes à situação em que se encontram, pois estas criaturas cativas estão presas por cordas, significando as emoções retidas.
Mas essa também é uma carta de transgressão, onde sonhos e projetos se tornam paralisados e a regressão dos estímulos e da energia vital experimentam a culpa perdida do paraíso. Num nível mais fundo, é o ser humano dominado pelas suas paixões, vícios e desequilíbrios, do que somente se salvará se tiver a necessária firmeza para provocar conscientemente uma mudança íntima.
Também é uma carta que detém muito poder astral e força magnética, porém esse arquétipo do Diabo é bastante displicente quando se fala dele no plano espiritual, pois as sua prerrogativas benéficas estão afastadas devido à soberba com que as aplica na vida prática. No fundo a carta quer dizer que o consulente possui poder mental e emocional de realizar, mas que direciona mal e canaliza tudo para fins não muito elevados ou éticos.
Então, o seu diabinho está solto ou já escravizou você emocionalmente? Já se livrou do seu sentimento de culpa, do seu domínio? O seu diabinho  está amarrado por seus atos ilegais? Ou está livre para ir em direção a uma relação consciente junto ao seu eu?
Este Arcano indica-nos que devemos conhecer melhor as nossas restrições, executar uma introspecção e tentar descobrir e clarificar melhor os nossos medos e receios. É a hora de compreender que não podemos continuar agarrados a uma visão egocêntrica do mundo, é a hora de sabermos que não devemos ir contra os nossos princípios e ideais, mesmo que estejamos a ser influenciados por modelos insconscientes. Pergunte se o que você realmente deseja é realmente vontade sua ou de outros. Tente sempre seguir as suas idéias e cuidado para não perder contato com sua consciência. Eis a patética condição humana que prefere a ilusão à verdade.
Comentando sua função material, esta carta é excelente quando o assunto é dinheiro, reconhecimento e crescimento profissional. E muitas vezes ela é composta de reconhecimento público e fama para o consulente. Toda atenção é necessária nesse momento, pois durante esta fase já que surgem excelentes oportunidades aparecem, será a hora também de aparecer subitamente e da mesma forma desaparecer tudo se não for bem administrado e projetado. Embora essas oportunidades apareçam em decorrência de um longo, e talvez penoso, caminho trilhado pelo consulente.
E como todos os escorregados do Éden, como Adão e Eva, precisamos cada um voltarmos nossa conexão para
 
O Diabo na versão de Ciro Marchetti
O Diabo
Divine Tarot © Copyright Ciro Marchetti
o centro. Mas voltarmos sem carnes sintetizadas e sem silicones psíquicos. Nossa cultura mecanizada tem um efeito desumanizador hoje. Pictoricamente e verticalmente o Homem está sendo esmagado debaixo do seu próprio peso. E este peso é o excesso de atos estranhos, de seus passos inexoráveis, de suas guerras deliberadas. O uso desenfreado do corpo, a promiscuidade das elites virtuais, os níveis de informação grosseira desandam nas chamadas. É o lugar do excremento que estabelecem as estranhas mansões da mídia atual. Todos estão correndo para algum lugar e não sabem para onde vão. Aparentam corpos belos e muito seguros. Acima do topo vivem em condições que supomos serem do reino mais feliz, quando na verdade são os possessos da ansiedade emocional e da delinqüência em massa. O diabolismo está aí, todos os dias, e poucos são os que querem deslindar as vítimas totais.
Assim, poucos querem saber de andar com calma na estrada da vida e todas as casas de Deus são amplas e concedem luz, libertação e proteção. As casas de Deus são adorações, velhos diagramas, sementes internas, são os nossos direitos de repouso.
Para fazer seus ídolos, o Homem paga um preço muito alto, onde nada é mais obstáculo. Os ídolos caem todos. Lembram que Jesus não tinha uma pedra para reclinar sua cabeça. Cabe a cada um de nós não impedir a Luz. E como o próprio mestre falou que basta pensar em Amor e crê. Basta oferecer suas poeiras as trilhas dos ventos.
Desejo que todos e os que têm mais que nós, que se desfaçam da grande miragem do Diabo e marchem na anca das dunas mais silenciosas até encontrarem longe de si o deserto.
Amigas e amigos, um pão por dia é um banquete para muitos! É partir e compartir....
 
Banner de Critina Guedes
 
O Júbilo
(do Diabo)
Quando Adão e Eva te perguntarem
do crime organizado
responde:
Se me amas, me tramas
Se me queres, me perdes
Os olhos nos meus olhos
movediços e molhados
Vésper e inconsciente
Fruir de pesares
e presentes.
Poema da Exposição
"A Casa do Mundo no Reino dos Arcanos"
Cristina Guedes
João Pessoa (PB), 2011
 
outubro.11
Contato com a autora:
Cristina Guedes - www.facebook.com/cristinasguedes
Outros trabalhos seus no Clube do Tarô: Autores
 
  Baralho Cigano
  Tarô Egípcio
  Quatro pilares
  Orientação
  O Momento
  I Ching
Publicidade Google
 
Todos os direitos reservados © 2005-2019 por Constantino K. Riemma  -  São Paulo, Brasil