Home page

22 de maio de 2018

Responsável: Constantino K. Riemma


A Estrela como caminho de Thoth
Abraão Zuza Costa
Retomo agora, com a Estrela, as meditações baseadas nas analogias entre o símbolo cabalista da Árvore da Vida e os Arcanos Maiores do Tarot. O símbolo da Árvore é constituído pelas 10 emanações divinas chamadas Sephirot. Entre as Sephirot são traçados 22 Caminhos – os quais foram abordados primeiramente no livro Sepher Yetzirah, onde as 10 Sephiroth somadas as 22 letras do alfabeto hebraico constituem os 32 Caminhos da Sabedoria.
Particularmente, prefiro pensar nas Sephirot como dimensões e, os 22 Caminhos, como dimensões intermediárias, mas isso foi abordado em textos anteriores sobre meditações com os arcanos. Entre as pessoas que tentam traçar a ligação entre a Árvore da Vida e o Tarot, existe uma discordância. Alguns defendem que o Caminho que melhor se assemelha a carta da Estrela seria o Caminho de Tsadi, enquanto alguns defendem que o melhor seria o Caminho de Heh. Não pretendo entrar no mérito desta discussão e simplifico afirmando que em minhas práticas eu considero que o melhor Caminho para ser comparado à carta da Estrela é o Caminho de Heh, de acordo com os estudos de Adriano Camargo Monteiro.
O caminho entre Netach e Yesod na Árvore da Vida.
O Caminho entre Yesod e Netzach na Árvore da Vida
e, à direita, a letra Heh do alfabeto hebraico.
O Caminho de Heh liga as Sephirot de Netzach a Yesod. Heh significa “janela”, o que pode ser visto como a janela que abre a mente superior do buscador para além do plano da esfera de Yesod – que é vista como o “plano astral”, enquanto Netzach é considerada  como o plano causal, também chamado de “plano mental superior”. Yesod é o plano onde as coisas tomam forma, enquanto Netzach é o plano onde se encontram as causas de todas as coisas existentes.
Heh pode ser visto como “a janela aberta para a contemplação do céu estrelado, do universo cheio de vida e sua origem causal, ou seja, o plano de Netzach.” (Adriano Camargo Monteiro, in, Cabala Draconiana, página 181). É o Caminho em que se desenvolvem as emoções nobres, a força de vontade e a intuição, a consciência do seu livre-arbítrio, e a canalização das energias criativas do universo.
Em minha experiência e através dos feedbacks que já recebi de clientes ao longo dos anos, percebi que a Estrela também pode ter um significado a mais: assim como os navegantes que se orientavam pelas estrelas para chegar ao seu destino, esta carta já apontou situações onde o consulente estava rodeado de pessoas que orientaram o seu caminho, pessoas que apenas deram uma orientação, sem necessariamente se envolver ou facilitar as coisas. Sendo assim, esta visualização da carta da Estrela pode ser usada também como uma forma de obter inspiração e orientação para o seu caminho.
A Estrela no Thoth Tarot e no  Goddess of Hope de Emily Balivet
A Estrela no Thoth Tarot e no Goddess of Hope de Emily Balivet
A carta da Estrela traz o simbolismo de uma jovem vertendo água de dois jarros, um no que parece ser um lago, e outro na terra. O fato de verter água no lago indica abundância, enquanto a água derramada na terra indica a capacidade de fertilizá-la. O pássaro, que se encontra ao fundo, sobre um arbusto, pode ser interpretado como um mensageiro dos deuses – ou como um oráculo – enquanto as estrelas são identificadas em alguns baralhos como as Plêiades. Outros efeitos dessa visualização podem ser: uma melhora na compreensão do simbolismo da Estrela, conscientização do momento em que estiver vivendo, renovação das forças, orientação, imaginação criativa e intuição.
Proposta de visualização
Esta visualização pode ser muito diferente do que foi sugerido antes, pois a proposta é que você se visualize como um pássaro. Para quem tiver muita dificuldade de se visualizar desta forma, seria recomendável visualizar-se como uma esfera transparente.
Visualize-se como um pássaro, de pé, sobre o parapeito de uma janela, olhando o céu noturno. É uma noite sem lua, e você consegue observar somente as estrelas. Enquanto contempla o céu estrelado, você percebe em destaque uma estrela mais brilhante que as outras, rodeada de sete estrelas que a acompanham. Sinta a beleza e o Amor emanando desta estrela.
Ao baixar os olhos para a terra, você percebe que a estrela principal iluminou um arbusto ao longe, próximo a superfície espelhada de um lago. Visualize-se voando até esse arbusto e pousando gentilmente sobre ele. Ao chegar ali, você escuta passos suaves, embora não consiga enxergar quase nada, nem quem está andando por ali. Quando os passos param, você começa a ver uma figura feminina ajoelhada a beira do lago, derramando um líquido luminoso de um jarro sobre a água do lago, e o líquido luminoso de outro jarro sobre a terra.
Escute o som da água, e perceba que a mulher está numa parte rasa do lago, embora o líquido luminoso vá até sua parte mais funda, iluminando suavemente o lago.
Neste momento, você alça voo até onde ela se encontra, para se banhar naquela água luminosa. Sinta a temperatura da água e o seu frescor por todo o seu corpo, e enquanto olha para a figura da Grande Mãe, deixe o seu pensamento fluir num estado receptivo, pelo tempo que achar necessário, até sentir que é hora de finalizar a visualização.
Contato com o autor:
Abraão Zuza Costa - abraaozuza@gmail.com
Outros trabalhos seus no Clube do Tarô: Autores
Edição: CKR – 3/05/2018
  Baralho Cigano
  Tarô Egípcio
  Quatro pilares
  Orientação
  O Momento
  I Ching
Publicidade Google
 
Todos os direitos reservados © 2005-2018 por Constantino K. Riemma  -  São Paulo, Brasil