Home page

22 de fevereiro de 2019

Responsável: Constantino K. Riemma


Arcanos Menores: Os quatro naipes
  [< voltar]
Os cinco mundos interiores
Texto de
Jaime E. Cannes
    
    Os quatro naipes do tarot simbolizam, esotericamente, os quatro níveis da alma humana, bem como os quatro elementos da natureza que correspondem a esses níveis. As cartas da corte – as quatro figuras de cada naipe – representam as posturas que assumimos diante dos acontecimentos da vida. As cartas numeradas de cada naipe simbolizam aquilo que estamos tratando. Os arcanos maiores, por sua vez, são os próprios eventos principais que todos os seres humanos no planeta estão sujeitos, bem como as qualidades superiores a serem desenvolvidas ao longo de sua caminhada de desenvolvimento pessoal.
    Podemos considerar, então, que temos no tarot os cinco elementos da vida. No naipe de paus, o fogo. No naipe de copas, a água. No naipe de espadas, o ar. No naipe de ouros, a terra e por fim nos arcanos maiores o espírito e as leis do Karma.
    Numa leitura de cartas, quando um determinado número de naipes predomina, podemos dizer que um dos cinco mundos interiores veio à tona e nos “possui”. Do mesmo modo, quando um certo elemento não é representado, pode significar a falta de sua qualidade específica ou de sua atitude no nosso momento de vida. Numa leitura com a técnica da Cruz Céltica, por exemplo, se dentre as dez cartas saírem três de um determinado naipe, isso terá grande relevância. Assim, quanto maior for o número de cartas de um naipe, maior sua influência no momento representado.
 
No mundo do Fogo
      
Quatro, Sete, Pagem e Cavaleiro de Paus no Tarô Mitológico   
    Com muitas cartas do naipe de paus, estamos possuídos por nossos desejos, ansiosos por iniciar coisas novas ou essas coisas novas surgem de modo quase impositivo. Com o naipe de paus estamos cheios de paixão, ou de alegria e tudo o que é velho não nos interessa. O movimento, a mudança, as viagens, o afã de tornar tudo melhor, o êxito, o sucesso brilhante e o ímpeto de crescimento e expansão são a tônica. Do mesmo modo a impaciência, a irritabilidade, a precipitação, o excesso de passionalidade e a dependência de reconhecimento externo se fazem presentes.
 
No mundo da Água
      
Às, Três, Seis e Rainha de Copas no Tarot Osho
    O excesso de naipe de copas denota muita emocionalidade, sentimentos intensos e envolventes, amor, romantismo, idealização, imaginação, memória e interiorização. Há um favorecimento dos assuntos românticos e espirituais, pois o amor físico dos homens, tanto quanto as experiências de cunho transcendente, são de puro arrebatamento para a alma. Com copas há a busca de sentido na vida, de sentimento de pertencer a algo, instituição, relacionamento, família, religião, corrente ou tendência, sempre de modo ideal. As fantasias enganosas e escapistas, as confusões emocionais, o aprisionamento ao passado ou o excesso de idealização do futuro, bem como um excesso de interiorização que cria indiferença ao mundo exterior também são atributos deste naipe.
 
No mundo do Ar
   
Ás, Três, Cavaleiro e Rei de Espadas no Tarot Motherpeace
    Com muitas espadas numa leitura entramos na dimensão da mente, que por sua natureza é sempre dual, traz conflitos e exige decisões, mudanças, posicionamentos e um discernimento claro do que fazemos ou devemos fazer. A mente, assim como os ventos, sopra em muitas direções e é influenciada pela coletividade; neste naipe encontramos as heranças culturais. Tudo o que nos foi dito, por pais, professores e a sociedade entra, num dado momento, em conflito com o que somos em essência. O naipe de espadas também traz foco e direcionamento para a mente, ajuda esclarecer situações complicadas e dá coragem para defender posicionamentos.
 
No mundo da Terra
      
Ás, Três, Oito e Rainha de Ouros no Tarot Thot-Crowley
    Com ênfase no naipe de ouros estamos mudando de valores, ou valorizando coisas novas, criando as bases para nossa estabilidade, conforto e prosperidade. De algum modo temos de olhar mais atentamente para nossa realidade e rever como estamos nos relacionando com nosso corpo e o meio ambiente. A maneira como estamos cuidando da nossa saúde, das nossas finanças e do mundo prático, no geral, também são temas importantes. A sensualidade e a sexualidade evidenciam-se com este naipe. Por outro lado o apego e a resistência à mudança, a inflexibilidade, a avareza e o materialismo surgem como a sombra deste elemento que sintetiza muitos aspectos dos outros três.
 
No mundo dos Arcanos Maiores
         
O Mágico, o Julgamento, A Roda da Fortuna e o Pendurado no Tarot de Marselha
    Com a predominância de arcanos maiores estamos, com certeza, vivendo um tempo em que muitas qualidades são requeridas de nós e somos chamados a responder com muitos talentos ao mesmo tempo. Há forças maiores atuando em nossas vidas e aquilo que chamamos de destino, que nada mais é que o retorno de nossas ações nesta e em muitas outras vidas, se interpõe imperativamente. Também se trata de um tempo em que podemos nos sentir esmagados pelos eventos, sem ver como nós os criamos e sem saber, assim, como interagir com essas forças que movimentam nossas vidas.
    
Contato com o autor:
Jaime E. Cannes - www.jaimeecannes.com
Outros trabalhos seus no Clube do Tarô: Autores
 
 
  Baralho Cigano
  Tarô Egípcio
  Quatro pilares
  Orientação
  O Momento
  I Ching
Publicidade Google
 
Todos os direitos reservados © 2005-2019 por Constantino K. Riemma  -  São Paulo, Brasil