Home page

21 de abril de 2019

Responsável: Constantino K. Riemma


Os quatro Reis Magos no Tarô
Jorge Purgly
 
No 6 de janeiro comemora-se o Dia dos Reis Magos. Quem foram os Reis Magos e como poderiam ser representados no Tarô? Eles existiram realmente?
De acordo com Harpas Eternas, (vol.1, Editora Pensamento), sim, eles existiram e nem eram três, mas quatro. Conta a lenda que existiu ainda um quinto que jamais conheceu Jesus, por ter chegado tarde e perdido a caravana dos demais. Assim sendo, os quatro Reis dos Arcanos Menores do Tarô podem corresponder aos Magos do Oriente que vieram visitar Jesus de Nazaré na época do seu nascimento.
Os três Reis Magos
Os três Reis Magos tradicionais: Baltasar, Melchior e Gaspar.
Mosaico bizantino na Basílica de Santo Apolinário, em Ravena, Itália.
Criado por volta do ano 565 e restaurado no século 18.
Os Reis Magos foram sábios do Oriente, filósofos, astrônomos, fundadores de quatro escolas de divina sabedoria localizadas na Arábia, Índia, Pérsia e Egito. Eram eles: Melchior de Horebe, Gaspar de Benares, Baltasar de Schrinagar e Fílon de Alexandria. O motivo pelo qual Fílon de Alexandria (Egito) não foi citado na tradição cristã pode ser que na época em que foi chamado a conhecer Jesus de Nazareth tinha apenas 25 anos e ainda não havia fundado nenhuma escola porque ela era muito jovem: os Magos representavam a sabedoria, opulência com maturidade e anciandade. Fílon, também, poderia ser considerado o mais militante no sentido de separar o bom ensino e  as religiões daquele tempo que, como acontece hoje, estavam altamente contaminadas. Hoje Fílon de Alexandria é conhecido por uma vasta publicação em grego e muitos o consideram depositário dos segredos da Gnose.
Correspondências possíveis com as cartas do Tarot
Rei de Paus: Melchior de Horebe, O Príncipe Moreno. Tinha uma bela aparência: muito alto, magro e elegante. Sua aparência fina mostrava um elevado grau de pureza interna, a bondade de seu coração e grande sabedoria. Sua aparência externa e porte refletiam tanta majestade que ele era sempre tomado por um rei de um país estrangeiro pelos que o viam. O Presente de Melchior a Jesus foi Ouro.
Rei de Ouros: Gaspar de Benares, veio da Índia; sua roupa combinava com os costumes orientais e também a sua maneira de ser. Ele usava uma túnica de ouro e era coroado com um belíssimo rubi. Toda a sua aparência refletia prosperidade. O Presente de Gaspar a Jesus foi Incenso.
Os quatro Reis do Tarô
Os Reis dos quatro naipes do Tarô e suas correspondêncis com os Magos:
Paus-Melchior, Ouros-Gaspar, Copas-Filon e Espadas-Baltazar
Cartas do Morgan-Greer Tarot
Rei de Copas: Fílon de Alexandria era um homem forte, com cabelos castanhos. Ele usava uma longa túnica branca apertada na cintura por um cinto de ouro. Sua aparência era suave, sem rugas. Ele seguia os costumes do antigo Egito e tinha um grande interesse em saber tudo sobre o Messias de Israel, por quem ele sentia um amor infinito. O Presente de Fílon a Jesus, segundo Harpas Eternas, foi o Livro do Conhecimento que reunia todo o conhecimento esotérico da época.
Rei de Espadas: Baltasar de Schrinagar tinha muita sabedoria refletida tanto na sua aparência como em sua palestra. Por sua aparência majestosa também parecia um rei. Vestia-se com roupas feitas de ouro. O presente de Baltazar a Jesus foi a Mirra.
Na antiguidade, o ouro era presente para um rei, o incenso para um sacerdote, representando a espiritualidade e a mirra, para um profeta (a mirra era usada para embalsamar corpos e, simbolicamente, representava a imortalidade).
Os quatro magos
Esses quatro personagens eram membros de quatro grandes movimentos espirituais que se juntaram à Jhasua, Messias deste planeta, para formar juntos a Estrela de Cinco Pontas, um glorioso símbolo da luz divina no mundo. Eles não chegaram a ver o Mestre no dia do seu nascimento, mas 10 meses após o nascimento do Menino Jesus. Eles sabiam onde nascera Jhasua pela sua percepção interna, pelo estado.
Os quatro teriam se encontrado casualmente em uma pequena colina do Monte Hor, nas proximidades de Sela, para onde convergiam as caravanas de diferentes fontes para descansar e como o lugar era muito ocupado, recuaram para a planície de uma colina próxima em busca da paz e da meditação.
Embora os quatro falassem cada um uma língua materna diferente, eles decidiram se expressar na linguagem mais comum daquele tempo que era o Sírio Caldáico. Assim os quatro descobriram que havia uma afinidade muito grande entre si. Depois de uma conversa animada e demorada eles passaram a compartilhar suas experiências decidiram ir juntos em busca do Messias Criança.
Passados alguns meses, quando viram chegar os quatro Sábios do Oriente em seu lar, tanto Miriam e José, Sarah e Elcana (tios de Miriam) ficaram muito impressionados com a presença solene e majestosa destes seres que estavam transmitindo uma imagem de sabedoria, de poder e opulência.
Note-se que estes seres sempre estiveram ligados à Jhasua e que contribuíram para a sua formação seja economicamente, seja espiritualmente e muito mais...
 
Notas do Editor:
1. Para conhecer as referências tradicionais aos três Reis Magos consulte:
www.pt.wikipedia.org/wiki/Tres_Reis_Magos e
www.abiblia.org/ver.php?id=5638#.VKf_bivF9qU
2. A criação literária do quarto Rei Mago, por Henry van Dyck, The Other Wise Man,
foi publicada em 1895: www.en.wikipedia.org/wiki/The_Other_Wise_Man
3. Duas crônicas literárias brasileiras sobre Artaban, o quarto Rei Mago, estão em:
www.mariazita-historiasdeencantar.blogspot.com.br/2013/01/a-lenda-de-artaban.html
www.patriamineira.com.br/imagens/img_noticias/081801230710_Artaban.pdf
Edição: CKR – 5/01/2015
 
Contato com o autor:
Jorge Purgly atende com Tarot Egípcio, leitura de mãos,
Terapia Floral, em Indaial - SC : www.purgly.blogspot.com.br
Outros trabalhos seus no Clube do Tarô: Autores
  Baralho Cigano
  Tarô Egípcio
  Quatro pilares
  Orientação
  O Momento
  I Ching
Publicidade Google
 
Todos os direitos reservados © 2005-2019 por Constantino K. Riemma  -  São Paulo, Brasil