Home page

22 de agosto de 2019

Responsável: Constantino K. Riemma


Vossa Majestade, a Rainha de Copas
Cristina Guedes
Decidi trazer esse texto ao Clube do Tarô após uma longa observação dos aspectos que envolvem os relacionamentos afetivos que, em geral, estão sendo tratados como mercadorias. Se existe algum defeito, podem ser trocadas por outras, mas não há garantia de que gostem do novo produto ou que possam receber seu dinheiro de volta.
Hoje em dia os automóveis, computadores ou telefones celulares em bom estado e em bom funcionamento são trocados como um monte de lixo no momento em que aparecem versões mais atualizadas. E assim acontece com as pessoas e seus relacionamentos, não gostam, podem trocar e assim ninguém sofre. Também existem os relacionamentos de bolso, do tipo que se pode usar e dispor quando for necessário e depois tornar a guardar para ser reutilizado numa outra ocasião.
O mundo do Tarô também demanda esse tema e por esse motivo escolhi a Rainha de Copas como uma esperança de ressuscitação dos chamados vínculos afetivos e humanos. Nós sabemos que uma taça de cristal, na primeira queda, quebra. As relações terminam assim hoje, tão rápido quanto começam, as pessoas pensam terminar com um problema cortando seus vínculos, mas o que fazem mesmo é criar problemas em cima de problemas.
Cena do filme "Afinidades"
Cena do filme "Afinidades"
Parece que a definição romântica do amor, está fora de moda. O amor verdadeiro em sua definição romântica foi rebaixado a diversos conjuntos de experiências vividas pelas pessoas, nas quais se referem utilizando a palavra amor. Noites avulsas de sexo são chamadas de “fazer amor”. Hoje é muito fácil dizer “eu te amo”, pois não existe mais a responsabilidade de estar mesmo amando, a palavra amor foi rotulada de uma forma, em que as pessoas nem sabem direito o que sentem, não conseguem definir uma diferença entre amor e paixão, por exemplo, e mesmo assim utilizam incorretamente esta palavra, que perdeu sua importância.
Insisto em dizer que o arquétipo puro da Rainha de Copas nos remete a memória desse primeiro amor que quer ser recuperado, pois Copas é um reino onde amar é querer, gerar é procriar, e assim nossa amante Rainha de Copas busca e se ocupa em encontrar a coisa bela na qual possa gerar seus poderes líquidos no novo tempo... não é ansiando por coisas prontas o que ela simboliza, completas e concluídas que essa Rainha encontra o seu significado, mas ela parte do estímulo a participar da gênese dessas coisas afetivas. O amor é afim à transcendência.
Espero que os leitores do Clube do Tarô apreciem minha Líquida Rainha, totalmente diferente e tão pronta para seu verdadeiro significado de durabilidade e perenidade. Tão agregada ao fôlego do amor em sua acepção maior.
Que os Deuses estejam guiando-a para ela desmascarar esse tempo descartável.
A Majestade Líquida do Tarô
Mary Louise Brooks
Mary Louise Brooks, atriz, modelo e musa norte-americana. Representou, nos anos 20, a atitude libertária e moderna do feminino da época.
 
Ela é a rainha que transforma o amor entre iguais. Ela é o possível surgimento dos nascentes e ávidos estágios da paixão. Para os mais desavisados, ela pode ser considerada excessiva e muito dedicada. Para outros mais atentos, ela é o ciclo maior dos gratos beneficiários que navegam na essência da luz ou é a mão amiga com quem você pode contar para uma tarefa mais próxima da sublime psique.
Muitas vezes você perceberá a rainha de copas em meio aos combates extremos do coração. Ou poderá vê-la em marcha como uma valente guerreira no esplendor de suas batalhas mais ardentes sobre a reconquista da sua razão. Entretanto, alterando suas estruturas e até seus parentescos românticos-venusianos, você poderá vê-la convertida pelo codinome "sacerdotisa" ou monja antiga que se expandiu muito em seu despertar através de séculos.
Suas habilidades e poderes
A carta Rainha de Copas se destaca como a Senhora dos Tesouros Aquáticos (a que é fluente e influente). Ela pode até ser um Arcano Menor como dizem no Tarô. Mas ela pode se manifestar em carne e osso também ou como a deusa Vênus nos ensinando a escapar dos submundos de Plutão, ou ela também nos mostra as pérolas mais frescas de seu novo tempo, mas sem esquecer de nos salvar dos plânctons escuros dos mares mais arredios de Netuno (Poseidon).
Todavia se comparada à deusa Vênus ela surge na vida dos filhos agregados ao fôlego do amor ou surge com aquela perícia de saber escapar dos Tridentes Netunianos. Uma Rainha de Copas assim, pode ainda ter a facilidade para manusear tal arma, utilizando-a com habilidades mais femininas. Mesmo nunca tendo tocado na arma, possuirá a força, a agilidade e a velocidade necessária.
Anfíbia ou sereia, as filhas da Rainha de Copas conseguirão respirar debaixo d'água. Simbolicamente isto consiste em escapar das vulnerabilidades humanas. Assim como conseguirão se movimentar como se estivessem fora da água, mas com sua velocidade triplicada. Pode também fazer com que suas roupas molhem apenas quando quiser e ainda permite andar sobre a superfície da água. Com o encanto de seu canto, por vezes em noite de lua cheia, a Rainha de Copas nos remete ao tom suave de suas notas carinhosas com sedução refletida em seu concurso marinho e o doce olhar de suas ondas, seu gesto magnânimo que traz a empatia para cada um de nós e nos seduz na emoção.
Os múltiplos poderes
A Rainha de Copas e sua habilidades femininas
Imagem adicionada pela autora do artigo.
Com outras maiores habilidades, a Rainha de Copas pode surgir em carne e osso também. Diferentemente ela vai agindo, numa conexão de plenitude. Cura aquática ela representa (cura das nossas emoções). Esse é o nível em que a Rainha de Copas conseguirá se curar e nos curar através de um simples contato com a água. Pode ser apenas com um toque, ou ingerindo ou tomando um banho de rio, mar ou cachoeira. Ela poderá recuperar involuntariamente nossas forças, e assim por diante, recordando-nos a nos deixar limpar com a água que nos envolverá muito além. Isso envolve o Oceano inteiro de suas emanações, qualquer canto do mar, não importa qual, mas você poderá se locomover com escolhas mais certas.
Na escola Aquática dessa Rainha de Copas, você é curado ao entrar em contato com a água dela. A cura é ela tentando te dizer: se cuida, por favor, e veja seus sentimentos. Nesse caso, ser boa é uma virtude dela, que alguns torpes seres não a entenderão, porque eles não têm. Muitos amam a essência da Rainha de Copas, glorificam seu arquétipo, se juntam a sua vibração e agradecem por obter dela suas bênçãos. Mas os possuídos de inveja, luxúria, egoísmo, hipocrisia e manipuladores do campo ascensional, não conseguirão alcançar as virtudes dessa Rainha se não modificarem suas energias.
Sabemos da força desses jatos marinhos da Rainha de Copas, sabemos do seu templo, da sua coragem e seus pontos fortes e, portanto, também aprenderemos aqui como ela se manifesta em todo seu esplendor. Mas como identificar essa majestosa dama nessa modernidade conflituosa? Como podemos apreender em que momentos de nossas vidas ela se expressa?
É uma honra e glória que você considere esse Arcano quando ele aparecer em seu jogo e em suas reflexões, todas e cada uma de suas novas escolhas serão melhor compreendidas.
Então se sustentem nesse privilégio porque a Rainha de Copas tem seu tempo de passagem diante de nós.
Seu nível supremo
Foi uma alegria tão grande estudar todos os aspectos do Reino de Copas e ter escolhido a própria Rainha de Copas para produzir comigo aquilo que deve ser dimensionado e tratado melhor sobre o seu universo arquetípico. Ocorreu em um momento especial esse texto. Marcado por um afeto ao Arcano. E causou impacto tão profundo em mim, que eu não poderia emitir poucas lições sobre ela. E olhei para as suas diversas imagens na tela em alguns Tarôs pesquisados.
O make-up da Rainha
O make-up da Rainha
Acervo da autora
 
Tal foi a surpresa, emoção e alegria, que, em um prodigioso momento, eu queria correr para onde estava a linda aprendizagem dessa Rainha de Copas e poder abraçá-la e dar-lhe minha gratidão pelas interpretações e visões que ela permitiu: gratidão e gratidão, pela sua presença em minha sala de Tarô e pelas inúmeras aparições diante de minhas consulentes.
Desse modo, ao contrário dos arquétipos das mulheres avulsas ou das mulheres ansiosas do nosso tempo, aquelas de prazeres passageiros ou as de satisfações instantâneas, a majestosa Rainha de Copas se difere dessas incorporações e se completa melhor nas damas de noção mais intuitivas ou as de mais amplos sentidos autorizados. Sua gênese não é de uma mulher obcecada por relacionamentos de sinais confusos e permanência improvável, mas de uma criatura bem humana, que prima por definição, regularidade e reconhecimento.
Ela é quem transforma o outro de ser incompleto para um ser de completude e talentos. Ela sempre foi a força primeva do poder feminino. Mulher e mãe corpórea, fêmea elemental e líquida entre as figuras mais poderosas da corte do Tarô.
Ela é fluxo e refluxo. Recompensa e sequência. Cadência e habilidade para adquirir forma e concluir seus processos na vida dos consulentes.
Não existe mal nenhum nessa Rainha. Nem pela satisfação de como ela se mostra no mundo, nem pelo auge da dose de determinação da sua conduta, nem da dúvida que tende a adulterar sua alegria.
Tal foi a surpresa, emoção e alegria, que, em um prodigioso momento, eu queria correr para onde estava a linda aprendizagem dessa Rainha de Copas e poder abraçá-la e dar-lhe minha gratidão pelas interpretações e visões que ela me permitiu: Gratidão e gratidão, pela sua presença em minha sala de Tarô e pelas inúmeras aparições diante de minhas consulentes.
No alvorecer da Rainha de Copas, vibra, em meu ser, o milagre do cosmos, onde tudo é equilíbrio para eu poder descrever sobre ela, onde tudo está sereno, líquido e silencioso. Só vejo as peças legítimas da Rainha de Copas. Beija-me o coração de sua presença. E nesse espaço imenso, eu me sinto, nas profundezas do seu ser, no tabernáculo onde águas de luz da sua chama brilham com mais brilho sobre mim, a essência de sua presença, sua bondade, sua verdade, sua luz, os mistérios do sol, a lua, do Ser, de seu Arcano.
A Rainha do maná que alimenta as esperanças
Mesmo diante da nova composição libertária da Rainha de Copas saindo das sombras tanto físicas quanto emocionais de seus filhos, e adentrando na luz, ela ainda representa para o mundo da Tarologia a maior agente existencial para quem quer se conhecer nos caminhos das relações afetivas. Seus préstimos mais rumorosos significam satisfação sem opressão. Atração sem repulsão. Esperanças sem temores. De um modo diferente das outras Rainhas do Tarô ela atinge seu equilíbrio quando consegue resolver a recomposição dos laços humanos sobre a Terra, fazendo desse modo que ela apareça como a mediadora que acalma as nossas mais potentes águas internas.
Como todo o Universo, que acendem com seus guias e mestres de luz, nossos dias e nossos passos em "águas mais claras" respiram em nossos pensamentos, buscando o Supremo do Ser cósmico, mesmo que temporariamente terrenos que somos, queremos ainda esse afeto compartilhado pela Rainha de Copas, mas que está acima dos nossos horizontes, o maná que alimentou as esperanças de milhares de seres que acreditam na totalidade dos afetos primordiais.
Sem dúvida a Rainha de Copas não carece da visão aguda de seus sentimentos e nem da sutileza de sua individuação. Sempre que estudo a Rainha de Copas, imagino uma mulher que sabe avaliar o seu bem estar e o bem estar do outro, alguém que já aprendeu a intuir até onde o outro pode ir dentro dos seus limites de conhecimento, diálogos, acepções, leituras e percepções. Vejo essa Rainha como alguém mais distante dos lixos de consumo deste mundo, mais dentro dos seus pensamentos do que das teorias traumáticas que dividem ou separam homens e mulheres hoje.
Parece-me um arquétipo que não pode mais perder tempo com assuntos frívolos ou nem tem mais paciência com a variedade de idiotias que comanda as mentes das pessoas. Ela não chega a ser árida como a Rainhas de Espadas e nem dissoluta e segura como a Rainha de Ouros, ela sendo do Reino de Copas consegue ser o reflexo que se estende visceralmente a todas as mulheres flexíveis, definidas, fecundas, prestimosas e nutridoras.
 
Regina di Coppe no
A Rainha de Copas
Criação de Carlo Della Rocca (1835)
Parece que Tudo a contém e que o Todo ela assimila quando lhe convém. Pensemos nela... Assim, deixemos todas as nossas portas abertas, pois deixar entrar a Rainha de Copas é simbolizar um arquétipo sem danos e sem ofensas, é falar de ganhos e não perdas. Feito isso, ela flui sem pedir licença e sem precisar da autorização da nossa mente inconsciente.
A Rainha que sente o que sentimos
Será que os habitantes filhos do nosso líquido mundo moderno garantem seus desejos de amor, objetivos ou sonhos? Bem, o trono da Rainha de Copas está mais fixo ao chão dos nossos objetivos, porém seus pés estão dentro das águas dos seus sonhos e sentimentos. O que isso nos diz? Que ela pertence ao reino das plenas modificações, que ela indica as energias mais intuitivas. A forma sagrada dela segurar a sua taça nos devolve a nossa cura por meio de nossos sentimentos, nos dá sabedoria para lidarmos com os âmbitos que furtam nosso controle. Pois uma criatura fortemente sensível pode nos capacitar a criar fusões com nossos desejos e emoções esquecidas. Ela sente e sente até o que sentimos. Enquanto a Rainha de Copas sente, ela nos ensina a ceder, a nunca atacar quando estamos raivosos ou esgotados. Mas ela não nos deixa ser vítimas de nossos sentimentos. Quando ela chegar perto de nós, ela modifica a nossa atmosfera e nos ensina para não sermos mais sujeitos das confusões dos estímulos emocionais desse mundo. Claro que deixar de sentir é impossível, sinto muito. Mas você também só vai dissolver suas emoções se realmente tomar consciência da sua mediunidade ou da sua amabilidade ou do quanto precisa se readaptar a esse mundo que necessita muito mais de compaixão do que de desejo. Capacidade de readaptação neste plano é o que a Rainha de Copas vai lhe trazer neste momento.
A Rainha de Copas por Monica N. Galvan
A Rainha de Copas
Site da ilustradora: www.monicang.com
 
Para defender sua integridade amorosa a Rainha de Copas lhe ensinará a alternar o leito do seu rio por onde corre seus sentimentos. E nunca você passará pelo mesmo rio duas vezes. Talvez depois de muitos anos, depois de muito tempo é que você simplesmente perceberá que o tema principal de sua vida será ser feliz e com um amor suficientemente verdadeiro ao seu lado. Por todos os motivos, a Rainha de Copas vai lhe ajudar na sua busca de um parceiro que a ame e que possa satisfazer suas necessidades. Sendo a mais feminina das Rainhas do Tarô e por isso também pode nos levar a realmente conquistar o que sonhamos. Mas preste atenção na própria autonomia do seu rio de navegação. Pois o que dizer de um barco com uma comandante que entende a arte dos reparos e a confluência das águas? Quer dizer que ela não perderia tempo em consertar uma peça sem condições para a navegação junto a ela. Quer dizer que ela entende que no barco das relações não há peças sobressalentes.
A Rainha de Copas é conhecida como aquela que não deixa o barco oscilar e ainda é conhecida como aquela que possui o domínio do aspecto aquoso (emoção) da água para navegar com equilíbrio e domínio.
A mulher do tipo Rainha de Copas está revestida de mistério, porque, o seu Amor, aqui na Terra, requer inteligência mais plausível. E se você quiser compreender esse mistério, terá que penetrar profundamente na esfera da sensibilidade e do sentimento dela. O que ela irradia externamente está refletido nela, no fascínio da procura de uma roseira mesmo que tenha espinhos, que é só ter cuidado e não se machucar ao conquistar o toque. Esse resultado significativo da Rainha de Copas é quando seu amor se manifesta autenticamente. É quando seu amor vem à tona das águas das esferas profundas da pulsação cíclica, e é por ela nutrido. Certamente, a luz da consciência faz as energias inconscientes surgirem sob nova forma e novos arranjos.
Os segredos e rumores da Rainha de Copas
Se pudesse escolher um símbolo votivo para saudar a necessidade desse milênio, escolheria a Rainha de Copas: o salto ágil e delicado de um arcano que sobreleva o peso do mundo, demonstrando que sua gravidade detém o segredo da sua leveza.
Adiante porque sabemos que o silêncio faz parte da vida, como se fosse um rumor vivo movido sem nenhum ponto cardeal a orientar. Mas a Rainha de Copas sabe lidar com segredos, com mar e terra – temas espaciais prediletos dela –, com olhos profundos e lições que quase ninguém vê, debaixo de tantas águas de dedicação. Mas o espumar das ondas dessa Rainha é ágil, e igualmente pleno de rumor, de movimento.
Até sair do seu mundo de arcano, a Rainha de Copas apareceu sob nova luz, é transfigurada, deixou de ser a vilã do mundo da Alice a do País das Maravilhas e o seu renascimento emocional aconteceu. Afirmando sua grande abertura e vitalidade devemos aprender com ela agora, com nosso novo momento de vida e nas diversas situações de nosso cotidiano.
Porém é importante pararmos um pouco para pensar na nova coroação dessa Rainha de Copas. Saber quando ela se aproxima, trazendo uma sequência de eventos que sugerem em nós um novo palácio ou um novo salão. Porque no naipe de Copas dos Tarôs ela é a mais móvel das Rainhas da corte. E nem poderia deixar de ser assim. Pois sua simbologia abriga muitas leituras. 
A Rainha de Copas simboliza a imagem lírica de uma persona mais viva ainda que antes, personas cujo caráter está atrelado à fidelidade, dedicação, amorosidade, estreitos laços familiares, amor incondicional além de uma grande imaginação. Ela representa o arquétipo que nos acolhe e nos cobre de cuidados. Apesar de ser, aparentemente, uma sonhadora (Copas), é uma pessoa consciente de seus deveres e obrigações de (Rainha) e conhece bem as alternâncias que a vida nos proporciona. Ela consegue ser tão interessada que ela prefere ser só ela mesma e nada mais. Nada melhor do que receber as gentilezas dos aconselhamentos dessa Rainha de Copas:
Seu arquétipo: ela é uma carta revestida de mistério contendo uma mulher majestosa que quer compreender esse provável mistério, mas que terá de penetrar profundamente na esfera da sensibilidade e do sentimento dela.
Sua ordem: O que ela irradia externamente está refletido nas mais profundas regiões emocionais de seu ser (ou é reflexo delas).
 
A Rainha de copas no Tarot Illuminati
A Rainha de Copas no Illumninati Tarot
Imagem disponível em www.pinterest.com/pin/35114072069476070
Ela está em contato com suas sensações e as manifesta aberta e autenticamente.
Suas aberturas: Claro que é o amor florescente que está crescendo das esferas inconscientes do instinto feminino através da pulsação cíclica da nossa Rainha de Copas. Ela se alimenta da Luz da consciência, faz as energias inconscientes da consulente surgirem sob nova forma. O velho aparece sob nova luz, é transfigurado e renovado, e o renascimento emocional acontece na vida de quem esta carta se apresentar num jogo.
Sua afirmação: É a sua vitalidade colossal de mergulhar nosso olho na geometria livre das questões mais existenciais. A Rainha de Copas nos convida a sair da comodidade dos nossos pensamentos.
Sua arte: É quando a consulente descobre que o bom gosto libera sua imaginação. A Rainha de Copas nos mostra que já estamos integrados numa livre e intensa comunicação com os reinos internos; a mesma natureza da música ou das artes. Sua linguagem mística e profunda nem sempre será compreendida pelo homem comum.
Sua mensagem: Canalizar nossos sentimentos e emoções, desejos, sonhos e visões interiores. Ela representa a musa ou anima interior que nos guia a partir de dentro!
Sua lição: No entanto, há de se ter cuidado com a sensibilidade aumentada da Rainha de Copas, para você não ficar demasiada vulnerável e perder o chão quando o assunto forem seus relacionamentos e seus sentimentos. Para tanto, será preciso usar a Vênus e o seu elemento Terra, porque o melhor das relações é aquele movimento estável, maduro e seguro do amor.
Seu conselho: O conselho dessa Rainha é: ame, envolva-se, entregue-se, mas use sua intuição para definir o limite entre nadar em águas calmas e naufragar em mares de emoção.
Sua previsão: Que apenas o Amor em poder de renovação esteja em nossos corações.
Canção para a Rainha de Copas
Rainha de Copas à beira mar  
Sim. Essa água me cura.
porque esse mar encerra
os vastos limites de outrora
quando ondas de medo de terra
me alcançavam
e em areias de deuses
eu me fazia. 
        *   *   *
Nadei em mares azuis
Onde vingou minha emoção
Há algas nos meus cabelos
Conchas no meu chão
Na vida, sou Copas
E que taças tenho à mão?
        *   *   *
Não vi Poseidon
que me levou ao mar
 
Onde os tridentes me apossaram
e faíscaram meus braços ao nadar
Dum corpo nunca encontrado,
dum regaço que nunca vi.
Vivo hoje espumas ardentes
molhando ondas,
ostras,
rochas,
luar.
E com levianas sereias
Poseidon tentou
me enfeitiçar
Com seus rochedos calados
com seus cavalos irados
Em mim agora
há  segredos ocultos
memórias torrentes
que trouxe do mar.
 
Que a Rainha de Copas permaneça consigo, no santuário do seu coração.
Contato com a autora:
Cristina Guedes é jornalista, taróloga, poeta e escritora.
Autora de ensaios, crônicas, antologias e peças teatrais. Seu livro
Quando Riem as Maçãs e suas exposições – Feito Larva de Vulcão,
No Coração da Serpente, A Alma dos Instrumentos e A Casa do Mundo
no Reino dos Arcanos
– trazem a constatação de novos rumos e antigos
mundos são mostrados, além de serem um sinal de alertapara muitos.
www.facebook.com/cristinasguedes
Outros trabalhos seus no Clube do Tarô: Autores
Edição: CKR – 25/03/2015
Partilhe seus comentários ou deixe questões para a Autora responder
  Baralho Cigano
  Tarô Egípcio
  Quatro pilares
  Orientação
  O Momento
  I Ching
Publicidade Google
 
Todos os direitos reservados © 2005-2019 por Constantino K. Riemma  -  São Paulo, Brasil