Home page

22 de agosto de 2019

Responsável: Constantino K. Riemma


Enquanto espera...
Prem Mangla
 
Se a vida acontecesse em sequência assim como nos arcanos, tudo seria mais fácil e previsível e acima de tudo entediante. Como professora de tarô vivo um pouco de cada carta à medida que as lições avançam nas salas de aula. Cada turma está num arcano e eu os vivo simultaneamente com cada grupo, o que seria de enlouquecer se não tivesse o suporte de tantos anos de estudos das laminas que tanto amo e de onde tiro grandes aprendizados.
Uma das cartas das quais recebi grandes lições como capricorniana e que aos olhos dos clientes e alunos são consideradas das mais difíceis, é o Sete de Ouros. Um de seus aspectos fala de passividade, espera, vazio, demora, observação, limpar o antigo e esperar o novo.
O Sete de Ouros no Tarô de Marselha    O Sete de Ouros no Tarô Rider-Waite    O Sete de Ouros no Tarô Osho
O Sete de Ouros (da esquerda para a direita) nos tarôs de Marselha, Rider-Waite e Osho
Muito bem, mas como dizer isso a um cliente que vem a sua frente e diz que está desempregado e cheio de contas para pagar. Ou para a cliente que liga chorando contando que o namorado a deixou provocando sua ansiedade e abandono; claro que a cabeça dela está a mil também. E outras tantas situações são um prato cheio para ativar nossas respectivas loucuras, nos fazendo esquecer até de respirar.
Pois é, a pilha é tanta que agente emburrece e não vê solução pra nada e muito menos consegue enxergar a luz no fim do túnel. Quando estamos assim, o Sete de Ouros aparece num jogo para te dizer, menos, menos, muitos menos, na verdade chegue ao nada, nas atitudes, pensamentos e emoções.
Sei bem como é difícil esvaziar quando estamos no olho do furacão, porém se usarmos este momento a nosso favor, ele se torna nosso salto quântico para modificar o que nos provocou esse furacão. O vazio pode ser assustador quando estamos totalmente racionais, mas podemos entender que é hora de liberar emoções perdoando a nós e aos outros também; que o momento é de reorganizar sua casa e enquanto isso acontece arruma-se a vida, que também é um esvaziar. Veja se algum objeto seu já não lhe é útil e presenteie a alguém que lhe é caro ou faça doações; existem muitas opções para isso e um deles é o Exercito da Salvação que vai até você e transporta sua doação (http://www.exercitodoacoes.org.br/). Esvazie-se por dentro e por fora, deixe que o vazio traga algo de novo. Aprendi com o Osho através da carta não materialidade.
E mesmo sem estar no olho do furacão, tem dias que nada acontece, mas o nada pode ser tudo de um minuto para o outro se a ansiedade não atrapalhar.
A famosa frase “Ta nervoso? vai pescar!” Encaixa perfeitamente ao Sete de Ouros. Está cheio de problemas e não acha solução? Então não faça nada, pois o não fazer é estratégia e nos faz descolar dos loopings da vida.
Pesca símbolo da Paciência
Pesca, exemplo de uma situação de descanso aconselhada pelo Sete de Ouros
Quando paramos de fazer, a qualquer momento percebemos a saída. Tudo que for para esvaziar mente, coração, alma é positivo nesse momento: um mergulho no mar, acompanhado de água de coco contribui para levantar sua estima e trazer a leveza necessária a esse momento. Meditação te leva ao cerne da questão; uma ida ao templo, igreja, sinagoga, centro espírita, também representa um pit stop para liberar as energias negativas, que também é uma forma de esvaziar.
Leite derramado
 
Vejam, isso não é uma ode ao ócio, mas um estimulo a sair dos exageros auto impostos, porque se já mandei currículo para “trocentas’ empresas e mais emails e telefonemas para outras tantas, chega um momento que devemos parar o movimento.
Essa parada é o ponto certo do Sete de Ouros. Se você já fez tudo que era possível, a sua energia está em movimento e deixe, então, que o universo atue; enquanto isso, para esvaziar a tensão você faz, por exemplo, uma caminhada.
O leite nunca derrama enquanto estamos olhando; não adianta controlar o relógio, porque num milésimo de segundo durante um espirro, lá esta ele em ebulição.
A vida também é assim. Coloque, então, seu leite para ferver e espere calmamente. Faça o que for preciso, crie pausas, e nesse meio tempo o vento volta a soprar na sua direção.
setembro.12
Contato com a autora:
Prem Mangla - atende e ministra cursos de taro em
todo o Brasil e no Osho Resort Internacional de meditação.
www.premmangla.blogspot.com
Outros trabalhos seus no Clube do Tarô: Autores
 
  Baralho Cigano
  Tarô Egípcio
  Quatro pilares
  Orientação
  O Momento
  I Ching
Publicidade Google
 
Todos os direitos reservados © 2005-2019 por Constantino K. Riemma  -  São Paulo, Brasil