Home page

19 de novembro de 2017

Responsável: Constantino K. Riemma


Quando o tarô não fala o que você espera
Abraão Zuza Costa
Eu já tive clientes que consultaram comigo e que ficaram maravilhados a respeito dos resultados da leitura de Tarot, e isso é algo que me deixa feliz! Entretanto, o que me deixa mais intrigado é quando uma pessoa fica frustrada com a consulta! Depois de alguns anos pensando sobre isso, eu levantei alguns pontos de reflexão a respeito, tentando me colocar no lugar do cliente para ter uma visão melhor do porquê essa frustração pode acontecer!
Em primeiro lugar eu vejo que essa frustração pode acontecer por dois motivos: O primeiro é quando uma pessoa consulta com mais de um tarólogo, muitas vezes num curtíssimo espaço de tempo – às vezes com um intervalo de minutos! Nesse caso as respostas de um profissional acabam contradizendo as de outro! O segundo motivo eu vejo acontecer quando uma pessoa simplesmente deseja que as cartas falem o que ela espera que vá acontecer!
Expectativas nas leituras do tarô
Ilustração em www.someecards.com
Analisando bem os dois motivos acima, acredito ser importante ter em mente que, na vida, todos nós estamos percorrendo um trilho, como os trilhos de um trem. O ponto de chegada é o nosso futuro, e cada um de nós se encontra mais ou menos preso a esse trilho. Seja por motivos emocionais, seja por condições materiais, ou por motivos tão variados quanto possíveis, cada pessoa tem um grau de dificuldade maior ou menor de mudar de trilho e fazer um futuro diferente!  O que o um tarólogo faz é aplicar o simbolismo próprio do Tarot as condições que ligam uma pessoa ao seu trilho de vida, e analisar quais os possíveis desfechos, e as melhores atitudes a seguir. O objetivo da leitura é esclarecer a mente, olhar para sua vida com clareza suficiente para pensar sobre os caminhos que se pode escolher e, assim, viver melhor!
Sendo assim, quando uma pessoa alega que o Tarot não diz o que ela esperava, eu tenho em mente cinco coisas:
1. A pessoa em questão não conhece o trabalho do tarólogo que consultou.
Nesse ponto é interessante notar quantas pessoas existem que acreditam que todo tarólogo possui dons paranormais de vidência! Existem profissionais que trabalham nessa linha, mas também existem aqueles que fazem uma leitura mais técnica, mais parecida com uma reflexão que se faz junto com o cliente. Sendo assim, conhecer o trabalho do tarólogo é fundamental para uma consulta.
2. A pessoa faz perguntas cegas.
Eu não acredito que existam perguntas erradas. Vejo alguns tarólogos tentando ensinar como que um cliente deveria fazer suas perguntas, mas, acredito que cabe ao profissional refletir essas perguntas com seu cliente a fim de deixar a consulta o mais clara possível! Contudo, existem as perguntas que trazem elementos para interpretação das cartas e as perguntas cegas. Para um tarólogo que faz uma consulta técnica, as perguntas cegas não funcionam bem, pois são perguntas que não dão nenhum elemento suficiente para se interpretar as cartas! Vou dar exemplos de perguntas cegas:
a) "Dá uma olhada no geral aí" – essa é clássica, sobretudo quando um cliente se encontra tão confuso que não sabe por onde começar! Contudo, existem técnicas de tiragem para essa pergunta, cuja interpretação depende da interação do cliente com o tarólogo.
b) "Dá uma olhada na minha vida amorosa" – e então a pessoa não dá nenhum indício se está solteira, casada, em um relacionamento, interessada em alguém, recém-separada, etc.. É uma série de condições que vão fazer com que a interpretação saia completamente diferente!
c) "Vê aí a minha vida profissional" – mas assim como na leitura acima, não há nenhum indício de que a pessoa esteja trabalhando, procurando emprego, esperando uma oportunidade para mudar de cargo, e outras condições que também mudam completamente a interpretação das cartas!
3. O Tarot estava certo, mas a pessoa não quis aceitar!
Em geral, esta situação só é percebida depois que uma leitura se concretiza e o cliente volta para falar a respeito. Essa atitude é comum em pessoas que se encontram extremamente focadas no lado emocional da sua situação. A emoção e a atitude passional diante da vida são coisas que podem cegar qualquer um diante da mais clara verdade!
Expectativas em relação ao tarô
Ilustração em www.someecards.com
4. Leituras em excesso.
Já testemunhei casos de pessoas que, sobretudo ao fazer consultas online, fecham o chat com um profissional e logo em seguida abrem um chat com outro profissional. Pessoas que fazem uma consulta atrás da outra tentando aliviar a ansiedade por encontrar respostas, mas não param para refletir aquilo que acabou de ser dito por um profissional. Nesse sentido, acredito que essa atitude faz com que a pessoa saia da atmosfera espiritual e contemplativa própria de uma consulta, e passa para o domínio das probabilidades matemáticas. Em outras palavras, acredito que essa atitude faz com que você pare de refletir os elementos da sua vida, e faça com que esses elementos se tornem jogos de dados, gerando mais ansiedade! Meu conselho para quem se encontra nessa situação é: faça anotações durante a consulta e, logo após, pare para refletir novamente sobre tudo o que foi dito! Deixe passar alguns dias antes de fazer uma nova leitura, mas, durante esses dias, releia suas anotações, medite novamente, deixe a sua intuição falar. É uma questão de respeito consigo mesmo tratar com honra os seus sentimentos, e as condições da sua vida, em vez de simplesmente jogar dados com eles!
5. Contradições nos diversos campos do conhecimento.
Existe um ditado que diz que, se você pedir uma opinião para 10 economistas você vai ter 11 respostas! Da mesma forma, existem casos de pessoas que consultaram dois ou três médicos para analisar um problema de saúde e receberam diagnósticos conflitantes! Bem, se isso acontece em campos de conhecimento diferentes, regulamentados e estruturados, imagine num campo de estudos que ainda não possui essa regulamentação, onde se estuda com base em uma ampla literatura ou em conjunto com tarólogos mais experientes, e onde o aprendizado ocorre de forma mais livre.
Espero que essas reflexões ajudem você, que busca uma orientação nas cartas de Tarot, a tirar o máximo de uma consulta, a se sentir bem, e a viver uma vida plena e feliz!
Abraão Zuza Costa - www.cazadascartas.wixsite.com/czdc
Outros trabalhos seus no Clube do TarôAutores
Edição: CKR – 25/10/2017
  Baralho Cigano
  Tarô Egípcio
  Quatro pilares
  Orientação
  O Momento
  I Ching
Publicidade Google
 
Todos os direitos reservados © 2005-2016 por Constantino K. Riemma  -  São Paulo, Brasil