Home page

05 de junho de 2020

Responsável: Constantino K. Riemma


Um Papa Supremo, impulso e céu para 2012!
Cristina Guedes
 
Adquirir ordem, moral e poder espiritual sobre este mundo material e social em que vivemos é um termo forte para 2012. Transmite a idéia de esforço, religiosidade, organização e muita dedicação. Como sempre todos vivem num mundo competitivo e dentro de um inconsciente individualismo onde a participação mística é quase examinada como algo  desnecessário. Será? E o que isso quer dizer para um ano de 2012 melhor e mais realizador em termos de energia?
Sim, será um ano forte para canalizarmos nossas energias do bem e ainda aprendermos melhor sobre o Papa ser simbolicamente entronizado em suas vestes ondeantes, mais isso é que nos traz um outro impulso para nossa jornada de 20012 conseguir exortar a busca de Deus.
O Papa no Tarô de Marselha
O Papa
Tarô de Marselha
 
O Papa trará ainda uma melhor união entre homens e mulheres no setor de relacionamentos. Pois isso é surpreendente já que todos andam reclamando porque estão sozinhas, assim os casais tendem a dialogar mais. Esse será um ano excelente para o animus e a anima personificarem seus direitos iguais e valorizar mais essa necessidade do encontro entre o homem e a mulher. Será um ano de sínteses e buscas pela paz do planeta.
A grande dica é uma nova consciência entre os seres. Seja na política, a necessidade maior será acordos, pelo menos irão tentar uma espécie de expedição das fronteiras sociais que separam alguns países do Espírito do desenvolvimento. Que os nossos políticos percebam a realidade do planeta de um modo menos compacto e mesquinho. Sim, nem sempre é fácil pedir e receber a graça de 2012, mas o Papa nos ensinará esse direito sobre-humano. Primeiro que tudo, será um ano que aconselha porque é o Papa o grande árbitro das questões morais e determina a autenticidade de toda experiência mística. Será um ano que todos vão buscar aprender a oferecer a sabedoria de um sistema de valores mais coletivos, imprimindo um ideal de conexão maior entre os povos. O Papa é uma carta de abertura desse nosso estágio divino na Terra.
Assim, o Papa tem como arquétipo o Santo, aquele que ajuda a descobrir o significado profundo de uma situação, a tomar novas decisões, a encontrar consolo ou receber um impulso para o desenvolvimento pessoal através de uma iluminação.
Este ano favorece a indulgência, a sabedoria e a espiritualidade. Quaisquer que sejam as nossas dificuldades teremos a companhia de uma benévola proteção, símbolo da conexão entre o homem e Deus. O ano do Papa também favorece as profissões que envolvem aconselhamento e orientação, as ligadas ao ensino e ao Direito; também estimula as vocações religiosas ou para profissões que buscam a cura de enfermidades.
Vamos reconhecer novos componentes divinos em nós e fazer nossa vida ganhar nova posição, onde a serenidade nos traga júbilo, colaboração e alegria.
O nosso grande ano do Papa representa a Rosa desabrochada ao centro da Cruz, flor idêntica à Estrela Flamejante dos Maçons, que é um Pentagrama onde inscreve-se a letra G, que significa Gnose (conhecimento, instrução iniciática).
Experimentando o Papa: O Arcano V
Entronizado com sua barba patriarcal e suas vestes ondeantes, o Papa nos traz um outro impulso para nossa jornada. Um maior desenvolvimento para exortar a busca de Deus. O Papa realmente pertence ao Logos, como tal, também simboliza o animus, termo de Jung para designar o princípio masculino que aparece na psique da mulher. O animus e a anima personifica os direitos iguais para a necessidade do encontro entre o homeme e a mulher. Mas são direitos da síntese, do substrato da significação desses seres. A necessidade hoje é que esses pares entrem na expedição das fronteiras do Espírito. Que homem e mulher percebam a realidade terrena como palco central de uma nova consciência entre eles. A imaginação desses seres não pode ser mais compacta, pequena e nem mesquinha.
Sim, nem sempre é fácil pedir e receber a graça, mas o Papa nos ensina esse direito sobre-humano. Primeiro que tudo, ele aconselha porque é o árbitro das questões morais e determina a autenticidade de toda experiência mística. Ele sabe oferecer a sabedoria de um sistema de valores coletivos, ele imprime o ideal da nossa fé e a conexão com ela. O Papa é a abertura desse nosso estágio divino na Terra. Seria assim, ao lembrarmos dos anteriores Arcanos e suas personas: o Mago manipularia a fé, a Sacerdotisa estudaria profundamente os livros da fé, a Imperatriz falaria da necessidade da fé para o Homem, o nosso Imperador estabeleceria a fé para o mundo, mas o nosso Papa ordenaria todos os princípios da fé com toda força e cumprimento de dever até a nossa elevação inquestionável. Sentiram germinar? Emergiram lembranças da fé de vocês? Confrontaram-se com a fé alguma vez?
Pessoas nesse arquétipo costumam ser bons negociadores, avaliando as questões com justiça e parcimônia, e favorecendo a conciliação de muitos os envolvidos. O Arcano favorece os casamentos, legaliza as uniões e traz calma e paz às relações de amizade e sentimentais. Isso significa que, mesmo se entrar em contato com o mundo material, suas mãos continuarão sempre limpas, a despeito de todas as impurezas deste mundo terreno. Na mão esquerda do Papa, segura um cetro que termina numa cruz tripla. Como os aros dourados de sua tiara, este simboliza os três mundos: o céu, a Terra e o inferno.
Vejam que há duas figuras ajoelhadas à sua frente. Suas roupas revelam que são opostos complementares. A gola de uma delas é vermelha e o casaco escuro; a outra tem gola escura e casaco vermelho. Uma tem cabelos claros, a outra escuros. As duas figuras simbolizam o pólo positivo e o negativo, mas ao mesmo tempo simbolizam os dois sexos, o masculino e feminino. A figura masculina olha para o Grande Sacerdote e ouve pensativo a orientação e a figura feminina parece entender a natureza daquela autoridade papal e seus conselhos.
Pensemos agora no número 5 do nosso Papa.  Os iniciados chamam o número 5 de número de Cristo ou número do Logos. O número divino da plenitude, da criação, é o número 10. Metade dessa soma é 5. No corpo das criaturas vivas, a simetria exige que o Logos divida o número 10 em dois lados simétricos, e em ambas as partes, a metade do número 10 está atuante, ou seja, o número 5. Os seres humanos têm 5 dedos em cada mão. Da mesma forma, têm 5 artelhos em cada um dos pés. Têm 32 dentes; a soma desses dígitos é 5. A arcada dentária superior tem 16 dentes, o total dos dígitos é 7; a inferior também tem 16 dentes, soma total 7. Juntas somam 14, e a soma desses dígitos é novamente 5. Portanto, o número de Cristo aparece repetidas vezes.  Lembrem-se ainda que o número dos sentidos também é 5: audição, visão, olfato, paladar e tato.
 
Pentragrama
O Pentagrama
in www.orbisprosapia.com
E se forem adicionados os dois braços e as duas pernas juntamente com a cabeça, as 5 extremidades do corpo humano, mais uma vez aparece o número 5. Interessante sabermos disso.
Desse modo,  o corpo humano cabe, assim, na estrela de 5 pontas e a corrente vital circula pelo corpo na forma dessa estrela. Por isso, o lado direito do corpo é animado pela corrente positiva, e o lado esquerdo, pela corrente negativa.
De acordo com o que foi estudado, o Arcano 5 se refere ao Matrimônio Místico, à União da Alma com a Divindade. Na realidade, é um estado evolutivo onde o Místico se consagra à sua missão acompanhado de poder e sabedoria. Ele conhece e sente seu componente divino e sua vida ganha nova posição, onde a serenidade lhe traz júbilo, noviciado e alegria.
Espero que tenham gostado do Papa e suas energias para 2012 e espero que todos usem bem o direito cintilante da fé. Que todos respirem o lugar silencioso do nosso Papa matrimonial e sacerdotal que existe em cada mulher e em cada homem.
Brilhem mais em 2012!
A face visível do homem (unificação)
 
Como sempre acontece
chapéu de cardeal,
não faz mal,
mas obedece,
pode ser dotado do maná,
conexão com a divindade,
enxerto, impulso e céu,
a face invisível da vontade,
adição, caráter e desvão,
repouso dos consulentes e autoridades,
entre código e autenticidade
o Papa segura a chave,
e o poder supremo lhe dá
o cetro da infalibilidade,
mas ele segura o cajado,
desfigura o número esférico e o infinito,
verte sua paixão na lição,
do animus ser transferido para o cinco,
e se a iniciação for adequada,
cura o efeito pela causa,
na quinta-essência do pão,
eleva um onze na entrada,
quero misturá-lo em mim,
cinco dedos em cada mão,
e só desenvolver o que preciso,
essa necessidade de iluminação.
Poema de Cristina Guedes na exposição
A Casa do Mundo no Reino dos Arcanos
João Pessoa (PB), 2011
 
dezembro.11        
Contato com a autora:
Cristina Guedes - jornalista e consultora de tarô
www.facebook.com/cristinasguedes
Outros trabalhos seus no Clube do Tarô: Autores
  Baralho Cigano
  Tarô Egípcio
  Quatro pilares
  Orientação
  O Momento
  I Ching
Publicidade Google
 
Todos os direitos reservados © 2005-2020 por Constantino K. Riemma  -  São Paulo, Brasil