Home page

21 de abril de 2019

Responsável: Constantino K. Riemma


 
Cartomancia com Jaime Cannes
 
O homem triste
Por
Jaime Cannes
    Um homem por volta dos quarenta anos me procurou dizendo que se sentia inexplicavelmente triste, muito embora as coisas na sua vida andassem bem, e isso já fazia algum tempo. Consultamos então o tarot e a carta de 6 de Ouros apareceu mostrando que esta pessoa concedia um tempo razoável ao seu circulo imediato de envolvimentos práticos, como trabalho, família, etc.
  Compromisso Lua Supressão Preguiça  
    Em seguida ele retirou A Lua, XVIII, revelando que muitas emoções desagradáveis, ou necessidades afetivas e instintivas primárias, haviam sido ignoradas ao longo de sua vida, e que agora pediam passagem.
    O 10 de Paus assinalava bem tal repressão: esse homem havia suprimido outras áreas de interesse para priorizar aquelas que considerava importantes e que nunca eram totalmente suas.
    O 9 de Copas surgiu então dizendo que era hora de recuperar o seu prazer de viver, só para variar um pouco. Recuperar a capacidade de relaxar profundamente e resgatar a sua libido eram a ordem do momento.
     A síntese do jogo mostrava o 5 de Paus, ou seja, parece que os "malabarismos" que fazia no dia-a-dia, nada tinham a ver com ele.
 
Totalidade
 
    Estava realmente farto e frustrado, mas como vivia com alto grau de repressão (10 de Paus), mal conseguia identificar, ou mesmo identificando, não protestava em voz alta.
[As cartas reproduzidas nesta tiragem são do baralho "Osho"]
    
Investigando
Jaime Cannes
março.07
    Uma cliente veio a mim com o seguinte questionamento: queria saber se o bairro Bom Fim (um bairro comercial em Porto Alegre) era o lugar adequado para ela instalar o seu empreendimento, um antigo projeto. Ela dizia gostar muito do bairro.
    Fiz um jogo de três cartas, na tese saiu 5 de Ouros. Opa! Algo não parecia muito bem. Disse a ela que esta carta parecia contrariar o que ela havia acabado de me dizer. O 5 de Ouros é uma carta que evoca sentimentos de menos valia, inferiorização e restrição aos próprios limites.
 
 
5 de Ouros
"O estranho"
 
3. A Imperatriz
"Criatividade"
 
 
 
Valete de Paus
"Alegria"
 
    
   Complementado esta leitura estava o Valete de Paus ocupando a posição da antítese, revelando que não havia muita alegria ou espontaneidade nesta escolha. Após ouvir isso ela fez um movimento com a cabeça positivamente, dizendo que realmente gostava do bairro, mas não era ali que havia idealizado o seu negócio. Disse ainda que escolher o bairro foi mais uma questão de achar que era ele o mais adequado para ela, que era o que lhe cabia porque era o que ela podia pagar.
    Na síntese do jogo surgiu A Imperatriz, dizendo que o bairro poderia ser um bom local para ela iniciar, mas que, o mais importante, era pensar naquilo que representava a sua satisfação integral, somente isso a tornaria capaz de expressar todo o seu talento criativo e garantiria êxito e prosperidade.
[As cartas reproduzidas nesta tiragem são do baralho "Osho"]
 
A abafada
Jaime Cannes
março.07
    Uma cliente me procura muito preocupada porque os seus projetos de trabalho pareciam não mais “acontecer” e recentemente algumas pessoas com quem ela havia se aconselhado disseram que ela estava “abafada”, ou seja, enfeitiçada. Desde então ela passou a se sentir muito doente, tendo feito vários exames que não revelaram nada! Ela estava de fato muito apavorada, não conseguia identificar quem poderia a estar prejudicando tanto. Perguntou-me então o porquê isso estava acontecendo com ela e se havia algo para aprender com esta situação.
     Usei o método Peladan e saíram as seguintes cartas:
     
3 de Copas
"Abundância"
     
 
10 de Ouros
"Riqueza"  
 
6. Os Amantes
 
9 de Ouros
"Ganhos"
 
     
3 de Ouros
"Trabalhos"
     
    Na situação: o 10 de Ouros convocando-a a assumir a sua vida como a co-criadora que ela é, assim como somos todos. Na oposição saiu o 9 de Ouros indicando que ela evidentemente não se sentia no comando, não conseguia incorporar o seu poder pessoal, nem confiava no seu próprio cabedal de conhecimento (ela era uma espiritualista) para lidar com a situação com discernimento.
    No juiz, saiu o 3 de Copas apontava um caminho em que era fundamental voltar a confiar em si mesma e na vida. Neste momento ela diz ter sofrido de depressão nos últimos tempos. O 3 de Ouros revela-se na sentença dizendo que este era o caminho para ela retomar o caminho do crescimento e da sintonia com ela mesma.
    Finalizando, na síntese da leitura, 6. Os Amantes indicaram que ela tinha uma personalidade muito influenciável, justamente por não estar centrada em si mesma e desconhecer o próprio potencial interior.
[As cartas reproduzidas nesta tiragem são do baralho "Toth", Crowley-Harris]
 
Contato com o autor:
Jaime E. Cannes - www.jaimeecannes.com
Outros trabalhos seus no Clube do Tarô: Autores
mar.07
 
 
  Baralho Cigano
  Tarô Egípcio
  Quatro pilares
  Orientação
  O Momento
  I Ching
Publicidade Google
 
Todos os direitos reservados © 2005-2019 por Constantino K. Riemma  -  São Paulo, Brasil