Home page

28 de junho de 2017

Responsável: Constantino K. Riemma


Movimento histórico de transição
Cláudia Boechat
Que a história é cíclica todo mundo sabe. Há tempos de guerra, tempos de ciência, tempos de descobertas... Enfim, os ciclos vão se sucedendo e a humanidade avançando. Creio que estamos saindo de uma era bastante materialista e consumista para uma outra, mais espiritualizada. Valores morais começam a ser resgatados, o bem-estar coletivo ganha mais importância, a preservação da natureza e do planeta passa a ser uma necessidade consciente e o ser humano busca conhecer melhor a si mesmo e busca conexão espiritual e evolução. A filosofia volta ao assunto cotidiano.
Não é por acaso que temos um Papa dedicado ao que realmente faz diferença no mundo e que o kardecismo ganha mais adeptos. Somos mais do que materialmente conquistamos e a cada dia mais pessoas tomam consciência disso.
Evolução do homo
In www.pinterest.com
Costumo dizer que o jogo de tarô nos ajuda no autoconhecimento e, assim, faz com que saibamos lidar com nossas deficiências e saibamos explorar nossas qualidades devidamente. Nos tornando pessoas melhores estamos mais preparados para construir um mundo melhor. Nesse aspecto, minhas duas áreas de atuação - tarologia e jornalismo - se encontram na finalidade de contribuir para o bem (individual e coletivo).
Noto também outro movimento histórico: da globalização voltamos para a vizinhança.
A internet fez com que rompêssemos fronteiras e pudêssemos lidar com toda a diversidade cultural do planeta. Pudemos compartilhar tudo: desde protestos políticos ao menu do almoço... A voz de cada um ganhou maior volume, para o bem ou para o mal. As pessoas se expõem ou se disfarçam na grande rede. O fato, porém, é que a informação se tornou mais acessível e a expressão individual ganhou mais espaço. Eu posso conversar com alguém no Iraque e um amor pode nascer entre um indiano e uma canadense que jamais se encontraram pessoalmente.
Acontece que se a tela do computador ou do celular toma cada vez mais atenção da gente, o vizinho mal conhecemos... É chegada a hora de reaproximar. Nas metrópoles como São Paulo surge a chamada "vizinhança solidária" para combater a violência. Nas comunidades carentes a união é combustível do progresso. Grupos temáticos pipocam aqui e ali... Até o carnaval de rua ressurge com força nas ruas do país! A política volta a interessar.
Processos alquímicos
In www.pinterest.com
Contudo, em fases de transição há bastante turbulência. As coisas ainda não estão bem definidas, falta conhecimento. É preciso reestabelecer conceitos, ideias e ideais. É preciso se abrir para a opinião do outro. É preciso somar e subtrair sem retroceder. É preciso conversar com o vizinho.
Creio que estamos a caminho do maior respeito à diversidade descoberta na globalização. Claro que sempre tem uns neonazistas aí para atrapalhar. Mas acredito que vão quebrar a cara sem muito esforço e entender que estão no rumo errado.
A globalização possibilitou enxergar o mundo inteiro, agora precisamos conhecer quem mora ao lado. Trabalhando junto com quem está perto melhoramos nossa comunidade; melhorando nossa comunidade melhoramos o mundo. É nesse sentido que devemos caminhar agora.
Cláudia Boechat, jornalista e cronista, responde pelo blog
www.tarotclaudia.blogspot.com.br
Contato por e-mail: taroresponde@gmail.com
Outros trabalhos seus no Clube do Tarô: Autores
Edição: CKR – 22/02/2017
  Baralho Cigano
  Tarô Egípcio
  Quatro pilares
  Orientação
  O Momento
  I Ching
Publicidade Google
 
Todos os direitos reservados © 2005-2016 por Constantino K. Riemma  -  São Paulo, Brasil