Home page

13 de dezembro de 2018

Responsável: Constantino K. Riemma


  ARTES / Literatura < voltar  
A Balada do Louco
  Mara Rúbia Ribeiro  
 
    A música Balada do Louco de Rita Lee nos retrata de forma naturalmente bela, em suas estrofes e  que podem nos fazer repensar a jornada do Arcano Louco. Vista através do olhar de taróloga, pode nos remeter ao Arquétipo Louco do Taro, já bem conhecido por nós.
 
Dizem que sou louca
Por pensar assim
Se eu sou muito louca
Por eu ser feliz
Mais louco é quem me diz
E não é feliz, não é feliz....”.
 
 
O Louco no Tarô Brasileiro de Cristiano Voss     O Louco  no Osho Tarot     O Louco no Tarot de Waite
O Louco no (1) Tarô Brasileiro de Cristiano Voss, (2) Osho Tarot e (3) Waite
 
    Mais são as palavras e frases da música, que nos fazem analisar, por meio do discurso existente nas “entrelinhas”, certas características que adequam-se a este arcano e sua trajetória pela vida.
Sabemos que existem vários significados, por trás deste arquétipo: busca, desejo, exploração, imaturidade, admiração, impulsividade e arriscar-se no desconhecido, isto dentro dos aspectos Yin e Yang do ser, como também que há uma simbologia própria do Arcano: cores, imagens, a forma como salta no desconhecido, a pouca bagagem, o semblante e a numerologia.
    Quando o Arcano louco começa a sua jornada, ele se lança através do desconhecido, em busca de respostas, despido de pudores, medos e preconceitos. Sai para sua jornada apenas com sua pequenina bagagem de experiências em busca dos segredos interiores do ser que permeiam a vida atrás das aparências e da roda viva e como uma dança infinita e em muitas vezes descompassada através do “estar” em outros Arcanos: “Baila pela vida”.
 
... Eu juro que é melhor
Não ser um normal
Se eu posso pensar
Que Deus sou eu...”
 
 

O Rebelde ou O Imperador no Tarô Brasileiro de Cristiano Voss     O Rebelde (O Imperdor) no Osho Tarot     O Imperdor no Tarot de Marselha restaurado por Kris Hadar

O Imperador no (1) Tarô Brasileiro de Cristiano Voss, (2) Osho Tarot e (3) Marselha de Kris Hadar
 
    
    O Arcano Louco perpassa por todos os estágios arquétipos e experimenta o seu sabor, tanto mel quanto fel, pois um é o complemento do outro, por alguns arquétipos parece estagnar por outros aprende rápido.
    Assim podemos imaginar que quando se está no estágio Imperador vivenciamos de certa forma o poder, o reinado, a possessividade, a estabilidade material, a afirmação, dentre outros sentimentos;
e na estrofe acima, ao Bailar pelos arquétipos, uma frase nos faz pensar que ele esteja aqui nesse momento vivenciando o Arcano Imperador que também tem seus significados e simbologia próprios: “Se eu posso pensar que Deus sou eu...”.
 
... Sim, sou muito louca
Não vou me curar
Já não sou a única
Que encontrou a paz
Mais louco é quem me diz
E não é feliz
Eu sou feliz!”
 
 
O Mundo no Tarô Brasileiro de Cristiano Voss     O Mundo no 'Tarot Cabalístico GOM' de Shael Yeremyan e Susanna Ayvazian     O Mundo no Tarô de Marselha restaurado por Jodorowsky e Camoin
O Mundo no (1) Tarô Brasileiro de Cristiano Voss, (2) Mebes Tarot e (3) Marselha Jodorowsky-Camoin
 
    A música segue seu curso e o Arcano Louco também.
A jornada é longa e um ciclo irá encerrar-se. Haverá certamente o encontro do “Louco” consigo mesmo, o encontro do seu lugar no mundo e o seu êxtase.
 Mas novas e infinitas jornadas surgem, isto é inerente ao ser e ao nosso eu que age assim.
Após saciar-se um pouco do infinito conhecimento e sabedoria, certamente irá se arriscar novamente... é insaciável,  pois ser assim, faz parte de seu ser e segundo a música: “...Mais louco é quem me diz... que não é feliz... eu sou Feliz...
abril.09
Contato com o autor:
Mara Rúbia Ribeiro - www.tarotespiritualidade.blogspot.com
Outros trabalhos seus no Clube do Tarô: Autores
 
ARTES / Literatura < voltar  
  Baralho Cigano
  Tarô Egípcio
  Quatro pilares
  Orientação
  O Momento
  I Ching
Publicidade Google
 
Todos os direitos reservados © 2005-2018 por Constantino K. Riemma  -  São Paulo, Brasil