Home page

05 de agosto de 2020

Responsável: Constantino K. Riemma


Orientações do I Ching em 2020
aos brasileiros de boa vontade
Consulta feita por
Constantino K. Riemma
Pedimos ao I Ching uma orientação para fazer face ao cenário sócio-econômico-político em que nos encontramos. Qual a conduta que os homens e mulheres de boa vontade devem buscar para servir ao bem comum?
Para obter indicações do Livro milenar, fizemos uma consulta com moedas. A resposta foi dada pelos hexagramas 60. Limitação, Contenção — com linhas móveis na 1ª e 3ª posições — e hexagrama 48. O Poço, Fonte
Reproduzimos, abaixo, os textos dos primeiro hexagrama e de suas linhas móveis, seguidos pelo segundo hexagrama. Para os que não estão familiarizados com a linguagem do I Ching, fica a sugestão de ler a sequência dos textos como um encaminhamento do cenário brasileiro no correr de 2020. Lembre-se de que a consulta foi feita, não para previsões factuais, mas sim para indicações da melhor conduta aos brasileiros de boa vontade.
I Ching - Hexagrama 60 - Limitação

Interpretação

O oráculo nos põe diante da questão da disciplina, com suas normas e regulamentações, que limitam as ações dos homens. Num nível ainda mais alto, nos coloca frente às leis do universo que estabelecem limites ao movimento dos próprios astros. É em razão dos limites da natureza que temos as estações do ano e o ciclo do dia e da noite, indispensáveis à manutenção da vida.

Na vida diária, a economia nos períodos de abundância garante o sustento nos períodos de carência; ser comedido evita humilhações e sofrimentos.

O excesso de limitações, porém, pode se tornar prejudicial, sufocando a criatividade e comprometendo o fluir equilibrado da vida. A severidade excessiva aniquila a alegria e o ânimo de solidariedade.

“Se o homem quiser impor limites muito severos à sua própria natureza, ela sofrerá. Se quiser ir muito longe nas limitações impostas aos outros, eles se rebelarão. É por isso que são necessários limites à própria limitação”. (Wilhelm)

Conselho

O homem nobre elabora seu sistema de números e medidas, para examinar e discutir a virtude e a conduta corretas.

Interpretação

O estabelecimento de limites faz com que a vida adquira um novo significado. Fixar com clareza esses limites constitui a coluna vertebral da moralidade. As possibilidades ilimitadas não ajudam os homens, que ficam sujeitos a se dissolverem na indeterminação. Um homem está maduro e firme quando define seus próprios limites e determina de modo espontâneo suas obrigações.

____________________________________

Linhas móveis

Linha móvel (nove) na primeira posição significa:

Não ir além da porta e do pátio não implica em culpa.

Muitas vezes um homem gostaria de realizar algo, porém se vê diante de limitações intransponíveis. É necessário, então, que ele saiba discernir em que ponto deve parar. Se ele compreende isso claramente e respeita os limites que lhe foram impostos, poderá reunir a energia necessária para agir com firmeza, quando chegar o momento adequado. Durante a preparação de coisas importantes, a discrição é indispensável.

Confúcio comentando essa linha disse: “Quando surge a desordem, as palavras são o primeiro degrau. Se o príncipe não é discreto, ele perde seu vassalo. Se o vassalo não é discreto, ele perde sua vida. Se aquilo que está ainda germinando não for tratado com discrição, seu desenvolvimento será prejudicado. Por isso o homem superior é cuidadoso ao manter silêncio e não vai além do que deve”.

Linha móvel (seis) na terceira posição significa:

Aquele que não conhece limitação alguma
terá motivo para se lamentar.
Nenhuma culpa.

Se um homem pensa apenas em prazeres e divertimentos, perde facilmente o sentido dos limites necessários. Entregando-se à dissipação ele terá que sofrer as conseqüências quando, então, lamentará seu infortúnio. Mas ele não deve procurar culpar os outros. Só quando um homem reconhece que é responsável por seus próprios erros é que se torna capaz de aprender com essas experiências dolorosas a evitar novas faltas.

I Ching -Hexagrama 48 - O Poço

Interpretação

O poço representa a fonte que atende as necessidades mais primordiais dos seres, e que permanece inalterada desde a mais remota antigüidade. Mudam-se os usos e os costumes, os estilos de comportamento e as expressões culturais, mas a forma do poço continua a mesma, simbolizando as necessidades imutáveis da existência humana.

O poço também representa a sustentação inesgotável da vida, que persiste pelas gerações sucessivas. É uma fonte estável, confiável, sempre disponível. Simboliza igualmente os talentos ocultos, numa pessoa ou na sociedade, que exigem algum tipo de esforço e atenção para virem à tona e se desenvolverem.

A menção ao cântaro que se quebra representa uma enérgica advertência do Livro quanto à atenção a ser dada ao momento em que nos encontramos. Todo cuidado é pouco. Gestos precipitados, ou o descuido de não cumprir inteiramente as obrigações assumidas, podem comprometer irremediavelmente a situação em que nos encontramos.

Conselho

O homem nobre encoraja o povo em seu trabalho e incentiva a ajuda mútua.

Interpretação

O modelo que o Livro nos oferece para fazer face à situação do momento é o de buscar uma totalidade orgânica, incentivando que cada parte conheça o melhor possível as necessidades do conjunto. A visão do todo favorece o espírito de solidariedade em benefício do todo e de todos.

*   *   *
Para obter informações bem simples e diretas de como esse tradicional oráculo atua, examine o menu disponivel em http://iching.com.br/consulte-o-i-ching-online.
Constantino K. Riemma,
responsável pelo Clube do Tarô.
ckr@clubedotaro.com.br
Outros trabalhos seus no Clube do Tarô: Autores
Edição: CKR – 1º/01/2020
  Baralho Cigano
  Tarô Egípcio
  Quatro pilares
  Orientação
  O Momento
  I Ching
Publicidade Google
 
Todos os direitos reservados © 2005-2020 por Constantino K. Riemma  -  São Paulo, Brasil