Home page

05 de agosto de 2020

Responsável: Constantino K. Riemma


Coronavírus, obra do acaso ou da causalidade?
Anderson Kurelo
O mundo parou diante do coronavírus e a frenética sociedade moderna, com tantos avanços e ambições, parece estar impotente diante de algo tão pequenino, que não se pode ver a olho nu. Com essa pandemia, fica exposta a fragilidade da humanidade, de seus sistemas financeiros e de seus valores.
Em geral, quando falam da origem dessa pandemia mundial nos meios de comunicações, é exposto que um vírus que já existia sofreu uma mutação que contaminou o ser humano e gerou esse problema. Nesta perspectiva, basicamente o mundo parou por obra do acaso, pois algum fator aleatório teria provocado a mutação do vírus.
Alternativamente, podemos encontrar em todos os rincões do planeta e em todas as épocas: previsões, profecias, escritos, etc. alertando a humanidade das consequências catastróficas de suas más obras. Por exemplo: “começarão as epidemias mortíferas a expandirem por todo planeta e os médicos e ciência oficial não conhecerão que classe de doenças são e com o que se curam; ‘ficarão de mãos ao alto’ rendidos às epidemias” trecho do livro Hercólubus ou Planeta Vermelho de V. M. Rabolú, publicado em 1998.
Coronavírus - obra do acaso ou da causalidade- Andersonn Kurelo
O universo que conhecemos funciona com o princípio de causa e efeito. Para a matéria, Isaac Newton enunciou esse princípio em sua terceira lei: “A toda ação há sempre uma reação oposta e de igual intensidade: as ações mútuas de dois corpos um sobre o outro são sempre iguais e dirigidas em sentidos opostos.”. No mundo espiritual esse princípio é conhecido em termos de “carma e darma” sendo que más obras causam carmas que resultam em dor, miséria, mortes e outras coisas danosas; enquanto que boas obras causam darma que são bem-aventuranças, saúde, vida, etc. Deste ponto de vista, o coronavírus não seria uma exceção a esse princípio.
Para entender a causalidade do coronavírus é necessário reconhecer que o espírito, que dá vida a matéria ou em outras palavras, a alma que dá vida ao corpo de carne e osso, é o que mais importa. Escrito está: “E, não temais os que matam o corpo, mas não têm poder para matar a alma. Temei antes, aquele que pode destruir no inferno tanto a alma como o corpo”. Bíblia cristã, Mateus 10:28
O sentido do Universo é a vida, e esta vem do espírito, então tudo que ameasse o espírito, precisa ser bloqueado, para que a vida continue, para que o Universo continue.
Há muito tempo a humanidade em geral, vem atentando contra o Espírito Santo, negando a divindade; de modo que pervertem valores, propagam ideias e alternativas, que afastam a alma do sagrado, da luz e consequentemente da vida. Reconhecer a causa de um problema é o primeiro passo para solucioná-lo. Caso contrário, seremos sempre vítimas do “acaso”.
Assim, continuando a humanidade a fazer mau uso de seu livre-arbítrio, as doenças e tragédias continuaram a existir. Por mais que termine um flagelo, como por exemplo, quando aparecer a cura para o coronavírus, aparecerá outro flagelo, e assim sucessivamente, até que poderá chegar o limite em que a humanidade permanecendo irredutível em seus erros, não restará alternativa ao Universo, a não ser, seguir sua marcha sem esta humanidade terrestre.
Na perspectiva da causalidade, torna-se possível mudar as circunstâncias e colaborar com a vida, para poder seguir desfrutando harmoniosamente do Universo infinito, eterno e inefável.
Também é fundamental entender a quais leis nosso espírito está submetido, compreender que tais leis não são para nosso mal, e sim para que o Universo possa funcionar adequadamente e nós possamos fazer parte dele, exercendo nosso livre-arbítrio de forma consciente.
Para saber mais sobre as profecias para nosso tempo, as causas de nossas desgraças e um sistema para mudarmos definitivamente nossa situação, pode ser acessado o site da Associação Alcione, que distribui gratuitamente o livro Hercólubus ou Planeta Vermelho, escrito por V. M. Rabolú: https://alcioneassociation.com/pt/gratuito-pt. Esse livro vem somar esforços aos tantos ensinamentos que a humanidade vem recebendo ao longo dos séculos.
Anderson Kurelo
é colaborador da Associação Alcione, que tem a missão difundir a mensagem
de V. M. Rabolú, através de seu livro Hercólubos ou Planeta Vermelho.
Associação Alcione: https://alcioneassociation.com/pt/alcione-pt
Contato pessoal: andersonrkurelo@gmail.com
Outros trabalhos seus no Clube do Tarô: Autores
Edição: CKR – 7/04/2020
  Baralho Cigano
  Tarô Egípcio
  Quatro pilares
  Orientação
  O Momento
  I Ching
Publicidade Google
 
Todos os direitos reservados © 2005-2020 por Constantino K. Riemma  -  São Paulo, Brasil