Home page

20 de outubro de 2019

Responsável: Constantino K. Riemma


2019 do Enforcado: muito incômodo, mas tem jeito
Outros arcanos entram na jornada do novo ano para nos auxiliar
Cláudia Boechat
O ano do 12. O Enforcado (2+0+1+9=12).
É, Mané, a coisa não tá fácil não... Mas quem falou que era pra ser fácil?
O negócio é se empenhar para desenroscar. É ralando que a gente cresce. 2019 traz para nós um especial aprendizado. E não adianta espernear. O Enforcado, na verdade, está dependurado, imobilizado, e espernear só faz desgastar energia à toa; ele não vai se soltar assim.
O Enforcado representa aquelas situações nas quais a gente se sente impotente, incapaz de enxergar uma saída, uma solução. Não há o que fazer. Aí, bate um desespero, um sofrimento pela incapacidade de mudar o que está acontecendo.
Cenário brasileiro 2019 - 12. O Pendurado: incôomodo, mas tem jeito
Cartas do Antichi Tarocchi Italiani - Milão, 1880 - de autor desconhecido 
Bom, a primeira coisa que se deve fazer é aceitar, resignar-se e manter-se o mais sereno possível naquela posição incômoda. Em seguida, é hora de refletir. Com a mente mais tranquila e sem pressa de resolver qualquer questão, é hora de rever tudo, de analisar minuciosamente tudo o que está em jogo. Aí vem o “pulo do gato”: descortinar um novo ponto de vista. Tal qual o “Dependurado”, que está de cabeça para baixo, precisamos encontrar um novo ângulo de visão das dificuldades que nos paralisam. E, assim, surge uma nova compreensão dos fatos, o nó se desata e a gente pode ficar em pé novamente e se movimentar.
Resumindo, 2019 nos pede calma, resignação e reflexão.
Mas não é pra cruzar os braços e ficar nisso passivamente. Nossa missão é fazer com que a reflexão resulte numa nova visão de mundo, dos fatos, das dificuldades e de nós mesmos.
Então, é certo que virão situações bastante desconfortáveis. É certo que ficaremos tristes e com aquela sensação de não poder fazer nada. Mas cabe a cada um de nós não nos deixarmos levar pela desesperança e pelo desespero e descobrir um jeito novo de sair dessa. Não dá pra usar os mesmos meios de sempre. 2019 exige de nós renovação e esforço para sair do lugar comum.
Contudo, outros arcanos, com menor força que o Enforcado em 2019, também surgem para nos guiar. A Papisa (2) reforça a necessidade de se acalmar e de buscar conhecimento para alcançarmos o tal ponto de vista novo. O Louco (0) vem nos dizer que temos de olhar para o futuro com alegria e não temer o desconhecido. Pode estar lá na frente o que vai nos iluminar. Afinal, a vida é uma grande aventura. O Mago (1) topa encarar um novo caminho cheio de disposição. Já separou o material para sua viagem e está pronto para o aprendizado do ano. O Eremita (9) surge e diz: “Peraí. O Enforcado mandou ir com calma. Vamos analisar bem o terreno antes de dar qualquer passo para evitar tropeços. Prudência e canja de galinha não fazem mal a ninguém”.
Dois outros arcanos encontram com esses quatro na jornada comandada pelo Enforcado em 2019. São eles o Julgamento (20) e o Sol (19). Vamos saber como é a conversa deles com o líder. O Julgamento diz para o Enforcado que não se deve analisar apenas o presente, que é preciso voltar à origem do fato e ver como ele se desenvolveu até chegar na atualidade. Desta forma, é possível identificar erros e acertos e traçar uma nova estratégia. O Sol concorda e ressalta que nada deve ficar obscuro, tudo deve ser trazido à luz do dia para que a nova visão dos acontecimentos surja com a devida clareza. O Enforcado aplaude os bons conselhos.
Sintetizando, o ano de 2019 trará momentos desagradáveis sim. Eles nos causarão uma sensação de impotência. Pra lidar com isso, é preciso ter calma – não se desgastar se debulhando em lágrimas ou amaldiçoando o mundo – e pensar muito. Buscar conhecimento, olhar para o futuro e se arriscar rumo ao desconhecido sem desanimar ou se assustar com novas possibilidades, pois são justamente elas que trarão a luz novos elementos e informações da situação que se apresenta. Nada de atropelos e é necessário avaliar bem tudo o que está em jogo antes de decidir qualquer coisa. Ir até a origem dos fatos. Reconhecer análises e/ou atitudes equivocadas. Abrir a cabeça para novas ideias. Encontrar, por fim, um novo entendimento das dificuldades e, com isso, os problemas podem se resolver porque as soluções, que antes pareciam inexistentes, acabam aparecendo. E, finalmente, o Enforcado se liberta lindo, leve e solto pra passar a foice no que o incomodar.
Cláudia Boechat, jornalista e cronista, responde pelo blog
www.tarotclaudia.blogspot.com.br
Contato por e-mail: taroresponde@gmail.com
Outros trabalhos seus no Clube do TarôAutores
Edição: CKR – 17/12/2018
  Baralho Cigano
  Tarô Egípcio
  Quatro pilares
  Orientação
  O Momento
  I Ching
Publicidade Google
 
Todos os direitos reservados © 2005-2019 por Constantino K. Riemma  -  São Paulo, Brasil