Home page

21 de julho de 2019

Responsável: Constantino K. Riemma


A Temperança e o signo de Aquário
Rose Villanova
 
A maioria dos livros e tratados de tarô menciona e faz analogias entre os arquétipos ou lâminas do Tarô e os signos,  planetas e casas da estrutura astrológica.
Gosto disso, pois a Astrologia contempla toda a dinâmica do homem; física, psicológica, emocional, intelectual e anímica. Assim como entendo que todo astrólogo e tarólogo devam ter profundo conhecimento de mitologia, outro "instrumento" indispensável para desvendar e compreender a alma humana em todas as suas facetas.
Se aprofundarmos, porém, o estudo do tarô à luz da astrologia, veremos muitas vezes que uma figura não cabe como uma luva em "apenas" um símbolo astrológico específico.
Por exemplo: Mercúrio, além de suas qualidades essenciais, que são pensamento,  comunicação, habilidades manuais e intelectuais, rege dois signos – Gêmeos e Virgem – e em
Uma representação clássica da constelação e signo de Virgem
Ilustração clássica do signo/constelação de Virgo
 
cada um deles irá manifestar-se de forma específica. Mais precisamente de forma masculina em Gêmeos, signo de Ar e masculino e de forma feminina em Virgem, do elemento Terra e feminino. Desta forma poderíamos dizer que temos "três" Mercúrios; o Mercúrio em si e "os Mercúrios" que se expressam em acordo com o gênero dos signos que rege.
Além dessas expressões de Mercúrio, temos dois signos mercuriais – Gêmeos e Virgem – que embora tenham inegáveis características do planeta que os rege, cada qual possui sua expressão própria de acordo com as qualidades de elemento, ritmo, gênero e lugar que ocupa no zodíaco.
Portanto eu diria que é arriscado colocar um símbolo do zodíaco em analogia a uma determinada lâmina, sem contemplar todas estas facetas que são fundamentais na correta compreensão de cada Arcano.
A estrutura do Tarô é bastante completa e complexa e merece muito cuidado de quem busca seu entendimento. Não estou criticando quem usa a analogia tarô/astrologia, nem querendo dizer que estão errados ao tentar ligar a astrologia ao tarô, ao contrário, muitas delas são perfeitas a meu ver. Apenas estou querendo alertar para essa riqueza de possibilidades que tanto um quanto outra oferece.
Há ainda, outra questão muito importante e nada desprezível. Cada um interpreta o símbolo conforme seus conteúdos internos, o que pode modificar o entendimento de cada arquétipo. Para uma compreensão o mais isenta possível desses tais conteúdos, há que se dedicar muito tempo, no aprofundamento dessas matérias.
Um dos Arcanos, por exemplo, que é quase unanimidade na relação arcano/signo é a Temperança com o signo de Aquário. Será?
Temperança - Aquário?
Esta lâmina, nos fala sobre a questão da alquimia, transformação, cura, transmutação, adaptação, serviço, harmonia e equilíbrio. Uma faceta muito importante deste arquétipo é a ausência de rigidez e flexibilidade, atributos imprescindíveis para se alcançar o meio termo, o equilíbrio. Ainda; tolerância, paciência, elasticidade,  plasticidade e submissão.
O nome do arcano é claro, "Temperança", que vem de temperar, misturar com proporção, atributo alquímico que busca harmonizar. No caso da gastronomia, que é quando mais usamos essa palavra, temperar significa harmonizar os sabores do alimento às ervas e ingredientes que modificam o paladar primordial do alimento, transformando-o em uma iguaria única. Uma perfeita alquimia.
Este arcano personifica uma energia extremamente feminina; doce, intuitiva, serviçal, curadora, flexível e, de certa forma até submissa. Como encontrar essas características em Aquário, que é um signo de Ar, portanto racional, Masculino e Fixo?
Representação da constelação de Aquário    Temperança no Tarô de Jean Noblet, 1645
Representação da constelação de Aquário e a Temperança no tarô de Jean Noblet (1645)
O signo de Aquário é um signo fixo, o que lhe traz a característica de rigidez. No caso de ser um signo de Ar a rigidez se faz no campo mental, no campo das idéias.
A função do signo de Aquário é a de estabelecer bases para a convivência dos grupos que se unem por uma causa, um ideal, uma habilidade comum. Aquário é o signo mais impessoal do zodíaco. A paixão, se este signo é capaz de alguma, é pela causa do grupo, nunca do individuo.
Aquário não se envolve apenas idealiza e exige de si e do grupo que cumpram as regras estabelecidas. Saturno, o regente deste signo, coloca limites bem definidos para esta questão da convivência. A função de Saturno, não é a da alquimia em si, seu atributo é o de apontar o que deve ser transformado através de limitações impostas,  e não por trazer ao homem o ferramental necessário a esta tarefa.
É comum, ao se pensar neste signo, fazer relação com a fraternidade com o amor ao próximo, mas é engano, o amor de Aquário é pela idéia de convivência harmoniosa e pacifica do grupo e também das conquistas que um grupo unido pode obter. Claro que estas conquistas ao final, vão ser capitalizadas pelo individuo, mas pelo individuo sem identidade definida. Isto é muito importante para o entendimento da dinâmica aquariana. Aquário ama a humanidade, não o individuo.
O Aguadeiro
O Aguadeiro, representação clássica
da constelação/signo de Aquário
 
Inclusive, no trato pessoal, não é incomum que o aquariano de carteirinha seja brusco, frio, dogmático e profundamente impessoal. O individuo não importa, importa o grupo.
O símbolo deste signo é o aguadeiro, que traz à terra as forças nutritivas que a fertilizam trazendo às sementes as condições essenciais para a germinação e alimento para a humanidade.
Esta é a grande qualidade de Aquário que, como Prometeu, mito ligado a este signo, trouxe o fogo dos deuses para a humanidade. Nisto reside a beleza deste signo. Prometeu foi um titã que protegeu a humanidade da fúria de Zeus e pelo ideal de avanço da humanidade, teve que sofrer na carne toda a fúria deste deus.
Em verdade, este signo personifica o avanço da ciência e tecnologia como instrumentos de bem estar e qualidade de vida para os humanos. Nada tem a ver com a alquimia, que
produz o encontro com o ouro interior, com a própria essência de cada um, coisa que para Aquário não é tão relevante assim, pois a alquimia, que é mais arte do que ciência, objetiva o individuo "a despeito" do grupo.
Ouso até dizer, que esta carta é tantas vezes pouco compreendida na sua verdadeira essência, por estar associada a um arquétipo que não é exatamente o seu.
O signo de Virgem
Virgem é o arquétipo astrológico que mais se identifica com esta carta.
Uma das representações arcaicas do signo de Virgem é uma jovem com asas, em pé, com o pé esquerdo ligeiramente erguido, em atitude de movimento,  portanto em uma das mãos um ramo e uma espiga, às vezes cada um em uma das mãos.
Há outra representação (ver imagem) em que a jovem com asas, porta em uma das mãos um caduceu, símbolo da cura e em outra um ramo de trigo, símbolo da fecundidade nutrição.
A representação gráfica para o signo de Virgem – –  é um M com uma barriga na ultima perna, sugerindo uma mulher grávida, tal qual é reconhecida a Virgem Maria, quero dizer, uma mulher que engravidou sem a presença de um homem. Sugestão que nos coloca diante de outra evocação desta carta, o hermafroditismo.
Seria um equívoco associar a alquimia, assunto desta carta, a Aquário. Esta ciência ou arte, pertence ao arquétipo de Virgem que está ligado à linguagem e aos conceitos e procedimentos da alquimia medieval pelas características do signo que é a minúcia, o detalhe, a atenção aos pormenores, a eficiência, a análise e classificação. O ouro alquímico é resultado de um extenso trabalho de aperfeiçoamento interior para se chegar à verdadeira essência. Trata-se de uma experiência de purificação e purificação é prerrogativa irrevogável do sexto eixo zodiacal: Virgem/Peixes.
Na verdade, a alquimia em sua essência corresponde a dois arquétipos do zodíaco: Virgem e Escorpião, os dois
 
Constelação de Virgo
Gravura de 1482
 
juntos. Virgem porque trata da organização, classificação, detalhamento dos procedimentos e purificação e Escorpião da transmutação ou transformação, da morte de uma condição para renascer em outra.  Inclusive os símbolos destes signos muito se assemelham – e – dois signos femininos por natureza e encontrados, na antiguidade, amalgamados  em zodíacos onde só existiam onze signos.
Não é porque a figura da carta "A Temperança" despeja "água" de uma vasilha na outra que podemos compará-la ao signo de Aquário. Este ato de despejar o líquido (aliás, que líquido exatamente seria esse que é despejado?) de uma vasilha na outra,  representa o ato de temperar, o nome da carta. A figura nesta lamina, pode muito bem estar esfriando um líquido que está muito quente, ou oxigenando-o a fim de torná-lo mais puro, ou os dois ao mesmo tempo. Este esfriamento, se assim for, pode estar tornando este líquido mais denso pelo seu resfriamento, enfim é uma representação alquímica por excelência. Onde poderemos encontrar essa analogia no signo de Aquário?
Em Aquário, encontramos um homem que despeja água, representando as chuvas de fevereiro que enchiam o Nilo, o qual fertilizava a terra.
A Temperança no Tarô Mitológico
A Temperança
no Tarô Mitológico
 
A delicadeza desta carta remete ao arquétipo do signo de Virgem, signo de terra, afinado com a matéria, com os cuidados com o corpo, a saúde do corpo, seu aprimoramento e a disposição de curar. Virgem é, dentre os três signos de terra o mais cuidador e o próprio arquétipo do curador.
Virgem é o oposto complementar de Peixes, os dois pertencem ao eixo do aperfeiçoamento sendo que um não "existe" sem o outro, os eixos zodiacais são interdependentes, pois um assunto tem a ver com o pessoal enquanto o outro tem a ver com o social amplo. Virgem aperfeiçoa a matéria e Peixes o espírito, porém todos sabemos que o aprimoramento do corpo reflete no espírito e vice-versa. Não estou aqui falando do culto ao corpo que se exerce nas academias modernas e sim no sentido grego arcaico de respeito ao próprio corpo.
Finalmente, mas longe de esgotar este argumento, no Tarô Mitológico esta lâmina é associada à deusa Iris, onde textualmente é dito: "Iris era a contraparte feminina de Hermes, o emissário de Zeus, e era amada tanto pelos deuses quanto pelos mortais por causa de sua natureza bondosa e afetuosa.
Se Hera ou Zeus quisessem transmitir uma mensagem aos homens, Íris voava   ligeiramente para a Terra, onde assumia feições humanas ou aparecia em sua forma divina." E mais adiante: "Outras vezes ela deslizava pelo arco-íris que fazia ponte entre o Céu e a Terra (...). Quando os deuses voltavam de suas jornadas ao Olimpo, Íris desatrelava os cavalos de suas carruagens e servia néctar e ambrosia aos viajantes. (...). Ela preparava o banho de Hera, ajudava-a a com sua toalete e dia e noite, permanecia ao pé do trono de sua patroa."
Uma "serviçal" e "mensageira" tão arrematada, só pode ser do signo de Virgem que abriga o planeta Mercúrio em sua manifestação feminina, transformadora e curadora.
julho.11
 
Comentários
Rose Villanova abriu espaço para comentários sobre o seu artigo, acima, que trata do sempre desafiador propósito de estabelecer paralelos entre os símbolos do tarô e os da astrologia.
A troca, registrada abaixo, constitui mais uma exemplificação dos múltiplos sentidos, muitas vezes paradoxais, que comportam os símbolos tradicionais.
 
Porquê não Aquário?! (Comentário do Constantino)
Rose, para te provocar relembro que Ganimedes, a figura mítica representativa de Aquário, é um ser humano, raptado por Zeus, e que acaba assumindo a função de servir as bebidas aos deuses, temperando-as na justa proporção. Haveria disposição mais virginiana, prestativa, que essa para misturar os conteúdos das ânforas?
Mais ainda, no tarô clássico, a figura da Temperança é um anjo, ser que circula verticalmente e serve de elo entre o Alto e os humanos. Cabe um paralelo com o deslocamento vertical de Ganimedes, levado da terra para servir aos deuses.
Concordo com você que Mercúrio representaria melhor a manipulação das polaridades, do mesmo modo que podemos ver no gestual do Mago uma qualidade mercuriana.
Aquário por ser um signo de Ar e Fixo possui qualidade integradora e estruturadora, dispõe de referências verticais e de inspiração mental para estabelecer coerência entre elementos antagônicos. Numa certa medida pode ser visto como unificador de idéias.
Seja como for, o seu texto me fez voltar a uma antiga questão que estava esquecida. Por qual razão os antigos representaram um signo fixo de ar por um homem com um cântaro despejando líquido, que estaria melhor num signo de água? A imagem de um ser humano que assume o serviço de preparar a bebida dos deuses, temperando-a na justa proporção, não estaria melhor em Peixes ou Câncer?
Sim, tem alguma coisa que continua a me escapar.
Virgem e sua força mutável. (Resposta da Rose Villanova)
Eu adoraria dar uma colher de chá para Aquário, na Temperança...!!! Mas, exceto a aguinha que escorre do pote, não consigo, por mais que me esforce – e tenha a certeza de que me esforcei bastante, quando estudei esta carta à luz da astrologia – não consigo perceber um mínimo traço deste signo tão frio (creio que o mais frio de todo o zodíaco) na Temperança.  
Quanto ao mito de Ganimedes relacionado a Aquário, estive lendo mais atentamente sobre este mito. No livro do Junito Brandão ele diz que  Ganimedes quer dizer “liquido brilhante” e “ocupar-se de”; o que designa a honrosa tarefa de escanção de Zeus no Olimpo (sic). Daí fui ver o que é escanção no dicionário (não sabia da existência desta palavra) e no Houaiss diz que escanção é  um substantivo masculino que significa o oficial da corte, que, na copa, vertia vinho que seria servido ao rei.
Creio que Ganimedes seja associado a Aquário por causa da figura do signo, o tão controverso aguadeiro. Você poderia me explicar melhor porque este mito está relacionado a Aquário? Por ser objeto do desejo de Zeus? Por trazer um componente de homossexualidade (algo não convencional, no caso)?
Simbolo de Virgo, ilustração do sec. 15
Simbolo do signo de Virgem
Ilustração do século 15
 
De qualquer forma, considero o fato de ele temperar a bebida para os deuses ser muito pouco para associar ao simbolismo da Temperança. Acho a temperança mais alquímica, mais transformadora mesmo. E como disse no artigo, cabe nela também um tanto de Escorpião, no sentido da transformação. Mas, quanto ao que há na carta de proposta de aperfeiçoamento, fico mesmo no eixo Virgem/Peixes. Como disse, cabe uma bela discussão.
Quanto à sua questão da figura do aguadeiro no signo de Aquário, concordo com você. Inclusive não são poucas as pessoas que não conhecem astrologia, dizerem que aquário é um signo de água, por causa da figura que o representa. O que sei sobre esta figura é que em fevereiro, mês deste signo, é o mês da cheia do Nilo, o que para os Egípcios representa a fertilidade imprescindível para a alimentação deles, apenas isto. Pois se formos relacionar Aquário a Prometeu, mito também associado a este signo, teria que ser um homem com um fogo nas mãos e não com água, concorda?
Na verdade, acho o signo de Aquário, o mais intrigante do zodíaco, incluso os significados da casa XI, sempre tenho a impressão que falta alguma coisa que, como disse bem você, nos escapa à compreensão. Também não sei se Aquário é integrador das idéias, acho Aquário bastante rígido, radical mesmo no que concerne ao pensamento, para um unificador, pois as idéias ou o pensamento por si, não têm como ser unificado, não há uma Verdade, coisa que sempre irá depender de um ponto de vista, penso eu.
Pano pra manga, meu caro... também concordo com você quanto ao aguadeiro ser para um signo de água no caso do aguadeiro, e pela proximidade do mês da cheia do Nilo, Peixes cairia muito bem, inclusive achei que Ganimedes tem muito mais de Peixes do que de Aquário. Peixes é um signo ligado à bebida e também ao prazer, que no caso, sendo homossexual seria aquela coisa pisciana da indiferenciação. Estou “pensando alto”.
Voltando ao aguadeiro, apenas os signos de Ar, com exceção de Virgem, são representados por figuras humanas, por causa da função pensamento que é a única função humana. Mais um motivo para a Virgem ser associada à Temperança, pois por ser um signo mutável e regido por Mercúrio, é tido como o único signo humano dentre os que não pertencem ao elemento Ar.
setembro.11
Contato com autora:
Rose Villanova - www.astrologiaearte.blogspot.com
Outros trabalhos seus no Clube do Tarô: Autores
 
  Baralho Cigano
  Tarô Egípcio
  Quatro pilares
  Orientação
  O Momento
  I Ching
Publicidade Google
 
Todos os direitos reservados © 2005-2019 por Constantino K. Riemma  -  São Paulo, Brasil