Home page

20 de junho de 2019

Responsável: Constantino K. Riemma


O naipe de Ouros no tarô de Waite
Vera Chrystina
 
 
O presente texto resultou da apresentação feita por Vera Chrystina na
Jornada com os Arcanos Menores, realizada no segundo semestre de 2010.
O trabalho de transcrição e de redação ficou a cargo de Ivana Mihanovich.
 
 
O naipe de ouros está ligado ao elemento terra e consequentemente abrange o que envolve a matéria. Terra é a base, o solo fértil onde as coisas realizam-se efetivamente. Ouros é, portanto, um naipe de realização concreta.
Enquanto copas refere-se, por exemplo, à idealização romântica do casamento e da vida a dois, ouros nos ajuda a analizar as possibilidades reais do casal comprar uma casa, ou pagar o aluguel, bem como o supermercado e o plano de saúde. Naturalmente, muitos tendem a considerar este naipe como uma visão muito materialista, no sentido pejorativo, mas a verdade é que a matéria é fundamental para a vida cotidiana. Um ideal, se não encontra o favorecimento de possibilidades práticas, permanece apenas uma idéia sem concretização, independente de quão boa essa idéia possa ser. E é neste naipe que encontramos respostas a respeito dessas possibilidades práticas.
Ás de Ouros
Ás de Ouros
Ás de Ouros
Waite Tarot
 
Todos os ases são indicadores de realização, evidentemente cada um dentro do contexto de seu naipe.
O ás de ouros sempre apresenta a presença de uma nova oportunidade, de uma melhoria, a abertura de um novo caminho. Portanto, se a questão refere-se ao plano mental, ele nos diz que há uma idéia muito boa, pois é uma idéia passível de realização. Se a pergunta é feita a respeito da saúde e do corpo físico, ele falará de vitalidade, de boa saúde. Se refere-se à aquisição de um novo bem, ou de uma gravidez, por exemplo, apontará o sucesso nesses sentidos
No entanto, não podemos esquecer que, num método que utilize arcanos Maiores e Menores, os primeiros terão precedência, uma vez que eles nos dão a idéia ou o tom essenciais. Um ás de ouros, portanto, por mais “positivo” que seja, será calado por um Enforcado, uma Torre etc. Mais provavelmente, nesses casos, está querendo dizer que o cliente pensa que pode conseguir o que deseja, mas que isso não corresponde à realidade, naquele momento.
Dois de Ouros
As cartas deste número, em qualquer naipe, apresentam certa dualidade por sua própria natureza e no tarô de Waite a autora das ilustrações, Pamela C. Smith, optou, inclusive, por representar o dois de ouros apresentando um malabarista e sua arte do jogo de cintura; um jogo que neste caso, aliás, forma o oito da lemniscata, remetendo-nos à delicadeza e destreza necessárias para a manutenção desse equilíbrio.
O dois em certo sentido falará de obstáculos, porém de obstáculos transponíveis desde que tenhamos aquela flexibilidade e jogo de cintura que a imagem sugere. Algumas vezes estamos num momento de vida onde nos vemos divididos, como por exemplo reformando a casa e ao mesmo tempo começando um trabalho novo, portanto um momento no qual temos que agir como um malabarista realmente, cuidando das duas situações ao mesmo tempo. 
Por outro lado, algumas vezes a presença do dois de ouros vai indicar certa interferência de terceiros ou alguma instabilidade, mas nada muito comprometedor; trata-se, digamos, de uma instabilidade passageira.
 
Dois de Ouros
Dois de Ouros
Waite Tarot
Três de Ouros
 
Três de Ouros
O três do tarô de Waite nos mostra o que talvez seja o próprio sacerdote da catedral, enquanto uma outra figura é provavelmente um astrólogo. Na verdade parece uma alusão à maçonaria, pois também nos mostra uma terceira personagem, um escultor,  possivelmente o construtor da catedral. Assim, esta carta sempre indica o início de um projeto muito bom, talvez mesmo de grande porte, mas para o qual a pessoa tem que trabalhar, provavelmente com outras pessoas, como numa sociedade ou equipe.
Assim sendo, também indica a realização do processo que envolve um casamento, caso a questão seja referente a isso e o consulente esteja namorando ou noivo. Se, num caso desses, temos um Papa e um três de ouros, por exemplo, ele nos diz que há todo o trabalho que envolve o processo burocrático, a cerimônia etc, mas que a pessoa vai, sim, começar uma estrutura real (e boa).
Quatro de Ouros
Este é um arcano que pede um certo cuidado, porque um quatro de ouros aponta a problemas mais adiante, se a pessoa não mudar a forma de lidar com a questão, ou se não aprender a abrir mão de certos apegos. Como este naipe refere-se às posses e à matéria, o
quatro falará de possessividade e mesmo de avareza, embora isso por vezes vá ser algo positivo, pois nos protegerá em algumas situações (como sermos aconselhados por ele a não emprestar dinheiro, pois o outro nunca nos devolverá, por exemplo).
Quando esta carta aparece no afetivo fala de amor possessivo, de posse. Você não ama, você tem (ou quer ter) posse do outro. Em outros casos, porém, apenas mostra que a pessoa está fechada para relacionamentos.
É importante lembrar que no naipe de ouros não há sentimentos; é o ter ou não ter, é o prazer de ter ou o prazer de não ter, então não há escolhas com bases sentimentais. Ele está mais ligado ao conhecimento, à praticidade, à lógica e, consequentemente, àquilo que é palpável no afetivo. A pessoa até pode gostar do outro, mas sempre de uma forma muito prática, com vistas a criar uma estabilidade e a construir algo junto com o outro, mas terá que ser algo concreto e não apenas pretender uma troca de emoções e afetividades poéticas ou teóricas. O quatro de ouros dá a indicação de que não há, aqui, disponibilidade a dividir nada com ninguém, sem que a pessoa tenha certeza de retorno concreto.
 
Quatro de Ouros
Quatro de Ouros
Tarô de Waite
Cinco de Ouros
Cinco de Ouros
 
Esta carta fala de perdas: perdas materiais, afetivas, afastamentos, problemas de saúde etc. O cinco de ouros fala, inclusive, de crise no sentido espiritual. Como se vê nas imagens, está nevando, eles são maltrapilhos e incapacitados ou doentes, e estão fora da catedral. Mostra, portanto, um momento onde há falta de tudo: estrutura, vitalidade, dinheiro e a fé ou o suporte da fé.
Antigamente esta carta referia-se também à traição, pelos efeitos decorrentes de sustentar uma amante, pois o sustento de uma esposa e também de uma amante  evidentemente implicaria em mais gastos, além das crises espirituais ou morais que essa situação automaticamente gerava. Naturalmente, hoje a situação das mulheres é diferente e as amantes desse tipo não são a única possibilidade, mas seja como for, o cinco de ouros vai falar de prejuízos em geral, de perdas, de afastamento, separação, ou apenas de distanciamento afetivo.
É um dado talvez subliminar, porém imperativo, que a pessoa tente
mudar o caminho ou sair de alguma situação que evidentemente está tendendo às perdas de que fala esta carta.
Assim como, se a questão for a respeito de saúde, ela tem que realmente buscar um médico ou um tratamento. Já sobre o espiritual, este cinco pode estar falando da falta de fé de forma geral, ou mais particularmente da falta de autoconfiança, de não acreditar em si mesmo, bem como do desperdicio da vontade.
Seis de Ouros
Todos os seis falam da abertura de novas oportunidades e aqui no seis de ouros do Waite vemos um mercador com sua balança, ajudando aos que estão sem nenhum dinheiro. O seis indica, então, uma ajuda externa, seja auxílio material, seja um conselho importante, ou ainda alguém que aparece de repente com uma proposta realmente interessante. Porém, em certos casos, pode ser indicativo de que seja a pessoa que está perguntando aquele que fará alguma dessas coisas para os outros.
O seis de ouros é uma carta muito positiva, que anuncia a proximidade de um caminho novo e, mais importante, que nos diz para não hesitar, para confiar.
 
Seis de Ouros
Seis de Ouros
Sete de Ouros
 
Sete de Ouros
O sete de ouros do tarô de Waite fala de desenvolvimento e de crescimento, ainda que talvez não imediatamente. Mas ele nos diz que a pessoa plantou, assim como diz que ela tem consciência daquilo que plantou, e por fim anuncia que ela vai começar a ver os frutos disso.
Talvez leve um certo tempo, como acontece até que toda colheita seja possível, mas é um arcano extremamente positivo, que assegura uma melhoria financeira aproximando-se, a floração do que foi semeado lá atrás, o retorno de investimentos de todo tipo e um progresso vindouro seguro.
Todas as ilustrações aqui apresentadas foram retiradas
do Rider-Waite Tarot Deck, publicadas pela U. S. Games (EUA),
edição de 1971. Esse jogo de procedência inglesa foi desenhado
por Pamela Colman Smith sob a direção de Arthur Edward Waite.
Oito de Ouros
Todos os oitos são “cármicos”, isto é, indicam as mudanças que independem de nosso desejo. Assim, o oito de espadas diz que a pessoa tem que mudar, o oito de paus fecha um ciclo e avisa que vem novidades, o oito de copas diz que a pessoa tem que sair de uma relação (e, dependendo das outras cartas, sem ter que enfrentar um escândalo) e o oito de ouros diz que temos que sair do teórico, por a mão na massa e trabalhar para aquilo que desejamos. Indica que ainda há trabalho a ser feito, mas também nos diz que há capacidade de concentração, o que já é um primeiro requisito importante.
Este oito fala que é momento de fazer algo com atenção e esmero. Hajo Banzhaf, inclusive, dizia que esse arcano indica que algo que fazemos virá a ser um outro (ou o novo) ganha-pão, como um hobbie que passa a ser um trabalho (sem esquecermos que isso, mais provavelmente neste caso, acontecerá independente de querermos ou não).
 
Oito de Ouros
Nove de Ouros
O nove de ouros é a colheita, o ápice de um caminho.
Nove de Ouros
Nove de Ouros
Tarô de Waite
 
É muito interessante que essa imagem do Waite mostre uma mulher praticando a arte da falcoaria, que era praticada pelos homens e pela nobreza. Este arcano, justamente, fala de dominar uma habilidade, de estabilidade e de sucesso. É como se nos dissesse que passamos por muitas coisas, um aprendizado talvez longo, e que finalmente podemos recolher o sucesso merecido. Este nove é, portanto, uma carta que fala de estar muito bem consigo mesmo e também de poder desfrutar daquilo que o dinheiro pode proporcionar, relaxadamente e sem culpas, ao contrário do habitual.
No tarô egípcio da Kier, o naipe de ouros é o naipe da espiritualidade e a rainha de ouros desse baralho, inclusive, está relacionada à mediunidade, pois a mediunidade é algo que se dá no âmbito físico e não no espiritual. Ainda no tarô egípcio, costumamos dizer que é apenas a partir do momento que temos que passa a ser realmente possível ajudar os outros, fazer com que cresçam, ou com que tenham mais qualidade de vida. O nove de ouros traz esse grau de realização e de riqueza, seja espiritual ou material, além do prazer do autocontentamento, dados que também nos abrem para a possibilidade real de sermos mais generosos e compassivos.
É importante dizer que, por exemplo, no baralho Petit Lenormand a imagem é radicalmente diferente (há um caixão), assim como no tarô de Crowley a figura tampouco inspira o significado atribuído pelo Waite.
Por isso é importante que o tarólogo estude várias linhas até encontrar aquela com a qual sente mais identificação, caso contrário, com tantas visões diferentes, a leitura fatalmente ficará confusa e mesmo contraditória.
Dez de Ouros
O dez de ouros é a realização máxima. Trata-se de estabilidade financeira segura, de patrimonio adquirido, e indica um valor grande que virá, como uma herança, pois esta carta também abrange o campo da família e das propriedades da família. É com o dez de ouros que sabemos que conseguiremos vender um imóvel por um preço excelente, ou que o livro que escrevemos será um sucesso, não só de crítica, mas também financeiramente, por exemplo. Este dez nos dá a tranquilidade de sabermos que, administrando com atenção, nossa estabilidade ou patrimonio estarão seguros por muito tempo.
 
Dez de Ouros
 
As cartas da corte
Antes de mais nada é importante estabelecer que, embora eventualmente possam referir-se a questões de personalidade ou temperamento, em primeiro lugar os arcanos da corte representarão pessoas de fato.
O Pajem de Ouros
Todo Pajem é um mensageiro, está ligado à mensagens, evidentemente cada um dentro dos assuntos referentes ao seu naipe. O de ouros está semeando algo, começando um novo trabalho ou plantando a semente de um novo projeto bom. Ele aponta um novo impulso realizador e, além disso, também pode indicar convites de trabalho (ou de alguma forma geradores de renda) que a pessoa vai passar a receber.
O Cavaleiro de Ouros
Todos os cavaleiros falam das mudanças pela própria vontade. Nelise Vieira, inclusive, extremamente experiente no tarô egípcio da Kier, costumava dizer que os pagens tem que mudar pela necessidade, o que significa que a pessoa tem que trabalhar efetivamente, ou começar do zero, aprendendo um novo ofício. Já os cavaleiros não, pois eles já tem um ofício, assim como tem poder e dinheiro. Portanto, o cavaleiro fala de uma mudança que ocorre pela vontade do consulente, e no caso de ouros, naturalmente isso remete a especulações financeiras, bons investimentos, um novo projeto que traz retorno certeiro e assim por diante. O cavaleiro de ouros é o espírito de quem já tem real poder para fazer algo acontecer.
Valete de Ouros  Cavaleiro de Ouros  Rainha de Ouros  Rei de Ouros
Pajem, Cavaleiro, Rainha e Rei de Ouros - Tarô de Waite, desenhado por Pamela C. Smith
A Rainha de Ouros
As rainhas tem as qualidades da preservação e da manutenção e esta, de ouros, fala de estabilidade e segurança material. Evidentemente, ela envolve o desejo e o apreço pela matéria e mesmo pelo luxo, mas, por ser rainha, também tem o lado da benevolência, portanto pode apresentar-se tanto como uma mulher que atinge a segurança material por e para si mesma, quanto como uma mulher que ajuda o marido a faze-lo, ou uma amiga que ajuda o consulente etc.
É importante considerar que hoje em dia as rainhas fazem, ao invés de apenas preservarem o que é feito ou trazido pelos outros. Hoje, as rainhas trabalham e conquistam seus próprios bens, portanto esta, de ouros, fala também de facilidade para fazer dinheiro sozinha.
O Rei de Ouros
Como todo rei, que é um realizador, o rei de ouros é uma carta extremamente positiva, que mostra alguém com enorme capacidade de gerar dinheiro, alguém que aprecia e faz questão do que o dinheiro pode comprar de melhor, mas também é indício de um caminho ou projeto gerador de riqueza e de segurança financeira.
Gostaria de recomendar como bibliografia básica o Curso Completo de Tarô, de Nei Naiff, Editora Nova Era. Veja a resenha do livro.
janeiro.12
Contato com a autora:
Vera Chrystina - www.tarotestudos.blogspot.com
Outros trabalhos seus no Clube do Tarô: Autores
 
  Baralho Cigano
  Tarô Egípcio
  Quatro pilares
  Orientação
  O Momento
  I Ching
Publicidade Google
 
Todos os direitos reservados © 2005-2019 por Constantino K. Riemma  -  São Paulo, Brasil