Home page

19 de novembro de 2017

Responsável: Constantino K. Riemma


Leitura ‘Mabra’ com o Sola Busca
Yeda Braz
Sempre fui fascinada pelas imagens do Tarot, desde que vi as cartas pela primeira vez.
Toda vez que um Tarot pisca para mim e vem morar na minha casa, iniciamos um longo relacionamento, que começa com um pequeno flerte. Eu olho para ele e ele olha para mim. Começa devagar; cada dia uma carta. Às vezes, um olhar mais intenso, outras, mais calmo e muitas vezes, indagador.
Passada essa paquera, começamos a dialogar. Eu me surpreendo quando ele me diz algo sem eu ter perguntado e me enfureço quando ele me nega uma resposta e então, começo a imaginar quais seriam as perguntas que teria que lhe fazer para que ele me desse as respostas que eu precisaria em determinado momento. Até que, como em um de repente, nós nos tornamos mais do que amigos; ficamos íntimos. Então, ele se abre para mim e me dá um jogo, e aquele fica sendo o jogo daquele deck. Foi assim que o Tarot Sola Busca apareceu em minha vida, me escolheu e me deu um jogo.
Cartas do baralho Sola Busca
Cartas do jogo Sola Busca
Considerado o mais antigo e o único deck completo da Renascença, elaborado em 1491, o Sola Busca sempre me fascinou por suas imagens fortíssimas e muito enigmáticas. Eu via aqueles homens imensos e misteriosos e me perguntava se, algum dia, eles conversariam comigo.
Veja mais informações sobre o baralho Sola Busca no texto de Giordano Berti, O Tarô Sola-Busca emana um autêntico mistério: www.clubedotaro.com.br/site/h23_15_Sola_Busca.asp.
Depois de muito estudar para saber com qual energia eu estava lidando, e de ter tido o privilégio de segurar o original em minhas mãos, cheguei ao estudo da Alquimia. Comecei a entender seu conceito, suas etapas, seus processos e o Sola Busca me presenteou com um jogo. Ele veio assim: certinho, “redondinho”. Eu batizei a tiragem de MABRA e um dia explico o porquê desse nome.
Antes de mostrar a tiragem, preciso contar um pouco sobre o que aprendi com meus estudos.
A palavra Alquimia vem do árabe Al-Kimiya e a definição mais popular da mesma, significa o processo de transformar chumbo em ouro. Ela é uma combinação de magia, ciência, astrologia, arte, e religião, entre outros. Hoje em dia, acredita-se que essa ideia seja uma metáfora para a transformação do ser humano através da mudança de consciência.
O trabalho do alquimista começa sempre com a Prima Materia (escura e repulsiva) que é o que ele escolhe como ponto de partida. Ela não é necessariamente uma coisa concreta, mas, trabalhar com ela, revelará o ouro que esconde.
Sete operações alquímicas
Figuração simbólica das sete operações alquímicas
Os três estágios da Alquimia são Nigredo, Albedo e Rubedo e as operações são: Calcinatio, Solutio, Coagulatio, Sublimatio, Mortificatio, Separatio e Coniunctio. Nesse primeiro momento, a tiragem vai até o Sublimatio.
Leitura Mabra
São retiradas nove cartas e dispostas na seguinte sequência:
Carta 1: Prima Materia, é a origem do problema, ponto de partida.
Carta 2: Nigredo, é o seu mundo, a sua realidade, aquilo que você vê e com o que lida concretamente, o chumbo em sua vida.
Carta 3: Albedo, é o social, os  outros, as influências que você recebe do meio que o cerca e como lida com elas.
Carta 4:  Rubedo, é o divino, aquilo que vem do alto ou do mais puro do seu ser, aquilo que você desconhece, que está oculto.
Mabra - tiragem com sete cartas
Carta 5: Alquimia, o chumbo transformado em ouro; onde você deve chegar.
Carta 6: Calcinatio, elemento fogo, o que você precisa “queimar”, transmutar, eliminar.
Carta 7: Solutio, elemento água, o que você necessita “dissolver”, desmanchar.
Carta 8: Coagulatio, elemento terra, o que é preciso firmar, concretizar.
Carta 9: Sublimatio, elemento ar, os sons que precisam ser transformados em ações, “o verbo que se faz carne”.
Após a disposição das cartas como mostra a figura acima, a leitura deve ser feita desse modo: a situação começa na Prima Materia (carta 1), passando pelos estágios (cartas 2, 3 e 4) e pelos processos que o consulente deve enfrentar para “transformar chumbo em ouro”, chegando, dessa forma, à carta 5, Alquimia.
Essa leitura tem sido utilizada por mim com muita frequência e tenho obtido resultados surpreendentes. Espero que ela possa ajudá-lo em questões que precisem ser modificadas, ensinando-lhe o melhor caminho a ser seguido, para que você transforme o chumbo dos seus problemas em soluções banhadas com a luz dourada de novas oportunidades de aprendizado.
Boas leituras!
Yeda Braz é professora de Inglês e de Tarot,
e estudiosa de simbologia.
www.facebook.com/profile.php?id=100014406423199
yedabraz@yahoo.com.br
Outros trabalhos seus no Clube do Tarô: Autores
Edição: CKR – 7/11/2017
  Baralho Cigano
  Tarô Egípcio
  Quatro pilares
  Orientação
  O Momento
  I Ching
Publicidade Google
 
Todos os direitos reservados © 2005-2016 por Constantino K. Riemma  -  São Paulo, Brasil