Home page

17 de dezembro de 2017

Responsável: Constantino K. Riemma


2018: um ano decisivo
Rui Sá Silva Barros
Nos próximos cinco anos Saturno estará em seus domínios, Capricórnio e Aquário, o que significa realismo e aprender a viver com o necessário. As tarefas são enormes, eis algumas das mais importantes: acabar com o desperdício de água e comida, estancar a poluição da terra, água e ar; fabricar roupas, móveis e aparelhos duráveis; intensificar o uso de energia renovável, combater a brutal desigualdade econômica, criar fundos para os efeitos climáticos e geológicos extremos etc. Isto contraria poderosos interesses estabelecidos, mas é preciso fazê-lo, pois do contrário condenaremos nossos filhos e netos a uma agonia lenta e dolorosa.
Júpiter e Netuno fazem trino, Urano ensaia ingresso em Touro, os dois eclipses solares serão parciais e os lunares totais. Nenhum aspecto tenso entre planetas lentos, mas quando olhamos para os mapas de países há muito movimento.
Pindorama
O Brasil será marcado (já é) pelas eleições. Há certo desespero no ar com Lula e Bolsonaro liderando as pesquisas, não há candidato de centro viável (Alckmin terá muito trabalho até chegar lá) e alguns jornalistas se puseram a dar conselhos ao PSDB. Há duas certezas para 2019, a primeira é que o futuro Congresso será semelhante ao atual, o dinheiro está nas mãos dos caciques e é improvável uma renovação substancial. Talvez o número de partidos diminua um pouco, mas o futuro presidente terá que fazer as velhas acrobacias com cargos, verbas e emendas. A segunda certeza é que o presidente e os futuros governadores herdarão orçamentos em petição de miséria e com paralisações de serviços públicos.
Eucação no Ceará
Um Brasil que funciona: educação no Ceará.
Do site www.caririceara.com
A fragmentação também está presente no movimento pela renovação, já são dez grupos, geralmente formados por empresários e arregimentando liberais. É preciso esperar e ver se amadurecem, os liberais têm um péssimo histórico no Brasil, diante das primeiras dificuldades batem nas portas dos quartéis. O conflito cultural deve agudizar e o Congresso vai continuar a propor leis retrógradas e alguma benesse inesperada e estapafúrdia, afinal é ano eleitoral.
A entrada de Saturno na casa 11 trouxe uma profunda anemia para os sindicatos e movimentos populares, mas a reforma trabalhista começa a produzir efeitos e pode provocar reações. Júpiter no MC e Netuno oposto ao Sol do país marcarão as eleições, são indicações contraditórias, o primeiro evento é favorável à sensatez, o segundo não. Temer não terá paz em 2018, Urano começa a oposição a Marte natal, regente do MC. Um golpe militar ainda não está descartado, especialmente se Lula concorrer.
Oriente Médio
Cresce a tensão, especialmente por conta da Arábia Saudita. Na Primavera Árabe, os dirigentes sauditas distribuíram alguns benefícios sociais para acalmar a população, logo depois o preço do petróleo caiu o que provocou aperto no orçamento. Ao mesmo tempo, eles iniciaram uma compra maciça de armas por um suposto desafio do Irã. Salman, o príncipe herdeiro, está convencido que é preciso diversificar a economia e liberalizar os costumes. Iniciou uma intervenção no Iêmen que resultou numa grande miséria e não resolveu o conflito. Mandou prender dezenas de autoridades por corrupção, inclusive parentes, abafando uma conspiração. Fez o premiê libanês renunciar durante uma visita a Riad.
Carro de Guerra em Ur, Suméria
Carro de guerra no Estandarte de Ur, Suméria, 4 mil anos atrás
Do site www.ensinarhistoriajoelza.com.br
Os sauditas estão incomodados com a crescente influência iraniana, que teve um peso na vitória de Assad na Síria e no fortalecimento do Hisbollah no Líbano. O governo de Israel também está preocupado com a influência iraniana e se aproxima dos sauditas. E todos cortejam Putin. As reivindicações dos curdos foram solenemente ignoradas pelos governos dos países envolvidos o que só aumenta a confusão no futuro. Com a dissolução do Estado Islâmico na Síria e Iraque, atentados podem ocorrer no Norte da África (como no Egito recente) e no sul da Europa.
EUA
Saturno fez uma longa oposição ao Marte natal e sobrou violência verbal, climática e física, com enfrentamentos entre polícia e manifestantes, choque de grupos opostos e uma dúzia de pessoas possuídas que mataram dezenas em eventos públicos. Agora começa a oposição à conjunção Vênus/Júpiter em Câncer (veja o mapa dos EUA), o que inclui aspectos econômicos, a reforma tributária de Trump em primeiro lugar, um presente para as grandes empresas e os ricos e um desastre para a maioria da população. Os preços dos imóveis já alcançaram os níveis de 2006, as bolsas acionárias estão infladas e um aumento de juros é esperado apesar do alto endividamento. Depois de um ano parece claro que o governo não fará nenhuma loucura geopolítica, embora as divisões internas continuem em alta, Urano ainda faz quadratura a Plutão natal em boa parte do ano,  o que envenena a retórica.
China
Nos últimos anos os chineses investiram agressivamente fora do país, assustando americanos, europeus e japoneses; agora assumem o gigantesco empreendimento da nova Rota da Seda enquanto asseguraram a centralização política no recente congresso do Partido. Plutão se aproxima de Júpiter natal (veja o mapa da China) que reina sobre a economia do país, o que anuncia uma necessidade de cautela. Saturno ativa a quadratura natal entre Sol e Urano, o que pode intensificar o voluntarismo desta configuração. Júpiter em Escorpião pressiona a conjunção natal de Marte/Plutão na casa 7, o que indica perturbações nas vizinhanças, a Coreia do Norte pode trazer problemas sérios. Inovações tecnológicas podem surpreender pela ativação de Urano natal.
Comboio chines
Comboio partindo da China, passando pela Rússia até a Europa Ocidental
Do www.inroutes.com
Rússia
Ela voltou a ser importante agente geopolítica por conta da intervenção na Síria. Saturno ao ingressar em Capricórnio estimula o Sol natal (veja o mapa da Rússia) que rege o Ascendente. Júpiter em Escorpião estimula a conjunção Vênus/Plutão que está em quadratura ao Ascendente que representa a fronteira oriental do país, neste caso a China. O governo russo reluta em aprofundar as relações com os chineses, pois sabem que ficarão subordinados, mas as configurações descritas acima empurram nesta direção. As manifestações de oposição cresceram neste ano e em 2018 haverá eleições, que serão mais disputadas, mas Putin deve vencer novamente. A Rússia sediará a próxima Copa de futebol, se tudo correr bem reforçará o Leão Ascendente, a segurança terá muito trabalho, o evento é um alvo para o desesperado Estado Islâmico.
União Europeia
Depois do Brexit, da crise dos refugiados e da ascensão dos partidos xenófobos, a União toma fôlego. Plutão continua a atravessar o stellium em Capricórnio, Urano começa a pressionar o MC e Júpiter na casa dos fundamentos (4) pressiona os planetas em Aquário (veja o mapa da União Europeia). Merkel ganhou as eleições, mas não consegue formar uma coalizão para governar, o que não é um problema sério para a Alemanha, é para a União que vê sua liderança paralisada e sente a ameaça do avanço econômico chinês em seu próprio território. O governo catalão foi impulsivo, a sociedade estava dividida e sem nenhum apoio externo em sua luta pela autonomia o que facilitou a intervenção do governo espanhol na crise. A onda de atentados terroristas ainda não acabou.
Argentina
Situação astrológica intrigante, o país tem em sua carta natal uma Lua Cheia perto dos ângulos verticais. Agora Plutão está próximo à Lua (veja o mapa da Argentina) e a situação está relativamente calma. A queda da economia estancou, a inflação foi contida, mas ainda está alta, a população na linha da pobreza cresceu, mas as manifestações de ruas e greves não. Depois do relativo sucesso nas eleições legislativas deste ano, a pauta são as reformas previdenciárias, tributárias, trabalhistas e administrativas, uma agenda pesada. Quando Plutão passou pelo Sol, em 1929, a economia e a política do país saíram do eixo e nunca mais se recuperaram. Atualmente 40% da população estão na província de Buenos Aires, a forte agropecuária está bastante mecanizada e informatizada gerando pouco emprego, a última ditadura militar e o mirabolante Menem destruíram a indústria. O pai do presidente Macri fez fortuna negociando com o Estado e o avô era um mafioso italiano que colaborou com Mussolini. Quem sai aos seus não degenera?
Economia mundial
Há muitos pontos de interrogação sobre a economia mundial. A capacidade de produção industrial instalada é muito maior que a demanda que depende basicamente do nível de renda dos trabalhadores. Há uma imensa soma de capital em forma de dinheiro buscando investimento e uma astronômica soma investida em papéis (ações, títulos de dívida, debêntures e derivativos). Uma crise como a de 2008 deveria terminar com uma cascata de falências, mas a ação dos governos impediu tal desfecho. Há temores de uma nova bolha em formação e outro estouro devastador. Em 2006, Júpiter estava em Escorpião quando a bolha imobiliária americana começou a estourar.
O degelo na Islândia
Recuo do gelo na Islândia
Do site www.trilhaecia.com.br/tag/glaciar
Por muito tempo a astrometeorologia foi um saber cultivado e apreciado, com o desenvolvimento de uma ciência acadêmica sobre o tema, o velho saber foi sendo deixado de lado e hoje poucos astrólogos conhecem o assunto. Vai ficando cada vez mais evidente que os eventos climáticos extremos estão se intensificando de sorte que prestará grande serviço quem retome estes estudos. Sim, será preciso fazer pesquisa porque os velhos aforismos e observações talvez já não se apliquem inteiramente, a industrialização e o crescimento da população mudaram a dinâmica climática profundamente. Isto vale também para os eventos geológicos como terremotos e vulcanismo.
A realidade espiritual
Eis um tema empírico e experimental, aqui os argumentos valem pouco, são dezenas a favor e contra a realidade espiritual, a experiência é decisiva. A maioria das pessoas, de qualquer religião, tem uma experiência através das orações com pedidos e promessas, quando positiva é criado um vínculo mínimo permanente, mas há mais.
Todo ser humano teve pelo menos três momentos especiais na vida. Quando eles acontecem sabemos perfeitamente que se trata de algo raro, fora dos padrões habituais. Estas experiências podem ter fontes muito diversas, através da natureza, da arte, de uma equação matemática, no encontro com alguém notável, na certeza que vem sem nenhum raciocínio prévio (corriqueiramente intuição), consciência extracorpórea e dezenas de outras situações. Para a maioria de nós estas experiências permanecem na memória, mas perdem força com o tempo e voltamos à mecanicidade dos hábitos, o que é um tipo de hipnose.
Mas é possível conservar e alimentar tais eventos de maneira que se cristalizem. Quando isto ocorre há uma grande mudança na percepção, descobrimos que tudo se move e se transforma a nossa volta, mas algo permanece para sempre. Tal percepção é fundamental para não cairmos em ansiedade e angústia no atual ciclo destrutivo.
Natal
Do site www.letras.mus.br
Estamos numa época do ano em que é fácil nos recordarmos da presença divina no mundo.
Aproveitemos, boas festas a todos, paz aos de boa vontade e mãos à obra.
Rui Sá Silva Barros é historiador, astrólogo e
estudioso da Cabala: rui.ssbarros@uol.com.br
Outros trabalhos seus no Clube do Tarô: Autores
Edição: CKR – 4/12/2017
  Baralho Cigano
  Tarô Egípcio
  Quatro pilares
  Orientação
  O Momento
  I Ching
Publicidade Google
 
Todos os direitos reservados © 2005-2016 por Constantino K. Riemma  -  São Paulo, Brasil