Home page

18 de novembro de 2019

Responsável: Constantino K. Riemma


O jogo de cartas: Pôquer
Arthur Fleury van der Molen
 
O Campeonato Mundial de Pôquer, principal torneio da modalidade, distribuiu em 2010 em premiações US$ 69 milhões entre os mais bem colocados dos 7.319 jogadores que desembolsaram US$ 10 mil para participar do evento.  O torneio reúne os melhores jogadores e os maiores amantes do pôquer do mundo, muitos dos quais se dedicam integralmente ao jogo: os jogadores profissionais.
O campeonato é televisionado para países em todos os continentes e capta as atenções dos aficionados do jogo nesse período. O primeiro colocado do torneio embolsou nada menos que US$ 8,9 milhões.
A magnitude dos números revela o destaque que o pôquer assumiu: trata-se do jogo de cartas mais jogado no planeta. É também o mais explorado mercadologicamente, claro, movimentando cifras bilionárias entre casinos, sites de pôquer online, redes de televisão e jogadores. A grande massa que se diverte com as cartas se compõe de apreciadores do jogo, que praticam com alguma regularidade entre amigos ou pela internet nos sites especializados, espécies de casinos online. Os jogadores profissionais e os excessivamente fissurados são minoria neste universo.
Mas o que intriga verdadeiramente é o que atrai tantos a esta modalidade. Pensemos. Muitos certamente são atraídos pela possibilidade de realizar ganhos por meio de apostas. Aqueles propensos ao risco sempre acreditam que são capazes de superar a banca. Isso somente não explica, todavia, o motivo de se escolher o pôquer em detrimento a qualquer outro jogo de aposta.
O jogo do poker a dinheiro
O jogo do pôquer e o seu fascínio particular
Bem, o elemento distintivo do pôquer é a característica de não se jogar contra a “casa”, isto é, não se jogar contra a banca ou o casino. Os adversários são os pares, os demais jogadores sentados à mesa. E isso faz toda a diferença. Quando se aposta contra o casino, a vantagem fica estatisticamente do lado deste e, a não ser por uma maré de sorte, o jogador está fadado a perder. No pôquer, uma vez que se sabe que a chance de vitória de um jogador está associada à chance de derrota do(s) outro(s) jogador(es), cada participante pode estabelecer vantagem em relação aos demais por meio de sua habilidade no jogo.
Por habilidade no jogo entende-se a capacidade objetiva de utilizar apropriadamente a probabilidade das cartas e a capacidade subjetiva, e mais interessante, de analisar e identificar o padrão de jogo dos adversários, de modo a beneficiar-se na mesa. Assim, um jogador habilidoso seria capaz de estabelecer uma vantagem em relação aos seus oponentes, tal qual o fazem os casinos em suas Roletas.
Há ainda o elemento da diversão. O jogo desperta nos participantes diversas emoções: ansiedade, medo, alegria, euforia, decepção, entre outras. Os sentimentos freqüentemente se misturam ou sobrepõem uns aos outros rapidamente como reflexo de um jogo dinâmico de possibilidades indeterminadas. O clima de constante suspense e dúvida combinado com aposta de dinheiro gera fluxos de adrenalina em seus participantes, contribuindo para o estado de tensão do jogo e potencializando os sentidos. Embora tais características não agradem a todos, agradam a muitos. 
A reunião de todos os elementos dá o formato ao jogo de pôquer. A graça do pôquer, assim como da vida, está em aproveitar o jogo independente dos resultados. A diversão consiste no jogo e não em seus lucros. São estes os principais ingredientes do jogo de pôquer: cartas, apostas, análises e fortes emoções.
julho.11
Contato com o autor:
Arthur Fleury van der Molen - aula@aulaa.com.br
 
  Baralho Cigano
  Tarô Egípcio
  Quatro pilares
  Orientação
  O Momento
  I Ching
Publicidade Google
 
Todos os direitos reservados © 2005-2019 por Constantino K. Riemma  -  São Paulo, Brasil