Home page

17 de outubro de 2019

Responsável: Constantino K. Riemma


Missão e arcanos para os doze signos
Harah Nahuz
“Então é natal e o que você fez?
O ano termina e nasce outra vez ...”
Nesta época do ano, a música da Simone – versão de Happy Christmas, John Lennon – reina como trilha sonora à nossa revelia.
Anjos
Questões musicais à parte, a letra da música reflete bem a egrégora de avaliação e de busca por um sentido maior que nos acomete e nos faz prometer deixar no ano que se vai toda a postura que não nos é mais construtiva e no novo ano literalmente renascer.
Aproveitando esse clima de meditação coletiva proponho a releitura de um texto que fala da missão dos doze signos, de Martin Schulman. Baseado na essência de cada um deles abri uma combinação de arcanos indicando caminhos para seu aprimoramento em 2017.
Para os Arianos: O Imperador e Rainha de Copas
 
“Era manhã quando Deus parou diante de suas 12 crianças e em cada uma delas plantou a semente da vida Humana. Uma por uma, elas se dirigiram a Ele para receber seu dom e conhecer a sua missão”.
“A ti, Áries, dou a missão de plantar a Minha primeira semente. Para cada semente que plantares, outras milhares de sementes se multiplicarão. Entretanto, não terás tempo de vê-las crescer, pois tua vida é ação e a ti compete tornar os homens cientes de Minha Criação. Por isso, serás o primeiro a penetrar no solo da mente humana com Minha Ideia. E para que faças um bom trabalho, dou-te a provação do orgulho para dominares e, como bênção, concedo-te o dom da iniciativa.”
 
Nada mais emblemático do que o arcano do Imperador expressando o caminho evolutivo dos arianos em 2017. Aqui temos toda a marcialidade inerente ao poder de fogo deste signo, o que inicialmente nos faz pensar que os arianos estariam em casa. Porém o desafio vem no espelhamento do arcano onde se reflete a Rainha de Copas.
Imperador e Rainha de Ouros
O Imperador e a Rainha de Copas no Rider-Waite Tarot
Assim que bati os olhos nesta combinação me veio à mente a questão do empoderamento feminino e dessa nova mulher que busca sua ancestralidade sagrada para voltar a ser ela mesma. Essa Rainha de Copas a meu ver simboliza as águas mais antigas das quais originamos e esse mergulho contemporâneo do qual emergimos empoderadas. Esse re-batismo impacta o homem que também está em busca de seu sagrado e de sintonizar-se com seu anima.
Entretanto a força de realização do Imperador não deve ser ignorada, entendo que a profundidade mágica da Rainha de Copas aqui não nos traz apenas a evolução de alma e refinamento espiritual, mas sim nos propicia materialmente o progresso. Mergulhar no abissal aquático e vir à tona com as mãos cheias de tesouros.
Fico aqui pensando que segurar a respiração debaixo da água é um ótimo exercício para dominar o próprio ego... Ele é o primeiro que cede lugar ao instinto de sobrevivência e nessa jornada a fonte da vida não há espaço para o ORGULHO um atributo tão terreno que literalmente se dissolve em contato com o manancial para onde a Rainha de Copas guia esse Imperador.
Sua INICIATIVA é doce: é o canto da sereia, o sussurrar da mãe que desperta o filho.
Para os Taurinos: A Força e Valete de Copas
 
“A ti, Touro, concedo o poder de transformar a semente em substância. Trabalharás com afinco e paciência para que as sementes não se percam ao vento. Não questionarás ou mudarás de idéia até que termines tudo que já foi iniciado, pois a ti compete o processo de concretização da Minha Idéia. E para que realizes um bom trabalho, dou-te a provação do apego para dominares e, como bênção, concedo-te o dom da força”.
 
Já dizia a canção:“Vida de gado: povo marcado, povo feliz”. Me veio à mente essa analogia para ilustrar o antigo conceito de que o boi não conhece a força que tem.
Força e Valete de Copas
A Força e o Valete de Copas
Pergunto-me se o próprio leão retratado no arcano tem essa consciência afinal a primeira vista o desenho expressa uma natureza domesticada tal qual “vocês que fazem parte desta massa”.
Entretanto me permito uma licença poética: a figura feminina não está “domando a fera” para exercer supremacia, ela está através da imposição de mãos alinhando o animal com sua essência. Reiki, Jhorei, Passe Energético, Saravá ou qualquer outro nome que se dê a prática espiritual de emanar através das mãos energia astral para abençoar e curar.
Despertando a natureza única e corajosa, o ímpeto, a excitação de uma vida fora da zona de conforto. Somente cm a cura do APEGO é que os taurinos se desprenderão do previsível e seguro e se aventurando numa vida de superação extraordinária.
O Valete de Copas espelhando o arcano nos conduz de volta a adolescência idealista e de coração aberto, a mente povoada de sonhos. Onde podemos tudo pois somos o todo e nada tememos.
A cura, o resgate da individualidade e esse desprendimento corajoso são o caminho evolutivo para que os taurinos reafirmem sua real FORÇA.
Para os Geminianos: O Mago e Quatro de Paus
 
“A ti, Gêmeos, atribuo a tarefa de comunicar ao mundo Minha Ideia”. Por isso te dou perguntas sem respostas. Em tua busca pelo conhecimento, inquietarás os que estão ao teu redor, para que compreendam o que vêem e o que ouvem. Tu serás um, mas pensarás e falarás por dois. E para que faças um bom trabalho, dou-te a provação da superficialidade para dominares e, como bênção, concedo-te o dom da inteligência.
 
O Mago diante dos quatro elementos espelhado pelo Quatro de Paus.É como se os pentáculos, a taça, o bastão e a espada ganhassem vida tal qual nos filme em que sob um encantamento meros objetos tornam-se repletos de vida e atitudes que favorecem a saga do protagonista.
Mago e Quatro de Paus
O Mago e o Quatro de Paus
Geminianos assim como o Mago são dotados de magnetismo, boas falas vindas de sua INTELIGÊNCIA. Porém na contramão do mago que direciona seus talentos e energia, o geminiano padece de dispersão.
Observe que ao somar esses dois arcanos revelamos um terceiro arcano que servirá aqui de sinalizador: V O Papa que nos remete a profunda erudição tanto nos assuntos materiais quanto espirituais.
Geminianos neste ano de 2017 devem direcionar seus estudos onde possam conviver com pessoas que os alimentem e os inspirem a buscar o aprofundamento metódico de uma especialização que os coloque em destaque em suas respectivas áreas.
Buscar a excelência é caminho certo para vencer a SUPERFICIALIDADE. Manter a leveza desse Mago que apesar de iniciante sabe se colocar como iniciado e a alegria do Quatro de Paus que exalta o talento natural e vocação do geminiano levar a festa para as pessoas.
E como diz a canção de Rita Lee:“A inocência não dura a vida inteira. Brincando de ser sério e levando a sério a brincadeira”.
Para os Cancerianos: O Diabo e Cinco de Ouros
 
“A ti, Câncer, dou a missão de implantar no coração do homem a emoção. Minha Idéia se fará sentir por meio de risos e lágrimas, para que todo o conhecimento adquirido atinja plenitude interior. Tu multiplicarás os sentimentos com teu instinto de preservação, de modo que os homens se reúnam em famílias. Para que realizes um bom trabalho, dou-te a provação da fragilidade para dominares e, como bênção, concedo-te o dom da fertilidade”.
 
A sensibilidade canceriana aqui desafiada pelas armadilhas que o sagaz manipulador pratica. Ele arquitetaria as palavras realizando a sedução emocional e espiritual sobrepujando este signo. Estaria o canceriano preparado para este encontro onde a sua FRAGILIDADE será não somente testada, mas usada contra ele?
Diabo e Cinco de Ouros
O Diabo e o Cinco de Ouros
O espelho mostra o Cinco de Ouros que pode ser visto como resultado ou motivação. Motivação: o canceriano vivenciando um momento de escassez de recursos se deixa seduzir pela opulência e fácil satisfação material que o diabo oferta.
Resultado: ele se desvirtuou e como conseqüência se vê destituído até do pouco que anteriormente possuía. Entretanto aqui me permito encarar esse Cinco de Ouros simplesmente como o ambiente atual e situação política/ econômica do país, que a cada qual vem impactando de alguma forma. Não reafirmo a escassez do Cinco de Ouros, mas exalto os seus personagens que se aventuram em busca de um lugar melhor.
Vamos em frente buscar abrigo e pão. E nessa caminhada é necessário se apoderar da malícia, senso de oportunidade (jamais oportunismo) e ambição refletidas no sagaz arcano anterior.
2017 pede que os cancerianos adaptem a sua sensibilidade ao plano material e que em meio às adversidades encontrem o abrigo que transformarão em lar através de sua FERTILIDADE reestabeleçam uma vida próspera conhecendo as sementes que florescem mesmo no inverno.
Para os Leoninos: O Julgamento e Rei de Ouros
 
“A ti, Leão, atribuo a tarefa de mostrar ao mundo o esplendor de Minha Criação. Tu iluminarás os corações humanos com Minha Luz, acendendo em cada um o entusiasmo de assumir a própria existência. Mas peço-te que não confundas as coisas e lembra-te que é Minha a Idéia, e não tua. Para que faças um bom trabalho, dou-te a provação da vaidade para dominares e, como bênção, concedo-te o dom da honra”.
 
Quando uma bailarina de Dança do Ventre faz uma apresentação com música clássica árabe existe toda uma rotina a ser realizada. Existe a hora certa de ela entrar no palco, é feita toda uma evolução da banda inicialmente e a bailarina fica fora de cena geralmente na coxia.
Julgamento e Rei de Ouros
O Julgamento e o Rei de Ouros
Aos que apreciam desavisados o show é comum o burburinho “ué cadê a dança?” já que a música toca e a cena está vazia. E assim permanecerá até que aconteça na rotina musical um trecho especifico que nominamos “chamada da bailarina” e aí sim é o momento! Showtime!
Vivemos numa época em que o tempo urge e que tudo é veloz... não se espera nem um segundo para nada. E diante dessa aceleração quantas vezes se entra na hora imprópria atravessando a música e comprometendo a própria performance?
A VAIDADE não admite instrução e é inimiga da inteligência desconhecendo a realidade, atributos que o Rei de Ouros com sua generosidade nos convida a aprender: a minha prosperidade não pode ser sua escassez e vice e versa e no show todos dentro de seu papel devem brilhar.
Leoninos neste 2017 terão excelentes oportunidades devido ao seu próprio merecimento. Entretanto será preciso compreender o tempo certo e a maneira enigmática que a vida literalmente nos orquestra, trazendo as pessoas e oportunidades tão esperadas para que o leonino reafirme e lapide a sua HONRA.
Para os Virginianos: O Louco e Rei de Espadas
 
“A ti, Virgem, dou a missão de examinar em detalhes o que os homens têm feito com Minha Criação. Tu analisarás seus passos e revelarás seus erros para que, por intermédio de ti, Minha Idéia mantenha-se pura e possa ser aperfeiçoada. Para realizares um bom trabalho, dou-te a provação do ceticismo para dominares e, como bênção, concedo-te o dom do discernimento”.
 
O virginiano encontra seu reflexo perfeito neste Rei de Espadas cuja organização e precisão mental sistematicamente elaboram estratégias. Teríamos, portanto a energia virginiana exacerbada não fosse o protagonista que descontraidamente abre essa tiragem.
Louco e Rei de Espadas
O Louco e o Rei de Espadas
O Louco vem não só para desafiar o Rei de Espadas ou os virginianos, ele desafia a todos nós. E analisando a alquimia simbólica entre os dois me vêem a menta aquela clássica cena em que o interno do hospital psiquiátrico afirma ser Napoleão. Ou as histórias de pessoas dotadas de uma próspera vida intelectual e material que por algum insondável motivo se tornam andarilhas.
Somente a criatividade e circularidade do destino para colocar a prova qualquer CETICISMO. Nas palavras de Fernando Pessoa: “navegar é preciso, viver não é preciso”.
Os virginianos têm como caminho evolutivo em 2017 se desprender das certezas consolidadas e precisão cirúrgica para dar espaço ao instintivo que os acadêmicos rejeitam por não haver teses comprovadas a respeito. O ar convidando a terra para dançar. Literalmente virginianos levantando poeira. O Louco afirmando ser Napoleão ou Napoleão se fazendo de louco?
Um detalhe que faz a diferença nessa alternância é o DISCERNIMENTO virginiano em manejar suas polaridades.
E o poeta ainda nos diz:
 
“Quero para mim o espírito desta frase, transformada 
A forma para casar com o que eu sou: Viver não 
É necessário; o que é necessário é criar. 
Não conto gozar a minha vida; nem em gozá-la penso. 
Só quero torná-la grande, ainda que para isso 
Tenha de ser o meu corpo e a minha alma a lenha desse fogo”.
 
Para os Librianos: Os Enamorados e Quatro de Ouros
 
“A ti, Libra, dou a missão de unir os homens em torno da Minha Ideia Tu despertarás o desejo da cooperação, por meio da capacidade de se colocar no lugar do outro e então sentir o que o outro sente. Estarás onde houver desavença, para que possas mostrar o valor do acordo e da justiça. E para que faças um bom trabalho, dou-te a provação da indolência para dominares e, como bênção, concedo-te o dom da paz”.
 
Enamorar-se é um verbo que facilmente o libriano conjuga em todos os tempos verbais. E esse transitar de peito aberto entre presente, pretérito e futuro do pretérito (amor) perfeito é o exercício da INDOLÊNCIA.
Enamorador e Quatro de Ouros
Os Enamorados e o Quatro de Ouro
Enamorar-se da capacidade de amar e da experiência inerente a ela propicia a sensação de deslumbramento em si. Inspiração para a alma artística. Entretanto o ciclo não se cumpre caso não haja a expiração.
Ao inspirar captamos aquele ar que nos oxigena internamente permitindo o metabolismo orgânico acontecer e ao expirar devolvemos ao universo um pouco de nós. Reza a lenda que o Criador nos animou através de seu sopro divino que nada mais é que a expiração.
Para que em 2017 o libriano não fique na metade do processo o Quatro de Ouros sinaliza a necessidade de trabalho. É um arcano anti-glamour essencialmente sistemático e rotineiro que abraça o que é palpável e tangível, mas ao lado dos Enamorados ele ganha um toque anti-monotonia como na canção que Cazuza evoca “a sorte de um amor tranquilo”.
Enamorar-se de alguém, de um projeto, de um trabalho ou estudo e aplicar a máxima do 1% inspiração e 99% transpiração, ou seja, metodicamente construir e alcançar a PAZ nos pequenos tesouros que abraçamos não pela riqueza, mas sim por seu valor.
Para os Escorpianos: O Carro e Cinco de Paus
 
“A ti, Escorpião, peço que não te afastes de mim quando doer em teu coração as maldades que presenciares. Terás a capacidade de penetrar na mente dos homens e, conhecendo-a, perceberás que não sou Eu, mas a perversão da Minha Ideia que está causando tua dor. Chegarás a conhecer o homem em seu instinto animal e lutarás contra o próprio dentro de ti. Para que faças um bom trabalho, dou-te a provação do extremismo para dominares e, como bênção, concedo-te o dom do renascimento”.
 
Em se tratando de uma previsão no aspecto divinatório eu alertaria aos escorpianos sobre brigas no trânsito, pois esta combinação do Carro com Cinco de Paus me traz a inconsequência adolescente daquelas competições denominadas “rachas”.
Carro e Cinco de Paus
O Carro e o Cinco de Paus
Sob esta analogia inicial proponho uma outra questão: o escorpiano tão contido explodiria assim tão abertamente numa briga? Aquele que em superficiais definições é considerado frio se envolveria em tal “barraco”? E o que dizer de sua competitividade que se expressa na sutileza dos bastidores e influências?
Pode parecer contraditório e na verdade o É.E aí que reside o desafio evolutivo dos escorpianos em 2017. Não basta ter o Carro, é preciso saber dirigir e a direção pede conexão com o caminho seja transeuntes ou outros veículos. E o Cinco de Paus convida o silencioso escorpiano a se manifestar, a expressar seu pensamento e ambição, a competir de maneira agressiva e urgente. Tal desabafo impede que ele acumule todo aquele conteúdo que muitas vezes o leva a agir com EXTREMISMO.
Na soma dos arcanos temos o XII O Enforcado sinalizando que o escorpiano se sentirá deslocado e desconfortável diante dessa proposta. Essa sensação faz parte do RENASCIMENTO e nascer é uma experiência um tanto quanto dolorosa embora libertadora.
Para os Sagitarianos: A Estrela e Dois de Copas
 
“A ti, Sagitário, atribuo a missão de ensinar o riso e esperança, para que no meio das incompreensões da Minha Criação o homem não se torne amargo. Através da esperança, implantarás no coração humano a fé e através da fé voltarás teus olhos para Mim. Expandirás assim Minha Ideia por todos os cantos e os mais longínquos lugares. E para que realizes um bom trabalho, dou-te a provação da intolerância para dominares e, como bênção, concedo-te o dom da generosidade”.
 
Há quem diga que não se deve olhar nos olhos de um animal diretamente, pois o seu instinto reconhece como desafio e ele pode avançar naquele que simplesmente o contempla. Dois de Copas convida Sagitário, o Centauro a olhar nos olhos e compreender que nos olhos uma vida inteira acontece... e embora num primeiro momento a sensação seja de estagnação por ficar “apenas” olhando, chegará o momento de perceber o suave movimento interno das pausas e a eloquência do silêncio.
Estrela e Dois de Copas
A Estrela e o Dois de Copas
Quanto mais olhamos mais se desvenda: o que nos agrada, o que nos surpreende, o que nos exalta e o que nos frustra. E ao se demorar nesta vivência, o Sagitariano terá de sobrepujar a INTOLERÂNCIA para não desviar o olhar. E aí sim poderá brindar.
“Brindo a casa, brindo a vida... meus amores, minha família.” como naquela música do Rappa, os sagitarianos brindarão esses e todos outros atributos do naipe de copas que pauta a evolução dos sagitarianos em 2017. A Estrela que vem depois da ilusão da Torre devolve a fé, conectando também o olhar a algo maior e preenchendo a alma com a grandeza do Cosmos.
Somente quando estamos plenos é que podemos reluzir e devolver ao universo a sua GENEROSIDADE.
Para os Capricornianos: O Eremita e Nove de Paus
 
“A ti, Capricórnio, dou a tarefa de mostrar com o suor de teu rosto o valor do trabalho. Fincarás com disciplina os alicerces de Minha Criação, para que nada destrua suas bases. E tua alegria pelo dever cumprido ensinará que a responsabilidade não é um fardo e sim uma condição natural. E para que faças um bom trabalho, dou-te a provação da culpa para dominares e, como bênção, concedo-te o dom da autoridade”.
 
O Eremita no alto da montanha não é desafio aos capricornianos no sentido de ambientação. Tal qual a cabra que os simboliza, os nascidos neste signo são dotados de resistência e persistência para chegar ao cume da montanha.
Eremita e Nove de Paus
O Eremita e o Nove de Paus
A grande questão é: qual a motivação para tal feito... dominar a montanha ou dominar a si mesmo? Nesta sequência temos repetidamente o 9: O arcano 9 O Eremita e o Nove de Paus, resultando num convite ao silêncio e introspecção, o momento de contemplar a jornada que te trouxe até aqui e se preparar para a finalização de um ciclo.
Nem sempre os ciclos se fecham da maneira que gostaríamos e o capricorniano deverá superar a CULPA que muitas vezes se impõe ao cobrar-se excelência, o que perfeitamente ilustra a figura um tanto quanto combalida do Nove de Paus, que mesmo ferido continua de pé e em guarda sugerindo que lutará até a morte.
Somente a sabedoria do Eremita pra discernir os capricornianos onde reside a HONRA: buscar um sentido maior para uma nova vida, ou preservar as antigas lutas mesmo que isso signifique a vigília eterna sob o que já se foi.
Para os Aquarianos: A Lua e Oito de Ouros
 
“A ti, Aquário, dou a missão de abrir os olhos dos homens para novas possibilidades. Por isso terás o conceito do futuro e do amor fraternal. Sentirás a solidão dos que vivem à frente do seu tempo, pois não lhe permito personalizar Meu Amor. Viverás livre para que possas servir à humanidade renovando a Minha Criação. Para que faças um bom trabalho, dou-te a provação da rebeldia para dominares e, como bênção, concedo-te o dom do progresso”.
 
Normalmente se pensa em aquário como um substantivo: o local onde se criam os peixes. Entretanto aquário também é um adjetivo daqueles que vivem na água, embora nesse caso o termo mais freqüente seja aquáticos.
Lua e Oito de Ouros
A Lua e o Oito de Ouros
A meu ver os aquarianos não se limitam e nem se definem pelo recipiente que os abriga tal qual o lagostim que emerge das águas no arcano da Lua. Ambos aquáticos transbordando o aquário.
A REBELDIA incita a sair do lugar comum. Desafio que pode levar a feitos extraordinários desde que ao sair do lugar comum o aquariano não se esqueça do seu verdadeiro lugar.
A terra propõe parceria aos aquarianos e lhe empresta forma enquanto se beneficia de suas águas que lhe darão uma nova textura maleável. Tal fusão facilitaria muito o trabalho do artesão que lapida os pentáculos no Oito de Ouros. Toda a desenvoltura mental e espiritual dos aquarianos será questionada por novos trabalhos, onde será necessário a humildade de se colocar como aprendiz mesmo que a alma grite que sabe tudo.
A revolução que este signo ambiciona não virá em 2017 em grandes feitos, mas sim no fazer diário das pequenas coisas repetida e pacientemente. Renato Russo aqui diria: “disciplina é liberdade”.
O PROGRESSO é uma construção.
Para os Piscianos: A Justiça e Seis de Espadas
 
“A ti, Peixes, dou a missão de incorporar todas as tristezas do homem e voltá-las para Mim. Com compaixão, tu mostrarás que as lágrimas são efeito da incompreensão do homem sobre a Minha Ideia. Tua devoção constitui a mais difícil das missões, mas terás a maior das dádivas. Tu serás a única das Minhas doze crianças a me compreender. Para que realizes um bom trabalho, dou-te a provação da ilusão para dominares e, como bênção, concedo-te o dom da fé”.
 
A Justiça fala de fatos e contra fatos não há argumentos. Seja no plano material, emocional ou espiritual esse arcano pede consciência e responsabilidade sem os atenuantes da parcialidade com que narramos e defendemos nossa própria versão.
Justiça e Seis de Espadas
A Justiça e o Seis de Espadas no Rider-Waite Tarot
A Justiça desafia os piscianos neste 2017 despir-se dos véus da ILUSÃO e evaporar a cortina de fumaça que por vezes embaça o espelho no qual reflete sua realidade. “Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará” João 8, 32.
Como no Seis de Espadas que nos mostra uma travessia, o pisciano em 2017 será convidado a se mover sob as água no intuito de fazer o que realmente tem de ser feito. Ajustar as contas com as leis do homem e do espírito e até mesmo suas próprias leis internas que de alguma forma paralisam sua viagem.
E quanto mais se aproximar da outra margem compreenderá o sentido da FÉ além de uma ideia abstrata, um comprometimento com a EVOLUÇÃO.
- - - - -
Então, Deus disse:
“Cada um de vocês é perfeito, mas vocês não saberão disso antes de cumprir sua missão.”.
Harah Nahuz (Carla Daniela Balenzuella Nunes) é taróloga,
psicoterapeuta holística, professora de dança do ventre:
www.diariodacartomante.blogspot.com.br
Outros trabalhos seus no Clube do Tarô: Autores
Edição: CKR – dez.2016
  Baralho Cigano
  Tarô Egípcio
  Quatro pilares
  Orientação
  O Momento
  I Ching
Publicidade Google
 
Todos os direitos reservados © 2005-2019 por Constantino K. Riemma  -  São Paulo, Brasil