Home page

29 de maio de 2017

Responsável: Constantino K. Riemma


O Monge Mercúrio e o Imperador Executivo:
Perspectivas para 2011
Emanuel J Santos
 
Olá pessoal. O Ano de 2011 terá como regentes o Arcano IV – O Imperador e o planeta Mercúrio. Não resisti ao trocadilho, e até demorei a entregar meu texto devido a isso; tive que reler o livro de James C. Hunter.
Mercúrio, o planeta mais próximo do Sol, célere no Céu e catalisador de eventos terrestres irá se unir ao Arcano da solidez, forma e organização. Essa combinação nos remete diretamente ao Olimpo, onde Zeus (um dos arquétipos relacionados com o Arcano IV, como é representado no Tarô Mitológico) se utilizava do Mensageiro Hermes (correlacionado pelos romanos com Mercúrio) para enviar suas mensagens aos Céus, à Terra e aos Infernos.
L'Imperatore
Adriana Carvalho Braga
www.artevoadeira.blogspot.com
 
Hermes, duplo em sua natureza e três vezes sábio, assim como é o Deus dos Trapaceiros, Ladrões, Mensageiros, Comerciantes e de todos que tem que utilizar a eloqüência para persuadir alguém, é o Psicopompe, o Acompanhante das Almas, aquele que guia as Almas na Passagem. Nessa forma, ele é austero e direcionado, não permitindo joguetes ou brincadeiras; em seu centramento, não permite que haja mentira no posicionamento da Alma. Crowley o dispõe em três cartas do seu Tarot Thoth: n’O Mago (aspectos correspondentes em especial ao Mercúrio do Ar, Gêmeos), n’O Eremita (aspectos correspondentes ao Mercúrio de Terra, Virgem) e n’Os Amantes (cuja regência é Gêmeos), como o Monge Velado, envolto em Ágape, que celebra o Casamento Alquímico do Imperador Mouro e da Imperatriz Ariana.
Por sua vez, o Imperador, figura máxima no aspecto temporal, é o Pai, o aspecto Yang do Eros, do amor físico. Sua palavra-chave é Poder. Consorte da Imperatriz, senhor de toda a Terra; falta-lhe a espiritualidade evanescente de outros Arcanos, pois, para ele, o que é visto como espiritual é natural e prático. Ele debulhará um rosário de lágrimas, nem não fará poesias quando nascer uma criança, mas será um exemplo de conduta para a mesma. O Imperador é naturalmente um líder.
Representa comedimento, autoridade, influência ativa, dinamismo, proficiência; não se atém a limites, salvo os propostos por ele mesmo. É naturalmente um competidor e não está acostumado a perder. É um defensor feroz de seus domínios e fronteiras, o que é ambivalente – pode tanto ampliar seus domínios com sabedoria quanto ficar tolhido em seus próprios limites, tanto físicos quanto psíquicos: dogmatismo, tradicionalismo, rigidez de pensamento, que se convertem em inércia pelo aparente conforto de sua posição.
Representa comedimento, autoridade, influência ativa, dinamismo, proficiência; não se atém a limites, salvo os propostos por ele mesmo. É naturalmente um competidor e não está acostumado a perder. É um defensor feroz de seus domínios e fronteiras, o que é ambivalente – pode tanto ampliar seus domínios com sabedoria quanto ficar tolhido em seus próprios limites, tanto físicos quanto psíquicos: dogmatismo, tradicionalismo, rigidez de pensamento, que se convertem em inércia pelo aparente conforto de sua posição.
Essa combinação remete a alguns pontos bastante complexos. O primeiro é o aumento das religiões de massa centradas em um líder carismático (influente; não confundir com os RCC). Por um lado, isso se mostra uma possibilidade bastante interessante de encontro da espiritualidade pessoal, para tantas pessoas ainda sem caminho; um bom líder os levará a mutirões de auxílio e à obtenção dos direitos referentes às minorias. Esse poderá ser um ano bastante interessante para os membros do MST e movimentos afins. Contudo, a ambivalência desse fator leva a intolerância com o Outro e com tudo o que fuja à Tradição, ao estabelecido. Dado os mais recentes crimes contra os GLBT, isso é um bocado preocupante – causar-lhes dano tem soado como “missão” para alguns homofóbicos, como forma de manter a moral e os bons costumes. Num aspecto mundial, atenção a conflitos e guerrilhas civis. Muitas pessoas querendo provar que estão certas, do lado da Verdade, com “V” maiúsculo. Outro aspecto sexual perverso que deve ser motivo de cautela – sobretudo dos pais – é a pedofilia. Atenção ao relacionamento dos filhos com outrem.
A política deverá ser alvo do olhar crítico da população, pois esse ano está muito propício a contratos fora do protocolo, os “contratos de corredor”. Um mau aspecto entre Mercúrio e o Imperador geraria uma leva de snaketongues – “conselheiros” que visam seus próprios interesses. Com um pouco de empatia da massa popular, geraria transtornos irreparáveis. Contudo, quem deve prestar mais atenção é nossa atual presidente, na escolha dos seus cargos de confiança, pois ela poderá ter surpresas bem desagradáveis no seu governo, vinda de setores em que ela, por confiança, não deu a devida atenção. Poderá ter sérios dilemas com o Senado. Além disso, a presidente deverá se acautelar quanto a sua imagem, pois a perseguição política das eleições não terminou com o fim das votações. Seria bom que ela mantivesse em mente a frase célebre de Margareth Tatcher: Estar no poder é como ser uma dama. Se tiver que lembrar às pessoas que você é, você não é.
A partir do Equinócio de Outono (no Hemisfério Sul), com a efetiva entrada do ano de Mercúrio, teremos acesso a um período de maior lucidez dos mais recentes acontecimentos vividos nesse ciclo, desde 2004. As relações exteriores estarão em evidência, sobretudo aquelas ligadas às grandes instituições – atenção especial à ONU, a UNESCO, ao governo Obama e ao Vaticano.
Contudo, voltando ao livro que motiva o título desse texto, busquei algumas palavras que sejam incentivadoras do nosso comportamento, num ano em que nossos projetos têm tudo para sair do papel: os aspectos da liderança que James C. Hunter postula serem os efetivamente necessários a um bom líder são: Honestidade, ser um bom modelo, ser cuidadoso, comprometido, bom ouvinte, mantenedor das pessoas em suas responsabilidades, respeitador, incentivador, entusiasta e afetivamente envolvido com seus semelhantes. Acho que essas habilidades podem ser desenvolvidas em qualquer universo, do pessoal ao global. Mas requer uma boa dose de sacrifício. Sacrifício de ouvir, de entender o ponto de vista do outro, sem debate e sem perdermos nosso posicionamento, a menos que, por uma reflexão sincera, nos percebamos fora do melhor Caminho.
Não proponho esse texto como previsões, mas como reflexões para 2011. Afinal de contas, diante de tais pressupostos acima relacionados, desejo verdadeiramente que os leitores tomem as rédeas de suas vidas e façam acontecer seus sonhos. Conforme o Tarô Zen, de Osho, onde o Imperador é o Rebelde: “O Rebelde nos desafia a ser suficientemente corajosos para assumir responsabilidade por ser quem somos, e para viver a nossa verdade”.
dezembro.10
Contato com o autor:
Emanuel J. Santos - http://conversascartomanticas.blogspot.com
Outros trabalhos seus no Clube do Tarô: Autores
 
  Baralho Cigano
  Tarô Egípcio
  Quatro pilares
  Orientação
  O Momento
  I Ching
Publicidade Google
 
Todos os direitos reservados © 2005-2016 por Constantino K. Riemma  -  São Paulo, Brasil