Home page

15 de dezembro de 2018

Responsável: Constantino K. Riemma


Simbolismo do alfabeto hebreu
 
J. Iglesias Janeiro
 
Tradução: Constantino K. Riemma
 
Texto extraído de La Arcana de los Números, Editorial Kier (1967-85), com
o propósito de subsidiar as referências aos arcanos do Tarot Egípcio Kier
(maiores, menores e consultas online) cujos textos são do próprio autor.
 
É dito que as doutrinas da Cabala foram reveladas, por inspiração de Deus, a Abraão, que Moisés as recebeu, junto com as Tábuas da Lei, no Sinai, e que Salomão as cifrou na estrutura do maravilhoso Templo que construiu para tal fim. Há evidências, no entanto, de que quando Abraão saiu de Ur em busca da terra de Canaã, o alfabeto hebreu já estava desenvolvido; que quando Moisés subiu ao Sinai, os sacerdotes egípcios já praticavam muitas dessas doutrinas; e que quando Salomão construiu seu Templo, além da Grande Pirâmide que lhe prestou os conhecimentos que permitiram concluir tão maravilhosa obra, o alfabeto da civilização do Nilo colocou ao seu dispor os sons e signos que tornaram possível consagrá-lo, não em um bem exclusivo do povo hebreu, mas "também quando o estrangeiro, que não é do teu povo Israel, [..] vier orar voltado para esta casa, [..] e faça conforme tudo o que o estrangeiro a ti clamar”. Doutrinas e alfabeto que têm tal antigüidade, de qual manancial recebem suas águas?
Pelo que se conhece, o alfabeto mais antigo é o egípcio e, como tal, nele estarão cifradas as doutrinas-mãe das quais derivam todas as demais. Sendo o povo hebreu o herdeiro direto do egípcio, na Cabala e no alfabeto em que foi escrita, estarão presentes proporcionalmente tudo o que a precedeu, podendo, assim, aceitar-se que embora seus ensinamentos não tenham sido dados por Deus a Abraão nem a Moisés, têm seu fundamento na propriedade que se acredita possuir o homem de conhecer por inspiração e transmitir por tradição os conhecimentos intuídos. O manancial do qual as doutrinas cabalísticas e o alfabeto hebreu derivam, têm, portanto, seu ponto de origem nesta faculdade primitiva. Ainda que no presente não seja possível reviver as virtudes da palavra que atualiza os poderes, porque desconhecemos a maneira de pronunciá-la, acredita-se em geral que é perfeitamente possível desentranhar grande parte dos mistérios cifrados no alfabeto com que se escrevia.
O alfabeto hebreu consta de 22 letras, diz a tradição que formadas todas elas por um agregado de pequeníssimas chamas, que estão ordenadas no corpo de cada grafia de acordo com as leis geométricas e matemáticas que representam determinados princípios universais, forças primárias, vibrações cósmicas e processos alquímicos, acreditando que na arquitetura dos 22 signos não só esteja representada a do Universo, mas também a dos equivalentes através dos quais nossa subconsciência e consciência se identificam com tudo quanto existe, podendo assim converter-se esse alfabeto no elemento de relação que desperta em nós as noções primárias e secundárias que permitem conhecê-lo. Embora seja um simples reflexo da extensa significação atribuída a cada letra, o que descrevemos a seguir dá uma idéia das correspondências gerais de todo o alfabeto:
  Aleph (1). Quer dizer boi guia, chefe. O nome se compõe de Deus-boca, isto é, Verbo-divino. É a unidade e a unicidade, o Uno-Único, o princípio criador, a Natura-Naturante: o pai. Tem seu equivalente no arcano egípcio Mago Criador, no número 1, na letra A, no Sol, na cor branca, na nota musical do, no elemento alquímico da
pedra de toque e no poder volitivo da mente. Desperta no homem aptidão para compreender, considerar e resolver os problemas, despertar e dominar as paixões. Na predição, promete domínio dos obstáculos materiais, felizes iniciativas, amigos fiéis que ajudam, e amigos ciumentos que criam obstáculos.

Beth (2). Quer dizer casa, tenda. O nome se compõe de sonho-formação, isto é, sonho criador, a Imaginação como princípio plasmador, a Natura Naturada: a mãe. Tem seu equivalente no número 2, o Arcano egípcio a Sacerdotisa, na letra B, na Lua, na cor violeta, na nota musical fá, no elemento alquímico solvente universal
e no poder de raciocínio da mente. Desperta no homem aptidão para considerar os fatores opostos, coordenar a afinidade das coisas e favorecer relação dos sexos. Na predição, promete atrações e repulsões, perdas e ganhos, ascensões e quedas.
  Ghimel (3). Quer dizer camelo, plenitude. O termo significa esplendor e organismo em função, isto é, a função do dinamismo vivente em seu trabalho de viver. Tem seu equivalente no arcano egípcio a Imperatriz, no número 3, na letra C, no planeta Júpiter, na nota musical si, na cor púrpura, no elemento alquímico referente à fusão
dos ingredientes e no poder de concepção da mente. Desperta no homem aptidão para identificar-se com o oculto e o manifestado. Em predição, promete idéias criativas, produção, abundância de bens materiais; obstáculos a vencer, e satisfações à medida que são vencidos.
  Daleth (4). Quer dizer porta. O nome indica diferença, variedade, diversidade, distinção, isto é,  realidade inteligível e realidade sensível. Representa o princípio da materialização, da vontade, da autoridade, do poder. Tem seu equivalente no arcano egípcio o Imperador, no número 4, na letra Ch, no planeta Urano, no
semitom, na cor vermelho-escuro, no elemento alquímico poder reverberante e na virtude da Afirmação, Negação, Discussão e Solução da mente. Desperta no homem aptidão de concretização e progressão hierárquica. Em predição, promete conquistas materiais, resultados favoráveis para o esforço investido e condições penosas para alcançá-los.
  He (5). Quer dizer essência e existência. O termo indica calor, fogo vivo que insufla e difunde. Representa o princípio da luz divina, da luz que vivifica. É a inteligência em ação, o caminho universal, a religião. Tem seu equivalente no arcano egípcio o Hierarca, no número 5, na letra D, no planeta Mercúrio, na cor
Amarela, na nota musical si, no elemento alquímico purificação dos ingredientes e no sentido místico. Desperta no homem aptidão para transcender as limitações. Em predição, promete liberdade e disciplina, amores e namoros, novas experiências, seres e coisas que vêm e se vão, os primeiros para irem, os segundos para regressarem.
  Vau (6). Quer dizer prego, gancho. O nome significa causa operante diretora, efusão luminosa. Representa o princípio do Verbo atuando em cada ser. É a beleza, a atração. Tem seu equivalente no arcano egípcio a Indecisão, no número 6, na letra E, no planeta Vênus, na cor azul, na nota musical lá, no princípio alquímico da prova
dos reativos e no conhecimento do Bem e do Mal. Desperta aptidão para determinar a conduta. Em predição, promete privilégios e deveres nas relações entre os sexos, antagonismos, separações, desejos que se cumprem, alguns que satisfazem e outros que frustram.
  Zhain (7). Quer dizer flecha. O termo significa nascer, emanar, difusão luminosa e incandescente. Representa o princípio de causa final, a luz astral. Equivale ao arcano o Triunfo, ao número 7, à letra F, ao planeta Netuno, à cor magenta, ao fá sustenido, ao princípio alquímico forno de fundição e ao conhecimento das verdades primordiais.
Desperta aptidão para o exercício das 7 virtudes. Em predição, promete pensamento acertado, poder magnético, honra e desonra, obtenção do que se persegue com empenho.
  Heth (8). Quer dizer cercado, amontoamento. O termo significa o que tende à forma, o plasma-mater em cujo seio repousa a vida. Representa o princípio da existência elementar. Tem seu equivalente no arcano A Justiça, no número 8, na letra G, no planeta Saturno, na nota , na cor índigo, no princípio alquímico da
justa medida e no conhecimento natural da Justiça. Desperta aptidão para repartir com eqüidade. Em predição, promete retribuições e restituições, gratidões e ingratidões, castigos e recompensas.
  Teth (9). Quer dizer serpente, sabedoria. O termo significa umbral, mistério, o insondável, ocultação, conservação, renovação. Tem seu equivalente no arcano O Eremita, no número 9, na letra H, no planeta Marte, na nota musical sol, na cor vermelha, no princípio alquímico da própria infusão e na propriedade da mente de
se identificar com a coisa pensada. Desperta aptidão para ser circunspecto. Em predição, promete conhecimento para fazer descobertas, ordem ao realizá-las e cautela ao se servir delas; luz da razão e luz de intuição, a primeira para o imediato, a segunda para o transcendente.
  lod (10). Quer dizer mão. O vocábulo significa operação, formação, causa eficiente, ensinamento teológico, perfeição. Tem seu equivalente no arcano a Retribuição, no número 10, na letra I, no signo zodiacal Capricórnio, na cor azul-celeste, na nota musical do bemol, no princípio alquímico de circunvolução e na propriedade da mente
de intuir e de responder às leis dos ciclos. Desperta aptidão para conhecer por indução e dedução. Em predição, promete boa e má sorte, elevações e quedas, confronto dos deveres adiados.
  Khaph (11). Quer dizer cálice, copa, argamassa, matriz. O nome significa energia criadora, força operante, inumeráveis existências. Tem seu equivalente no arcano egípcio a Persuasão, no número 11, na letra J, no signo zodiacal de Aquário, na cor índigo, na nota musical bemol, no princípio alquímico da liberação de forças
e na propriedade da mente para exercitar o poder moral. Desperta aptidão para persuadir. Em predição, promete vitalidade, rejuvenescimento, penas, obstáculos, traições, resignação para suportar as contrariedades.
  Lamed (12). Quer dizer aguilhão, leoa, abrir as asas. Significa ensinamento, estímulo, domesticar. Representa o princípio do movimento expansivo. Tem seu equivalente no arcano egípcio o Apostolado, no número 12, na letra K, no signo zodiacal de Peixes, na cor violeta, na nota musical mi bemol, no princípio alquímico
seleção de ingredientes e na propriedade da mente de conhecer por devoção. Desperta aptidão para servir. Em predição, promete angústias, quedas, perdas materiais em certos aspectos e ganhos em outros.
  Mem (13). Quer dizer água primordial. O termo significa a mãe que concebe, cópula cosmogônica, aura fecundante. Corresponde ao arcano da Retribuição, no número 13, na letra L, no signo zodiacal de Virgo, na cor escarlate-claro, na nota musicalbemol, no princípio alquímico dos antídotos e na propriedade da mente
de transmutar as emoções. Desperta aptidão para agir e reagir. Em predição, promete desenganos, morte de afetos, negativas, renovação de condições, as boas para pior, as más para melhor.
  Nun (14). Quer dizer geração, peixe, criança. O termo significa Andrógina divina, idéia e Verbo, essência e existência. Tem seu equivalente no arcano egípcio a Temperança, no número 14, na letra LI, no signo zodiacal de Libra, na cor limão-claro, na nota musical sol bemol, no princípio alquímico do desdobramento e na
propriedade mental da temperança. Desperta aptidão para conhecer por associação de idéias e emoções. Em predição, promete afetos recíprocos, obrigações sociais, combinações, amores devotados e amores traiçoeiros, coisas que ficam e coisas que se vão, as primeiras para irem, as segundas para voltarem.
  Samekh (15). Quer dizer viga, esteio, sustentáculo, círculo, serpente mordendo a cauda. O termo significa limite inteligível, coroa, globo, o que se nutre de sua própria substância. Tem seu equivalente no arcano egípcio a Paixão, no número 15, na letra M, na cor magenta-rosa, na nota musical bemol, no signo zodiacal
de Escorpião, no princípio alquímico geração e na propriedade da mente de conhecer pelo esforço da própria vontade. Em predição, promete controvérsias, paixões, adversidades, prosperidade por vias legais e pela fatalidade.
  Ain (16). Quer dizer olho, fonte, aparência, extensão, brilho. O termo significa dobras, dobraduras, e realinhamento, severa vigilância, providência divina. Tem seu equivalente no arcano egípcio a Fragilidade, no número 16, na letra N, no signo de Sagitário, na nota musical si bemol, na cor púrpura vivo, no princípio
alquímico da reverberação e na propriedade da mente de conhecer por causa da aflição. Desperta aptidão para aproveitar os ensinamentos da severidade. Em predição, promete acidentes imprevistos, tempestades, comoções, mortes, reciprocidade no amor e no ódio, na traição e na lealdade.
  Phe (17). Quer dizer boca que fala, palavra, linguagem, Verbo plasmador. O termo significa alento cosmogônico, rudimentos de vida orgânica, função criadora. Tem seu equivalente no arcano a Esperança, no número 17, a letra Ñ (NH), no signo de Gêmeos, na cor Amarelo vivo, na nota musical do sustenido, no princípio
alquímico fonte da eterna juventude e na propriedade da mente de ser iluminada em virtude da fé. Desperta aptidão para aprender e agir por impulso da esperança. Em predição, promete iluminação, nascimentos, breves aflições e breves satisfações, aborrecimentos e reconciliações, privações e ganhos.
  Tzade (18). Quer dizer dardo, gancho, anzol. O termo significa serpente que oculta a cauda, encantamento, magnetismo. Tem seu equivalente no arcano egípcio o Crepúsculo, no número 18, na letra O, no signo zodiacal de Leão, na cor laranja dourado, na nota musical re sustenido, no princípio alquímico do elixir de
vida e na propriedade da mente de ser iluminada por encantamento. Desperta aptidão para decifrar os mistérios. Em predição, promete inconstâncias, ciladas, confusão, mudanças, longas deliberações, resultados tardios, triunfos e fracassos aparentes.
  Quoph (19). Quer dizer cordão entrelaçado, machado, círculo completo. O termo significa linha que enlaça, o que provoca lamentos, o inusitado. Tem seu equivalente no arcano a Inspiração, no número 19, na letra P, na cor azul, na nota musical mi sustenido, no signo de Touro, no princípio alquímico aglutinação e na propriedade da mente para ser iluminada pela verdade absoluta.
Desperta aptidão para conhecer por meio de idéias ou de reflexões. Em predição, promete aumento de poder, êxito, benefícios em razão do esforço próprio e do alheio, heranças, clareza no que se deseja.
  Resh (20). Quer dizer cabeça, pobreza, pico. O termo significa claridade, visibilidade, ato de vontade, ato inteligente, autonomia, verbo interior, função total da espontaneidade viva. Tem seu equivalente no arcano egípcio a Ressurreição, no número 20, na letra Q, no signo de Câncer, na cor verde, na nota fá sustenido,
no princípio alquímico flogístico e na propriedade da mente para se iluminar por deliberação própria. Desperta aptidão para conhecer pelo despertar das forças latentes. Em predição, promete escolhas harmônicas, iniciativas afortunadas, trabalho, ganhos, compensações, ciúmes pelo bem que se desfruta, aflições por perdas.
  Shin (21). Quer dizer dente, mudança, mutação, renovação. O termo significa desdobramento de forças, Universo-Mundo, poder criador, conservador e renovador, essência e propriedades dos seres e coisas. Tem seu equivalente no arcano egípcio a Transmutação, no número 21, na letra R, no signo de Áries, na
cor vermelho vivo, na nota musical sol sustenido, no princípio alquímico do ovo do mundo e na propriedade da mente de ser iluminada pela beatitude. Desperta aptidão para conhecer por meio da própria transfiguração. Em predição, promete heranças, distinções, vitórias, prazeres honestos; obstáculos  e aptidão para vencê-los; situações incertas  e contingências que as esclarecem.
  Thaw (22). Quer dizer codorna, símbolo, sinal, regresso, limite. O termo significa lei que compreende todas as leis, Anima Mundi, glorioso esplendor. Tem seu equivalente no arcano egípcio o Regresso, no número 22, na letra S, no planeta Plutão, na cor negra, na nota ;lá sustenido, no princípio alquímico da tetrassomia
(dos quatro elementos) e na propriedade da mente de se iluminar por meio de motivos transcendentes. Desperta aptidão para conhecer pela própria experiência. Em predição, promete ruína naquilo que mais envaidece, privação de algo que se desfruta, ofuscamento, perigo de isolamento, presentes traiçoeiros, final de algumas coisas e começo de outras.
Acredita-se que a relação de correspondências entre as letras hebréias e os princípios universais, processos alquímicos, noções mentais, etc., existia também na estrutura e nos ornamentos do Templo de Salomão, aceitando-se que, assim, tal como a combinação das letras podem formar palavras e teoremas geométricos e matemáticos que explicam o mundo e o homem, pelo concerto das partes da arquitetura do Templo e dos objetos que ornamentavam suas dependências, não só se obtinha a mesma explicação, como igualmente era possível reproduzir em miniatura muitos dos fenômenos que o homem e o mundo realizam em grande escala, sendo tão matematicamente previsíveis tais efeitos que, segundo as Sagradas Escrituras, durante a construção no se ouviram martelos, nem machados, nem algum outro instrumento de ferro (Reis, 6-7). Admitindo-se que tanto na fonética do alfabeto hebreu como na acústica do Templo de Salomão estivessem incluídos os elementos sonoros que tornam possível a relação de correspondências que permitem ao homem identificar-se com o mundo e atualizar os poderes que estão encerrados em ambos, cabe a pergunta: com base em qual ordenação interior a Cabala explica que possível essa identificação e atualização? É um tema inesgotável a ser estudado.
Edit. janeiro.12 / Rev. jan.15
Contato com o responsável pelo site:
Constantino K. Riemma - contato-ct@clubedotaro.com.br
Outros trabalhos seus no Clube do Tarô: Autores
  Baralho Cigano
  Tarô Egípcio
  Quatro pilares
  Orientação
  O Momento
  I Ching
Publicidade Google
 
Todos os direitos reservados © 2005-2018 por Constantino K. Riemma  -  São Paulo, Brasil