Home page

15 de dezembro de 2018

Responsável: Constantino K. Riemma


Os arcanos pitagóricos
 
J. Iglesias Janeiro
 
Tradução: Constantino K. Riemma
 
Texto extraído de La Arcana de los Números, Editorial Kier (1967-85), com
o propósito de subsidiar as referências aos arcanos do Tarot Egípcio Kier
(maiores, menores econsultas online) cujos textos são do próprio autor.
 
A propriedade dos números de serem padrão de todas as medidas faz deles a síntese inteligente de tudo quanto existe no universo e que a mente compreende ou intui. O que se chama Arcana dos Números de Pitágoras nada mais é que a vinculação que o sábio grego estabeleceu entre os princípios absolutos que estão nos números com os princípios aplicados que se encontram na Música, nas magnitudes em repouso da Geometria, nas magnitudes em movimento da Astronomia, nos processos vivos do fundamento vital, nas noções de fundo conceitual e, por fim, no visível e invisível em que respiramos e nos movemos.
Nessa vinculação, cada número é um princípio absoluto universal, um princípio de formação na mente e uma força atuante nas atividades mundanas, comunicando virtudes aos nomes e às datas pela ressonância e significados que as datas, os nomes e os números possuem para a mente. Parece que Pitágoras encontrou esse vínculo com base no mesmo princípio que se encontra na lei da corda vibrante e na do triângulo retângulo, transmitindo-a cifrada e simplificada em seu Paradigma. Desse modo o paradigma e as propriedades matemáticas que mostram os números cumprem nas gerações de agora a obra de iluminação e sublimação que cumpriam entre os discípulos de sua escola.
Zero
Simbolismo do 0 (zero)
 
O Eterno em potência
Como princípio absoluto universal: o 0 (zero) representa o eterno em potência, o que é anterior e posterior aos princípios. Não é um valor, mas sim o que valoriza as coisas; não é uma medida, mas a razão pela qual as medidas existem; não é uma imagem, mas sim o espaço em que as imagens se formam. É o mistério que tem em seu ser todos os mistérios. No Cosmos, representa o vazio insondável; na astronomia, o círculo do Zodíaco; na geometria, o espaço em que se formam as figuras; na música,  o silencio  que  modela  os  sons;  no homem, a
aura que circunscreve o corpo. Simboliza o princípio vivente em repouso e o poder latente do Verbo no alfabeto.
Como princípio de formação no homem:  o 0 é a possibilidade em potência, a razão pela qual as razões não o são. Não o identificamos a qualquer idéia: é anterior à volição, a aurora do nada. Os hindus o chamam sunya, o vazio; os árabes cefer, cifra. Em nosso saber representa o Deus não conhecido ao qual os gregos erguiam altar em meio aos Deuses que conheciam. Promete recursos incógnitos para o triunfo da boa causa, dando a cada uno segundo o que lhe é devido, ao que é direito, direito, e ao que honra, honra.
Como força atuante nas relações mundanas: "O Nada que é todas as coisas", chamam os pitagóricos ao 0, representando-o na forma de um dragão de 3 orelhas (Os três vapores sublimes) e 4 patas (os quatro elementos primordiais) mordendo a própria cauda. Como "o nada que pode ser o todo", comunica uma virtude incógnita. Nas relações mundanas, essa virtude se faz efetiva através da fortaleza de ânimo da pessoa que tem 0 no nome de nascimento. O estudante que se identifica com o sentido do 0 (zero), abre as portas da sabedoria absoluta.
O número um
Simbolismo do número 1
 
Propriedades da Mônada
Como princípio absoluto universal: a Mônada representa o princípio de unicidade, do indivisível, do que é limitado em si mesmo e ilimitado em seu potencial: Deus. Pitágoras diz que é o pai, criador de todas as coisas; o pensamento, criador de todas as idéias; a memória, fundamento do conhecimento; virgem e mãe, pois cria e permanece igual ao que era antes de criar. Como número, representa o homem, o único animal que caminha ereto. Na astronomia se relaciona com o Sol, na música com a nota do,  na  geometria  com  o  elemento
linha, na mente humana com os monólitos e o que é único em si mesmo, no astral com o raio branco, síntese de todas as cores. É o princípio vivente que, por reflexo de si mesmo, forma a matéria densa. Manifesta-se através do número 1 e as letras A, I, P, Z.
Como princípio de formação no homem: o 1 é o determinado, a iniciação, o que estimula para que as coisas sejam: a Vontade. É a identidade, a igualdade, a existência e a persistência. Representa o espiritual, a luz e a obscuridade, a inteligência e a aptidão para propor, considerar e resolver. É meditação, reflexão e decisão, operando como trabalho na mão-de-obra, e como vontade no pensamento. Promete domínio dos obstáculos materiais e iniciativas felizes, dando força moral à vontade para obedecer as diretrizes do dever conforme o dever manda e a empreendimento requer.
Como força atuante nas relações mundanas: "Primeiro paradigma da mundana fabricação", assim chamaram os pitagóricos ao número 1. Como tal paradigma, comunica aos números com os quais está associada à virtude da criação, que se torna efetiva através do espírito empreendedor da pessoa que tem o 1 no nome ou na data de nascimento. O estudante que se identifica com a Mônada, conhece o mistério da paternidade.
Numero 2
Simbolismo do número 2
 
Propriedades da Díade
Como princípio absoluto universal: a Díade representa o princípio da dualidade, da diversidade, do par e impar, da divisão e multiplicação. Pitágoras a chama Multidão, Audácia, Fonte, Fundação, Distribuição, Harmonia, Paciência. Em seu aspecto negativo ele a denomina Dessemelhança, Horror, Inferno, Discórdia, Remorso, Morte. No primeiro aspecto é a mãe, elemento de criação; no segundo é a humanidade. Na astronomia se relaciona com a Lua, na geometria com os lados do triângulo; na música com a nota ré, no astral com a cor
violeta, na mente com as coisas de natureza dual. Manifesta-se  através do número 2 e das letras B, J, Q. É o princípio vivo ao ser repassado.
Como princípio de formação no homem: o signo 2 está formado por uma reta e uma curva, símbolos do espiritual e do material. É a Imaginação, princípio de sabedoria, razão, discrição, associação, adaptação, equilíbrio, passividade e domesticação. Representa a afinidade, a concordância das forças opostas, a relação dos sexos, o equilíbrio do moral e do material. É ordem na mão-de-obra, e Imaginação no pensamento. Promete atrações e repulsões, perdas e ganhos, inspirações e realizações, dando o reto pensamento pelo qual a reta razão nos guia para o melhor nos caminhos corretos.
Como força atuante nas relações mundanas: "Fonte de sinfonias", chamaram os pitagóricos ao 2. Como tal fonte, comunica aos números com os quais está associado virtude de consonância, que se faz efetiva através do espírito de concórdia da pessoa que o tem no nome ou na data de nascimento. O estudante que se identifica com a Díade, conhece o mistério da maternidade.
O número 3
Simbolismo do número 3
 
Propriedades da Tríade
Como princípio absoluto universal: a Tríade representa o princípio da natureza em função, transmutação e manifestação. Pitágoras a chama mãe da Música, mestra da Geometria, razão da Virtude, síntese do Intelecto. No aspecto negativo, ele a denomina Diversidade, Discórdia, Turbulência, o que não tem concerto. Na astronomia se relaciona com Júpiter; na geometria com o triângulo; na música com a nota mi; no astral com a cor púrpura; na mente humana com as coisas de três dimensões. Manifesta-se através do número 3 e das letras C, K, R.
É o princípio vivente no ato de se manifestar.
Como princípio de formação no homem: o signo 3 está formado por dois semicírculos, que ao serem postos em contato formam o círculo completo, símbolo da alma, o princípio que reúne em si mesmo o oculto e o manifestado, o passado e o futuro em um eterno presente. Na mente humana é Criação, Conservação e Renovação, espírito, mente e corpo. Representa a concretização na mão-de-obra, e a Inteligência no pensamento. Promete planos acertada, obstáculos a vencer e satisfações à medida que são vencidos, dando, simultaneamente, providência, previsão e decisão.
Como força atuante nas relações mundanas: "Senhora da casa", diziam os pitagóricos com relação ao número 3. Como tal senhora, concede energia e extensão aos números com os quais se associa. Pitágoras diz que a formação do homem está determinada por 3 princípios: o paterno, que lhe dá a matéria branca; o materno, que lhe da a vermelha; o divino, que lhe dá a alma, o intelecto e a respiração. Estes princípios se fazem mais evidentes nas pessoas cujo nome de nascimento está regido pelo número 3. O estudante que se identifica com a Tríade conhece o mistério da família.
O número 4
Simbolismo do número 4
 
Propriedades da Tétrade
Como princípio absoluto universal: a Tétrade representa o princípio da concretização e da realidade, a realidade tangível e inteligível. Pitágoras a chama chave da natureza, direita e esquerda, o todo e cada uma de suas partes, fundamento da ciência dos números e causa de permanência. Contem em si mesma o fogo da Mônada, o ar da Díade, a água da Tríade e a terra da Tétrade. É o Intelecto e o Conhecimento, a Opinião e a Dedução. Na astronomia se relaciona com Urano; na geometria com o quadrilátero;  na música com a nota ;  no astral com a
cor vermelho escuro; na mente com o que tem volume. Manifesta-se através do 4 e das letras Ch, L, S. É o princípio vivente no ato de se materializar.
Como princípio de formação no homem: o signo 4 está formado por um triângulo e uma cruz, o primeiro símbolo da divindade, e o segundo da matéria. É a materialização da virtude divina no homem; a Afirmação e a Negação; a Discussão e a Solução. Representa o esforço na mão-de-obra e a vontade no pensamento. Promete merecimentos e acatamentos, discernimento e previsão, dando conhecimento para aperfeiçoar e trabalhar de acordo com o que convém à realidade.
Como força atuante nas relações mundanas: "Grande milagre", chamavam os pitagóricos ao número 4, e como tal, de quatro classes são os discípulos que, segundo Pitágoras, aspiram a desvelar os mistérios: o discípulo que aprende e deseja ensinar mas não o faz; o que quer ensinar mas não aprende; o que escuta mas não quer aprender nem ensinar; o que aprende e ensina o que  aprendeu. Com partes proporcionais dessas quatro classes se fazem os desejos da pessoa que têm este número no nome ou na data do nascimento. Identificar-se com a Tétrade é conhecer o mistério do Poder.
O número 5
Simbolismo do número 5
 
Propriedades da Pêntada
Como princípio absoluto universal: a Pêntada representa o princípio do andrógino, o que é em si mesmo masculino e feminino e tem ação circular: o fogo vivente. Pitágoras a chama macho e fêmea, aliança essencial, o insuperável, o inconquistável, o que é justo por essência e não admite disputa: a religião universal, a Providência. Na geometria é representada pelo triângulo piramidal; na astronomia por Mercúrio; na música pela nota sol; no astral pela cor amarela; na mente pela quinta essência das coisas.
Manifesta-se através do 5 e as letras D, Ll (LH), T. É o princípio vivente em seu movimento circular.
Como princípio de formação no homem: o signo 5 está formado por um círculo inacabado em sua base e por um semicírculo em sua parte superior, unidos por uma reta, símbolo da alma e espírito. Representa o desejo na mão-de-obra e a purificação no pensamento. Promete intuição para penetrar as causas primeiras e as razões últimas, impulso para buscar e encontrar, dando ao coração amor, desejo e alento para ir em direção dos bens esperados, como se estes já alentassem o coração e o coração vivesse a realidade do que só vive em esperança.
Como força atuante nas relações mundanas: "Mudança de qualidade", chamavam os pitagóricos ao número 5. Como tal mudança, diz Pitágoras que é a balança das conquistas humanas: para o derrotado que se encontra no prato mais baixo e eleva os olhos em busca de clemência, significa promessa de próxima elevação; para o vitorioso que se encontra no mais alto e olha para a terra em busca do material, é  promessa de próximo descenso. Balança de ambas a formas de resultados é o número 5 para quem o tem no nome ou na data de nascimento. O estudante que se identifica com a Pêntada conhece o mistério da comunhão.
O número 6
Simbolismo do número 6
 
Propriedades do Senário (Hexágono)
Enquanto princípio absoluto universal: o Hexágono representa o princípio de movimento e de repouso, vicio e virtude do que é próprio e impróprio. Pitágoras diz que é a perfeição das partes, o suficiente em si mesmo, a Verdade e a Harmonia, o matrimônio e o celibato, a virtude e o pecado. Na geometria é representada por dois triângulos entrelaçados; na astronomia por Vênus; na música é a nota ; no astral a cor azul; na mente o casamento das idéias. Manifesta-se através do 6 e as letras E, M, U.
É o princípio vivente como causa operante.
Como princípio de formação no homem: o signo 6 está formado por um círculo e um semicírculo, o primeiro símbolo do alma e o segundo do espírito, os dois fundamentos pelo qual o homem existe. Representa a atuação do Verbo em cada ser, a aptidão geradora, a concórdia, a estabilidade, a adaptação, o bom e o mau, a tentação e a virtude que a resiste. É discernimento no pensamento, e ornamento na mão-de-obra. Promete privilégios e deveres, afinidades e antagonismos, matrimônio e celibato, dando luz para advertir, averiguar, observar as qualidades das coisas e abrir o entendimento para perceber sua realidade visível e invisível, como se as qualidades das coisas fossem qualidades em nós mesmos.
Como força atuante nas relações mundanas: "Panacéia nupcial", chamavam os pitagóricos ao número 6. Para que o seja, diz Pitágoras, quem o tem no nome ou na data de nascimento deve exercitar as seguintes virtudes: 1ª, dar hospitalidade de forma ordenada. 2ª, proporcionar conforto aos enfermos. 3ª, instruir às crianças desde muito cedo. 4ª, viver de acordo com a lei. 5ª, ser tolerante com o vizinho. 6ª, dedicar uma parte de cada dia à meditação e à oração. O estudante que se identifica com a ‘Héxada’, conhece o mistério da lei natural.
O número 7
Simbolismo do número 7
 
Propriedades do Setenário
Enquanto princípio absoluto universal: o Setenário representa o princípio da reta e da curva, do Tempo e do Espaço, do que resume em si mesmo o mundo material e é causa operante no plano moral. Pitágoras a chama Veneração, Fortuna, Oportunidade, Integridade, Voz, Causalidade, Congregação, Maternidade virginal. Na geometria é representada pelo triângulo e o quadrilátero; na astronomia pelo planeta Netuno; na música pela nota si; no astralpela cor magenta; na mente é a lei da coincidência.
Manifesta-se através do 7 e das letras F, N, V. É o princípio vivente plasmado em suas obras.
Como princípio de formação no homem: o signo 7 está constituído por 3 elementos espirituais em oposição, que representam a contingência das coisas sobre o Plano em que se manifestam. Simboliza a ascendência do espiritual sobre o material, a força operante que atua, a coisa e o conhecimento que a identifica. É síntese no pensamento e congruência na mão-de-obra. Promete honra e desonra, poder magnético, pensamento acertado, justiça e reparações, satisfações e contrariedades, dando inspiração para distinguir o bom do mal, reta deliberação, correta escolha e direção no caminho que se segue, guiando a retidão dos passos para o propósito correto.
Como força atuante nas relações mundanas: "Corrente do destino", chamavam os pitagóricos ao número 7. Para que essa corrente seja propicia, Pitágoras tornava obrigatório que os discípulos que alcançavam o sétimo grau possuíssem as seguintes virtudes: 1ª, Terem retidão no propósito. 2ª, Tolerância na opinião. 3ª. Inteligência para discernir. 4ª, Clemência para julgar. 5ª, Serem verdadeiros em seus palavras e atos. 6ª, Disporem de graça para se expressarem. 7 ª, Contemplarem os acontecimentos com paz no coração. Com estas virtudes, o número 7 pode ser a corrente propícia para toda pessoa que o tenha no nome ou na data de nascimento. O estudante que se identifica com a ‘Héptada’, conhece o mistério da vida terrena.
O número 8
Simbolismo do número 8
 
Propriedades da Octógono
Como princípio absoluto universal: Octógono representa o princípio da evolução e da involução, da luz e da obscuridade, do que nasce e do que perece, da existência elemental e da transcendental. Pitágoras a chama Harmonia do Universo, Inspiração divina, Justiça humana, Música das esferas. É o Verbo plasmado em ato, o plasma mater em cujo seio repousa a vida, a Eternidade em seu labor. Na geometria é representada por dois quadriláteros, um deles dividido triangularmente; na  astronomia  pelo  planeta  Saturno;  na  música pelo
meio tom ascendente; no astral pela cor índigo; na mente humana pela lei do equilíbrio. Manifesta-se através do número 8 e das letras G, Ñ (NH), X. É o princípio vivente em seu evolução.
Como princípio de formação no homem: o 8 está constituído por dois círculos em oposição, símbolo da alma em seu duplo aspecto do humano e do divino. Representa a Justiça, o repartir, o dever e o direito, o rigor e a moderação, a iluminação do conhecimento e a evidência do verdadeiro, a equidade e a equanimidade. É exaltação no pensamento , e projeto na mão-de-obra. Promete recompensas e castigos, retribuições e restituições, dando disposição para acatar, honrar e obedecer o que tem obediência e merece honra e acato, tanto em nós mesmos como nos demais.
Como força atuante nas relações mundanas: “Dia da concepção", chamavam os pitagóricos ao número 8. Pitágoras diz que há 8 graças beatíficas para o discípulo que alcança o oitavo grau e 88 penalidades para aquele o que no se torne merecedor de qualquer uma delas. Essas penalidades e graças são extensivas a toda pessoa que tenha este número no nome ou na data de nascimento. O estudante que se identifica com a ‘Óctada’, conhece o mistério da transubstanciação.
O número 9
Simbolismo do número 9
 
Propriedades do Nonágono
Como princípio absoluto universal: o Nonágono representa o princípio do bem e do mal, o quadrado e o retângulo, a soma e o resto, a comunhão do pensador com seu pensamento e a coisa pensada. Pitágoras diz que é o oceano em que se movem os números, o horizonte que circunda as coisas, o que não tem competição e nem pode ser igualado. É o três vezes perfeito, pois é o quadrado de 3. Está vinculada ao planeta Marte. Na geometria é representada por três triângulos; na música  pelo  bemol;  no  astral  pela  cor
vermelha; na mente por tudo o que representa culminação. Manifesta-se através do 9 e das letras H, O, Y. É o princípio vivente em comunhão consigo mesmo.
Como princípio de formação no homem:  o 9 está formado por um círculo superior e um semicírculo inferior, alma e espírito, a primeira em posição ascendente sobre o segundo. Representa o amor como ato puro sem gratificação, a sabedoria absoluta, a prudência, a discrição, a caridade. Supõe comunhão no pensamento e serviço na mão-de-obra. Promete ciência para fazer descobertas, ordem ao levá-las até o fim, cautela ao servir-se delas, dando luz da intuição e luz da razão para converter as verdades virtuais em verdades reais, sendo a luz da razão e da intuição, luz de realização.
Como força atuante nas relações mundanas: "Magnificência do grande", diziam os pitagóricos do 9. Para alcançar o nono grau na escola de Pitágoras era necessário guardar silencio durante 3 anos, estudar matemática durante outros 3 e haver prestado 3 serviços aos discípulos dos graus inferiores. Magnificência dos grandes pode ser este número para toda pessoa que o tenha no nome na data de nascimento. Identificar-se com a ‘Eneágona’ é conhecer o mistério do amor universal.
O número 10
Simbolismo do número 10
 
Propriedades da Década
Como princípio absoluto universal: a Década representa o princípio da periodicidade, de causa e efeito, de nutrição e renovação, do infinito em potência. Pitágoras a chama Mundo, Céu, Destino, Eternidade, Força, Fé, Necessidade, Memória, Alfabeto e Aritmética, o 1º (mundo) porque abarca os valores tangíveis, o 2º (céu) porque expressa os imponderáveis, o 3º (destino) porque é um encadeamento, o 4º (eternidade) porque não tem princípio nem fim, o 5º (força) porque obriga, o 6º (fé) porque sustenta,  o 7º (necessidade) porque atua,  o 8º
(memória) porque é repetição de signos, o 9º (alfabeto) porque compreende todos os sons, o 10º (aritmética) porque contém todos os números. Na geometria é representada por 3 triângulos que encerram o circulo e o quadrilátero; na música é o do da oitava superior; na astronomia é o Universo; na mente humana é o ordem imperecível. Manifesta-se através do 1 e do 0 e das letras vinculadas a estes algarismos. É o princípio vivente em sua progressão.
Como princípio de formação no homem: o 10 está formado por 1 e 0. É a unicidade de um e a eternidade em potência do outro. Contém o moral e o material. É volição e idéia, a inteligência que formula e compreende o saber. Representa o transcendente no pensamento e a dedicação na mão-de-obra. Promete elevações e quedas, dando amor de benevolência e amor de prudência nas ascensões e atritos.
Como força atuante nas relações mundanas: "Recipiente universal", chamavam os pitagóricos ao número 10. Também pode ser assim para toda pessoa que o tenha no nome e na data de nascimento. E era assim para os discípulos de Pitágoras que alcançavam o décimo grado após terem praticado com seus companheiros dos graus anteriores os 10 Mandamentos de Moisés. Identificar-se com a Década é desvelar o mistério do retorno das coisas.
Edit. janeiro.12
Contato com o responsável pelo site:
Constantino K. Riemma - contato-ct@clubedotaro.com.br
Outros trabalhos seus no Clube do Tarô: Autores
  Baralho Cigano
  Tarô Egípcio
  Quatro pilares
  Orientação
  O Momento
  I Ching
Publicidade Google
 
Todos os direitos reservados © 2005-2018 por Constantino K. Riemma  -  São Paulo, Brasil