Home page

22 de agosto de 2019

Responsável: Constantino K. Riemma


 
Princípios de Astronumerologia
 
Astrologia, Numerologia e Tarô
numa abordagem integrada (1)
 
Por
Raul V. Martinez
Original pubicado em
www.constelar.com.br
 
Em 3 partes:
1. Signos, números e arcanos
    
Signos, números e arcanos
    A seqüência dos Signos do Zodíaco, disposta em três colunas e quatro linhas, forma uma tabela, a das quadruplicidades. A tabela tem esse nome por ter na primeira linha os signos de Fogo, ligados ao espírito, na segunda linha os signos de Terra, ligados à matéria, na terceira linha os signos de Ar, ligados ao intelecto, e na quarta linha os signos de Água, ligados à emoção.
Tabela 1: Quadruplicidades
Áries
Leão
Sagitário
Fogo

Espírito
Touro
Virgem
Capricórnio

Terra

Matéria
Gêmeos
Libra
Aquário

Ar

Intelecto
Câncer
Escorpião
Peixes

Água

Emoção
    As casas astrológicas correspondentes aos signos, assim como seus números, de 1 a 12, também podem ser dispostos em tabela semelhante:
Tabela 2: Casas
1
5
9
Fogo
2
6
10
Terra
3
7
11
Ar
4
8
12
Água
    Além dessas relações entre signos, casas e números inteiros, de 1 a 12, se verá neste estudo que existem outras, envolvendo significados desses elementos (signos, casas e números) e significados básicos das lâminas dos arcanos maiores do tarot e letras do alfabeto latino - o alfabeto que utilizamos.
 
    Significados básicos dos arcanos maiores do tarot
    Quando se analisa a seqüência dos significados dos 22 arcanos maiores do tarot, constata-se que ela se correlaciona com arquétipos da história da criação do homem e de seu processo evolutivo, nos diferentes ciclos e fases da vida.
Tabela 3: Números e Nomes dos Arcanos Maiores do Tarot
1
O Mago
12
O Enforcado
2
A Papisa
13
A Morte
3
A Imperatriz
14
A Temperança
4
O Imperador
15
O Diabo
5
O Papa
16
A Torre Fulminada
6
O Amoroso
17
A Estrela
7
O Carro
18
A Lua
8
A Justiça
19
O Sol
9
O Ermitão
20
O Julgamento
10
A Roda da Forturna
21
O Mundo
11
A Força
22
O Louco
    
O Mago na Astronumerologia
A Papisa na Astronumerologia
    1 - O Mago
    Primeiro Princípio da Divindade. Criador, masculino, fecundante. O que toma a iniciativa.
    2 - A Papisa
    Segundo Princípio da Divindade. Feminino, receptivo, procriador. O que recebe, ganha.
    3 - A Imperatriz
    Terceiro Princípio da Divindade. Completa a Trindade Divina, enlaçando, unindo, abraçando os dois Primeiros Princípios, para que haja fecundação, criação. O que movimenta, comunica.
O Imperador na Astronumerologia   4 - O Imperador
Como resultado da ação do Primeiro Princípio sobre o Segundo, com intervenção do Terceiro, surge o primeiro elemento criado. Algo semelhante ocorre quando se traça uma reta vertical secionando outra horizontal. No plano dessas retas surgem quatro partes, que têm em comum um ponto determinado, bem definido, de certa forma básico. A lâmina 4 se correlaciona com isso, com a matéria básica, com o pó da terra que o Criador utilizou para moldar o primeiro homem. Câncer (o quarto signo) e a casa 4 são associados à gestação e a criação.
O Papana Astronumerologia   5 - O Papa
    Então formou o Senhor Deus o homem do pó da terra,
    e soprou-lhe nas narinas o fôlego da vida;
    e o homem tornou-se alma vivente.
[Gênesis, 2-7]
O 5 é o resultado do 4 acrescido do 1. Ou do Um atuando sobre o quatro. O Papa representa o homem, como ser vivo, no início de sua trajetória, no início da vida. Leão (o quinto signo) e a casa 5 correlacionam-se com o que foi criado, com os filhos, com os processos de educação, com o que desperta alegria e prazer.
  6 - O Amoroso
Representa a dualidade das ações de criar e de procriar. A última dessas ações, ligada a Escorpião, é necessária para que a vida da espécie continue, enquanto a primeira é ligada a Áries, ou seja, às iniciativas que levam à aquisição de conhecimentos e a individualização. Criar e procriar são formas distintas de canalizar a energia criativa, para cima, para a cabeça, ou para baixo, para o sexo. Nesse processo dual, há o envolvimento de Marte, regente (ver anexo) dos signos Áries e Escorpião. Virgem (o sexto signo) e a casa 6 são associados à análise, à atividade produtiva e ao trabalho orgânico, fundamental para a saúde.
O Carro na Astronumerologia   07 - O Carro
A vida tem seu curso de forma contínua, desde o nascer, crescer, chegar ao apogeu, declinar e finalizar com a morte - é a fase visível do ciclo da existência. Algo semelhante ocorre com a trajetória do Sol, em seu movimento diário - onde os dias e as noites se complementam ou contrastam com seus claros e escuros. A lâmina sete do tarot se associa a isso, ao caminhar da vida, ao percurso inevitável de cada existência. Libra (o sétimo signo) e a casa 7 são vinculados a complementações, a oposições e a avaliações
A Justiça na Astronumerologia  

8 - A Justiça
A lâmina 8 está ligada às avaliações e conseqüências, agradáveis e desagradáveis, de ações executadas no transcorrer da vida. Isso gera experiências que levam a transformações de comportamentos. Escorpião (o oitavo signo) e a casa 8 estão ligados a investigações e a transformações.

O Ermitão na Astronumerologia   09 - O Ermitão
Com o tempo, as experiências se acumulam. O Ermitão é um velho que se apóia em um bastão e leva uma chama que ilumina seu caminho. As experiências geram conhecimento e comportamentos. Sagitário (o nono signo) e a casa 9, dos princípios, do ensino superior, da religiosidade e do distante, têm elementos comuns com significados dessa lâmina.
 
    As lâminas com mais de um algarismo
    O ser humano, que começou a contar e a quantificar usando seus dedos, emprega basicamente o sistema numérico de base 10, o sistema decimal, aquele que utiliza 10 algarismos: 0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8 e 9.
    Estudos numerológicos usuais consideram apenas os números de 1 a 9, mais alguns números considerados especiais. Os números maiores que 9 são reduzidos a esses números de um algarismo (com exceção dos números especiais). Essa redução de números maiores que 9 é obtida somando seus algarismos, se necessário sucessivamente, até que se obtenha como resultado dessas somas um número de apenas um dígito. Aos números finais, após as reduções, são atribuídas propriedades com características próximas de significados dos primeiros nove arcanos maiores do tarot.
A Roda na Astronumerologia   10 - A Roda da Fortuna
A Roda da Fortuna representa o processo cíclico, em movimento giratório, com os altos e os baixos do transcorrer da existência. Essa lâmina mostra que tudo na vida é transitório. Capricórnio (o décimo signo) e a casa 10, a que tem início no ponto mais alto da carta astrológica, são associados ao poder e ao estar em evidência, situações essas sempre temporárias.
A Força na Astronumerologia   11 - A Força
Mostra que a natureza superior domina a natureza inferior; que o superior tem primazia sobre o inferior. O número 11, dual, por ser formado por dois algarismos iguais, também permite associação com o Segundo Princípio da Divindade, receptivo, procriador. A casa 11, dos projetos, se correlaciona com a prioridade da idealização sobre o produto, pois tudo que é construído intencionalmente pelo homem existiu primeiro em sua forma mental, para depois se concretizar como objeto. Lembrando ainda que Aquário, o décimo-primeiro signo, é o signo das criações e das inovações.
O Enforcado na Astronumerologia   12 - O Enforcado
A lâmina mostra um homem pendurado por um dos pés – com o outro pé e os braços livres. Sua liberdade e movimentos são limitados. Na astrologia os pés estão associados a Peixes, o décimo-segundo signo. A casa 12, por sua vez, está ligada a restrições, mas também ao oceânico, ao muito grande, que tudo abrange e contém. Ou seja, a lâmina 12 tem significados comuns com o signo de Peixes e com a casa 12.
O 12 é um número particularmente importante, por ser formado pelos algarismos ligados aos dois Primeiros Princípios da Divindade e por sua redução
(1+2) fornecer o 3, do Terceiro Princípio da Divindade Tri-Una.
    Com o Enforcado se encerra o primeiro ciclo de base 12, o ciclo zodiacal - onde se observa com mais facilidade relações entre arcanos, casas e signos correspondentes.
 
    O segundo ciclo de base 12
    Os arcanos maiores do tarot, por serem 22, não chegam a completar o ciclo seguinte.
Tabela 4: As lâminas e o ciclo de base 12
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
A Torre na Astronumerologia   13 - A Morte
Essa lâmina é a primeira do segundo ciclo zodiacal. Com ela se inicia novo período e nova forma de existência. Por ser associada a transformações, é bom lembrar que tudo que surge como nova forma deixou de existir como outra forma ou substância. Na Astrologia, Áries, o primeiro signo, está ligado ao começo, e Escorpião à transformação e a morte. Esses signos, como já foi dito, possuem Marte (morte) como regente comum.
A Temperança na Astronumerologia   14 - A Temperança
A lâmina 14, a segunda do segundo ciclo zodiacal, mostra uma mulher (em concordância com o Segundo Princípio da Divindade) transferindo um líquido de um vaso para outro. Nesse processo um vaso ganha conteúdo e o outro perde. A lâmina está ligada a transferências, a fecundação e a ganhos. Touro e a casa 2 também estão ligados a ganhos; lembrando que comumente os ganhos de uns representam perdas para outros.
O Diabo na Astronumerologia  

15 - O Diabo
No tarot, o Diabo significa força descendente, de concretização, podendo ter conotação sexual. A terceira lâmina do segundo ciclo de base 12 tem em comum com o Terceiro Princípio da Divindade o poder de realização, de multiplicação. Gêmeos (o terceiro signo) e a casa 3 são os elementos iguais, multiplicados. São associados a comunicação, falada ou escrita.

A Torre na Astronumerologia   16 - A Torre Fulminada
A lâmina 16 do tarot se correlaciona com o fim de formas e substâncias, com a transitoriedade dos elementos, com o demolir para reconstruir. É a quarta lâmina do segundo ciclo de base 12. Mostra que tudo que foi construído acaba voltando à situação básica, ao pó da terra – elemento associado à lâmina 4 do primeiro ciclo. Câncer e a casa 4, ligados à gestação e à formação dos seres, aglutinam substâncias - que deixaram de existir no estado em que se encontravam. Por isso, Câncer e a casa 4 têm muito em comum com significados da lâmina 16.
A Estrela na Astronumerologia   17 - A Estrela
A lâmina 17 do tarot se associa ao que expande e liberta. É a quinta lâmina do segundo ciclo de base 12, tendo significados comuns com os da lâmina 5, Leão e casa 5 - casa dos filhos, da expansão familiar, de alegrias e de educação.
A Lua na Astronumerologia   18 - A Lua
A lâmina 18, a sexta do segundo ciclo de base 12, está associada a características astrológicas lunares. Possui em comum com significados da lâmina 6 a instabilidade do processo dual de canalização de energia, para criar ou para procriar.
O Sol na Astronumerologia  

19 - O Sol
A lâmina 19, a sétima do segundo ciclo de base 12, está associada a características astrológicas solares, concordando também com significados da lâmina 7, o caminho do Sol.

O Julgamento na Astronumerologia   20 - O Julgamento
A lâmina 20, a oitava do segundo ciclo de base 12, associa avaliações e julgamentos. Essa lâmina ocupa a mesma posição que a lâmina 8, a Justiça. É outra concordância extraordinária.
O Mundo na Astronumerologia  

21 - O Mundo
A lâmina 21, a nona do segundo ciclo de base 12, está associada a realização dos objetivos da existência, a aquisição de conhecimentos e individualização. Tem muito em comum com a lâmina 9 e com significados de Sagitário e da casa 9.
O número 21 é outro número extraordinário. Como o número 12, é formado pelos algarismos associados aos dois Primeiros Princípios da Divindade. Sua redução também fornece o 3, do Terceiro Princípio da Divindade Tri-Una. Se o número 12, associado ao zodíaco, limita, o número 21, com os mesmos algarismos, mas em ordem contrária, liberta, expande.

O Louco na Astronumerologia   22 ou 0 (zero) - O Louco
A lâmina 22 mostra alguém que chegou ao final de uma trajetória e está prestes a iniciar outra. Alguém sem compromisso, no ponto zero de um novo ciclo. Esse arcano também é considerado como sendo a lâmina 0 (zero) dos arcanos maiores do tarot. Representa o ponto de encontro do fim de um ciclo de base 22 e o começo do seguinte, onde o círculo se fecha.
Essa lâmina final/inicial ocupa a décima posição do segundo ciclo de base 12, onde está o arcano 10, a Roda da Fortuna – que representa fundamentalmente os processos cíclicos. É outra concordância importante...
1. Signos, números e arcanos
Para seguir em frente, clique o ítem 2.
março.08
Dados sobre o autor
  Raul V. Martinez nasceu em 1926, em São Carlos, SP. Formado em Engenharia Civil pela USP em 1951, pesquisa na Área Astrológica desde 1968. Em 1979 auxiliou Juan Alfredo Cesar Muller a ministrar o primeiro Curso de Extensão Universitária de Astrologia Aplicada no Brasil, na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Entre 1986 e 1994 ministrou e foi professor responsável por cursos anuais de Extensão Universitária, em Astrologia, no Instituto de Artes da Universidade Estadual Paulista.
Seus artigos para Constelar – um site brasileiro de conteúdo sobre Astrologia – podem ser livremente acessados: www.constelar.com.br em Índice por autor (R).
 
 
 
 
  Baralho Cigano
  Tarô Egípcio
  Quatro pilares
  Orientação
  O Momento
  I Ching
Publicidade Google
 
Todos os direitos reservados © 2005-2019 por Constantino K. Riemma  -  São Paulo, Brasil