Home page

19 de outubro de 2020

Responsável: Constantino K. Riemma


  FÓRUM / CONSELHOS by CLÁUDIA BOECHAT / SOBRE O AMOR < voltar  
SOBRE O AMOR
Somos tarólogos ou videntes?
Cláudia Boechat
 

Onde está o grande amor?   Como será ele?   Quando eu o encontrarei?

 

Todo mundo quer amor. Todo mundo quer saber quando vai encontrar alguém que o ame, quando vai encontrar seu grande amor. Todo mundo quer saber se seu par o ama de verdade. Todos os tarólogos já devem ter ouvido essa pergunta mil vezes!

Eu não sou vidente. Não posso dizer a nenhuma mulher que um homem louro, alto, bonito e rico está a sua espera em um lugar florido daqui a 3 meses. Mas tem gente que pode.

O que eu posso dizer, com base nos arcanos maiores do Tarot, é: 'O que está complicando sua vida afetiva e o que você pode fazer para melhorar'. Posso ainda analisar um relacionamento amoroso, sob o aspecto de uma parte ou outra, levantar pontos de conflito e pontos positivos a serem valorizados. Mais ou menos por aí, deixando claro que cada caso é um caso, cada pergunta é particular, cada consulente é único.

Mas, gostaria muito de saber dos profissionais de Tarot como se posicionam nessa questão.

E gostaria de saber de consulentes o que esperam de nós: vidência ou aconselhamento?

Claro que, num primeiro momento, todos nós queremos respostas objetivas sobre o que nos reserva o tal "destino". Mas, pensando melhor, se a gente souber tudo, o que estamos fazendo aqui? Isso, falando pelo lado do consulente. Pelo lado do tarólogo, quem somos nós para dizer o que cada um fará de sua vida? Somos tarólogos ou videntes? Cada um precisa se posicionar claramente.

Eu vejo o Tarot como uma luz. Uma luz que cada um de nós decide se segue ou não. Apenas isso. E vocês?

 
19/11/2010 20:59:58

Comentários

alcidia - 20/11/2010 23:49:03
queria saber sobre a minha vida amorosa, por favor

Bete Torii - 21/11/2010 22:47:12
Oi Claudia,
Minha posição coincide com a sua. Eu também não posso e não quero dizer a consulentes se o seu novo namoro "vai dar certo", e coisas assim... Tento dizer-lhe que o conceito de "dar certo" é muito diferente para cada pessoa e um relacionamento inclui duas, e assim por diante. Sugiro abordagens como as que você mencionou, além de, por exemplo: "se você insistir/investir nesse relacionamento, o que pode esperar de (1) bom, positivo, agradável e de (2) ruim, negativo, difícil.
A propósito: tenho gostado das suas propostas, você tem usado seus fóruns realmente como fóruns de discussão! É bacana, isso.

Giglio - 28/11/2010 10:22:50
Olá Claudia!
Situação; Abro a porta consulente visivelmente ancioso para saber dos mis-térios que o envolve, cheio de perguntas de cunho vidente o que é próprio do ser humano.
Meu papel de cara apresentar o tarot e suas funções durante o jogo, con-
sulente insiste em perguntas vidente, volto a lembrá-lo o papel do tarot, dai
pra frente Cláudia é manter o proposito de minha função, procuro primar
a responsabilidade e honestidade, é importante que meu consulente encer- re a jogada satisfeito.


Geraldo Spacassassi - 29/11/2010 09:22:24
Olá Cláudia
Concordo com você! As pessoas muitas vezes nos procuram esperando uma solução mágica. De minha parte, já aprendi a lição. Como esse aspecto invariavelmente surge na primeira consulta, procuro, no contato inicial, esclarecê-los exaustivamente. Converso longamente com a pessoa e/ou troco e-mails, explicitando o que ela pode esperar do Tarô de forma clara e honesta. Enfatizo o trabalho e esforço que ela terá de fazer no sentido de rever valores, crenças e atitudes. Para facilitar esse trabalho e evitar a desculpa “esqueci o que foi dito”, ofereço sempre uma gravação da consulta. Os resultados deste procedimento têm sido compensadores.


Cinthia Cristina Doula - 02/12/2010 21:00:09
Vidência ou aconselhamento em questões amorosas?
Os dois. Podemos perceber pelas cartas o que está previsto para o consulente, rompimentos, decepções, traições, harmonia, encontros, solidão, alegrias, etc. A partir daí podemos aconselhar também através das cartas o melhor caminho a seguir para alcançar o melhor.
É preciso que fique claro que nada é definitvo e que podemos mudar, melhorar o nosso destino. Mas quanto ao amor, em qualquer circunstância é cultivando o amor a si mesmo que atrairemos o melhor do amor nos outros.

Obrigada

Crís

Bruno Calabria - 03/12/2010 10:55:43
Seja qual for a abordagem, ética é fundamental.

DENIZE - 03/12/2010 16:04:06
respondendo a pergunta, espero um aconselhamento do tarot. faço terapia com uma tarologa e busco exatamente isso. a proposito estou tentando aprender a leitura terapeutica do tarot.
se tiver alguma dica ficarei grata em receber

bjs
denize

fernanda valbueña - 04/12/2010 00:39:33
creio que a videncia e o aconselhamento sao bons desde que feito com seriedade, respeito. " A videncia é bela quando usada com sabedoria,porque nao somos os senhores de suas vidas, nao podemos usar desta benção doada para envolver os sentimentos aflorados daqueles que nos procuram para agradar, iludir ..seja qual for a visao" muito cuidado pois todos nos somos seres sensiveis, humanos, frageis. antes analize aquele que o procura p depois aconselhar...na duvida abstem-se. ore.e peça a DEUS e aos anjos proteçao e clareza p ajudar o proximo.

Maysa - 04/12/2010 17:30:30
ola claudia!
quase todos os dias me vejo nessa situação tbm. muitas pessoas , a maioria delas vem se consultar com problemas amorosos. em vez de elas procurarem saber no que estão errando pra poder crescerem no lado afetivo , elas simplismente so querem saber quando vão arrumar alguem , ou quando vão se casar... mas acho que isso faz parte das ansiedades da vida , e o tarot nada mais é que a estrada real da vida.....

Albano - 04/12/2010 20:25:18
O consulente ao pagar uma consulta tem o direito de perguntar o que quiser. Cabe ao tarólogo, segundo sua formação, respondê-la ou não.
Quanto à vida amorosa, o tarólogo deveria perguntar se o consulente sabe o que é o amor. Se o consulente afirmar que sim, a pergunta foi respondida e a consulta encerrada. Nesse sentido, cabe ao tarólogo orientá-lo, porque o "amor" é um sentimento para ser sentido e que não se deixa capturar por nenhuma palavra "específi-
ca". Que tal mudar o verbo amar por gostar, ou fulano ainda pensa em mim.
Parabéns pela proposta colocada em discussão, Cláudia.

  Total: 16 Próxima >  
  Baralho Cigano
  Tarô Egípcio
  Quatro pilares
  Orientação
  O Momento
  I Ching
Publicidade Google
 
Todos os direitos reservados © 2005-2020 por Constantino K. Riemma  -  São Paulo, Brasil