Home page

22 de abril de 2019

Responsável: Constantino K. Riemma


  ARCANOS MAIORES / As 22 cartas / O Papa / Texto de João Cláudio Fontes < voltar  
O Hierofante e a Consciência de Si
  João Cláudio Fontes  
 
    Meditando sobre o Arcano V, O Papa ou Hierofante, e lendo as atribuições tradicionais dos Arcanos na Árvore da Vida me parece que a atribuição mais correta é a que liga o caminho a Sephirah Hokmah a Tiferet, o caminho 15. A Sabedoria e a Bela Harmonia.
    O Arcano V pressupõe uma harmonia entre os nossos elementos constituintes, o 4 elementos, Fogo, Ar, Água e Terra, equilibrados pelo quinto elemento, o Éter ou Espírito. Daí, ao meu ver, a associação tradicional desse arcano com a saúde. Me parece que, em termos de saúde, tem mais a ver com o equilíbrio dos "humores" ou temperamentos: o Colérico (fogo), o Melancólico (terra), o Fleumático (água) e o Sanguíneo (ar), do que com problemas específicos. Talvez com a coluna vertebral sim já que o Hierofante está na "coluna do meio".
    Todos certamente conhecem alguma coisa da Medicina Tradicional Chinesa. A base da MTC é justamente a teoria dos 5 elementos ou movimentos, o Zang Fu. A correlação com a Tradição Ocidental é a seguinte:
  Terra -› Terra
Fogo -› Fogo
Água -› Água
Metal -› Ar
Madeira -› Espírito (Éter)
    Segundo a Medicina Tradicional Chinesa, a cada elemento pode ser relacionado um dos 5 Zang Fu:
  Terra -› Baço
Fogo -› Coração
Água -› Rins
Metal -› Pulmões
Madeira -› Fígado
Cada órgão teria seus desequilíbrios físicos e
 
Zang Fu, os cinco elementos na tradição chinesa
Zang Fu (ou Wu Xing), os cinco elementos
www.english.people.com
 

psicológicos específicos. Então, me parece que o Arcano V aponta para uma visão mais holística da saúde e não para problemas e doenças específicos.
    O Pentagrama é o pantáculo ou símbolo mais tradicional da magia e, por consequência, da Wicca. Significa o domínio, pela Vontade, dos elementos externos e internos. Como o "Homem Vitruviano" do Da Vinci, simboliza o ser humano desperto, o "Homem ou Mulher de Vontade". É o símbolo primordial daquele que domina e é mestre do plano astral e que conseguiu unificar os seus vários "eus" ou sub-personalidades. Daí, ao meu ver, ser ele associado ao Mestre, o Sumo Sacerdote.
    Em relação à isso, tradicionalmente se associa esse Arcano à "Religio", ou seja, a Religião Natural que percebe a Unidade por detrás das manifestações naturais dos quatro elementos. Simplificando: o Panteísmo. Acontece que para se chegar a essa percepção da Unidade da Vida e da Natureza é necessário um longo caminho de "religação"...
    Por isso esse Arcano, na Árvore da Vida cabalística, está ligando o Triângulo Arquetípico ao Triângulo Ético, via Hokmah e Tiferet. É um estágio já bem avançado do caminho evolutivo.
    Nesse estágio o Mestre já é mais o Mestre interno, o nosso SAG (Sagrado Anjo Guardião,

 
Hierofante
Hierofante
www.kyddco.com
  Augoeides), embora pode ser que se manifeste como um Mestre externo também, como as situações da vida, sincronicidades, pessoas que nos dizem algo significativo e eventos do tipo. É o Arcano do "Insight Metafísico", a compreensão intuitiva das Leis e estruturas Cósmicas.
    O signo de Áries associado ao Arcano indica o processo de manifestação cíclico de "queda" na manifestação e posterior retorno ao princípio, no caso, a Origem da nossa Alma e como retornar a ela.
    Basicamente, o nosso caminho Único de retorno ao UM. Em Hokmah nós vemos Deus face a face.
    Existe uma famosa estória Sufi chamada "A Conferência dos Pássaros" de Farid Ud-Din Attar, um dos maiores Mestres Sufi de todos os tempos, que trata da viagem de vários pássaros até o palácio do rei dos pássaros, o Simurgh. Eles passam por vária provações e por 7 vales antes de chegar ao palácio do Rei. Cada um vai ficando pior que o outro. São as etapas do caminho. Mas quando eles chegam ao final, dos milhares que iniciaram a viagem só 30 chegam na presença do Rei. E, ao fitarem com os olhos o Simurgh eles compreendem que eles e o Simurgh eram o mesmo. Ninguém no mundo jamais tinha ouvido coisa igual!
    Entraram em meditação e, passado um tempo, pediram ao Simurgh que revelasse o segredo do mistério da unidade e da pluralidade dos seres. E, mesmo sem falar, o Simurgh deu-lhes a resposta:
    "O Sol da minha majestade é um espelho. Quem nele se vê vê sua alma e o seu corpo e os vê completamente. Visto que viestes como trinta pássaros, si-murgh (em Persa), vereis trinta pássaros nesse espelho. Se tivessem vindo quarenta ou cinquenta, seria o mesmo. Ainda que estejais agora completamente mudados, vós vos vedes como éreis antes".

Mistérios da Fé...
Na Luz.

janeiro.09
Contato com o autor:
João Cláudio Fontes - joaoclaudiofontes@yahoo.com.br
Outros trabalhos seus no Clube do Tarô: Autores
 
ARCANOS MAIORES / As 22 cartas / O Papa / Texto de João Cláudio Fontes < voltar  
    
  Baralho Cigano
  Tarô Egípcio
  Quatro pilares
  Orientação
  O Momento
  I Ching
Publicidade Google
 
Todos os direitos reservados © 2005-2019 por Constantino K. Riemma  -  São Paulo, Brasil