Home page

17 de fevereiro de 2019

Responsável: Constantino K. Riemma


Quem é o Louco no tarô: o 0 ou o 22?
Tinah Lima
 
Quem é o louco no Tarô, o arcano 0 ou o 22? Muitas pessoas me perguntam isso.
O Louco é uma figura que me encanta, seus mistérios vão além da imagem arquetípica. E por este motivo, pesquiso sobre o seu respeito. Mas, antes de tratarmos do número do Louco, vamos falar sobre a numeração do Tarô.
No passado nenhum dos arcanos possuía o número e nem o nome escrito na carta. Basta olhar um baralho antigo como o Visconti Sforza. É um baralho difícil de jogar, por não possuir os nomes e números. É necessário o conhecimento dos arcanos do tarô e também o cuidado na identificação das cartas neste baralho tão peculiar, pois numa tirada, os reis sentados isolados podem ser confundidos com o Imperador, caso não estejamos bem atentos aos detalhes da carta.
O Imperador no Tarot Visconti Sforza     O Rei de Copas no Tarot Visconti Sforza     O Rei de Espadas no Tarot Visconti Sforza
O Imperador (à esquerda), o Rei de Copas e o Rei de Espadas no Tarô Visconti-Sforza (1450)
Ilustrações do jogo restaurado pela Scarabeo
Repare que o globo nas mãos do Imperador pode ser facilmente confundido com a taça dourada que quase não se vê no fundo também cor de ouro, que já perdeu o brilho. E a figura do Rei de Espadas com o escudo à esquerda exatamente como o Imperador do baralho de Marsseille? Uma bobeada dessas e a leitura estará toda errada.
Em algum momento da história foram adicionados os números e os nomes aos arcanos, imagino que para fazer o uso do baralho mais popular ou por causa dos diferentes jogos pintados evitando a confusão. Porém dois arcanos ficaram de fora: a carta do Ceifador ou Morte e o Louco. O primeiro ficou sem nome em boa parte dos jogos antigos; imagino que o horror da imagem fazia com que ninguém quisesse falar, ler ou escrever seu nome. As palavras têm poder. O segundo, que me encanta mais porque fala de vida, ficou sem número. Por quê? A primeira resposta que me ocorreu: porque ele não tem ordenação. Louco que é, onde vai ficar senão pululando entre todos os demais arcanos? O Andarilho, o Herói que sai em suas aventuras cresce, aprende, se aprimora, fica mais sábio e retorna a casa (ou a si mesmo) e de tempos em tempos se lança em mais uma aventura até atingir a glória.
O mito do herói está presente em muitas histórias conhecidas por nós vindas da China, da Índia, da Grécia, do Oriente médio, etc. Está na nossa história. O Louco é esse andarilho, que percorre todo o baralho, aprendendo e evoluindo com cada arcano, agindo como se fosse o próprio. Não pode ser fixado em uma posição. Como o coringa do baralho comum, que na grande maioria dos jogos, assume o papel de qualquer outra carta. Será coincidência? Ou por que será que o Louco é o único a permanecer nos jogos de cartas comum? Aquele que pode assumir o papel de qualquer um? No mínimo intrigante. Ele não pode ter um número fixo, porque ele não se prende a nenhuma posição ou lugar.
O Louco no Tarô Visconti Sforza     O Louco no Tarô Gringonneur    O Louco no Tarô de Jean Noblet 
O Louco nos tarôs Visconti Sforza (1450), Gringonneur (1480?) e Jean Noblet (1650)
Fontes: Visconti Sforza (restaurado pela Scarabeo), Gringonneur ou Charles VI (acervo
da Biblioteca Nacional da França) e Jean Noblet (restaurado por Jean-Claude Flornoy)
Existe uma tiragem de cartas que eu gosto muito e foi difundido pelo tarólogo e astrólogo Hajo Banzhaf (não posso afirmar se ele o criou) chamado o Jogo do Louco ou Jogo doBobo. Ele é utilizado para saber em que ponto da sua jornada você está naquele momento. Mostra o que você já passou e pelo que ainda passará. E o local onde cai o Louco é o ponto do presente. O futuro são as cartas à direita e passado à esquerda da carta do Louco. Este jogo me fez seguir ainda mais com a minha pesquisa. [Veja apresentação de Jaime E. Cannes e um exemplo de Titi Vidal]
Costumo prestar muita atenção quando o Louco sai numa tirada de cartas, isso porque nos meus jogos ou ele está na posição onde eu considero importante, mas não estou sabendo lidar com a questão ou eu nem estou ligando para aquela questão, que de fato é importante, esta última é mais frequente, por questões óbvias.
Não utilizo nem o Mago e nem a Sacerdotisa como sendo o consulente na tirada de cartas, mas presto muita atenção quando sai o Louco e tenho pesquisado isso nos jogos que faço para as outras pessoas também.
Tenho tido muitos retornos favoráveis e gostaria de dividir isso com você e ter o seu retorno. Da próxima vez em que sair o Louco nos seus jogos, repare se não é uma questão importante e que por estar lá o Louco, você não está lidando corretamente com ela. Às vezes você nem está dando a importância devida àquela questão e então mais tarde você descobre que perdeu uma oportunidade ou perdeu algo que poderia ser valioso no futuro. Cabe ressaltar que nunca será uma perda grande ou um problema sério, pois o Louco está sempre espiritualmente amparado, mas poderia ter sido uma grande oportunidade, se você estivesse atento e isso é praticamente impossível quando se trata do Louco numa questão.
O Louco no Tarô de Marseille-Camoin-Jodorowsky     O Louco no Tarô de Etteilla     O Louco no Tarô de Waite
O Louco nos tarôs de Marselha (1760), Etteilla (1788) e Waite (1910)
Ilustrações copiadas de jogos adquiridos pelo responsável pelo Clube do Tarô
Por isso proponho um exercício e tente pensar em como você lidou com a questão, onde tirou a carta do Louco em qualquer jogo. Analise a posição em que ele caiu e pergunte-se qual dos 21 papéis aquele louco estava desempenhando naquele momento que não deu a importância devida? Era a vontade cega do Imperador, o controle da Força? A inoperância do Pendurado? Ou você estava construindo uma Torre para chegar aos Céus? Será que você estaria deixando o otimismo da Estrela te levar? Ou querendo concluir tudo, finalizar, como o Mundo? Preservar a situação como a Imperatriz? Podem ser mais de um, combinados, afinal ele é o Louco, aquele que absorve conhecimento experimentando ser cada um.
Repare que todos esses arcanos são maravilhosos e podem ser péssimos também dependendo da situação em que o arcano sai no jogo. Mas não estou falando especificamente deles estou utilizando suas interpretações arquetípicas para saber como aquele Louco, que saiu naquela questão, está se comportando ou se comportou pra eu ter perdido algo ou ter deixado passar. Nunca uma coisa muito grave, mas realmente poderia ter aproveitado melhor. O Louco não é somente o Louco, ele traz naquela trouxa todos os elementos que são como os dons dos outros arcanos que se transformam em talento quando ele experimenta cada um deles.
Ajude a seguir com a pesquisa, retornando para mim a sua experiência com esse arcano mutável.
O Louco é ou não é o consulente no jogo da vida?
maio.12
Contato com a autora:
Tinah Lima é taróloga, astróloga e terapeuta holística
tinah.lima@gmail.com e www.tinahlima.com
Outros trabalhos seus no Clube do Tarô: Autores
 
  Baralho Cigano
  Tarô Egípcio
  Quatro pilares
  Orientação
  O Momento
  I Ching
Publicidade Google
 
Todos os direitos reservados © 2005-2019 por Constantino K. Riemma  -  São Paulo, Brasil