Home page

22 de agosto de 2019

Responsável: Constantino K. Riemma


Linha da Vida
Apresentação de
Constantino K. Riemma
Um bom exemplo de aplicação do Tarô com o propósito de traduzir o perfil da trajetória individual é a Linha da Vida, apresentada por Dicta e Françoise no livro Tarot de Marseille. As autoras sugerem um particular sistema numerológico para encontrar os cinco arcanos que representam a vida de uma pessoa.
Apesar dos reparos que podem ser feitos quanto a certos aspectos da técnica da Linha da Vida (os valores numéricos atribuídos às letras; a exclusão do sobrenome materno) ela tem se mostrado elucidativa para os profissionais e, ainda, uma fonte de exercícios para estudantes do Tarô, em especial quando praticados em grupo para desenvolver o pensamento simbólico. Essa é a opinião de quem utiliza, há muitos anos, a Linha da Vida para estimular o envolvimento nos cursos básicos sobre os Arcanos Maiores.
Para apresentar a técnica, fizemos a tradução do texto original de Dicta e Françoise. Além da apresentação dos aspectos técnicos, as autoras incluem a descrição de um pequeno ritual que utilizam para trabalhar as cartas da Linha da Vida nas noites dos solstícios de inverno e de verão (simbolicamente, dias de São João).
Uma alternativa que tem se mostrado útil é a de incluir no cálculo o sobrenome da mãe, como é o usual nas práticas brasileiras com a numerologia.
O Cálculo da Linha da Vida
Dicta e Françoise
in Tarot de Marseille, Ed. Mercure de France.
Tradução de Constantino K. Riemma
Os quatro primeiros arcanos do Tarô, cálculados para descrever a Linha da Vida, correspondem, para cada indivíduo:
(1) à sua personalidade,
(2) ao seu meio de nascimento,
(3) às metas às quais pode aspirar e
(4) à reflexão, quando chegar à maturidade, de tudo o que viveu anteriormente.
O quinto arcano, que resulta da soma dos valores dos quatro primeiros, representa o cumprimento de todos os dons recebidos.
O conhecimento destas etapas, no caminho de nossa vida, permitirá tirar maior proveito da existência. É certo que não podemos evitar as dificuldades, mas devemos trabalhar de tal forma que elas nos sirvam de experiência. O sentido desses arcanos será tríplice: físico, mental e metafísico. Nosso nome de nascimento ressoa como um poder vibrante e é utilizado por muitas tradições.
Para calcular a linha da vida tomaremos o nome, o sobrenome do pai e o ano em que viemos ao mundo. No caso de mulheres casadas se utiliza o nome de solteiras. Um pseudônimo pode ser também empregado, mas apenas no que diz respeito à profissão para o qual foi escolhido.
Esse cálculo foi uma das revelações de minha avó. Alguns autores chamam essa numeração do alfabeto com “roda de Pitágoras”.
Tabela dos valores da letras: "A Roda de Pitágoras"
A = 1
H = 28
O = 8
V = 9
B = 2
I = 15
P = 77
W = 9
C = 4
J = 15
Q = 27
X = 13
D = 5
K = 8
R = 11
Y = 50
E = 3
L = 21
S = 20
Z = 70
F = 8
M = 19
T = 6
-
G = 10
N = 26
U = 9
-
A tradição atribui essa correspondência numérica a épocas muito antigas e sua transmissão se realizou, portanto, boca a boca. A primeira informação escrita encontramos através de um livro de M. Lenormand, a célebre vidente. De onde ela obteve esse alfabeto? É um mistério a mais na história dessa mulher surpreendente. Georges Saint-Bonnet, curador e sábio de nossa época, também usava este sistema numérico que, segundo ele, provinha dos Rosa-cruzes. A lei do silêncio parece encobrir sua verdadeira origem, já que minha avó, por sua parte, sempre negou revelar suas fontes. Ela também chegou a mencionar os Rosa-cruzes, mas sem precisar mais nada.
Nota sobre a “Roda de Pitágoras”: M. Lernormand atribui o valor 16 à letra K, enquanto que Saint-Bonnet atribui 8. Durante anos trabalhamos este sistema, com centenas de nomes célebres do passado, conhecidos por suas obras ou por suas vidas, utilizando as duas notações. A que transcrevemos aqui (K = 8) é a que nos proporcionou os resultados mais satisfatórios.
Relação numérica dos 22 Arcanos Maiores
   1. O Mago    2. A Papisa
   3. A Imperatriz    4. O Imperador
   5. O Papa    6. Os Namorados
   7. O Carro    8. A Justiça
   9. O Eremita   10. A Roda da Fortuna
  11. A Força   12. O Pendurado
  13. Sem Nome   14. A Temperança
  15. O Diabo   16. A Casa de Deus (Torre)
  17. A Estrela   18. A Lua
  19. O Sol   20. O Julgamento
  21. O Mundo   Sem nº: O Louco (0 ou 22)
 
Um exemplo de cálculo
Vejamos agora um exemplo para explicar o sistema de cálculo: Marie Demaison, nascida em 1935.
- Substituímos cada uma das letras do nome e sobrenome pelo valor correspondente: M = 19, A = 1, R = 11, I = 15, E = 3, e assim por diante. A soma do nome é 49 e a do sobrenome 97. Reunindo os dois resultados obtemos: 49 + 97 = 146. A seguir, fazemos a redução teosófica, ou seja: 1 + 4 + 6 = 11. Este será o primeiro arcano da linha da vida de Marie Demaison: A Força. (Para saber qual carta corresponde a cada número, veja a tabela, acima).
No caso de resultado superior a 22 será necessário continuar reduzindo o número pelo sistema teosófico. (Veja exceção abaixo)
- Tomamos o ano de nascimento e o reduzimos: 1 + 9 + 3 + 5 = 18. Isso dará o segundo arcano: A Lua. (Se a soma for superior a 22, veja abaixo a Exceção 1ª).
- Efetuamos a redução do segundo resultado para obter o terceiro: 1 + 8 = 9, que é O Eremita. (Veja exceção abaixo)
- A operação seguinte consiste em somar o primeiro arcano ao terceiro: 11 + 9 = 20, O Julgamento. Se o número for maior que 22 recorremos à redução teosófica.
- Finalmente, somamos os valores dos quatro arcanos obtidos: 11 + 18 + 9 + 20 = 58, que reduzido, 5 + 8 = 13, corresponde à quinta carta da linha da vida, o Arcano Sem Nome.
Exceções na redução do ano e no valor 22
- Se a redução do ano de nascimento (como é o caso de 1986, 1+9+8+6 = 24), for superior a 22 é necessário fazer mais uma redução teosófica para encontrar o segundo arcano, ou seja: 2 + 4 = 6. Quando isso acontecer, obteremos o terceiro arcano acrescentando o mês de nascimento. Neste caso, para obter o 4º arcano, somaremos o valor da segunda e não o da terceira carta.
- Se uma redução der 22, o arcano respectivo será O Louco. Caso se encontre na segunda posição, (a do ano de nascimento), daremos o valor quatro à terceira (22 -> 2 + 2 = 4). Porém, na soma para obter a quinta carta, atribuímos valor zero para segunda carta.
O papel de cada carta
São as seguintes as significações dos Arcanos na Linha da Vida:
- representa nossa personalidade, os dons físicos e morais e tudo o que nos foi concedido por nascimento.
- relaciona-se ao ambiente familiar, à época em que viemos ao mundo e às vantagens e dificuldades que esse meio irá proporcionar.
- nos mostra as metas que podemos esperar e a evolução do nosso caráter até chegar a idade adulta; indica também o caminho escolhido.
- corresponde à realização, à opinião de si mesmo na maturidade e o olhar retrospectivo sobre nossa vida até então
- se vincula à reencarnação, ao cumprimento dos fins específicos de nossa vida, sempre e quando tenhamos trabalhado de forma constante para chegar a isso.
Exemplo de interpretação
No exemplo de cálculo encontramos: a Força, a Lua, o Eremita, o Julgamento e o Arcano sem nome.
A Força, no começo da vida, se apresenta como uma carta muito saudável e bela Outorga instintos apaixonados, agressivos, mas também nos dá o poder de dominá-los e canalizá-los. A infância não será tranqüila, mas será acompanhada de saúde física e moral e de uma necessidade de liberdade que terá influência pelo resto da vida. Desde o início a luta será dominante.
A Lua, como reveladora do meio social (ou o local de nascimento) é, neste caso, instável e incerto. Isso permitirá que se apresentem muitas viagens e experiências. Este arcano indica também um ambiente imaginativo, artístico, que pode às vezes ser um obstáculo inicial à vida prática. A impetuosidade da natureza vai se exteriorizar, no sentido positivo, sob a forma de uma visão poética do universo ou, ao contrário, se expressará numa personalidade instável e vagabunda.
O Eremita, como símbolo da escolha de um caminho, indica que, neste caso, a solidão foi escolhida como uma etapa necessário para o próprio progresso. Isso também poderia significar um divórcio ao chegar à maturidade. Mas, então, isso não terá conseqüências de juma catástrofe, já que este arcano permite superar as provas e aproveitarmos delas para finalidades interiores.
O Julgamento, enquanto significador das realizações, oferece a possibilidade de voltar a começar a partir do zero. É também símbolo de amor, de respeito e de excelente reputação num ofício.
O Eremita e o Julgamento se equilibram entre si: são dois arcanos vinculados à realização interior e exterior.
O Arcano sem nome, indica que o objetivo moral ao qual há que se chegar não é muito fácil. A lei que rege esta carta é a de fazer desaparecer todas as coisas inúteis, tudo aquilo que não seja essencial. Na velhice, neste caso, se mostra agitada, com ciclos sucessivos de inspiração e de lutas positivas. Esta carta é muito ativa e obriga, numa idade em que a pessoa poderia aspirar ao descanso, a um movimento incessante, em meio a múltiplas mudanças. É este o único inconveniente deste arcano, o qual, ao encontrar-se nesta posição, simboliza uma preparação ao porvir.
Em resumo, esta existência tomada como exemplo será suficientemente agitada e violenta, e estará em relação com lutas de natureza social, em diferentes períodos da vida. As provas se acontecerão do final do trajeto têm a ver, fundamentalmente, com o aspecto espiritual.
Meditações
Para atravessar as diferentes etapas de sua existência, o consulente deverá se apoiar sobre dos dons dos quatro primeiros arcanos. O tempo de transcurso de um período ao outro pode variar. Aqui, o tempo não é um fator importante. Mas cada arcano continuará influenciado sua vida, até que sua lição tenha sido assimilada.
É preciso interpretar primeiro cada carta em separado, para passar em seguida às relações existentes entre elas. Os arcanos podem ser complementares ou também opostos. Finalmente, é necessário relacionar o primeiro ao quinto, já que o estudo de suas semelhanças e diferença poder dar frutos muito importantes.
Se numa linha da vida se repetem duas vezes o mesmo arcano, o consulente deverá considerar dois níveis desta cara: o físico e o mental. Estar alerta e tratar de compreender todos os ensinamentos desse arcano o levará a uma melhor realização de si mesmo. Recusá-los, significará insucesso.
Uma pessoa pode ter repetido três vezes um mesmo arcano em sua linha da vida e isso pode ser favorável ou, bem ao contrário, pode constituir um obstáculo que terá que ultrapassar. Mas, seja como for, essa tríplice representação marca sempre um destino fora do comum. No caso de duas cartas idênticas é mais comum e assinala, em geral, um esforço para ser realizado sobre dois planos: o físico e mental.
Um estudo muito interessante pode ser feito a partir dos nomes e sobrenomes de outros membros de nossa família. Por exemplo, pode acontecer que alguém calcule a linha da vida de sua avó e encontre que a primeira posição corresponde ao Imperador, enquanto que para ela própria, que faz o cálculo, este mesmo arcano se encontre na quinta posição. Isso pode ser interpretado como uma forma de destino familiar ou como uma mensagem que se transmite de uma pessoa à outra, estando a última delas em linha obrigatória de cumprir o recado dado.
O papel de cada carta
Há duas meditações que podem ser feitas com os cinco arcanos de nossa linha da vida: a primeira durante o São João de inverno, no dia 27 de dezembro (no hemisfério norte) e, a segunda, no São João de verão, no dia 21 de junho (no hemisfério norte).
Na noite mais longa do ano, que simboliza nosso afastamento da luz espiritual, os iniciados meditam, pois foi ensinado que a inspiração desce sobre aquele que pede quando mergulhado na mais profunda obscuridade noturna. Dispõe-se as cinco cartas sobre um pano: as quatro primeiras formando um a linha e a última abaixo delas. Nos detemos em cada uma delas, pela ordem, e uma oração pode ser proferida. Depois, misturam-se as cinco cartas, que são colocadas viradas sobre o pano, com o objetivo de ser escolhida uma delas. A carta escolhida será como que uma mensagem sobre a qual deveremos meditar.
Para o São João do verão podemos proceder da mesma maneira, contemplando as quatro cartas iniciais e fazendo uma oração. Em seguida, nos concentramos sobre a quinta carta. A noite de São João de verão é a mais curta do ano e é um símbolos das realizações que foram meditadas ou planejadas durante o inverno e executadas na primavera. Durante este período contamos com a ajuda de força invisíveis.
Outros estudos sobre a Linha da Vida
  A taróloga Maria Celeste Rodrigues relata sua experiência de utilização da Linha da Vida em atendimentos e na comparação com o horóscopo natal: Linha da Vida – o mapa astral do Taro
 
  Yewa Lintz de Freitas conta como utiliza a técnica e dá exemplos que ajudam os iniciantes: A Linha da Vida e a nossa caminhada.
 
Atualizado: novembro.11
  Baralho Cigano
  Tarô Egípcio
  Quatro pilares
  Orientação
  O Momento
  I Ching
Publicidade Google
 
Todos os direitos reservados © 2005-2019 por Constantino K. Riemma  -  São Paulo, Brasil