Home page

23 de abril de 2019

Responsável: Constantino K. Riemma


Áreas social, econômica e política
Flávio Alberoni
Procurei tirar os arcanos para três valores básicos de nosso Brasil. Aspectos importantes e profundamente interligados: área social, área econômica e área politica. Eu diria que são aspectos que nos preocupam deveras.
Na sequencia saíram os arcanos 4, 11 e 13: O Imperador, A Força e A Morte.
De certa maneira orgulhei-me de ser brasileiro, pois apesar de tudo, apesar desta turbulência, estamos chegando a um momento de tranquilidade na área, pois o arcano 4 é favorável. Onde se busca uma harmonia, um equilíbrio a médio prazo.  As greves, as brigas ainda continuarão, mas sem acontecer a convulsão que nos assusta. No entanto, com ela se estimula duas coisas: o encontro de si mesmo, explorando as próprias deficiências – apanágio da Força – e, em segundo lugar, um enfrentamento forte das paixões exacerbadas – Arcano XV (O Diabo) – ditado pela soma das cartas 4 e 11. Sem, no entanto descambar para um ambiente de terror que ele nos faz acreditar em nossa desesperança. O processo do lava-jato e mensalão e outros que porventura aconteçam, surgirão de maneira clara, atacando o XV e o XI, fazendo surgir o que está escondido há tanto tempo!
Tiragem de Flávio Alberoni
4. O Imperador, 11. A Força e 13. A Morte.
Cartas do Tarô de Oswald Wirth
O Arcano 11 me informa que na área econômica haverá ainda uma tendência ao disfarce, sem tentar um enfrentamento direto dos problemas. Muito conflito ditado pela soma da Força com a Morte (11+13=24 --> 6), ou seja, o Arcano 6. Os Namorados, que nos informa que há apegos demasiados ao status quo criado por décadas. Muita consideração, muitos acordos que não cederão facilmente. A relação com o XV permite afirmar que deverá surgir alguém que se dirá dono da verdade e que, no entanto, tentará esconder mais os podres na economia, mesmo não sendo da área (a Força não se caracteriza por ser algo delimitado. É uma força que se expressa de maneira multifacetada). Será que não já o conhecemos? Longo caminho a percorrer aqui. As pessoas que não agem diretamente na área econômica, mas que a influenciam bastante, tentarão manter o que já existe. Cenário pouco otimista este ano. No entanto o Arcano XI é favorável à distancia, pois estimula o jogo democrático.
O Arcano XIII na área politica me é simpático. O processo de desmascaramento continuará e novas lideranças se firmarão. Ainda este ano. O fato de haver forte relação social (4 se relaciona com o 13 pela soma dos algarismos), pois é de onde vem o jogo politico, me faz afirmar que é questão de tempo. E rápido, pois o XIII não gosta muito de demoras. Embora o Imperador fixe a rotina como o ideal.
Algo se desponta a ser avaliado com forca é uma demanda cartorial. Uma crítica acerba de nossa burocracia e os primeiros passos para uma racionalização da circulação de energia nos nossos domínios. 
A soma dos três elementos (Arcano IX) nos faz lembrar que tudo acontecerá de maneira lenta, mas depende de nós – pois o IX é independente e como Eremita, busca apenas sua autoconsciência sem dependência – criarmos raízes para um futuro mais promissor. Eu diria que esta é uma época muito feliz para isso. E desta maneira deve ser encarada.
Cartas resultantes de associações numéricas
Cartas incluídas na leitura por associações numéricas das três iniciais:
6. Os Namorados (11+13=24 > 6); 10. Roda da Fortuna (4+11+13=28 > 10);
15. O Diabo (4+11=15) e 9. O Eremita, que surgiu por outro caminho...
Ocorreu um fato incomum no processo de leitura. Fui lembrado pelo Constantino, na edição do texto, que a soma dos números das cartas retiradas de início — 4, 11 e 13 somam 28, que se reduz 2+8=10 — nos leva ao arcano 10. A Roda da Fortuna e não ao 9. O Eremita. O erro numa conta simples não me é usual, portanto acredito haver aí um elemento a mais que pode ser considerado: que o Eremita, por suas características, torna lento o processo transformativo ao qual a Roda da Fortuna nos levaria, por suas características intrínsecas. Isso provoca uma lentidão no processo, estimulando a maturidade e fazendo que ocorra posteriormente de maneira mais funda e permanente. Até porque a oposição entre os Arcanos XIII e X (vide as correspondências de Oswaldo Wirth e sua relação binária), fortalece o processo transformativo que é inevitável. A ação do Arcano IX impede a convulsão social. Isso confirma e fortalece a ação do Arcano IV, já citado, além de direcionar a energia deste ao XIX (soma dos IX e X), justamente o oposto ao Imperador, pela sugestão do Wirth. Dá força ao equilíbrio e notabiliza a purificação lenta e segura do sistema. Assim seja.
O símbolo deste período da Primavera de 2015 é uma arvore muito grande. Mas, sua copa e muito maior que o seu tronco. E as raízes enormes, buscam ardentemente se fixar melhor a terra. Uma característica da copa da arvore, é que tem poucas folhas. Vejo muitos ramos, poucas folhas. E portanto poucas flores e portanto ainda poucos frutos. Para onde está indo a energia que as raízes conseguem tão avidamente?  Pensemos nisso. E tenhamos a certeza de que somos responsáveis totalmente pelas raízes, pelo tronco, pela copa, pelas folhas e pelos frutos. Depende tudo de nós. Os Arcanos, apesar de indicarem uma transitoriedade, são formidáveis mensageiros de esperança.
 
No monte elevado
a árvore forte gentilmente se inclina
à força da brisa -
que traz como perfume a esperança.
 
Contato com o autor:
Flávio Alberoni - alberoni@uol.com.br
Outros trabalhos seus no Clube do Tarô: Autores
Edição: CKR – 11/09/2015
Partilhe seus comentários ou deixe questões para o Autor responder
  Baralho Cigano
  Tarô Egípcio
  Quatro pilares
  Orientação
  O Momento
  I Ching
Publicidade Google
 
Todos os direitos reservados © 2005-2019 por Constantino K. Riemma  -  São Paulo, Brasil