Home page

13 de dezembro de 2018

Responsável: Constantino K. Riemma


  Lygia e Tarot - tópicos : Arcanos maiores | Naipe de Paus | Copas | Ouros | Espadas  
Lygia Fagundes Telles e os Caminhos do Tarot
O Naipe de Paus
Cláudia Ferrari
Os Arcanos Menores correspondem exatamente ao jogo de baralho comum, possuindo as cartas de Ás a Rei em quatro naipes: Paus, Copas, Ouros e Espadas. Assim sendo, o que diferencia o Tarot de um jogo de baralho comum são as suas vinte e duas cartas a mais, os Arcanos Maiores. Em relação ao baralho moderno, com apenas três figuras, o tarot traz o Valete, representado em alguns tarots pelo Pajem e, em outros, pela Princesa.
Tanto os Arcanos Maiores como os Arcanos Menores estão ligados a determinadas energias, possuindo cada uma dessas cartas um significado específico. Cada um dos naipes nos apresenta uma iluminação particular, um aprendizado energético. Algumas destas lições são de luz, enquanto outras são de sombras, pois neste nosso mundo impera a dualidade e a polaridade. Além disso, a luz tem seu ponto negativo no deslumbramento, enquanto a sombra tem seu ponto positivo no fortalecimento, num jogo de mesclas tipo ying-yang. Na vida, o ideal seria balancear a energia dos quatro naipes dos Arcanos Menores, dos vinte e dois caminhos dos Arcanos Maiores, aprender todas as suas lições e poder converter toda essa multiplicidade energética à unidade do número um. Eis o caminho da luz!
 
Foto de Lygia Fagundes Telles
 
“Na vocação para a vida está incluído o amor,
inútil disfarçar, amamos a vida.
E lutamos por ela dentro e fora de nós mesmos.
Principalmente fora, que é preciso um peito de ferro
para enfrentar essa luta na qual entra não só o fervor,
mas uma certa dose de cólera,
fervor e cólera.
Não cortaremos os pulsos,
ao contrário,
costuraremos com linha dupla
todas as feridas abertas.”

Lygia Fagundes Telles
 
O critério que usei para escolher qual personagem (ou qual situação) representa melhor a energia de cada carta foi o mesmo do estudo dos Arcanos Maiores: a que melhor identifica ou sintetiza a personagem ou a situação de um modo geral. Explico assim a energia de personagens e situações por um aspecto, aquele que mais chama a atenção no conjunto. Lembro, denovo, que tanto os personagens quanto as situações da obra de Lygia possuem uma tessitura extremamente desenvolvida e sua composição é uma mescla de várias energias que se alternam.
Ás de Pausno Universal Waite Tarot
 
Ás de Paus - Iniciação
As Cerejas. O naipe de Paus representa a energia do elemento fogo, do espírito e também da paixão. O Ás de Paus é representado por uma mão segurando uma varinha.
No conto As Cerejas, a narradora menina fica fascinada com o decote de Tia Olívia, que é ornado com um broche de cerejas. Ao presenciar, sem querer, um encontro sexual entre essa tia e um jovem parente que está na casa de passagem, a menina passa por uma velada iniciação.
As Cerejas é um conto com toques de erotismo e a lição dele (e da carta) é descobrir este fogo dentro de si e dar vazão a ele no momento propício.
<-- Ás de Paus no Universal Waite Tarot
Dois de Paus - Planejamento
As Formigas. O Dois de Paus possui a energia da premeditação e da organização. Geralmente esta carta é representada por uma jovem segurando duas varinhas diante de um terreno pronto para a semeadura. No conto As Formigas, duas jovens estudantes alugam um quarto na casa de uma velha esquisita e percebem que, à noite, formigas estão se organizando para montar o esqueleto de um anão. Diante disso, elas fogem apavoradas. A figura do anão é recorrente na obra de Lygia e representa a luta entre o lado espiritual e o lado carnal do ser humano. No caso deste esqueleto, as meninas intuem uma revelação para a qual elas ainda não estão preparadas. A lição da carta e do conto é a elaboração de projetos com cautela e sem fazer alarde, para que possíveis colaboradores não saiam correndo.
Três de Paus - Oportunidade
O homem ruivo e a gaiola aberta. O Três de Paus é a carta do ensejo e da ocasião. Sua energia é representada por um jovem à beira do oceano observando um navio. No conto História de Passarinho, um homem ruivo tem um passarinho de estimação que se debate até a exaustão para se libertar da gaiola. Um dia o homem esquece a porta aberta da gaiola e um gato come o passarinho. Neste fato, o homem vê seu desejo de liberdade do casamento e em sua vida. Ele vai embora e não volta. A lição deste conto e desta carta é que as gaiolas muitas vezes são imaginárias e a oportunidade de fazer o que desejamos está na realidade em nossas mãos.
Quatro de Paus - Realização
O jogo silencioso. Esta carta está ligada à realização, à prática e à organização. Sua representação energética é feita por dois parceiros dando as mãos. No conto Você não acha que esfriou? temos o encontro afetivo da personagem Kori com Armando (o homem que ama o seu marido Otávio) e a energia da realização se dá quando os personagens forjam um desejo inexistente, apenas no intuito de preencher um vazio. Os personagens são frios, mas o jogo é limpo, pois ninguém está enganando ninguém. A lição deste conto e desta carta é a concretização de um projeto, independente da realização pessoal.
Cartas de 2 a 5 do naipe de Paus no Universal Waite Tarot
As cartas de 2 a 5 do naipe de Paus no Universal Waite Tarot
Cinco de Paus - Competição
Mãe de Gina e Oriana. A energia desta carta é de combate e geralmente é representada por lutadores. No conto Uma Branca Sombra Pálida, o amor de Gina é disputado por sua mãe e por sua amiga até mesmo depois de sua morte. Este conto é narrado pela mãe de Gina e as alegorias do certo e errado que ela incita são muito claras: as flores brancas dela no jarro do lado direito e as flores vermelhas de Oriana no jarro do lado esquerdo. As flores brancas dela da cintura pra cima, no caixão da filha, e as flores vermelhas de Oriana da cintura pra baixo. Entretanto, esta personagem é tão suspeita quanto o Bentinho de Machado de Assis falando sobre a traição de Capitu no romance Dom Casmurro. Nem Gina e nem Oriana tiveram a palavra, assim como Capitu também não teve. Esta mãe, que disputava a filha viva e também depois de morta com Oriana, que espiava pelo buraco da fechadura, que experimentava o chão onde as meninas se deitavam, confessa que no dia que Oriana encontrar outra, esta será a sua maior traição. A lição do conto e da carta é que sejamos fortes porque a luta continuará sem trégua em toda e qualquer circunstância, deste lado e do outro.
Seis de Paus - Vitória
Era só um maço de cigarro. O Seis de Paus representa a energia do triunfo. Geralmente esta carta é representada por um jovem montado em um cavalo segurando seis varinhas que simbolizam a vitória. No conto A Testemunha, Miguel insiste que seu amigo Rolf lhe conte o que aconteceu entre eles na noite anterior. Rolf insiste que não aconteceu nada, mas Miguel, teimoso, quer saber. De maneira extremamente sutil, o diálogo sugere que talvez houvesse passado um encontro mais íntimo entre esses dois amigos. Por ser a única testemunha deste ocorrido não especificado, Miguel joga o amigo no rio e é surpreendido pelo guarda que presencia apenas o movimento final. Miguel triunfante diz que jogou apenas um maço de cigarro vazio e o guarda repreende: “Eu sei. Mas não pode. É a lei.” A lição do conto e da carta é que a vitória, justa ou não, pode ocorrer no momento e da forma mais inesperada.
Sete de Paus - Coragem
Lião. O Sete de Paus é a carta da valentia e do desembaraço. Esta energia é representada por um jovem caminhando por uma estrada tortuosa e decorada com sete varinhas. Lião, uma das três narradoras do romance As Meninas, é militante de esquerda na época da ditadura, sofre com a prisão do namorado e faz contraponto de realidade ao lado burguês de Lorena e aos desajustes de Ana Clara, suas amigas de pensionato e também narradoras da história. A lição desta carta e desta personagem é enfrentar todos os problemas de cabeça erguida.
Cartas de 6 a 9 do naipe de Paus no Universal Waite Tarot
As cartas de 6 a 9 do naipe de Paus no Universal Waite Tarot
Oito de Paus - Sinais
Objetos. A energia do Oito de Paus está voltada aos sinais, àquilo que devemos prestar atenção. Sua energia é representada por oito varetas arremessadas ao ar mandando sinais de comunicação. No conto Os Objetos, Miguel mostra a Lorena que todos os objetos só tem significado enquanto eles tem uma função, seja a memória das bolas de sabão da infância que um globo de vidro carrega, um peso de papel que apenas tem valor se estiver sobre papéis, ou um anjo que só importa se for tocado. Assim como os objetos, as pessoas só tem valor se forem amadas. A lição desta carta e deste conto é prestar atenção nos sinais e na importância de todas as coisas.
Nove de Paus - Disciplina
Dona Elzira. O Nove de Paus é a carta da instrução e da organização. Sua energia é representada por um jovem organizando nove varinhas. No conto Papoulas em Feltro Negro, Dona Elzira é a professora disciplinada que, usando um chapéu de papoulas, vai ao encontro de suas ex-alunas, muitos anos depois. Neste encontro a narradora descobre que Dona Elzira tinha uma visão totalmente distinta daquela menina que ela julgava ser e aquilo que aos olhos infantis parecia perseguição era, na realidade, proteção (esta narradora e Dona Elzira fazem uma ponte de relação com Virgínia e Frau Herta do romance Ciranda de Pedra.) A lição deste arcano e de Dona Elzira é manter a ordem acima de tudo.
Dez de Paus - Opressão
Tom. O Dez de Espadas é uma carta de peso que geralmente é representada por um homem carregando uma carga muito acima de sua capacidade. No conto A Chave, este peso é representado pela leveza da juventude de Magô, que pesa muito para o marido Tom, trinta e um anos mais velho que ela. Esse contraponto de juventude e velhice aparece das mais diversas formas na obra da autora e sempre de maneira áspera.
A leveza de Magô pesa para Tom, o calor do sangue da mulher lhe dá frio, os espelhos que refletem a beleza dela são os mesmos que refletem a degradação dele. O peso da situação é maior do que ele pode suportar e o conto caminha então para o lado onírico, fazendo Tom se lembrar de sua primeira esposa Francisca, voltando para ela e devolvendo-lhe a chave. De novo o controle da situação que é cômoda. Porém equilibrada.
Dez de Paus no Universal Waite Tarot -->
 
Dez de Paus
Princesa/Pagem de Paus - Impulsividade
Raíza. A Princesa de Paus é uma jovem que parece um carneirinho, porém é imprudente e arrebatadora. A energia desta carta é representada por uma princesa segurando uma varinha. No romance Verão no Aquário, Raíza é a narradora impulsiva que durante um verão revê seus relacionamentos afetivos e analisa histórias de família que lhe são recontadas enquanto observa a amizade de sua mãe com um jovem padre que lhe atrai. Por causa desta atração Raíza força situações que resultam no premente encontro sexual dela com este padre e que culmina no suicídio dele. A lição deste romance e desta carta é domar o impulso para que as coisas possam ser vistas com clareza. Com o fim do verão e a morte deste jovem que tinha o olhar dourado, Raíza finalmente passa a enxergar a vida com os olhos abertos.
Cavaleiro de Paus - Impulsividade
Emanuel. O Cavaleiro de Paus significa a cobiça, o desejo desmedido e a obstinação intensa. Sua energia é representada por um jovem montado num cavalo segurando uma varinha. No conto Emanuel, Alice está numa reunião de amigos e, em pensamento, confessa a si mesma o seu desejo pela beleza e pelo poder. Lá pelas tantas, ela tem uma “apoteose mental” ao contar ao grupo que ela arrumou um amante rico e lindo. Seu nome é Emanuel e esta é apenas uma transposição que ela faz de seu gato. Então, ao contar, ela mescla como encontrou o gato real na rua à fantasia de como leva o relacionamento com este amante rico. Terminamos com um amigo que vem correndo lhe dizer que Emanuel veio buscá-la na festa. Alice e Emanuel de Lygia fazem correspondência a Alice Liddell e o gato de Cheshire de Lewis Carroll. A lição desta carta e deste conto é domar a ganância para que ela não escureça a personalidade.
Cartas da Corte do naipe de Paus no Universal Waite Tarot
Pajem, Cavaleiro, Rainha e Rei do naipe de Paus no Universal Waite Tarot
Rei de Paus - Dinamismo
A Metamorfose do Cachorro de Circo. O Rei de Paus está ligado à energia e à ação. Sua representação é feita por um rei sentado num trono segurando uma varinha. No conto Crachá nos Dentes, observamos o dinamismo e o vigor com que um cachorro de circo conta sua metamorfose: “Fui humano quando me apaixonei” e “Nem precisei ir ao espelho pra saber que tinha virado cachorro de novo”. Narrado com intensa vitalidade, este conto e esta carta ensinam o entusiasmo, a urgência, a rapidez de se passar de um estado de alma a outro, bem como a luta em domar o instinto animal. Este personagem faz contraponto com a personagem Tigrela no que diz respeito à transmutação que o amor oferece.
Rainha de Paus - Inspiração
Rosa Ambrósio. A Rainha de Paus está associada aos influxos, aos lampejos. Geralmente representada por uma mulher madura, segura de si, sentada em um trono e segurando uma varinha. Rosa Ambrósio é uma das vozes narrativas do romance As Horas Nuas, texto que conta sua história mesclando seus pensamentos à voz narrativa de seu gato Raul. Atriz em decadência, ela gosta de beber, acredita ser dependente de sua analista Ananta Medrado e possui uma relação com sua filha Cordélia muito parecida ao que vemos no conto Uma Branca Sombra Pálida, entre Gina e sua mãe, no que diz respeito à liberdade que o pai dava e que – segundo elas – conduziu a caminhos tortuosos que elas não conseguem endireitar. Rosa Ambrósio possui também ligações emocionais profundas com Ana Clara, a linda jovem do romance As Meninas e que, se tivesse sobrevivido, poderia ter virado a própria Rosa na maturidade. A lição de Rosa Ambrósio e da Rainha de Paus é a inspiração e a preservação da energia feminina em seu melhor estilo.
  Outros tópicos : Arcanos maiores | Naipe de Paus | Copas | Ouros | Espadas  
Contato com a autora:
Cláudia Ferrari é licenciada em Língua e Literatura Portuguesa e Brasileira pela USP.
É autora do romance American Bar publicado pela Ed. América Literária, em 2006.
Entre vários escritos, tem a peça Take Me With You, escrita em parceria com o
dramaturgo italiano Mario Fratti, publicada nos EUA pela S.S.Literary Agency em 2011.
Para mais informações, consultas, cursos, palestras e eventos:
www.clauferrari2003.wix.com/clauferrari#!gallery
Outros trabalhos seus no Clube do Tarô: Autores
Revisão: Ivana Mihanovich
Edição: CKR – 30/06/2015
Partilhe seus comentários ou deixe questões para o Autor responder
  Baralho Cigano
  Tarô Egípcio
  Quatro pilares
  Orientação
  O Momento
  I Ching
Publicidade Google
 
Todos os direitos reservados © 2005-2018 por Constantino K. Riemma  -  São Paulo, Brasil