Home page

19 de setembro de 2019

Responsável: Constantino K. Riemma


Tarotchoaching e a inter-relação entre os arcanos
Glória Marinho
"A vida conta sempre a mesma História, é sempre a mesma busca de reconhecimento, de sermos aceitos e respeitados.
O nosso contador de histórias pessoal apenas nos fala de diferentes padrões de comportamento e, com um pouco de visão e escuta, podemos vislumbrar algumas diferentes escolhas e esses contos podem, assim, percorrer trajetórias parecidas e alguns finais diferentes na forma, mas, sem dúvida, iguais na essência: o encontro ou o desencontro de nós mesmos."
Maria Celeste Rodrigues
 
Este artigo nasceu, como era de se esperar, sob a influência de Maria Celeste Rodrigues e seu livro Tarotcoaching, em que apresenta uma metodologia de efetivos resultados na análise dos Arcanos da Linha de Vida. Sigo à risca a sua metodologia, mas senti precisar de algo mais para ter uma maior compreensão, que me tornasse uma facilitadora eficiente. Para isso, fui em busca das visões de autores vários que complementassem o seu pensamento utilizando uma síntese de informações sobre os Arcanos Maiores.
O Tarô, enquanto sistema de energias que permite o conhecimento interior do ser humano, pode até curar as dores da alma. Estudar o Tarô é compreender uma nova linguagem baseada em imagens, símbolos, contos, sonhos a fim dedar sentido à vida. Portadora que sou de uma estruturação psíquica sintética, sinto falta de algo mais nas interpretações.
Os Saberes do Tarô - livros de Maria Celeste Rodrigues
Tríade dos livros de Maria Celeste Rodrigues: Tarot: Uma Proposta de Vida;
Linha da Vida: O Mapa Natal do Tarot  e  Tarot Coaching - Contando Historias, Curando Vidas.
Clique sobre os títulos para acessar as respectivas resenhas
Por isso pesquisei em busca de complementos para uma interpretação mais complexa nas inter-relações dos Arcanos.
  • Relações familiares
  • Comunicação
  • Crises de mudanças
  • Espiritual e emocional
Aliado a tudo isto temos os elementos para o autoconhecimento desenvolvido pela psicologia Junguiana como diretriz principal, embora seja vista apenas em seus conceitos básicos. Para que isto ocorra tornam-se necessárias informações que irão enriquecer uma visão integrada – Psicopedagógica – como diz Celeste (desculpe a intimidade). Tudo isto será possível no estudo das inter-relações entre os arcanos, reforçando as essências de cada um, partindo do pressuposto de que a representação dos Arquétipos nas cartas do Tarô é mais complexa do que imaginamos.
Após várias leituras selecionei os itens mais importantes das Inter-relações:

  • A dinâmica dos graus de Jodorowsky
  • A Sombra
  • A Essência dos arcanos
  • Significado psicológico de Mary Steiner
Animada com os pensamentos de Celeste, continuei minha busca: “ A vida conta apenas uma ou duas histórias, o resto é repetição; cabe a nós dar-lhe nosso toque pessoal, saindo da robotização, da crença de que nada pode ser feito.”
Faz-se mister lembrar ainda do que diz Celeste:...cada arcano da Linha da Vida deve ser analisado de acordo em suas conexões com os demais arcanos em suas devidas posições.
Trata-se justamente do entendimento das inter-relações que existem entre os arcanos para o sucesso de uma boa análise comportamental.
É sabido que as energias dos arcanos funcionam em dois níveis: Esotérico e o Exotérico.
Exotérico é a reação às experiências do destino e nos desejos que personificam essas forças.
Esotérico são as energias cósmicas e transpessoais que procuram transformar o Self individual proporcionando uma maior conscientização do Self divino.
Então dando continuidade à minha pesquisa, resolvi escolher aleatoriamente três Arcanos Maiores para uma demonstração, como se estivessem na Linha da Vida, em um simulacro de análise, utilizando os resultados da minha pesquisa dos vários autores, resumidamente, é claro...
Antes, vejamos o significado dos arquétipos, segundo Celeste, com os quais concordo plenamente: “Arquétipos são estruturas funcionais que dão nascimento e organizam a forma de ser de um indivíduo, de um grupo ou sociedade. É como um caminho conhecido que nos direciona para um lugar predeterminando, estabelecendo padrões de pensamentos, modos de sentir e de agir. “
Uma novidade para mim é a questão da sombra identificada por Jodorowsky. (...) os Arcanos interagem e colaboram, traçando caminhos paralelos em direção às alturas e às profundezas, e como cada um representa a sombra e a luz do outro, inextricavelmente, de tal maneira que suas obras se mesclam e se completam. A energia de um é necessária ao outro para se manifestar.
Os Arcanos escolhidos foram os seguintes: O Eremita  (IX),  O Enamorado (VI) e O Diabo (XV).
Grau 9:  O Eremita (IX) e sua sombra O Sol (XIX)
Significado psicológico, segundo Mary Steiner: “O contato e o prazer de agir limitam-se bastante nas pessoas que começam a envelhecer. Sozinhas consigo mesmas, elas reconhecem o que valeu ou não a pena em sua vida. Com essas experiências elas podem aconselhar e se aproximar das outras pessoas”.
Em sua essência o Eremita tem como ponto principal o recolhimento e o estudo. O aprendizado é feito através das experiências que são itens importantes para não se deixar iludir nem enganar. O desafio desta vida seria o centrar-se em sua própria luz sem se importar com as reações exteriores. No tempo da elucidação segue com sua essência em busca do aperfeiçoamento de tudo que existe.
O Eremita e o Sol - Tarotchoaching
O Sol e o Eremita
Cartas do Rider-Waite Tarot redesenhado e do Eremita de autor desconhecido
O Sol é a sua sombra e vice-versa. É uma força sempre presente, a do Sol, que dá vida e renovação das coisas e contribuindo para o encontro de si mesmo. Mas, cuidado... muita luz pode cegar.
A questão da Sombra é a harmonização ou a integração entre os dois arcanos. Sem o Sol o Eremita cai na solidão e nada transmite. Sem o Eremita o Sol se espalha à toa para a individualidade. A força do Sol é a renovação que indica o caminho para o encontro de si mesmo. Para se harmonizarem precisam entender a crise de um novo ciclo. O Eremita realiza a parte individual e o Sol a prodigalidade do Coletivo.
Grau 6: O Enamorado (VI) e sua sombra A Torre (XVI)
Sentido psicológico: a primeira escolha independente desbloqueia condicionamentos infantis. O evento dependerá da decisão ter sido tomada a partir do íntimo, sem pressão externa de acordo com o intelectual. A essência do Enamorado é o anseio pela unificação. O Eu vive de aparências e isolado numa ilha fora do mundo. O cerne da questão é a vida emocional e como lidar com ela. No dizer de Jodorowsky o Enamorado é o amor incondicional e também a criança mal amada.
Tarotcoaching - O enamorado e a Torre
O Enamorado e a Torre
Cartas do Tarot Art Nouveau e do Before Tarot
A Torre é a sua sombra e vice versa. A Torre o libera de suas angústias numa explosão, unindo-o ao Cosmo. O Enamorado sem a Torre cai no narcisismo. A Torre sem o Enamorado pode torna-se destruidora de lares. Não deixando o indivíduo se isolar acabando com seu lado confortável.
Grau 5:  O Papa (V)  e a sombra O Diabo (XV)
Significado psicológico: se negarmos nosso lado sombrio, ele nos enfrentará como se fossemos inimigos externos e irá nos deprimir e controlar. Mas se aceitarmos e aprendermos a conviver com ele com o nosso jeito de Ser, então o autoconhecimento nos levará a uma compreensão mais profunda do seja realmente a nossa Sombra.
Jung vê na Sombra o depositário do que precisa ser integrada à psique para que não seja projetada nos outros.
O Papa e o Diabo - Tarotcoaching
O Papa e o Diabo
Cartas de Morgan Greer e do After Tarot (Giulia Massaglia & Pietro Alligo)
O Diabo representa o poder mal direcionado em sua essência, que é o contrário da negação da bondade e do bom comportamento. Aceitando a Sombra melhora até mesmo a saúde física e emocional.
O Papa pode ter como a sombra do Diabo e vice-versa.
O Papa é o mediador da fé. O Diabo a tentação de todas as formas. O Diabo nos obriga a conhecer nossos desejos, pulsão e compulsão Se o Diabo não aceita sua sombra, se afunda nos excessos.
Se o Papa não aceita sua Sombra, torna-se fanático e inflexível (haja vista a Santa Inquisição). Precisa aprender a lidar com as tentações para não afundar também. Esta relação entre os dois, na realidade representa a expressão do Inconsciente nas atitudes e não permite a Racionalização, levando às motivações ocultas e escuridão das ideias.
Caminhos e etapas
Existem ainda seis modalidades de Caminhos na jornada arquetípica de que nos fala Nei Naiff. Elas são importantes porque determinam os momentos vividos.
Caminho da Vontade:  arcanos 1 a 5
Caminho do Livre Arbítrio:  arcano 6
Caminho do Prazer: arcanos 7 a 11
Caminho da Dor: arcanos 12 a 16
Caminho da Esperança: Arcano 17
Caminho da Evolução: arcanos 18 a 21
Os Caminhos não são cronológicos. Eles permeiam toda a Jornada de Vida das pessoas.
Para concluir, enumero as etapas do Tarocoaching ressaltando que o facilitador, neste caso o tarólogo, na primeira consulta já terá informações sobre o consulente que irão orientá-lo no desenvolver de todo processo.
1. Após a consulta será realizado as escolhas dos 6 Arcanos da Linha da Vida de acordo com o livro de Maria Celeste. Podendo acrescentar ainda o Arcano do Crescimento para acompanhar a evolução do peregrino.
2. Na análise da Linha da Vida será visto um Arcano por vez e estudando seus pontos de bloqueio.
3. A atuação do Coach (facilitador) complementará a análise final da linha da Vida.
De posse de todas as informações adquiridas com a pesquisa, resta-nos agrega-las à metodologia de Maria Celeste. Ela propõe que no segundo momento dos encontros individuais, o consulente vá escrevendo a sua autobiografia baseado nas análises realizadas por ambos. E diz que: “enfatizar que sempre haverá novos desafios e novas descobertas, mas que, estaremos mais preparados para enfrentá-los se nos conhecermos melhor e os encaramos baseado nesse conhecimento”.
Acredito que, com a orientação de Celeste e com todas as informações possíveis sob os Arcanos, fácil será a realização do Tarocoaching desde o momento do primeiro atendimento ao consulente e dependendo, é claro, do nível de conhecimento do tarólogo.
Peço licença à Maria Celeste Rodrigues para encerrar este artigo com uma citação sua muito importante: Desde já autorizo a cópia e a utilização do trabalho de casa com os arcanos, mas sugiro, que para melhor aproveitamento, o facilitador acrescente, modifique ou os adapte de acordo com o conhecimento que for adquirido de seus clientes.
Muito grata a Maria Celeste
Glória Marinho é historiadora e antropóloga formada pela UFPE.
Atende pessoalmente, seguindo a linha junguiana:
glorieta@bol.com.br e www.facebook.com/gloria.marinho.7
Outros trabalhos seus no Clube do TarôAutores
Edição: CKR – 20/06/2019
  Baralho Cigano
  Tarô Egípcio
  Quatro pilares
  Orientação
  O Momento
  I Ching
Publicidade Google
 
Todos os direitos reservados © 2005-2019 por Constantino K. Riemma  -  São Paulo, Brasil