Home page

19 de setembro de 2019

Responsável: Constantino K. Riemma


  setembro.2019
Cicatrizes das Queimadas - Terra Brasilis
Rui Sá Silva Barros
Historiador e Astrólogo
A crise política iniciada em 2013 ainda não foi resolvida, a luta contra 20 centavos em São Paulo cresceu para o resto do país com críticas à qualidade dos serviços públicos e aos políticos. No ano seguinte uma campanha eleitoral das mais agressivas e o início da Lava Jato. 2015 com recessão, política econômica de austeridade e pedido de impeachment de Dilma que perdeu o controle do Congresso. Dilma deposta, a recessão se aprofunda e Temer assume pondo em votação leis que tentaram controlar o déficit no Orçamento e baratear o custo da mão de obra. O governo fica paralisado com as gravações de Joesley. Lula é preso e impedido de concorrer. Nas manifestações de 2013 pequenos grupos pediam intervenção militar, o que não ocorreu, mas isto trouxe novamente as Forças Armadas para a arena política.
Desfile militar na Esplanda dos Ministérios - 2019
Desfile militar de 7 de Setembro atrai mais de 20.000 pessoas na Esplanada dos Ministérios
Foto de agenciabrasil.ebc.com.br
A rejeição de Jair Bolsonaro cresce nas pesquisas e no exterior, declarações bombásticas, toscas e infames são despejadas diariamente, mas os dirigentes brasileiros decidiram que uma nova destituição agravaria a crise. E assim, o Congresso leva adiante a agenda econômica, o Judiciário suspende investigações no Coaf para abafar a investigação do filho senador, as Forças Armadas proíbem que se fale no assunto, os grandes empresários desconsideram as declarações desde que as reformas andem (Cândido Bracher, presidente do Itaú) e a grande mídia permite que os jornalistas critiquem e investiguem, mas os editoriais avisam que não é para balançar o barco.

A questão da indicação do filho para a embaixada em Washington se tornou crucial. O candidato é tosco, não tem nenhum preparo, mas não é o caso, qualquer outro indicado faria o mesmo serviço: o arrendamento do país. O problema é que se o Senado aprovar, o presidente se sentirá mais seguro para intervir na Polícia Federal, na Receita e onde mais for possível. Recentemente o Sol, Mercúrio, Vênus e Marte ingressaram na casa 7 (diplomacia, balança comercial), o que envolve o tema da embaixada e mais (veja o mapa do Brasil).
Mapa do desmatamento na Amazônia
Amazônia - área desmatada em amarelo
Mapa produzido pelo INPE.
Amazônia — Bem o que INPE avisou e a NASA confirmou, mas o delírio de negação é uma novidade na condução política do país. E o assunto ganhou as manchetes no mundo e as ameaças de Macron. Quanta bobagem rolou! A floresta não é o pulmão do mundo, ela absorve o oxigênio que produz, mas é vital para absorver CO2 e regular as chuvas na América do Sul, sem a floresta nossa agricultura está condenada. Há queimadas e desmatamento desde sempre com alguns períodos de refluxo, mas pecuaristas e madeireiros entenderam que agora vale-tudo. O agronegócio exportador sabe que isto pode comprometer suas atividades e já algumas empresas no exterior suspenderam os negócios com carne, couro e madeira da região. Um cadastro rural facilitaria a identificação dos destruidores, mas os governos nunca fizeram, e a bancada ruralista promove perdão de dívidas e nada de contribuição para o INSS. A ideia de explorar reservas minerais em terras indígenas é sinistra e inconstitucional. E sim, uma inteligente exploração econômica da floresta é viável e o Sínodo da Igreja Católica sobre a Amazônia foi lançado em 2017 e os temas são públicos, a intenção do governo de monitorá-lo é falta do que fazer.
Economia — A estagnação da economia está levando ao surgimento de ideias perigosas como o uso de reservas para segurar o câmbio, volta da CPMF e abandono do teto de gastos, liquidar os fundos FGTS e PIS/PASEP, acabar com estabilidade e reduzir horário e salário no serviço público, cortar verbas para pesquisa científica, diminuir a dotação para Educação e Saúde. São sintomas de desespero. A reforma tributária dará mais trabalho que a previdenciária. Tudo isto está para desembocar numa crise monumental com paralisia de serviços públicos o que deixará duas saídas: a queda do governo ou a instalação de um estado de exceção, o desejo maior do núcleo principal do governo, desejo explicitado em inúmeras ocasiões.
Mundo Afora
EUA — O seminário Astrologia Global Brasil realizado no Rio de Janeiro foi um evento memorável com apresentações interessantes e público participante. Eu apresentei as perspectivas para o país diante da chamada de Trump para fazer a América grande novamente. Cometi um erro e aqui exponho o mapa da posse corretamente, na pressa tomei o primeiro horário que encontrei, 15 horas, mas era o nosso, em Washington eram 12 horas. Os aspectos entre os planetas são os mesmos, mas as posições nas casas se alteram.
EUA - Posse de Trump - 2017
Mapa da posse de Trump (EUA) em 20 de janeiro de 2017
Mais da metade do mandato já se foi e agora é nítido que o atual governo quer recuperar sua grandeza abandonando acordos e instituições, promovendo protecionismo e sanções econômicas, ameaçando guerras. Em suma, as poucas leis internacionais vigentes são desconsideradas diante dos interesses americanos. O Ascendente em Touro  prioriza a visão econômica e Vênus em conjunção a Netuno na casa 11 promove uma ação de grande espectro, algo de alcance mundial. Obama estava preocupado com a ascensão da China, Trump resolveu combatê-la, a guerra comercial é o primeiro front.
A quadratura Marte/Saturno sinaliza o avanço e recuo constante no trato internacional o que pode ser visto nos casos da China. Coreia do Norte, Europa, Venezuela; já com o Irã e Cuba não houve recuo de maneira alguma. A quadratura também aponta para a violência interna em alta e o racismo é estimulado. Este mapa repete dois temas do mapa natal, um trino entre Saturno e Urano (expansão e tecnologia) e a conjunção Mercúrio/Plutão (ideias fixas) na casa 9 (leis e instituições multinacionais). Uma Lua debilitada em Escorpião e minguante sinaliza o nacionalismo em diplomacia e as dificuldades para construir o muro na fronteira com o México. A Lua está em trino com Vênus/Netuno o que sinaliza a presença das mulheres denunciando assédios e também a imensa credulidade dos eleitores.  Já a tensão expressa por Júpiter/Plutão/Urano assinala o russiagate (hackeamento de material do Partido Democrata nas eleições) que pairou como uma sombra até recentemente e também a preocupação com a batalha tecnológica.
A economia do país cresceu por 10 anos consecutivos com baixo desemprego e inflação, que motivos teve Trump para falar de declínio se o dólar continua a ser a moeda de referência e se o poderio militar ainda não tem rivais? Há problemas no horizonte, não é mais possível trazer as indústrias de volta, a rentabilidade estancou, a alta nas ações deve muito a recompra das grandes empresas, a China se tornou uma rival importante no front tecnológico e a Rússia no front militar (aeronáutica e aparelhos hipersônicos).
O pano de fundo é o primeiro retorno de Plutão (veja o mapa dos EUA), planeta que simboliza o grande poder armazenado em objetos minúsculos (átomo, DNA, microchip) e em pequenos grupos (plutocracia). Em situações de impasse a violência impera. Se Trump conseguir um segundo mandato tentará organizar a globalização de acordo com os interesses americanos e obstruindo a ascensão de rivais por meios econômicos ou militares. Mas há pedras no caminho, a China parou de comprar cereais e carnes e os fazendeiros americanos estão infelizes, uma recessão aponta no horizonte e Trump diz que o presidente do Fed é inimigo da pátria.
EuropaDesde que Netuno cruzou o Sol natal inglês, os dirigentes parecem ter perdido o rumo. Diante de uma insatisfação difusa com as regras da União Europeia, Cameron resolveu convocar um plebiscito e defendeu a permanência. Para surpresa geral ganhou o brexit (saída) por margem apertada. Os escoceses votaram  pela permanência e Cameron caiu, os conservadores continuaram no poder e iniciaram sem presa as conversações para finalizar a saída. Os parlamentares adotaram uma posição muito confortável: queriam se livrar das obrigações, mas manter algumas regalias, e recusaram duas propostas de acordo negociadas por Theresa May que acabou caindo.

Não contentes, os conservadores escolheram Boris Johnson para premiê. Ele é um clone de Trump na aparência, modos e ação política. Pediu a rainha permissão para suspender as sessões no Parlamento e implementar um brexit sem acordo. Sofreu uma derrota fragorosa, deputados conservadores se rebelaram, sem falar dos trabalhistas, o sistema financeiro se manifestou e os cidadãos foram às ruas.Ele tenta sem sucesso a convocação de novas eleições legislativas e uma vitória dos trabalhistas não é descartada. Esta recente confusão ocorreu com Marte em oposição ao Sol, Netuno e Mercúrio, Urano oposto a Saturno (veja o mapa da Inglaterra). E não acabou, pois Urano continua sua oposição por meses e muita gente se deu conta das perdas econômicas que a saída acarretará.
Charge com Trump e Boris  Johson
Charge do site br Investing.com
Na Itália uma reviravolta total. Depois da Operação Mãos Limpas veio  Berlusconi e depois dele uma instabilidade  contínua. Com a ascensão do nacionalismo chegou a vez da Liga que formou uma coligação com o 5 estrelas de Bepe Grilo, o comediante. Salvini da Liga ganhou proeminência e o partido teve uma votação considerável para o Parlamento europeu, o que levou o político a tentar a sorte exigindo a renúncia do primeiro ministro e convocando novas eleições. Mas o presidente confirmou a permanência do premiê e o 5 estrelas resolveu se coligar ao Partido Democrático dando suporte ao gabinete do governo. No momento Netuno faz quadratura ao Sol/Urano do mapa natal e Plutão oposição à conjunção Vênus/Saturno (veja o mapa da Itália). A bota passa por um momento difícil, a crise de 2008 bateu fortemente na economia do país, dívida em ascensão, produtividade e crescimento ralos, estrutura política precária e instável; e Salvini não está morto.
Quando olhamos o mapa da UE vemos que os planetas em Capricórnio serão afetados pela tríplice conjunção do ano que vem.  A pressão que o governo americano faz por uma contribuição econômica pela OTAN, as ameaças de sanções contra as exportações europeias e negócios com o Irã e China, são sentidas com força. A economia está estagnada,  atrasados em tecnologia, e os partidos nacionalistas e xenófobos estão em ascensão.  Países europeus estão incomodados com Bolsonaro e as queimadas na Amazônia, mas nunca se preocuparam com as madeiras e couros ilegais exportados desta região (veja o mapa da União Europeia).
Oriente Médio — Os iranianos sofrem com as sanções americanas, mas estão dispostos a resistir. Depois das escaramuças com os navios no meio do ano, a tensão baixou. Há boatos de enriquecimento de urânio, embora a liderança religiosa considere a bomba atômica um objeto abominável. O país tem uma conjunção Sol/Marte em trino a Plutão na casa 7 (aliados, inimigos e declarações de guerra). No momento Plutão está em quadratura a sua posição original (veja o mapa do Irã).  Devem ocorrer eventos importantes em 2021 quando Júpiter e Saturno ingressam em Aquário.
Bombardeio israelense na Síria
Bombardeio israelense na Síria
Do site Uolnotícias.com.br
A calmaria é relativa, pois o governo israelense começou a patrulhar e bombardear o Líbano e destacamentos militares iranianos na Síria. Depois das últimas eleições Netanyahu (que está sob processo) não conseguiu formar uma coalização e talvez tenha que convocar novas eleições. Estes ataques fazem parte da campanha, mas como Urano começa uma quadratura aos planetas em Leão, as coisas podem sair de controle muito rapidamente (veja o mapa de Israel). É de lembrar que os iranianos tem capacidade de atingir Israel com mísseis e têm como aliados a China e a Rússia.
Argentina — O caso do governo Macri raramente é comentado por economistas brasileiros liberais, foi um fiasco tão doloroso que as poucas linhas dedicadas ao tema terminam sempre com o erro de Macri foi o gradualismo. Bobagem. Um artigo publicado no site celag.org (Tres años de Macri, balances y perspectivas) coloca tudo em números e esclarece como desde o início o projeto todo se destinava ao fracasso, é um verdadeiro itinerário de política econômica liberal num país da periferia do capitalismo. Fim dos subsídios, queda da renda popular, repique inflacionário, aumento do desemprego e pobreza, para culminar crescimento exponencial das importações de bens de consumo e acelerado endividamento externo. No ano passado um pequeno tremor nas taxas de juros americanas gerou uma fuga de capital e o governo foi bater na porta do FMI onde levantou um empréstimo de 57 bi US$. Em vão, o peso desabou, as taxas de juros subiram, um congelamento de alguns preços seguiu-se. Agora o país está numa virtual moratória. Alberto Fernandes deve ganhar as eleições em outubro, mas comerá o pão que o diabo amassou.
O país tem Sol em Câncer e Lua cheia em Capricórnio, Plutão está estimulando está configuração desde 2017, agora Saturno engrossa o coro. Urano ingressou na casa 7, balança comercial e o eclipse de2 de julho parece ter acelerado as coisas (veja o mapa da Argentina). Tudo isto é simplesmente horrível, o país é potencialmente rico e a população é apaixonada e politicamente engajada. Alcançar autonomia é o x da questão para os países latino-americanos.
EntrevistaA Escola santista de Astrologia, dirigida por George e Márcia, me convidou para apresentações nos seminários que promoveu na década de1990,eram concorridos e realizados nos SESC. Agora me entrevistaram por ocasião da Astrológica da Gaia e o material foi ao ar no canal que eles mantêm no You Tube. Dou um resumo da apresentação que fiz, O Brasil à la carte. O endereço é:
www.youtube.com/results?search_query=rui+s%C3%A1+silva+barros%3A+brasil+%C3%A0+la+carte
SINARJNo início de outubro celebra o XXI Simpósio, este ano com muitas apresentações sobre a   tríplice conjunção do ano que vem, inclusive a minha que focalizará a casa 12 do mapa do Brasil. Mas não é só, há palestras para todos os gostos e o clima de camaradagem. Endereço, preços e relação das palestras são encontrados em www.sinarj.org.br
Rui Sá Silva Barros é historiador, astrólogo.
Mestre em História social (USP) e autor de textos sobre simbologia
(Esoterismo, ciência e sociedade). Pesquisador em Kaballa (Tarô e Qabbalah).
Oferece consultas astrológicas com ênfase nas soluções para todos os temas.
Contatos e informações: rui.ssbarros@uol.com.br ou fone: 11 2367-9179.
Outros trabalhos seus no Clube do Tarô: Autores
Edição: CKR – 10/09/2019
Fórum: partilhe seus comentários ou deixe questões para o Rui responder
  Baralho Cigano
  Tarô Egípcio
  Quatro pilares
  Orientação
  O Momento
  I Ching
Publicidade Google
 
Todos os direitos reservados © 2005-2019 por Constantino K. Riemma  -  São Paulo, Brasil