Home page

18 de agosto de 2017

Responsável: Constantino K. Riemma


  16.novembro.2016
A Trumplandia
Rui Sá Silva Barros
Historiador e Astrólogo
O nacionalismo racista e xenófobo ganhou mais uma parada, ano que vem tem eleição na França e Marine Le Pen já esfrega as mãos. Votaram 55% dos eleitores americanos, Hillary ganhou no voto popular, mas Trump levou no colégio eleitoral porque o vitorioso no estado leva todos os delegados. Ela teve mais votos nas grandes cidades e entre mulheres, jovens, latinos e negros; e ele nas pequenas cidades e entre os homens brancos trabalhadores e pequenos empresários. Ele ganhou mesmo tendo contra si Wall Street, a mídia, os artistas e políticos mundo afora. Saturno e Netuno em quadratura atingindo o Urano natal do mapa dos EUA sinalizam o tema (veja o mapa). Uma exploração mais detalhada da história e do mapa americano pode ser encontrada em EUA: a vanguarda da desordem mundial, crônica publicada em 2010.
A internacionalização da economia não foi invenção de ninguém, nem conspiração de governos ou empresas, foi um processo que começou 500 anos atrás na época das grandes viagens marítimas. A volta ao passado que agora empolga muita gente maltratada é uma ilusão. Os empregos industriais não voltarão e muito menos as empresas que buscam salários e impostos mais baixos. Trump não chegou a apresentar um programa coerente, durante a campanha emitiu opiniões e prometeu algumas medidas. Vamos a elas.
Fila para receber comida - EUA
Distribuição de comida abrange mais de 50 milhões de americanos
. Do site www.elpais.com
MigraçãoExpulsar 11 milhões de imigrantes ilegais supõe um estado policial que não sei se a sociedade americana está pronta a tolerar. A proibição de entrada de mulçumanos no país só vai acirrar os ânimos. O muro na fronteira com o México é inútil, sempre se pode explodi-lo ou cavar túneis, que o país latino pague por isto só pode ser brincadeira. Agora ele já diz que expulsará 3 milhões de imigrantes. Estes são assuntos das casas 1 e 7, ambas ativadas por Saturno.
Economia Cortar impostos de empresas e gente rica será comemorado no Congresso, onde os republicanos estão em vantagem. O que será que vai acontecer com os benefícios sociais de que dependem os eleitores de Trump? Ele disse pretender investir em infraestrutura, o que é necessário,  deixando crescer a dívida pública (e os juros) o que é tabu entre os republicanos. Rever tratados comerciais (Nafta) e desistir dos tratados Pacífico e Atlântico, o que abre caminho para a China na Ásia. Taxar produtos chineses aumenta a inflação e promove o protecionismo por todo o planeta.
Política Externa Acabar com a ameaça do Estado Islâmico implica em combate terrestre o que se tornou muito impopular nos EUA. Revogar o acordo com o Irã significa desprezar os cinco países que o assinaram, significa também incentivar o governo iraniano a construir armas nucleares e incendiar o Oriente Médio. Em relação ao orçamento militar ele disse coisas contraditórias, pois quer aumentá-lo e ao mesmo tempo diminuir os gastos com as bases americanas no exterior deixando os europeus furiosos por conta da Nato e da aproximação com Putin. As relações com Cuba podem retroceder também.
Ambiente e Clima Ele parece disposto a renunciar ao acordo de Paris, promover a indústria do óleo, gás e carvão e parece acreditar que o aquecimento global é uma miragem.
Trump criou uma encruzilhada para si, pois se implementar estas medidas provoca uma tempestade, mas se não fizer nada despertará a ira de seus eleitores. Os EUA continuam com as pautas da década de 1960: direitos civis dos negros, feminismo, liberdade de costumes, seguridade social etc. Quando tudo isto chegou ao auge em 1968 os americanos silenciosos elegeram Nixon, um republicano que clamava por lei e ordem; a eleição de Trump não é uma novidade, naquela ocasião Urano e Plutão estavam em conjunção próximos a Netuno natal com Saturno em oposição em Peixes. Desde então os republicanos e o movimento evangélico tentaram reverter o movimento sem sucesso, nesta eleição mais quatro estados autorizaram o uso de maconha, uma mulher disputou a presidência e outra dirige o Fed, o casamento gay vai sendo aprovado e as clínicas de aborto continuam abertas. O grande êxito dos republicanos foi na economia quando conseguiram reverter o poder de negociação dos sindicatos, o salário médio perdeu valor de compra, a indústria foi automatizada ou levada para fora do país e a concentração de renda se tornou absurda.
Trump
A indústria de entretenimento chega novamente ao poder
Do site www.feedbackmagazine.com
No discurso da vitória, Trump moderou o tom e conclamou a união, mas protestos varrem as ruas diariamente, enquanto negros e latinos são agredidos. Os jornalistas agora especulam sobre os assessores e equipe de transição para tentar ver o que vai sair disto. Nós podemos consultar a astrologia, Saturno começa a fazer oposição ao Marte natal (o que indica que a violência persiste), Júpiter e Urano iniciam uma oposição no céu que aflige Mercúrio e Plutão em oposição no mapa natal. O conflito permanece e deve se acirrar ao longo do mandato, pois Saturno percorrerá Capricórnio fazendo oposição a quatro planetas em Câncer, Plutão comemorará seu primeiro retorno.
A violência e vulgaridade desta campanha não deveriam surpreender, estas características já estão presentes há muito tempo no cinema e na televisão, o presidente eleito foi apresentador de shows humilhantes na TV.  Que isto tenha se manifestado agora na esfera política dá uma ideia do grau de tensão na sociedade. A globalização recente criou uma economia de desenfreada especulação financeira, queda na renda do trabalho, desemprego crônico e precarização, bolhas e crises. Medo e raiva foram se acumulando e vemos a explosão agora, mas voltar ao passado é impossível, o que parece solução é apenas mais uma decepção no futuro, o relógio que marca o ritmo da destruição continua a correr.
Esta eleição desatou a loucura também, segundo alguns Trump eliminará os Illuminatis (é o próprio Dom Quixote correndo atrás dos moinhos de vento), alguns evangélicos estimam que ele é o Anticristo, uma vidente cega búlgara afirmou que Obama é o último presidente dos EUA (o país deve ser desintegrado por ETs) e outros afirmam que ele será assassinado, o que não pode ser descartado pela pressão sobre Marte natal. Trump e os nacionalistas racistas europeus aceleram a Kali Yuga.
Mais um método de investigação
Nosso colega e amigo Gerson Pelafsky é um estudioso de Astrologia clássica (grega e árabe) e tem nos brindado com algumas postagens que são muito interessantes, ele está nos devendo um livro, pois já tem material suficiente. Além disto, criou um novo método de investigação, totalmente ortodoxo e razoável, mas vamos testá-lo na prática, este é o critério final de verificação. Trata-se de estabelecer o mapa da conjunção Júpiter/Saturno cujo ciclo é de aproximadamente 20 anos.
Mapa da conjunção Saturno-Jupiter em 2000
Mapa da última conjunção Saturno-Júpiter em 2000.
Calculado para Philadelphia - EUA
A última conjunção ocorreu em 2000 e está calculada para Filadélfia, local da proclamação da independência dos EUA. O mapa apresenta um stellium formidável, a conjunção está no MC e perto da estrela Algol, o Sol está sobre Urano natal e perto de Aldebaran, Marte está em posição de retorno e próximo à estrela Capela e o Ascendente está próximo a Regulus. É possível estudar trânsitos e progressões na base de 18 graus por ano (360/20). Neste ano Bush se elegeu numa decisão controversa e 15 meses depois ocorreu o atentado às Torres Gêmeas desencadeando a Guerra ao Terror sinalizada pela conjunção Sol/Marte. No dia do atentado Saturno estava a 14 de Gêmeos, bem próximo ao Marte do mapa acima. É de observar que o atentado foi inesperado, sem declaração de guerra, portanto assunto da casa 12, a conjunção em Touro cai sobre a casa 12 do mapa natal do país.
Na progressão teremos 22 graus para os 15 meses decorridos desde Maio 2000 até Setembro 2001, o Ascendente estaria em 20 de Virgem, quadratura separativa ao Marte do mapa acima e exata em relação ao Marte do mapa natal. O Sol progredido estaria passando de Gêmeos para Câncer. É possível seguir a bolha imobiliária, a crise financeira, a eleição de Obama e o que mais quisermos. Durante toda a campanha deste ano, Saturno estava no início de Sagitário fazendo oposição ao Sol do mapa da conjunção, na eleição aproximava-se da oposição a Marte. Já a progressão indicaria 295 graus adiante (16 anos e 5 meses), do que resultaria que o Sol estaria a 2 graus de Áries, conjunção à Lua; o Ascendente a 23 de Gêmeos, e o MC a 17 de Peixes em quadratura exata a Marte natal. Se olharmos o mapa de Trump encontraremos os ângulos coincidindo com o mapa da conjunção, ele tem o Sol em conjunção com o Marte natal do país e do mapa acima, o que confirma as dificuldades do mandato. Neste caso, não há dúvida, o método é eficiente e devemos felicitar nosso colega por oferecer um valioso instrumento de investigação.
E em Pindorama
Saturno fez a última quadratura ao Sol brasileiro (veja o mapa do Brasil) e a casta política-burocrática iniciou uma ofensiva para sua própria proteção. No Congresso trafegam propostas graciosas: criar um fundo público para eleições, anistiar o caixa 2 das eleições passadas, anistiar as empresas doadoras, aumentos para auditores fiscais, restrição da autoridade de promotores e juízes e, grande horror, podar os supersalários na máquina pública, uma vingança de Renan contra o Judiciário.
O marajá brasileiro
Do site www.correiobrasiliense.com
Jornalistas suspeitam que o PSDB trama algo contra Temer, pois o processo de impugnação prossegue no Tribunal Eleitoral, um cheque de um milhão para Temer surgiu inesperadamente na Lava Jato e Xico Graziano, que andava sumido, publicou um artigo incitando FHC a assumir a bagunça num governo de união nacional. Os empresários começam a perder a paciência com a lentidão e as vacilações do governo e agora explodem os problemas dos governos estaduais. No Rio, Sérgio Cabral e Pezão infringiram ‘n’ artigos da Lei de Responsabilidade Fiscal e ninguém se manifestou por uma punição. Se Temer for deposto a confusão aumentará, a economia desandará de vez. É de assinalar que Marte percorre a casa 12 do país, local de conchavos e tramas obscuras.
As eleições municipais resultaram num declínio agudo do PT, crescimento de não votos (abstenções, nulos e brancos), do PSDB e de partidos nanicos que ganharam em Curitiba e Belo Horizonte. Começaram especulações desbragadas sobre as eleições de 2018 que, como se sabe, é um ano cabalístico e trará o salvador da pátria. As municipais dão indicações sobre a futura composição da Câmara Federal e o aviso é que haverá maior dispersão ainda. Se os jornalistas quisessem entender o país podiam abrir a página do IBGE e consultar a PNAD 2014 e saberiam que 74% dos ocupados no país ganhavam até 3 salários mínimos (724 reais) e que 27 mil brasileiros ricos ganharam 159 bilhões e só tiveram 44 bi retidos pela Receita Federal. Lula, Aécio, Ciro Gomes, Bolsonaro e alia, podemos tirar no palitinho, eles nem querem ouvir falar disto. A realidade no Brasil não é real, a turma do IBGE mente e a da Receita é evidentemente malévola por querer destruir o igualitarismo dos mulatos inzoneiros. É, abre a cortina do passado, tira a mãe preta do cerrado.
O Brasil foi o país que mais cresceu no mundo entre 1930/80. No final do período foi lançado o II PND, uma tentativa de atualização da indústria brasileira, que acabou mal porque lastreada em empréstimos externos que encareceram e levaram o país à moratória, recessão e hiperinflação. João Paulo Reis Veloso, autor do projeto, saiu do governo, mas continuou a pensar no futuro do país no Fórum Nacional, evento anual que passava despercebido, pois o país estava entregue a falar sobre inflação, colapso externo, década perdida até 1994, depois disto entraram a taxa de juros, câmbio, superávit fiscal. Nenhuma discussão séria sobre o futuro, o tumulto do presente absorvia as atenções. Hoje sabemos que um país pode se industrializar em certo grau e continuar dependente e periférico.
*   *   *
Agora um grupo se reuniu e pretende discutir o futuro. Ele se reúne em Tiradentes (MG) e promove um evento de peso, entre os convidados estão Domenico de Masi, sociólogo italiano e admirador do Brasil, Eduardo Gianetti, economista com abordagens culturais e outros. Vale a pena conferir a programação em www.forumdoamanha.com
Rui Sá Silva Barros é historiador, astrólogo e
estudioso da Cabala: rui.ssbarros@uol.com.br
Outros trabalhos seus no Clube do Tarô: Autores
Edição: CKR – 16/11/2016
Fórum: partilhe seus comentários ou deixe questões para o Rui responder
  Baralho Cigano
  Tarô Egípcio
  Quatro pilares
  Orientação
  O Momento
  I Ching
Publicidade Google
 
Todos os direitos reservados © 2005-2016 por Constantino K. Riemma  -  São Paulo, Brasil