Home page

21 de julho de 2019

Responsável: Constantino K. Riemma


  abril.2019
Um astro sem atmosfera
Rui Sá Silva Barros
Historiador e Astrólogo
Um furacão devastou Moçambique e países vizinhos deixando um enorme número de desabrigados. Já são milhões de refugiados por motivos climáticos e ambientais, pois a poluição de terras e águas é imensa. Nos mares há ilhas de plástico e pesca desenfreada. Discutir se há aquecimento global é secundário nesta altura, a sequência de eventos extremos é bem evidente e exige providências antes que o ar fique irrespirável.
Terra Brasilis
E a confusão só aumenta. A popularidade do governo caiu muito rapidamente e há luta aberta entre blocos, os ideológicos/religiosos fizeram uma ofensiva contra os pragmáticos/ conservadores que agora reagem, enquanto o liberal Guedes oscila de um lado para o outro. O executivo ataca Rodrigo Maia, o único que pode dirigir a reforma da Previdência, enquanto senadores querem acuar o STF com uma CPI. No judiciário o STF atacou os procuradores que reagiram imediatamente com a prisão de Temer. As instituições se chocam e paralisam o país, daqui a pouco alguém vai dizer que só um estado de exceção resolve o problema, governo através de decretos dando férias aos parlamentares e se houver alguma gritaria, prisão de opositores e censura na mídia até a coisa normalizar. Urano em Touro faz oposição direta a Marte natal, regente do MC. (Veja o mapa do Brasil)
Torre de Babel: Astro sem atmosfera e os Miseráveis
Do site humorpolítico.com.br
Previdência – Está tudo parado esperando a reforma andar. Muita mistificação é feita, aprovada a reforma a economia começaria a andar, não é verdade; para sair da estagnação é preciso que a renda popular suba e o consumo volte (2/3 do PIB é consumo das famílias) estimulando investimentos. A reforma pretendida não mexe com as receitas do INSS, especialmente do setor rural, e assim o déficit persiste. Ela será desidratada ao transitar no Congresso. Para azedar mais ainda o cenário, o governo mandou a reforma dos militares com uma reestruturação de carreiras aumentando os soldos. Até o PSL está estrilando. Saturno retrograda em breve na casa 11 (Legislativo), o que promete um trâmite conturbado.
Deputados – Eles perceberam que a hora de obter nomeações e emendas é agora e até mesmo os novatos embarcaram nisto. Estão certos, depois de aprovada a reforma o êxito é do executivo e o poder de barganha definha. O governo diz constantemente que não fará o tradicional toma lá dá cá e que não entende o que significa articulação política, o que é simples numa democracia: repartir o poder entre aliados. Os deputados fizeram uma demonstração prática do que é articulação, em duas horas votaram por duas vezes a PEC do Orçamento impositivo com resultados esmagadores. Júpiter retrograda em breve na casa 10 (executivo), o que significa revisão dos passos dados até então. Os partidos de oposição não conseguem fazer qualquer coisa que atrapalhe o governo.
Viagens – Bolsonaro foi ao Congresso, entregou a PEC da Previdência, pensou que a missão estava cumprida e podia se dedicar a atuar na revolução internacional em curso. Foi aos EUA declarar seu grande amor pelo país e Trump, fazer boas concessões a troco de promessas, visitar a CIA (nunca antes na história deste país) e se intrometer na política doméstica deles declarando apoio a Trump para a reeleição. Como desgraça pequena é bobagem, aproveitou para reverenciar o guru paranoico que xingou bastante os militares no governo. A imprensa de lá ignorou a visita quando não zombou das declarações. No Chile mais declarações de amor a Pinochet e ambiguidades sobre a Venezuela, muitos deputados chilenos recusaram o convite para jantar. O que esperar da visita a Israel? Deixar palestinos e árabes agastados? Dar uma mão a Bibi que enfrenta eleições em breve e está sendo investigado por corrupção?
Torre de Babel - abr.2019: Astro sem atmosfera. Desfile da Mangueira
Desfile da Mangueira num carnaval de protestos.
Do site Poder360.
Manifestações – Os governos do PT cometeram um erro político primário, imaginaram que a valorização do salário mínimo, os programas sociais e crédito consignado construiriam uma consciência política. Erro fatal, certamente as medidas reverteram em sucesso eleitoral, mas quando foi necessário lutar por Dilma, pela liberdade de Lula ou contra a reforma trabalhista de Temer ninguém apareceu, o declínio da mobilização foi espantoso. As manifestações contra a reforma da Previdência no dia 22/03 indicam uma leve retomada, podem crescer, a conferir.
Especulações – O ar andava cheio e agora desembarcam na imprensa: quando Bolsonaro renuncia e Mourão assume? Se isto acontecer, os disparates diários terminam e alguns ministros serão trocados, mas o projeto será o mesmo. O general já disse que o salário mínimo é alto, que o décimo terceiro é uma jabuticaba brasileira, etc. A cepa autoritária continua lá.
Andamento – Os conflitos expostos acima persistirão, pois têm raízes profundas, mas seu andamento será variável com momentos de acirramento e distensão, será preciso acompanhar Marte que em abril ingressa em Gêmeos, passa pela conjunção Lua/Júpiter e se opõe a Júpiter no céu. Para todos os indicadores astrológicos ver o mapa do Brasil.
Mundo afora
EUA – Hackers russos coletaram material do Partido Democrata na última campanha presidencial americana, mas o relatório final eximiu Trump da iniciativa e deixou o judiciário concluir se ele praticou obstrução. Avançou o acordo comercial com a China que tira um naco das exportações de soja dos brasileiros. Diante da frustrada ofensiva de Guiadó na Venezuela o aperto financeiro vai crescer. Como as eleições em Israel estão próximas, um presente para Netanyahu: as colinas sírias de Golan são israelenses no entender de Trump. Marte em Gêmeos açula gestos agressivos, Plutão no céu já se opõe a Mercúrio natal e se aproxima de sua posição original, o que vai ser momentoso. Veja o mapa dos EUA.
União Europeia – Os ingleses bem que gostariam de abandonar a União e conservar todas as regalias, mas não vai dar. Ultimamente o Parlamento ingressou no teatro: rejeita o acordo proposto esperando que assim a direção da União faça mais concessões e não se importa em queimar Tereza May em praça pública. Agora descobrem que a saída vai empobrecer o país e criar um sério problema na Irlanda. Marte no céu faz quadratura ao Sol, Netuno e Mercúrio. Urano faz oposição a Saturno em Escorpião, enquanto Saturno e Plutão estão na casa 8 (segurança, crises e morte). Veja o mapa da Inglaterra.
Os europeus começam a se incomodar com a ascensão da China. Os alemães já preparam um plano de inovação tecnológica para competir, enquanto os italianos se mostram dispostos a participar da Rota da Seda marítima. Na França os coletes amarelos mostram uma notável persistência, continuam as manifestações nos sábados que atravessaram todo o frio inverno. Urano agora passa pelo MC e Saturno e Plutão percorrem um stelium na casa 6 (veja o mapa da União Europeia).
China – Há uma enorme pressão astrológica: Saturno e Plutão avançam para Júpiter natal que rege a economia e Urano no céu pressiona o Ascendente e a Lua (veja o mapa da China). Os efeitos colaterais do rápido crescimento aparecem: grande endividamento, excesso de investimentos, consumo ainda pequeno, poluição ambiental e grande pressão internacional para revisão do câmbio e abertura financeira. Como a Lua estará sob forte tensão nos próximos anos é possível a eclosão de manifestações populares por melhores salários, condições de vida e liberdades. O governo chinês ainda tem gorduras e pode fazer concessões aos americanos sem grandes prejuízos. Ajudou na intermediação da crise Índia/Paquistão a propósito da Caxemira.
Torre de Babel -abr.2019: Astro sem atmosfera. Desertificação da China
Desertificação na China.
Do site ecodebate.com.br
América Latina – Da Venezuela já tratei na última crônica, vale mencionar que a ajuda humanitária foi um teatro montado por Gauidó e americanos e não deu em nada. As forças armadas continuam coesas e apoiando o regime. O recente apagão pode ter resultado de um ciberataque, fenômeno que será frequente daqui em diante. O que resta é aumentar o cerco econômico e estimular a defecção dos oficiais. O pouso de 2 aviões russos com soldados e armas provocou certo alarde na imprensa, mas trata-se apenas de rotina do acordo de cooperação militar entre os países. Teremos movimento em abril com Marte passando por Vênus, Júpiter e Mercúrio todos em Gêmeos na casa 9, fóruns internacionais e investimentos externos (veja o mapa da Venezuela).
A Argentina sofreu um profundo baque no ano passado, o PIB caiu, a inflação escalou e o dólar acompanhou. Há eleições e como Cristina Kirchner é senadora e lidera as pesquisas, a justiça tenta um processo para eliminá-la da disputa, o Brasil exporta seu know-how. No momento Marte fará oposição a Urano na casa 2 (economia) e Netuno na 3 (vizinhos). Veja o mapa da Argentina. Na visita aos EUA o governo brasileiro liberou a importação de trigo americano sem tarifas, os argentinos são os naturais fornecedores deste cereal para nós e manifestaram desgosto de forma bem sonora.
Economia mundial desacelera – Desde o segundo semestre do ano passado, o FMI e diversas agências notaram uma desaceleração na economia mundial que o primeiro semestre de2019 confirmou. O economista Laurence Summers falou de estagnação secular e muitos outros pressentem uma nova crise. Há vários fatores envolvidos, alguns antigos e outros mais recentes.
1 – Desde o final da década de1980, o capital financeiro lidera a economia e nos países ricos a rentabilidade e produtividade caíram, os salários estagnaram e a oferta de crédito explodiu, a economia movia-se por bolhas e crises.
2 – A resolução da crise de 2008 agravou o problema, os bancos foram resgatados, os governos absorveram as dívidas e passaram a conta da austeridade às populações.
3 – Uma enxurrada de crédito a juros mínimos foi ofertada e muitas empresas tomaram empréstimos para recomprar suas próprias ações inflando as bolsas. As famílias pagam as dívidas vagarosamente e os governos mantêm as suas em patamares altos. Em alguns países o imobiliário já configura uma bolha novamente.
A recente ascensão do nacionalismo é uma reação a este estado de coisas, mas os governos não conseguem reverter o quadro esboçado acima, o que gera mais frustração.
E isto não é tudo, há um pano de fundo preocupante. A desertificação avança em muitas regiões, o uso continuado de pesticidas e a repetição de plantio das mesmas lavouras empobrecem o solo. Graças à automação e informatização a capacidade mundial da indústria é superior ao consumo, dada a renda popular disponível, além disto, a descartabilidade dos produtos exerce enorme pressão sobre os recursos naturais. Há um estoque incrível de riqueza acumulada (muitos trilhões de dólares) investido em ações, dívidas públicas e privadas e no mercado de derivativos, em essência seguros e apostas.
É uma mistura letal de imprevidência e desperdício. Está ocorrendo uma concentração de planetas lentos, será a maior do século 21 e terá um grande impacto para nosso futuro. Saturno cruzará Plutão seguido por Júpiter, os dois se encontram em Aquário tudo em 2020. Júpiter encontra Netuno e depois Urano, seguido por Saturno. O processo todo ocorre em uma dezena de anos e promete grandes desafios.
Música e alegria
É uma experiência e tanto escutar o primeiro movimento da Sinfonia 3 (op. 97) de Robert Schumann. Desde o primeiro compasso a alegria é escancarada transbordando para a euforia em alguns momentos. Corria o ano de1850 e nunca ninguém ousara fazer isto. Reconhecemos imediatamente o pulso da música quando iniciamos um amor correspondido ou fazemos algo difícil; sentimos vontade de dançar, gritar e celebrar, ficamos um pouco doidos. Encontramos neste compositor outros exemplos como no concerto para piano e orquestra(op.54) que inicia com um tema lírico e culmina numa marcha que evoca um júbilo desmesurado, isto não dura um minuto, o impacto é profundo. Há várias gravações destas obras no Youtube.
Torre de Babel - abr.2019: Astro sem atmosfera. Dusseldorf
Dusseldorf e o rio Reno, a sinfonia foi composta aí.
Do site do Instituto Goethe.
E depois dele ninguém mais ousou. Há momentos alegres em Brahms, mas sempre contidos pela maestria técnica; em Dvorak há alegria quando acolhe material de danças camponesas. Em Fauré a alegria é serena, discreta e muito bonita e em Mahler há humor e paródia que rapidamente se transfiguram em sarcasmo, pesadelo e atmosfera sombria, ele foi o compositor vidente da Primeira Guerra Mundial.
Ela foi um marco na história humana, um ápice de selvageria contra populações desarmadas. A vida humana tornava-se descartável, o que está na origem de nossas desordens atuais. É perfeitamente lógico que a música de concerto expressasse a ansiedade e angústia naqueles tempos o que afastou o público. Logo depois da guerra, Ravel compôs La valse a despedida definitiva da belle époque, a música é lentamente desconstruída com compaixão, um belo funeral de uma era.
O título desta crônica é uma metáfora de Nietzsche a propósito de Heráclito, retomada por Walter Benjamin em seu ensaio sobre Baudelaire que foi contemporâneo de Schumann. No texto do filósofo a poesia de Baudelaire paira no céu do Segundo Império como um astro sem atmosfera, cenário inóspito.
De tempos em tempos é preciso ouvir a Sinfonia 3 e se entregar sem restrições ao seu ritmo esfuziante, uma celebração coletiva do bem viver e realizar.
 
Rui Sá Silva Barros é historiador, astrólogo.
Mestre em História social (USP) e autor de textos sobre simbologia
(Esoterismo, ciência e sociedade). Pesquisador em Kaballa (Tarô e Qabbalah).
Oferece consultas astrológicas com ênfase nas soluções para todos os temas.
Contatos e informações: rui.ssbarros@uol.com.br ou fone: 11 2367-9179.
Outros trabalhos seus noClube do Tarô: Autores
Edição: CKR – 1/04/2019
Fórum: partilhe seus comentários ou deixe questões para o Rui responder
  Baralho Cigano
  Tarô Egípcio
  Quatro pilares
  Orientação
  O Momento
  I Ching
Publicidade Google
 
Todos os direitos reservados © 2005-2019 por Constantino K. Riemma  -  São Paulo, Brasil