Home page

21 de novembro de 2019

Responsável: Constantino K. Riemma


Torre de Babel - julho.2019
A Justiça abre os olhos
Para Hanna Optiz, in memorian  
Rui Sá Silva Barros
Historiador e Astrólogo
Desde o início da Lava Jato, alguns jornalistas e muitos juristas reclamaram dos atropelos: prisões preventivas sem prazo, abordagens coercitivas desnecessárias, vazamentos para a imprensa, grampeamento de telefones de advogados de defesa e condenações baseadas em uma única delação premiada sem provas materiais. O material coletado pelo Intercept confirma tudo isto e mostra com clareza um grupo resolvido a cumprir a missão de limpar o país mesmo que necessário fosse transgredir a lei e regulamentos.
A primeira reação foi: não há nada de mais nos diálogos, o que significa que eles são autênticos. A seguir insistiram no crime de hackeamento, mas  pode ser que tenha sido vazado por algum participante arrependido ou, pior, o material foi cedido por agências americanas que julgam Moro descartável. Só saberemos disto daqui a alguns anos. No momento Plutão faz quadratura à cúspide da casa 9, justiça (veja o mapa do Brasil).
Torre de Babel - julho.2019: A Justiça abre os olhos -- Bolsonaro-Moro
Reação à popularidade em queda.
Do site Extra online – Globo.
O judiciário brasileiro é um escândalo, um caso de polícia, é o único poder que não tem nenhum controle externo e geralmente é dócil com o governante de plantão, especialmente os ditadores. Caro, lento, ineficiente, sujeito à corrupção. O STF deve defender a Constituição, mas nos anos recentes legisla e a altera sem cerimônia, o que contribui para a desordem política. O jornalismo contribuiu para este cenário, não só divulgou com estardalhaço as operações da Lava Jato, como deu cobertura aos juízes e procuradores e incentivou o clima de salvação nacional. O resultado está aí e muitos se arrependem.
LulaContinua no centro do palco. Os generais pensam que ele solto incendiará o país. Será? O PT ainda tem cacife eleitoral, mas a capacidade de mobilização é baixa. A depender do judiciário Lula não sairá da prisão, o processo do sítio de Atibaia já está em curso e será acelerado. O prestígio internacional continua intacto e toda semana sai alguma carta em apoio ao ex-presidente no exterior.
A acomodação dos conflitosO tiroteio entre os núcleos do governo baixou, o presidente promoveu uma dança de cadeiras e colocou gente de sua confiança em postos chaves. Para o BNDES foi um arruaceiro, para a secretária  um assessor de outrora no Congresso, um general da ativa está no palácio, o que pode politizar as tropas. O general que contavam para tutelar o presidente, agora dá murros na mesa em entrevista e vocifera em atos públicos etc.
Os embates com o Congresso seriam hilariantes se não fosse a trágica situação atual no país. O executivo envia decretos e medidas provisórias mesmo sabendo que os temas precisam de projetos de lei. O material é inviabilizado e devolvido pelos parlamentares, o executivo reformula e manda novamente decretos e medidas provisórias. O relatório da reforma da Previdência  estava pronto para votação e Paulo Guedes diz que o Congresso é uma máquina de corrupção, a votação foi adiada.
Torre de Babel - julho.2019: A Justiça abre os olhos -- Privilegios
Do site Tribuna da internet.
O governo defenderá Moro até o fim, o combate à corrupção foi tema essencial na campanha  eleitoral e a popularidade do juiz é superior a do presidente. O MBL e o Vem para a rua foram importantes na época do impeachment de Dilma, agora eles têm reservas ao governo, mas apoiam Moro como ficou claro nas manifestações do dia 30/06. Em São Paulo houve confrontos entre estas organizações e grupos que defendem a ditadura pura e simples. Moro atropela as leis e a língua portuguesa, parte da população o apoia assim mesmo por identificação.
Já escrevi várias vezes que os projetos de política econômica liberal e os conservadores de costumes só podem ser realizados num regime de exceção, ocorre que as Forças Armadas ainda não se dispuseram a dar este passo, estão escaldadas com a última experiência e não sabem o que fazer com o país.
PrevidênciaComo previsto o projeto do governo foi desidratado e a Comissão teve o bom senso de não apertar ainda mais os trabalhadores rurais, idosos e deficientes. O relator colocou no projeto duas fontes de receitas, era mesmo necessário abordar o tema, mas as escolhas foram infelizes: o aumento de CSLL do sistema financeiro será repassado aos clientes e a retirada de parte do FAT do BNDES  o que é um mau negócio, isto foi reconhecido e reformulado. Está pendente a questão da inclusão dos estados e municípios, para governadores e prefeitos seria uma boa solução que evitaria discussões alongadas nas Assembleias Legislativas e Câmaras, o problema é que o sistema é federativo e a instituição federal não pode legislar além de sua esfera. Se eles forem incluídos alguém recorrerá ao STF questionando a constitucionalidade do ato. Como Saturno está retrogrado na casa 11 (Congresso), o assunto ainda vai longe.
EvangélicosEra uma vez algo chamado de Teologia da Libertação, doutrina católica forjada na América Latina a partir dos anos 1960. Ela criou as Comunidades Eclesiais de Base, um movimento que arregimentou as classes populares promovendo solidariedade e ativismo social. O papa João Paulo II entendeu que isto era um desvio sério e combateu o movimento dissolvendo as CEBs e não colocou nada no lugar. Neste vácuo cresceram as igrejas evangélicas que atuaram nas periferias deserdadas das grandes cidades. Agora elas têm programas na TV e até um partido político, os católicos também tiveram o deles, o Democrata Cristão, origem de Franco Montoro e Plínio de Arruda Sampaio entre outros. Os evangélicos já perfazem quase 25% da população e querem ser ouvidos. Há muitos matizes neste mundo e é bobagem carimbá-los como reacionários.  A base do crescimento foi o trabalho cotidiano e constante, o que a maioria dos partidos políticos não consegue fazer. Os evangélicos são uma importante base social do governo, mas já surgem fissuras no apoio.
Popularidade em queda, vaiado em estádio de futebol, chamado de traidor por policiais. O narcotráfico está infiltrado na aeronáutica, integrantes do exército vendem armas para o crime organizado, o clã familiar do presidente tem relações íntimas com milicianos (cadê o Queiroz?). O isolamento é crescente. O que há de certo é que a tensão astrológica será maior em 2020. No momento Marte ingressa em Leão, faz quadratura a Urano no céu e ativa a oposição Marte/Saturno do mapa do país.
Mundo afora
Acordo Mercosul/União EuropeiaCozinhado em fogo lento durante 20 anos, o acordo saiu. Os europeus subsidiam fortemente sua própria agropecuária e não queriam abrir mão disto de jeito nenhum, especialmente os franceses que ainda têm uma população rural significativa e não querem nenhum inchaço urbano.  Por que mudaram de ideia? Os europeus estão sofrendo uma dupla pressão, pelo lado americano com conflitos sobre tarifas e sanções econômicas, pelo lado chinês que vê o mercado americano retrair e precisa de novos mercados para suas exportações. A União acaba de renovar sua direção com figuras carimbadas, velhos de guerra e a maioria hostiliza a Rússia. É curioso, pois Urano ingressou na casa 10, o poder executivo, e Saturno retrógrado percorre os planetas em Capricórnio (veja o mapa da União).
O Acordo tem 17 itens e deve ser aprovado pelos parlamentos dos 27 países da União e os 4 do Mercosul, tarefa que levará anos e muitas discussões e revisões. Há um temor que o Acordo acelere a desindustrialização no Mercosul e permita uma concorrência braba no setor de serviços. Há no acordo parágrafos tratando de questões ambientais, climáticas, sanitárias e trabalhistas. Ao assiná-lo o governo brasileiro teve que aceitar tudo que havia criticado antes para espanto do mundo civilizado. A ver se a algazarra do ministro do Meio Ambiente continua, o desmatamento na Amazônia cresceu 60% nos últimos 12 meses.
Torre de Babel - julho.2019: A Justiça abre os olhos -- vinhedo francês
Vinhedo francês.
Foto do site 100 dicas
G-20Foi essencial  para que a crise financeira de 2008 não virasse uma Grande Depressão. Alguns movimentos em comum dos Bancos Centrais e Tesouros dos países foram essenciais para a contenção, mas criaram um cenário  que desafia a imaginação dos economistas, p.ex., como a inflação ficou comportada diante de tanto crédito barato? A crise agravou a concentração de renda que está na raiz da insatisfação mostrada em eleições recentes. Nas últimas reuniões do grupo o mais importante foram as reuniões à parte. Agora em Osaka o comunicado final enfatizou a importância do livre comércio quando o protecionismo está à solta e os EUA usam sanções econômicas para constranger outros países. O que de mais importante aconteceu foram as reuniões de EUA e China, que baixou um pouco a estridência do conflito comercial; e a reunião da Índia, Rússia e China.
ÍndiaEstá numa situação cômoda, cortejada pelos EUA, por um lado, e pela Rússia/China para o projeto euroasiático. No front interno a situação não é nada cômoda, pois o nacionalismo do premiê Modi tem promovido hostilidade aos 100 milhões de mulçumanos que habitam o país. Os camponeses estão endividados e o número de suicídios é recorde. A economia tem crescido 7%a.a recentemente, mas já mostra sinais de desaceleração, é muito dependente de importação de petróleo e derivados e tem uma infraestrutura precária.  Está com Urano na casa 12 em quadratura aos planetas em Leão e Marte acaba de ingressar no signo (veja o mapa da Índia).
ChinaAlém da pressão econômica americana o governo se vê as voltas com os protestos em Hong Kong. A situação é complexa: lentamente a direção chinesa toma o controle político da cidade e a população luta por suas antigas liberdades. O que detonou a atual crise foi uma iniciativa da atual prefeita extraditando presos para serem julgados em Pequim. Por outro lado a cidade ficou caríssima e a maioria das pessoas pena para pagar um aluguel. A cidade não tem espaço para expansão. Em resumo, as pessoas querem liberalismo político e ao mesmo tempo limitar o liberalismo econômico. No momento Marte ingressa na casa 7, diplomacia, aliados, inimigos declarados e guerra (veja o mapa da China).
RússiaPutin disse no G-20, o liberalismo está obsoleto. Partindo de quem disse é cômico, pois a Rússia viveu no absolutismo até o início do século 20, passou para a ditadura sanguinária soviética, depois para o governo mafioso de Ieltsin e agora para o do presidente perpétuo Putin. O que avança tecnologicamente é a produção de armas e a agricultura melhorou, até exportam trigo novamente. A oposição de europeus empurra o país para a esfera chinesa. No momento Urano faz quadratura ao Saturno natal. A Rússia nunca conheceu liberalismo (veja o mapa da Rússia).
EUA A campanha eleitoral começou, um ano e meio antes. Trump anda exasperado, pois das promessas de campanha a única medida realizada foi o corte de impostos para ricos e empresas. Depois da Venezuela é a vez do Irã, as provocações não param e podem desatar uma crise inédita. Para a comemoração do dia Nacional, 4 de julho, Trump encomendou um desfile militar com as armas mais modernas, é a primeira vez que isto acontece no país para estupor de democratas e liberais. A oposição também já está em campanha com 20 candidatos declarados, o que não pressagia vitória. O recente eclipse solar ativa o Sol da carta da independência  enquanto Plutão está perto de completar sua primeira revolução (veja o mapa dos EUA).
Torre de Babel - julho.2019: A Justiça abre os olhos -- Trump
Do site Folha Uol.
Martim Wolf é um experiente jornalista que escreve sobre economia no Financial Times. Nos últimos artigos ele tem escrito sobre o colapso da democracia, assunto incontornável. Em Por que o governo democrático mostra desgaste nos EUA e Reino Unido, ele descreve Trump e Boris Jonhson como mentirosos patológicos e anuncia: Muitos cidadãos parecem não se importar que seus líderes sejam calhordas. Se isto saísse num tabloide seria esperado, mas no FT é uma novidade. Falência moral é outra expressão usada no artigo.
IrãO governo resolveu correr o risco e derrubou um drone americano, se Trump reagisse provavelmente o estreito de Ormuz seria fechado e o barril do petróleo iria a 200 US, o que seria um tumulto infernal. A Arábia Saudita seria bombardeada com fúria e possivelmente Israel. O aperto econômico faz estragos e a exportação de petróleo é realizada com malabarismo. No momento Saturno faz quadratura a Plutão natal, o que confirma a disposição de combate se necessário (veja o mapa do Irã).
Gaia
Robson Papaleo e equipe promovem o anual encontro astrológico que abre dia 12 e vai até 18 com palestras, conferências e trabalhos inéditos de alunos. No final de semana (19/20/21) tem a Astrológica com palestras de todos os tons e para todos os gostos. Serei entrevistado e farei uma apresentação, Brasil à la carte. Além das palestras  há o clima de amizade e confraternização, encontramos gente que não vemos sempre. A programação completa, endereço e valores no site www.gaiaescoladeastrologia.com.br
Hanna Opitz
Hanna Opitz
Nossa colega Hanna Opitz partiu. Curiosa e aberta a experiências, ela conhecia bem a Astrologia Uraniana alemã, foi pioneira na difusão do Feng Shui no Brasil, desenvolveu um método preditivo semiológico, baseado nas proporções dos signos e imagens. Ultimamente experimentava um mapa de independência baseado em documentos assinados pela Imperatriz Leopoldina, alguns dias antes do 7 de setembro. Sempre a associei ao pintor Kandinsky pelas preocupações geométricas e arquitetônicas de suas pesquisas. Agora ela pode prosseguir seus estudos vivendo numa realidade mais completa que a nossa. Até mais ver Hanna.
Rui Sá Silva Barros é historiador, astrólogo.
Mestre em História social (USP) e autor de textos sobre simbologia
(Esoterismo, ciência e sociedade). Pesquisador em Kaballa (Tarô e Qabbalah).
Oferece consultas astrológicas com ênfase nas soluções para todos os temas.
Contatos e informações: rui.ssbarros@uol.com.br ou fone: 11 2367-9179.
Outros trabalhos seus noClube do Tarô: Autores
Edição: CKR – 8/07/2019
Fórum: partilhe seus comentários ou deixe questões para o Rui responder
  Baralho Cigano
  Tarô Egípcio
  Quatro pilares
  Orientação
  O Momento
  I Ching
Publicidade Google
 
Todos os direitos reservados © 2005-2019 por Constantino K. Riemma  -  São Paulo, Brasil