Home page

27 de maio de 2019

Responsável: Constantino K. Riemma


  fevereiro.2019
O bonde do horário já passou
Rui Sá Silva Barros
Historiador e Astrólogo
Início de ano escaldante e trágico. Dois eclipses próximos a Saturno (solar) e Plutão (lunar), Marte fez quadratura a Saturno, Plutão e conjunção a Urano. Aqui deu em Brumadinho, temporais e desabamentos, incêndio no CT do Flamengo, queda de helicóptero que levou Boechat, negligências e mortes. Foi como se o ódio e o medo destilados no ano passado explodissem materialmente.
Torre de Babel - fev.2019: O bonde do horario ja passou -- Brumadinho
Solidariedade na porta do IML em BH para familiares das vítimas de Brumadinho.
Do site otempo.com.br - Foto de João Leus
Em novembro publicamos O laboratório do Dr. Frankenstein com análise e projeções sobre o novo governo. Os conflitos dos grupos, a inexperiência de administração pública etc., estão escancarados e nada tenho a rever. Mas agora podemos acrescentar algumas coisas: o PSL é uma coleção de ladrões de galinhas, o clã Bolsonaro tem proximidade aos criminosos milicianos cariocas, a maioria dos ministros está citada em inquéritos e a operação abafa já está em ação, muito rapidamente Moro virou um engolidor de sapos (Queiroz, Bebiano).
O projeto de lei anticrime — Concretiza promessas de campanha endurecendo penas, promovendo encarceramento e dando liberdade de execuções aos policiais. Já somos o terceiro lugar em população carcerária e não há dinheiro para presídios novos. Tudo isto vai aumentar a violência e organizar ainda mais o crime que vai para o enfrentamento, pois Saturno se aproxima de Plutão na casa 12 (presídios, crime organizado e hospitais). É preciso antecipar os lances ao transferir a liderança do PCC  para o isolamento.
O CongressoOs senadores promoveram um belo espetáculo circense ao vivo e a cores ao escolher a nova mesa diretora e Renan foi tratorado. Na Câmara reina a inquietação, o líder do governo convocou uma reunião e os chefes dos partidos refugaram deixando-o a falar sozinho. PP, PR, MDB, PSDB, PSD, partidos médios essenciais para o governo aprovar a legislação que o executivo mandará; estão todos inquietos, nem indicações para o segundo escalão conseguem emplacar. A reforma da Previdência deverá passar, mas os regateios serão enormes. Em breve, Saturno retrograda no setor 11 (Congresso) indicando as dificuldades. Só na primeira semana foram protocolados mais de 100 PLs, cada um mais disparatado que o outro, e 5 CPIs, a de Brumadinho já deu briga para ver quem preside.
Torre de Babel - fev.2019: Cláudio Boecht
Ricardo Boechat - sua franqueza e humor pela manhã fazem falta.
Do site exame.abril
A oposição — Está dividida no Congresso facilitando a vida da situação, mas isto é o de menos. Depois de receber várias ameaças de morte, o deputado reeleito Jean Wyllys entregou o boné e saiu do país, enquanto a direção do sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos aceitou um rebaixamento de salários na General Motors e a direção da CUT teve uma audiência com o vice Mourão para negociar não se sabe o quê. Se os líderes do campo popular se rendem sem luta, o que se pode esperar dos liderados?
ParanoiaPoucos anos depois da Lei do Acesso à informação, o atual governo já ampliou o espectro do sigilo em documentos  oficiais. Pretende também monitorar o Sínodo da Amazônia a ser realizado em outubro no Vaticano. O Sínodo foi agendado em 2017 e não tem nada a ver com o atual governo. Jornais internacionais classificaram o discurso de Bolsonaro em Davos como fiasco, as declarações sobre meio ambiente e projetos para a Amazônia  deixam todo mundo de cabelo em pé. São ações típicas de ditaduras, o alvo acalentado no processo em curso.
Uma hipótese interessante — Os jornalistas estão exultantes, finalmente há matéria para escrever novelas, enquanto analistas políticos contam deputados integrados à base do governo. Em meio a este disparate foi difícil encontrar alguma reflexão acima do bueiro, mas ela existe. Entre os escritos do professor Marildo Menegat (UFRJ) encontramos uma ideia que vale a pena acompanhar. A cúpula das Forças Armadas concluiu que o Brasil perdeu o bonde da industrialização, ciência e tecnologia e será um país de renda média (entre 10 e 20 mil dólares per capita anuais). Neste caso, a melhor opção é procurar um lugar privilegiado junto a uma superpotência, nosso querido irmão do Norte.
Que o Brasil perdeu o bonde não é hipótese, é fato, e já escrevi bastante sobre o assunto nestas crônicas, foi em 1982 sob uma conjunção Saturno/Plutão em Libra, com recessão, hiperinflação, ida ao FMI e desindustrialização permanente. Se a política seguir este curso é melhor comprar as armas liberadas, pois a pobreza e violência serão terríveis. A recente indicação de um general brasileiro para integrar a direção da Frota do Atlântico Sul dos EUA é um passo nesta direção. Nem na época da ditadura militar se viu tanto servilismo.
Brasil e Trump
Charge do site Plantão Brasil.
Os militares brasileiros deviam fazer uma visita à Ucrânia. No início de 2014 o país fervia e manifestações procuravam derrubar o presidente pró-Moscou. E lá estava também Victoria Nulanda, alta funcionária do Depto do Estado dos EUA, providenciando dinheiro e estratégia aos opositores, o presidente caiu. Como recompensa o governo americano levou o ouro ucraniano para um lugar mais seguro, em Nova York, e providenciou um pacote de empréstimo do FMI com políticas austeras e privatizantes. Cinco anos depois a Ucrânia está pobre e corrupta como sempre. Essa é a ajuda aos aliados.
Em breve — Urano estará em Touro estimulando a oposição Marte/Saturno do mapa natal. Da última vez (1935/7) deu em pega nas ruas, tentativa de quartelada, repressão geral e acabou numa ditadura para ninguém botar defeito, o Estado Novo. Diante de obstáculos do Congresso, mídia e organizações sociais a paranoia e o autoritarismo crescerão. Já são quase 50 militares no primeiro e segundo escalões do governo.
Venezuela, uma crise internacional
O país exportava cacau, café e outros produtos agrícolas. A partir de 1920 passou a viver de petróleo. Quando os preços triplicaram na década de 1970 foi uma euforia. Qualquer governo sensato aproveitaria para diversificar a economia e implantar programas sociais, mas a Ação Democrática e o Copei (os partidos dominantes)  preferiram estimular importações e a corrupção correu solta. Na década seguinte os preços retrocederam (mas a corrupção não) e começou a agonia que desembocou numa tentativa de golpe militar liderada por Chávez. Anos depois ele ganharia as eleições.
É interessante notar que ele tomou posse em 02/1999 com o Sol conjunção a Urano em Aquário. No mapa natal do país encontramos um trino entre os dois planetas e a conjunção da posse estava em quadratura a Urano natal (veja o mapa da Venezuela). O bolivarianismo tem relação com Urano. Os preços do petróleo subiam muito e Chávez implantou diversos programas sociais, mas não cuidou da agricultura de consumo interno e da indústria farmacêutica, assuntos que pedem soberania nacional. Em 2002, houve tentativa de golpe de estado com simpatia declarada do governo americano e depois uma greve na PDVSA. Netuno no céu quadratura a Urano natal que está na entrada da casa dois (economia).
O exército e a PDVSA foram expurgados, postos importantes da economia foram dados a militares fiéis, o governo entrou em feroz combate à mídia, mas o presidente ganhou todas as eleições e plebiscitos que realizou e assombrava e divertia o mundo com as tiradas anti-imperialistas. Quando ele adoeceu e morreu (2013, Plutão em oposição e Urano em quadratura ao Sol do país) a maré estava novamente virando com os preços do petróleo caindo para menos da metade. Maduro, seu sucessor não tinha a mesma habilidade política e a pressão sobre o país começou a subir com opositores fazendo maioria no Parlamento e bloqueio de ativos depositados em bancos internacionais. A dificuldade para importar resultou em desabastecimento, a produção de petróleo caiu com uma gerência ineficiente e remédios escassearam. Manifestações massivas ocorreram com choques nas ruas e muitos mortos.
Torre-de-Babel-fev.2019: Desabastecimento na Venezuela
Desabastecimento na Venezuela
Do site Diário da insurgência.
O PIB caiu brutalmente nos últimos 4 anos e a inflação do ano passado atingiu um milhão %, enquanto  milhões de venezuelanos deixaram o país. A crise se tornou internacional, na realidade o processo foi longo. No rastro do chavismo surgiram regimes nacionais e populares por toda a América Latina que foram caindo um a um: Honduras, Paraguai, Argentina, Equador, Brasil, todos os novos governos alinhados aos EUA. A Venezuela é o último deles.
EUA — O governo se incomodou com Chávez desde o início e piorou com a ascensão de Lula e Kirchner. Apesar de tudo continuou a comprar 20% de todo o petróleo venezuelano até agora. No ano passado deu início a um estrangulamento econômico  do país e manda ajuda humanitária! Trump reconheceu Juan Guaidó, o autoproclamado presidente, e apertou o passo, ficou difícil recuar.
Rússia Vendeu armas modernas para Maduro e investiu no petróleo do país. Tem créditos a receber e se preocupa com a queda do regime.
China — Comprou petróleo em longo prazo na Venezuela e pagou adiantado, teme não receber o acordado se o regime mudar. Há boatos de que chineses se reuniram com representantes de Guaidó, se isto se confirmar Maduro está por um fio.
Pacto de Lima — Reunião de países da América do Sul que fecharam questão sobre a saída de Maduro. O governo brasileiro está ativo nesta empreitada, mas tem um problema sério: a eletricidade de Roraima é fornecida pela Venezuela, os militares brasileiros afirmam que não participarão de uma invasão no vizinho. Os uruguaios apoiam uma saída negociada.
EuropaA maioria deu prazo para Maduro convocar eleições e na negativa apoiou Guaidó, que passou anos sendo treinado nos EUA para liderar manifestações, ver material em Quem é o golpista Juan Guaidó, artigo de M. Blumenthal e Dan Cohen no site brasildefato.com.br
Guaidó em comício na Venezuela
Guaidó em comício.
Do site Brasil de fato
A situação no mapa do país é bem tensa: Saturno faz oposição ao Sol, Marte e Urano estão na casa 7 (aliados, inimigos e declaração de guerra), Netuno ingressou na casa 6 (crise) e faz quadratura à Vênus que rege o Ascendente (integridade territorial) , Júpiter percorre a casa 3 (os vizinhos) e está sobre Saturno natal.
Maduro parece disposto a resistir e ainda tem o apoio da alta oficialidade do exército que está bem equipado. Uma invasão terrestre é improvável, pois resultaria em muitas mortes de lado a lado, mas ataques aéreos são possíveis. China e Rússia não se envolverão militarmente, mas devem acionar o Conselho de Segurança na ONU. A Colômbia pode ser arrastada para a confusão. De um jeito ou de outro Maduro cairá e de certo mesmo é que as imensas reservas de petróleo da Venezuela serão leiloadas a preço de ocasião. Um novo governo será formado e seguirá os passos do argentino Macri. A América Latina gira em círculos.
Nova guerra fria — Os venezuelanos tiveram a infelicidade de estar no caminho do conflito entre EUA e China. Como na velha guerra fria haverá zonas de influência e o governo norte-americano toma o continente como seu quintal, balneário e reservas naturais. A pressão para restringir investimentos chineses nas Américas seguirá e em troca receberão o FMI e programas de austeridade que pauperizam a população.
A hora do discernimento
Os planetas lentos se aproximam e o clima emocional e geopolítico é tensionado. Nada de desânimo, a aproximação de 1981/4 foi mais intensa que esta e o mundo não se acabou, embora o sofrimento daquela  época fosse agudo. A primeira providência é não colaborar com a destruição, não participe de debates sentimentais e histéricos, é perda de tempo.
Para os que têm temperamento apropriado é preciso se engajar em atividades e grupos políticos e sociais, pois as liberdades básicas podem sofrer restrições.  Quem tem inclinações filantrópicas o campo está aberto para a ação. Há muitas crianças deficientes nas periferias que têm dificuldades com transporte, tratamentos e equipamentos. Há nas grandes cidades uma boa quantidade de idosos morando sozinhos, uma mão dos vizinhos é bem-vinda, outros estão inadimplentes e não sabem negociar com bancos. Organizar habitação improvisada para vítimas de catástrofes. Gente vulnerável sendo espancada deve ser socorrida e a agressão denunciada. Enfim, solidariedade básica.
 O trabalho cotidiano deve ser feito com capricho, isto em si é uma iniciação espiritual, como foi nos antigos ofícios. Um pouco de beleza no cotidiano também é indispensável.
A tecnologia atual isola as pessoas fisicamente, tudo pode ser pedido e pago digitalmente. Estimule e aprecie estar com pessoas, intensifica os vínculos e a solidariedade. Procure se informar, muita coisa importante não aparece na imprensa e há muita gente de boa vontade fazendo coisas notáveis.
E humor como no samba : O bonde do horário já passou/ e a Rosalina não me acordou/ Fazem cinco dias que não vou trabalhar/ Rosalina me deixa em má situação/ já não tenho mais desculpa para dar ao meu patrão. Haroldo Lobo e Milton de Oliveira, gravado por Patrício Teixeira em 1940, encontrável no Youtube.
Rui Sá Silva Barros é historiador, astrólogo.
Mestre em História social (USP) e autor de textos sobre simbologia
(Esoterismo, ciência e sociedade). Pesquisador em Kaballa (Tarô e Qabbalah).
Oferece consultas astrológicas com ênfase nas soluções para todos os temas.
Contatos e informações: rui.ssbarros@uol.com.br ou fone: 11 2367-9179.
Outros trabalhos seus noClube do Tarô: Autores
Edição: CKR – 18/02/2019
Fórum: partilhe seus comentários ou deixe questões para o Rui responder
  Baralho Cigano
  Tarô Egípcio
  Quatro pilares
  Orientação
  O Momento
  I Ching
Publicidade Google
 
Todos os direitos reservados © 2005-2019 por Constantino K. Riemma  -  São Paulo, Brasil