Home page

29 de novembro de 2021

Responsável: Constantino K. Riemma


Avaliação dos prognósticos para as eleições de 2010
 
Devemos muito aos tarólogos e cartomantes que participaram das previsões para as eleições de 2010, em primeiro lugar pela coragem de aceitarem o difícil desafio de previsões para o coletivo e, em segundo, pelo material de estudo e reflexões que nos ofereceram.
Mesmo na Astrologia, arte muito mais antiga e consensual que a do Tarô, em que os dados analisados são os mesmos para todos os astrólogos (mapas, progressões, trânsitos) as conclusões também foram contraditórias, como pudemos acompanhar pelos grupos de discussão da Central Nacional de Astrologia.
Tive notícias de tarólogos que, para contornarem o problema da tiragem pessoal, fizeram previsões em grupo, mas os resultados nem sempre se confirmaram. Ou seja, os prognósticos pontuais para os processos coletivos mostram-se muito mais imprecisos do que para os casos indivíduais. No entanto, exercitar e partilhar em espaços como o do Clube do Tarô nos ajuda a compreender melhor a fascinante arte de lidar com as cartas.
Nesse sentido, para aproveitar essa oportunidade abrimos um Fórum-Mural para estudantes e praticantes deixarem suas reflexões sobre o processo e sua avaliação.
Agradeço a todos os que colaboraram com os textos e com os comentários nos fóruns.
Constantino K. Riemma - 3.nov.2010
 
 
Links para as avaliações dos prognósticos:
Abelard Gregorian: Paciência, errei, mas...   Angélica Lavenir: Venceu Dilma, como previsto
Giancarlo K. Schmid: Comentários   Luci Mária F.: E Dilma ganhou
Ricardo Pereira: Dinâmica da eleição    
E mais: um Fórum-Mural para você deixar seus comentários.
 
 
Para recapitular: As Eleições Presidenciais (agosto) e seu respectivo Mural.
E ainda as atualizações: O Segundo Turno (outubro) e o bem visitado Mural.
 
 
Paciência, errei, mas tenho uma explicação!
  Abelard Gregorian  
Dilma
Cavaleiro de Paus
Cavaleiro de Paus
 
Serra
Rei de Pausas
Rei de Paus
 
Na tiragem que fiz no final do ano passado entendi uma tendência que se confirmou em agosto, com o Cavaleiro de Paus para Dilma e o Rei de Paus para o Serra. Traduzi o Rei de como o ganhador e o Cavaleiro como um batalhador, mas não como um vencedor.
Dessa vez cometi meu primeiro erro em previsões coletivas e acredito que tenho o que aprender.
O meu primeiro pensamento foi que as previsões coletivas, feitas por intermédio das cartas, sorteadas por uma única pessoa ficam inevitavelmente sujeitas a erro. É diferente quando em uma consulta presencial, as cartas são retiradas pelo próprio consulente.
Neste caso, porém, de previsões para eleições presenciais, quem seria o consulente? Será que fui apenas sensível ao astral do sul do Pais, onde de fato o Serra venceu?
Hoje, porém, me dei conta de que o resultado estava certo para o primeiro turno: Dilma não levou, Marina ganhou em imagem (O Carro) e o Serra levou a melhor, ou seja, contra todas as pesquisas do momento, continou no páreo!
Não foram as cartas que erraram, mas sim o meu entendimento de que o resultado valia para o processo final e não para o primeiro turno. Deveria ter aceito o convite do Constantino para reavaliação e ter feito uma nova consulta para o processo final! Mas não foi o que se passou e, assim, as minhasquestões permanecem sem resposta absoluta.
Em razão disso, estarei muito receptivo aos comentários que poderão ser feitos no Fórum.
4.novembro.2010
Contato com o autor:
Abelard Gregorian - gregorian.abelard@gmail.com
Outros trabalhos seus no Clube do Tarô: Autores
 
Venceu Dilma, como o previsto
  Angélica Lavenir  
O Julgamento no Tarô de Marselha     Ás de Ouros no Tarô de Marselha
O Julgamento + Ás de Ouros
 
A campanha transcorreu justamente do jeito descrito, para a Dilma (veja); foi aquele o ânimo e o comportamento dela. Já se eu tivesse pedido cartas que descrevessem o ar da campanha em geral, provavelmente sairiam cartas mais sombrias, para dar conta da sordidez que foi vista...
O resultado da eleição para a Dilma foi exatamente aquele: ela passou pelo julgamento das urnas no amplo território nacional, foi "chamada" e se apresenta como uma força realizadora limpa. Eu não tinha pensado antes, mas creio que o 1 do Ás também aponta o fato de ela ser a primeira mulher presidente.
O resultado da eleição para José Serra continua sendo o par de cartas menos claro para mim, como já era antes. Sim, as cartas têm pose, peso, rigidez, arrogância, frieza, muitas vestes... tudo que vejo nele. Mas ainda há um "miolo" de sentido que me intriga. Pelo que vejo nas notícias, depois de fazer inimizade em todas as áreas, o Serra, com essa sua campanha individualista, criticável, e ruim para seu partido, está "queimado" demais. E no entanto essas cartas mostram posição e poder, ainda que possivelmente antipático. Alguém me ajuda? Eu gostaria que as cartas indicassem, como alguém colocou no Fórum, problemas com a Justiça por conta de uso arrogante e irresponsável de poder econômico.
 
O Julgamento no Tarô de Marselha     O Reio de Ouros no Tarô de Marselha
A Justiça + Rei de Ouros
1º.novembro.2010
Contato com a autora:
Angélica Lavenir - ange-l@uol.com.br
Outros trabalhos seus no Clube do Tarô: Autores
 
Comentários sobre os resultados
  Giancarlo Kind Schmid  
O resultado desse último turno não me surpreendeu totalmente. Cabendo a mim analisar somente os arcanos na mesa, intimamente sentia que Dilma se elegeria (comentado por mim anteriormente aqui no fórum). Mas, na condição de tarólogo, é preciso isenção emocional e foco na leitura para não se deixar levar pelas tendências (pesquisas e mídia) e também emoções.
Comentarei tão somente duas frases postadas na leitura realizada no dia 11/10:
“O grande problema do “Rei de Espadas” é a teimosia, o ego intelectual, o egoísmo e a imposição de opiniões. Serra pode pecar por excesso de confiança e por dar pouco ouvido às advertências de membros de seu partido (inclusive do seu próprio vice, Índio da Costa).” (analisando José Serra).
Serra acabou agindo de forma renitente durante toda a sua campanha, supervalorizando situações que tiraram a atenção do povo de si (desviando para a sua adversária). Confiante demasiadamente, “deixou-se levar pela espada do Rei e foi para a guerra”, acreditando que convenceria meio mundo.
No entanto, conseguiu transformar a adversária em vítima política (a partir de suas acusações e ataques), fortalecendo a conhecida história de Dilma: “fui prisioneira política da ditadura, apanhei e fui humilhada” (ela se dizia humilhada e atacada por Serra o tempo todo). Talvez, se Serra se prendesse apenas às questões relativas ao seu plano de governo, poderia ter avançado e vencido.
“Apenas duas coisas tiram a vitória de Serra neste segundo turno: não se explicar corretamente sobre seus erros passados (governo de SP e privatizações) e a falta de clareza de seu plano de governo; se tentar repetir FHC, certamente perderá (o arcano 20 pede para o indivíduo se livrar de seu passado).”
Serra não se explicou sobre problemas relativos ao seu governo e situações atuais, em particular o envolvimento com Paulo Preto e desvios de verbas. Fora isso, questionado sobre erros cometidos durante o seu governo em SP e quando ministro da saúde na era FHC, esquivou-se. Faltou a Serra transparência e clareza em seu plano de governo, praticamente não revelou pontos importantes que são prioridade: educação e segurança.
O Julgamento
O Julgamento
'I Naibi di G. Vachetta',
1893, Turim 
O arcano 20 cobrou-lhe pelas faltas e não permitiu que Serra avançasse como deveria. Deveria, também, ter evitado aparecer ao lado do ex presidente FHC e elogiado demasiadamente seu governo passado. A repetição de FHC tomou-lhe a presidência (não se desligou do seu passado).
Dilma, futura Presidente
Visão do futuro: Dilma Presidente
Montagem de Lili Alegria
 
A soma de todos esses fatores levaram-no à derrocada, mas não totalmente, pois o candidato fará oposição acirrada ao PT, bem ao estilo de um “Rei de Espadas”.
Dilma talvez tenha se decepcionado no dia 31 porque sua mãe não pode votar (?). Ou será que outro fator oculto impingiu emoções tão desagradáveis num dia tão feliz para ela?
Enfim, a relatividade envolvendo as previsões de caráter coletivo sempre dão (e darão) margens para erros. A minha primeira análise foi pontual (no que diz respeito à leitura de uma forma geral), faltou à Serra “a sabedoria do Eremita e a mudança exigida pelo Julgamento.”
Parabéns aos colegas que foram pontuais em suas leituras. Oremos pelo futuro de nosso Brasil!
31.outubro.2010
Contato com o autor:
Giancarlo Kind Schmid: www.taroterapia.com.br
Outros trabalhos seus no Clube do Tarô: Autores
 
E Dilma ganhou
  Luci Mária F  
A Torre no Tarô de Marselha     A Imperatriz no Tarô de Marselha
A Torre e a Imperatriz
 
A minha tiragem foi bem simples e auto explicativa, pois não havia dúvida sobre a posição positiva em que a candidata Dilma Roussef estava diante do candidato José Serra (veja).
O que para o Serra  saiu como conclusão (a carta da Torre) , para a Dilma apareceu como o início da jornada dela, concluindo com a Imperatriz, que alcança prestígio  e expansão nesta nova caminhada.
Desde o dia em que fiz a tiragem, não tive nenhuma dúvida sobre o resultado. Vi algumas pessoas que deixavam dúvidas sobre o resultado; até foi colocado que as mulheres não teriam vez na  presidência.
Eu particularmente não me posicionava a favor da Dilma e, por este motivo, percebi que nem apelo emocional teve na minha tiragem.
31.outubro.2010
Contato com a autora:
Luci Maria F - www.lucinumerologa.blogspot.com
Outros trabalhos seus no Clube do Tarô: Autores
 
Dinâmica das eleiçãos para Presidente: resultados
  Ricardo Pereira  
 
Em "A Imperatriz no Ut Universi e as previsões para o Brasil em 2010", de dezembro.09, Ricardo Pereira dedicou um dos tópicos às Eleições:
 
O Louco
O Louco
Sete de Copas
Sete de Copas
Tarot de Anna Klaffinger
 
Em minha análise anterior busquei o foco apenas no cenário eleitoral para Presidente em 2010, nas campanhas e nas reações do eleitorado, tudo de forma geral, sem destacar possíveis vencedores ou derrotados.
Na verdade, de um ponto de vista pessoal, não acreditei e nem acredito nos candidatos que pleitearam a vaga de Presidente da República de nosso País, embora baseado nas pesquisas das tantas instituições do gênero e em conversas com familiares, amigos e conhecidos, nunca tive dúvidas que a Sra. Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores, chegasse ao fim desse desafio com vantagem apertada.
Quanto a minha análise sobre a dinâmica das eleições, em dezembro de 2009, na qual utilizei o método de tiragem de minha autoria denominado de “Ut Universi”, destaquei, através dos arcanos  “O Louco  e do “7 de Copas”, que o cenário das eleições para Presidente transcorreria em pleno ambiente descontraído com significativo uso do bom humor por parte dos candidatos presidenciáveis.
Nesse contexto,  uma decisão histórica ocorreu em pleno Supremo Tribunal Federal –STF, em 02 de setembro de 2010.  A Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão – ABERT pediu ao STF, nesse período, a suspensão dos incisos II e III do artigo 45 da Lei Eleitoral (9504/1997), que impediam que fossem realizadas sátiras com os candidatos, partidos e coligações a partir de três meses antes da eleição, fato que gerou a aceitação do pedido, por 6 votos a 3, por parte do STF. (UOL, 2010).
Desse modo, charges e outros programas humorísticos, passaram de forma legal, a se constituírem em mecanismos de marketing e propagandas políticos, sendo veiculados no rádio e na TV livremente, tudo em nome  da liberdade de expressão dos meios de comunicação e do uso da descontração e do “Bom Humor” no ambiente pré-sufrágio nacional.
No decorrer do Pleito, tanto no primeiro turno quanto no segundo, a palhaçada correu solta, tanto nas campanhas em âmbito nacional para Deputado em suas duas modalidades, quanto para Governador, Senador e Presidente. Candidatos de níveis e ocupações bem diversas, bem ao gosto do “7 de Copas”, lançaram-se, cada um com suas propostas e bizarrices, numa espécie de “corrida maluca” rumo a um “lugar ao sol” na política brasileira.
Um bom exemplo do poder do bom humor nas eleições de 2010 foi a eleição do palhaço e humorista Tiririca (Francisco Everardo Oliveira Silva), orgulho atual do meu Estado, o Ceará, por ter sido ele o deputado federal mais bem votado do País, não sei se por ironia, pelo Estado de São Paulo, com mais de 1 milhão de votos. Dizem que foram os nordestinos que residem e votam em São Paulo que o elegeram. Os presságios do arcano maior “O Louco” se fizeram prevalecer aqui, não há dúvidas!
Eleito Tiririca foi, mas logo em seguida tornou-se o alvo de uma ação penal aberta para investigar se houve falsificação em sua declaração de escolaridade. Mas, segundo o Presidente Lula, utilizando-me de suas próprias palavras, é uma "cretinice" o que estão fazendo com o humorista. Lula ainda é mais categórico, segundo Magalhães (2010): "O Congresso Nacional é a cara da sociedade. A sociedade não é melhor nem pior do que o congresso. Lá tem 513 deputados, 81 senadores, que são eleitos. O Tiririca é a cara da sociedade. Acho uma cretinice o que estão tentando fazer com o Tiririca. Estão desrespeitando 1,5 milhão de pessoas que votaram nele”.
 
Tiririca
Titirica, o deputado mais votado
Além de todo esse perrengue, Tiririca ainda encontrou disposição humorística e fez campanha declarada, nesse segundo turno, para a Sra. Dilma Rousseff.
Quanto aos números da eleição, afirmei que a indecisão e incerteza marcariam o pleito para Presidente, gerando um número considerável de votos nulos.
Segundo números do Uol/Eleições (2010), foram votar 135.799.043 eleitores. Foram considerados válidos 99.462.514 votos.  Os votos nulos contabilizaram 4.689.310. As abstenções foram em um número de 29.194.356 e o total de votos em  branco somaram 2.452.591 para um total de 135.804.433 de eleitores no Brasil.
Somando-se nulos, brancos e abstenções podemos observar os números da incerteza, da indecisão e do descrédito de boa parte do eleitorado nacional em relação aos candidatos à Presidência. Tal número de abstenções, por exemplo, é considerado o maior índice histórico de abstenção registrado desde a primeira eleição direta para a Presidência do Brasil, em 1989, ou seja, do pós-ditadura.
Agora, se o brasileiro escolheu o candidato ideal, certo, para representar e defender os interesses do País e do povo brasileiro, só o tempo dirá. Paguemos para ver, então!
 
 
Referências bibliográficas
MAGALHÃES, Vagner. "Acho uma cretinice o que estão fazendo com Tiririca", diz Lula. Disponível em: http://noticias.terra.com.br/eleicoes/2010. Acesso em 1º de nov. de 2010.
UOL. Por 6 votos a 3, STF libera humor nas eleições. Disponível em:
http://eleicoes.uol.com.br/2010/ultimas-noticias/2010/09/02/stf-libera-humor-nas-eleicoes.jhtm.  Acesso em 1º de nov. de 2010.
UOL/ELEIÇÕES 2010. Apuração. Disponível em:
http://placar.eleicoes.uol.com.br/2010/2turno/. Acesso em 1º de nov. de 2010.
Fontes das ilustrações
O LOUCO e 7 DE COPAS – Anna K. Tarot. By Anna Klaffinger, 2008. In:
http://www.albideuter.de. Acesso em 1º de nov. de 2010.
TIRIRICA. Jornal Diário do Nordeste, Fortaleza-Ce, 21 set. 2010.
 
1º.novembro.09
Contato com o autor:
Ricardo Pereira: http://substractumtarot.blogspot.com
Outros trabalhos seus no Clube do Tarô: Autores
  Baralho Cigano
  Tarô Egípcio
  Quatro pilares
  Orientação
  O Momento
  I Ching
Publicidade Google
 
Todos os direitos reservados © 2005-2020 por Constantino K. Riemma  -  São Paulo, Brasil