Home page

23 de agosto de 2019

Responsável: Constantino K. Riemma


Humor negro no ar e uma nota sobre a Copa
Rui Sá Silva Barros
Historiador e Astrólogo
O governo americano pode se autocongratular por uma façanha: conseguiu em semanas produzir um acordo entre Moscou e Pequim cozinhado durante 10 anos. Está jogando os russos em direção à China, proeza notável! Além da construção do gasoduto, os países aproveitaram e fizeram manobras navais conjuntas. O governo americano anunciou um cerco à China no ano passado e despachou funcionários, políticos e mercenários para depor o presidente ucraniano, deu no que deu. Foi o primeiro resultado da grande cruz planetária de abril. Para os russos foi um alívio, já os chineses estão envolvidos em várias escaramuças com países  vizinhos  por  conta das ilhas e do petróleo, e enfrentando atentados terroristas
Putin e Jinping
Putin e Jinping em Shangai
Foto do www.noticiasdegipuzkoa.com
 
dos uigures mulçumanos que habitam o oeste.
Saturno em quadratura pressiona a conjunção Marte/Plutão natal na casa 7 (relações diplomáticas), no mapa da China (veja); e a conjunção Vênus/Plutão na casa 4 da Rússia.
E os russos não invadiram o leste ucraniano, é claro, com uma saída abrupta de bilhões de dólares e euros, queda do rublo e da bolsa acionária. Pode ser que Putin viva em outra realidade, como disse a Merkel, mas não rasga dinheiro. Poroshenko, o rei do chocolate, ganhou as eleições e pode despachar milícias para ‘pacificar’ o leste, o que resultará em guerra civil e ódio, além disto, pode ver seu gás cortado por Putin, seria o ó do forrobodó.
Vai ser muito interessante ver como reagem os ucranianos quando submetidos ao tratamento de austeridade do FMI, provavelmente muitos se alistarão no Sloboda, um partido xenófobo. Nosso colega e amigo, Gerson Pelafsky, levantou o mapa de ingresso do Sol em Câncer para Kiev, está ácido com a quadratura Marte/Júpiter angular e a Lua conjunta a Urano em Áries.
A grande imprensa está fazendo escarcéu com o resultado das eleições para o Parlamento da União Europeia, que tem pouco poder. Os resultados foram os esperados no total, mas surpreendeu que a Frente Nacional dos Le Pen, na França, e o UKIP na Inglaterra tenham chegado em primeiro lugar nos respectivos países. A austeridade produz seus frutos, hora de rever O ovo da serpente filme de Bergman, agora todos os 27 países do bloco têm partidos racistas e xenófobos. Merkel, que patrocinou o austericídio, está alarmada e já começou a falar de crescimento e criação de empregos, até que enfim. A União empacou no meio do caminho, cresceu aceleradamente depois do Tratado de Maastricht, acolhendo os países do bloco soviético em condições miseráveis, estancou o processo da federalização e agora está no pior dos mundos. Dinheiro sério para Ucrânia nem pensar. Urano a 15 de Áries já começa a fustigar os 4 planetas em Capricórnio e logo mais virá Plutão (veja o mapa do Tratado da União Européia).
Índia - Outro elemento neste complicado tabuleiro é a Índia, sob nova direção, N. Modi do BJP. A economia desacelerou muito, a corrupção grassa e estupros coletivos se tornaram
N. Modi
N. Modi, novo premiê indiano, como um rajá antigo
www.theunrealtimes.com
 
correntes ultimamente. Modi foi governador do estado de Gujarat e ficou inativo num massacre contra islâmicos em 2002.
A Índia tem disputas fronteiriças com a China, mas conversam no BRIC; andou comprando muito armamento e mantém muitos setores econômicos fechados, quer dizer luta desesperadamente por sua independência e  tem 800 milhões de potenciais consumidores, o que atiça a cobiça pelo mundo afora. O governo dos EUA conta com o país para cercar a China, mas para os indianos adotar tal patrocínio pode ser um tiro no pé.
Saturno está em quadratura a um stellium importante no meio de Leão (veja o mapa da Índia). Logo mais Júpiter percorre Leão e, em 2015, Saturno ingressa em Sagitário colocando as relações diplomáticas na ordem do dia.
No Oriente Médio – Os sauditas ficaram furiosos com as negociações em curso com o Irã e compraram alguns mísseis com ogivas nucleares do Paquistão, agora Israel e a Arábia podem se defender do suposto programa nuclear dos persas, mais uma página de humor negro para nossa coleção. O governo turco está sob pressão desde o ano passado e reagiu intervindo no judiciário e internet, menosprezou um acidente numa mina e a população enfrentou a polícia na rua novamente. Os egípcios ‘elegeram’ um ditador militar, outra das inovações políticas do mundo árabe. O Islã não é incompatível com a democracia, vide Indonésia e Malásia, mas no mundo árabe é difícil, pois a sociedade sempre foi estruturada em clãs e clientelas vivendo de exportação de petróleo e gás ou turismo. Assad também anunciou eleições em meio a uma guerra civil interminável e milhões de exilados e deslocados. O papa Francisco não desiste e se deu ao trabalho de ir a Israel/Palestina e chamá-los à sensatez, conseguiu arrancar uma reunião no Vaticano para junho, a conferir.
Economia – Em crônicas passadas mencionei o problema da concentração de riqueza, nas empresas com um artigo de 3 matemáticos de Lausane (Suíça) e entre pessoas com um relatório do Credit Suisse Research.
Muitos trabalhos acadêmicos foram publicados sobre o tema, mas o mais recente de T. Piketty, O capital no século 21, tornou-se best seller ao ser traduzido ao inglês e enfureceu o Financial Times e o Wall Street Journal. O escritor cometeu dois pecados capitais: mostrou como a concentração é inerente ao capitalismo e propôs aumentar impostos sobre o patrimônio e renda. Crime horrendo, de lesa-majestade. Pelo que vi nas resenhas, o trabalho é bem suave, pois não leva em consideração nem a riqueza nos paraísos fiscais e nem a política econômica que ensejou tal resultado. Não falta muito para estarmos  trabalhando, direta ou indiretamente, para as 1318 empresas que controlam a economia mundial, com o exército nas ruas, é claro, o povo ainda não aprendeu que estamos no melhor dos mundos.
 
Piketty e Marx
Charge de crítica ao livro
O PIB do primeiro trimestre deste ano confirma algumas tendências (baixas na indústria e investimento) e apresenta uma desagradável: o consumo das famílias regrediu, o povo está cauteloso e não quer se endividar mais ainda. As reivindicações de reajustes salariais mostram o temor com a inflação futura e já correm pedidos de correção automática, é a volta da indexação e da espiral inflacionária que tão bem conhecemos. É preciso cortar o mal pela raiz. O PIB da economia americana também decepcionou, sinal claro dos imensos problemas ainda pendentes. Recentemente Obama declarou que é insensato continuar a ser a polícia do mundo, especialmente com o Orçamento tão apertado como está, o que não foi mencionado.
A violência solta no mundo anda braba. A origem disto está na mentalidade e cultura. A vida humana tornou-se descartável desde a Primeira Guerra e isto se ampliou bastante, a ponto de Marine Le Pen afirmar que o Ebola pode ser a solução para os problemas africanos. A lei foi feita para os outros, os rebeldes e desequilibrados, ademais pegar uma bolada aqui e ali não fará mal a ninguém. Os noticiários naturalizam a violência, ela faz parte natural das coisas humanas. Filmes e seriados de TV pingam sangue e a tortura mental é corriqueira, o fascínio com o demoníaco é incentivado. Pensar que polícia e a ONU podem dar um jeito nisto é mais humor negro para nossa coleção.
Em terra brasilis isto está exacerbado por conta de Saturno em Escorpião e Marte na casa 8 do mapa do Brasil. Há uma impaciência completa com os temas de habitação e transporte. As greves que causaram transtornos recentemente foram anunciadas meses atrás e mesmo assim pegaram os governos (federal e estaduais) de surpresa, as polícias assistiram a tudo como se nada disto fossem com elas.
Grevbe de ônibus em São Paulo
Durante a greve de ônibus em São Paulo
 
Estas greves (motoristas e cobradores) mostram como está o sindicalismo no país: trabalhadores atropelam decisões de assembleias! As manifes-tações refluíram, mas 100 pessoas conseguem fechar grandes avenidas e rodovias.
A Copa sairá com atrasos e desencontros, o exército nos arredores dos estádios, duro será se aeroviários e polícia federal entrarem em greve.
André Singer, que vale a pena ler, está perplexo com o mau humor reinante, visto que o desem-prego anda baixo e a renda popular se mantém. Isto exige uma incursão no mundo do trabalho.
O IBGE é uma sólida instituição com quadro técnico excelente, mas no Brasil a informalidade e o ilícito desafiam qualquer tabulação. Estima-se, é isto mesmo, a população economica-mente ativa em 100 milhões de pessoas, metade do total. Destes, 36 milhões estão registrados em empresas, 8 milhões são funcionários públicos, 7 milhões de empregadores e 5 milhões de domésticos (em queda rápida), num total de 56 milhões. É preciso acrescentar 16 milhões de assalariados sem registro, 20 milhões de autônomos e 7 milhões de desem-pregados, chegamos a 98 milhões. Bem, a primeira pergunta é: onde trabalham e o que ganham os 36 milhões de autônomos e sem registro?  Sabemos também que entre os 36 milhões de registrados, parte é aposentada, quantos seriam? Sabemos ainda que entre os desempregados, parte está trabalhando sem registro e ganhando auxílio-desemprego, quantos seriam? E muitas outras perguntas poderiam ser feitas e não são. Preto no branco é possível fazer estatística de renda dos 56 milhões, os outros têm muitos motivos para mentir. A pobreza no Brasil é avassaladora e pensar que 60%, que ganham até 2 salários mínimos, constituem uma classe média ou um mercado interno robusto, é querer se iludir.
Em junho os partidos fazem convenções e lançam candidatos que podem ser substituídos até setembro. No final de agosto, Marte estará em Escorpião em retorno a sua posição natal e no final do mês em conjunção com Saturno, a balbúrdia eleitoral vai pegar feio e o nível das manifestações deve ser incrementado. Ronaldo, nosso garoto propaganda milionário, fez parte do Comitê Organizador e não deu um pio, agora na reta final sente-se envergonhado e declara voto no Aécio. Para culminar os males disse também que é necessário descer o cacete nos mascarados. Com esta oposição a Dilma vai dormir feliz da vida.
Música popular e política
O golpe de 64 e a inflação do período deram um golpe mortal em três correntes musicais brasileiras: a Bossa Nova, o Samba de branco e a música de carnaval. Cantar as belezas do Rio e as delícias da vida praieira, depois do golpe, ficou difícil e João Gilberto e Carlos Lira resolveram morar no exterior. O Samba de branco foi liderado por Djalma Ferreira, compositor e empresário (boate e gravadora Drink) e cantado por Miltinho. O movimento introduziu o órgão elétrico no samba, mas não resistiu ao processo inflacionário. Deixou uma penca de boas canções e algumas obras-primas: Cheiro de saudade, Menina moça, Mulher de trinta, Palhaçada, Nossos Momentos. Djalma Ferreira liquidou seus negócios e foi para Las Vegas, teve uma carreira de sucesso e morreu recentemente. Esta corrente chegou a ter um samba-manifesto, Telecoteco 2, gravada por Nora Ney em 1962: Quem foi que disse que o Samba tem/ origem lá no morro, meu bem? A música de carnaval decaía desde 1958 e o golpe final veio em 64, não havia clima para gozações, o funeral foi celebrado com uma música notável, a Marcha da quarta-feira de cinzas, de Carlos Lira e Vinícius de Morais.
A música de protesto emergiu com os festivais, mas é um equívoco pensar que dominou o cenário, pois o rock, a jovem guarda, músicas italianas e até Altemar Dutra tinham um público enorme, basta dar uma olhada nas paradas de sucesso da época. Outro fenômeno desta era foi a aglutinação de sambistas negros no restau-rante Zicartola e no show Rosas de Ouro, na década seguinte os veteranos Cartola, Nelson Cavaquinho, Ismael Silva e Nelson Sargento brilhavam, bem como os novatos Paulinho da Viola e Elton Medeiros. O programa Jovem Guarda saiu do ar em 68, nada com política, a música pop dera um salto nos arranjos e nos textos, deixando a descoberto a ingenuidade da corres-pondente brasileira.
 
Jair, Nara e Chico
Jair Rodrigues (Disparada), Nara Leão
e Chico Buarque (A Banda), 1966.
Depois do AI-5 os festivais esvaziaram e músicas de protesto sumiram, bem como o movimento tropicalista, com seus principais artistas exilados. Geraldo Vandré (Disparada e Pra não dizer que não falei das flores) e Edu Lobo (Arrastão e Ponteio) são lembrados por estas músicas, mas foram compositores notáveis de canções líricas e ritmos nordestinos. E no final do período emergiu Milton Nascimento, o compositor brasileiro mais firmemente enraizado no passado: toadas, cantochões e as festas de reis perpassam sua bela música. Geleia geral  de Gilberto Gil e Torquato Neto é a música mais contundente escrita sobre o país, obra-prima: canto, arranjos e texto impecáveis.
Em abril de 1964 Júpiter estava no final de Áries já fazendo oposição ao Marte natal, em dezembro de 68 (AI5) encontrava Urano no começo de Libra em oposição a Plutão natal e quadratura a Urano/Netuno natais. Em 65 ocorreu o primeiro festival de projeção, vencido por Arrastão (Edu Lobo/Vinicius), canção defendida por Elis Regina; Júpiter em Gêmeos, quadratura a Saturno em Peixes e a Urano/Plutão em Virgem, no céu, e ambos passando pelo Sol natal. É interessante observar que a ditadura militar transcorreu com o Sol progredido em Aquário, signo da liberdade, mais uma para a coleção de humor negro. Em 64 ele estava em quadratura exata ao Saturno natal.
A Copa no Brasil
A astróloga especialista em esportes é nossa querida colega e amiga Elizabeth Nakata; eu só quero fazer uma experiência com o mapa do evento em relação aos mapas dos países.
Mapa da Abertura da Copa FIFA 2014
A Copa terá início com uma Lua Cheia, o nosso satélite surgindo no céu e 20 minutos depois o Sol se pondo. O que sugere disputas emocionantes e com resultados inesperados com Urano na casa 5 e pressionado por Marte e Plutão. O evento vai render dinheiro com Plutão na casa 2 trino à Vênus. A organização da Copa (MC) está a cargo de um Mercúrio retrógrado em trino a Netuno na casa4 do mapa, a sede do evento, o Brasil. A Lua e Júpiter estão em mútua recepção e o grande planeta está na casa 8,  de controvérsias e disputas, reforçando o tom emocional. Ao final o Sol estará em conjunção com Júpiter, regente do Ascendente do mapa. Em uma competição esportiva mundial têm importância as casas 5 e 9 dos mapas dos países e os planetas Marte, Júpiter e Netuno (associado a todos os organismos multinacionais como a FIFA).
Comparando este mapa com o natal do Brasil temos como favorável: o Sol entrando na casa 5 (esportes), Júpiter em trino ao MC, Mercúrio e Netuno em trino ao Marte natal.
Se utilizarmos o sistema de casas derivadas, a realização de Gêmeos é Peixes, décimo signo, com Netuno ali e nas condições descritas pode triunfar. Fatores adversos: Mercúrio, regente de Gêmeos, está retrógrado, a seleção pode demorar a engatar.
A Alemanha (23/5/1949, 17h09, Bonn) tem Mercúrio a 17 de Gêmeos conjunto ao Sol do evento e o MC a 23 de Câncer conjunto a Júpiter do evento; dois pontos fortes favoráveis. A França (6/10/1958, 18h23, Paris)  tem a Lua a 20 de Câncer (um ponto muito forte), mas Saturno a 20 de Sagitário está na linha do horizonte do evento.
 
Copa do Mundo de 2014
A Inglaterra (23/2/1689, 11h46, Londres) tem o Sol a 3 de Peixes com Netuno próximo e Marte transitando a casa 5 do mapa natal. A Holanda (11/10/1848, Haia, s/hs) tem uma conjunção Sol/Marte neste mapa com Marte em retorno, um ponto forte.
A Itália (10/6/1946, 18h09, Roma) tem o Sol a 19 de Gêmeos conjunto ao Sol do evento e Vênus/Saturno a 21 de Câncer conjunto a Júpiter, pontos fortes. A Espanha (22/11/1975, 12h:00, Madri) tem o Sol a 29 de Escorpião em trino separativo a Júpiter do evento e o horizonte Oeste em Câncer também próximo a Júpiter. E nossa arquirrival Argentina (9/7/1816, 11h54, Buenos Aires) tem o Sol a 17 de Câncer e Netuno a 20 de Sagitário. Destes países listados a Argentina e a França são os únicos com um planeta exatamente em cima do Ascendente/Lua do evento.
O Brasil reúne o maior número de fatores favoráveis e a Argentina e Alemanha têm pontos fortes, mas com o trino Lua/Urano uma surpresa pode acontecer. Será que este mapa vale para a Copa inteira ou só para o jogo inicial? Não tenho ideia, vamos ver.
O povo da boa vontade – Semanas atrás a polícia pernambucana fez greve e o povo exaltado saqueou lojas de eletrodomésticos. Quando a poeira baixou muitas famílias foram às delegacias devolver os objetos. Sensatamente os delegados não autuaram as pessoas. É perfeitamente possível vencer a barbárie, as pessoas mais pobres são as devedoras mais confiáveis do país, eles sabem que devem e não gostam de atrasar. Não é uma impressão: Serasa e cia bela confirmam.
Contato com o autor:
Rui Sá Silva Barros é historiador, astrólogo e
estudioso da Cabala: rui.ssbarros@uol.com.br
Outros trabalhos seus no Clube do Tarô: Autores
Edição: CKR – 3/6/2014
Fórum: partilhe seus comentários ou deixe questões para o Rui responder
  Baralho Cigano
  Tarô Egípcio
  Quatro pilares
  Orientação
  O Momento
  I Ching
Publicidade Google
 
Todos os direitos reservados © 2005-2019 por Constantino K. Riemma  -  São Paulo, Brasil