Home page

25 de outubro de 2021

Responsável: Constantino K. Riemma


  Torre de Babel - outubro.2021
Gases inflamáveis
Rui Sá Silva Barros
Historiador e Astrólogo
No início do ano, com a conjunção Júpiter/Saturno em Aquário, observei que os temas do signo estariam em grande evidência e a coisa andou rápida: a quantidade de golpes por meios eletrônicos, ação de hackers, Facebook e WhatsApp fora do ar por horas em escala mundial, viagens espaciais de turismo e um grande cometa viajando em nosso sistema solar. Este mês a Lua Nova leva Marte de carona em Libra e Mercúrio, Júpiter, Saturno e Plutão retomam o movimento direto.
No berço esplêndido
De olho na reeleição o governo olha dois gargalos na economia, quer expandir a Bolsa Família e elevar o subsídio, mas patina com o problema da receita para isto, até parcelar precatórios (dívidas julgadas) já foi cogitado. Diante da grita sobre o preço dos combustíveis cogita-se tirar um naco do ICM dos governadores, vai ser uma boa briga por uma redução pífia.
Portinari - Entrada na Floresta -- Torre de Babel
Entrada na floresta de Cândido Portinari
Em www.todoestudo.com.br
Os caminhoneiros continuam agitados. O consumo das famílias representa 2/3 do PIB, com a renda baixa, inflação em alta, desemprego e informalidade na Lua, não há santo que faça milagre para crescimento. Júpiter fica direto em breve, mas as perspectivas para 2022 não são boas.
Oposição — O ato Fora Bolsonaro do dia 2 contou com a presença de diversos partidos, mas não cresceu, ainda é um evento de militantes. Está muito longo, muita gente falando e sendo vaiada, é o caso de pensar em alternativas: passeatas, comícios ou até mesmo fazer atos simultâneos em regiões nas cidades grandes. O impeachment baseado na força dos atos é muito improvável, mas eles serão importantes no ano que vem para garantir as eleições. Saturno faz um trino à Lua/Júpiter do mapa do país, mas em breve o estímulo termina (veja o mapa do Brasil.
Economia — Cereais, carnes, minérios e óleo/gás, principais itens das exportações brasileiras, têm preços cotados em dólar que subiram bastante este ano. Os preços domésticos acompanham e provocam inflação, mas não é tudo, pois graças ao atual desgoverno o dólar encareceu frente ao real o que eleva a inflação mais ainda. É um velho problema brasileiro: para os exportadores é ótimo, para a população é um inferno.
No caso dos alimentos e eletricidade a seca piorou o que já estava ruim. Enquanto o povo volta ao fogão à lenha e compra ossos para extrair tutano, ficamos sabendo que Guedes e R. Campos Neto (BC) têm contas em paraísos fiscais beneficiadas pela alta do dólar e isentas de impostos. O projeto de reforma do Imposto de Renda não mexe com as contas no exterior, o dinheiro deles é sagrado.
CPI Covid — Vai terminando e promete um relatório de mais de mil páginas. A CPI perdeu um tempo enorme interrogando personagens secundários que se calaram, desconversaram ou mentiam descaradamente. Elucidar o caso da Covaxin se tornou uma obsessão, quando o cenário era claro; a partir do inverno de 2020 a pandemia desacelerou por aqui e para surpresa do governo tornou a subir a partir de novembro.
Falta de oxigênio em Manaus, lançamento da vacina chinesa por Dória, atraso da AstraZeneca, tudo em janeiro e o desespero do governo a todo vapor, era preciso comprar qualquer vacina, daí as tolices com a Davati e Covaxin, conversas e projetos de um amadorismo completo. Na realidade seria preciso processar a Davati americana, que oferecia uma vacina que não tinha, e a Barat indiana que não entregou o que assinou em contrato. Tudo isto é assunto para a polícia. O Ministério da Saúde tem o maior orçamento e daí grandes negociatas, isto merece ser investigado, mas não pela CPI.
A comissão reuniu uma grande quantidade de documentos escritos ou áudios, espero que sejam suficientes para processar pelo menos Pazuello e Élcio, sim, estavam cumprindo ordens, mas não é o caso de passar em branco. Já Bolsonaro é mais fácil ser processado em Haia do que pela PGR.  Um resumo do relatório devia ser lido na TV em horário nobre, o Senado tem dinheiro para isto.
Rembrandt - Lição de Anatomia do Dr. Tulp - Torre de Babel
Lição de Anatomia do Dr. Tulp - Rembrandt - 1632
Do site: lisiluz.wordpress.com
O caso Prevent — No início da pandemia o ministro Mandetta mencionou que o plano de saúde Prevent teria sérios problemas, pois sua clientela de idosos era vulnerável. Recentemente o presidente da empresa confirmou isto em entrevista: diante da eminente explosão de internados em UTI, o que levaria a empresa à breca, surgiu o kit salvador da pátria, quer dizer uma solução econômica à custa das vidas dos clientes. As denúncias atuais são pesadas: experiências sem consentimento, falsificação de atestados de óbito, coerção de médicos, retirada precoces de pacientes em UTI e o pior de tudo, persistiram em receitar cloroquina e quejandos mesmo depois de testes indicando a inutilidade dos remédios.
Virou caso de polícia e a questão é o que vai acontecer, pois as grandes empresas de saúde privada estão de olho nos 500 mil mutuários da Prevent. Vender a empresa seria péssimo para os clientes que pagam planos com valores abaixo das outras, a tendência seria equalizar os preços mesmo com muitas desistências no caminho. Agora descobrem que outras empresas seguiram os passos da Prevent. Antes da pandemia o atendimento da empresa era bom.
É de observar que o Conselho Federal de Medicina e a Agência Nacional de Saúde fecharam os olhos a este descalabro, a primeira para fazer média com o governo e a segunda autoriza aumentos de mensalidades bem acima da inflação e não ousa contrariar as empresas. E o SUS, como fica?
Não é à toa que o país passa por uma fase de imensa destruição e crimes, é a primeira vez em nossa história que Saturno e Plutão estão na casa 12, esconderijo de tudo que é criminoso.
Marcas astrológicas da pandemia no Brasil
Numa primeira tentativa selecionei 5 momentos de inflexão para pesquisa da incidência do Coronavirus no Brasil:
Gráfico da Covid - Torre de Babel
1 – Primeira morte em 17/03/2020 e subiu regularmente até alcançar mais de 1300. Sol em Peixes pouco depois de passar por Netuno. Lua, Marte, Júpiter, Saturno e Plutão em Capricórnio, casa 12 (saúde pública), planetas em trino a Mercúrio do mapa natal na casa 8 (mortes). Todos os planetas estavam diretos.
2 –  Pico em 23/06 (1374) e inicia queda regular. Sol, Lua e Mercúrio em Câncer, Marte em Peixes pouco depois de passar por Netuno. Os 5 planetas lentos retrógrados. Contrariando as expectativas a pandemia declinou na entrada do inverno e o governo federal acreditou que ela estava no fim e não comprou vacinas disponíveis no mercado.
3 – Mínimo em 07/11 (254) e início de ascensão regular. Sol em Escorpião e Lua em Câncer, Marte em Áries próximo a Quíron e quadratura a Júpiter, os 5 planetas lentos diretos.
4 – Crescimento regular até 15/02/21 (528) quando inicia grande escalada. Sol no final de Aquário em quadratura a Marte em Touro e este em trino a Plutão, Lua no início de Áries. Saturno em Aquário quadratura a Urano em Touro.
5 – Crescimento vertiginoso até 13/04 com mais de 3000 mortes. Sol em Áries quadratura a Plutão, Lua em Touro próxima a Urano. Marte no final de Gêmeos trino a Júpiter no final de Aquário. A partir daí a curva decaiu regularmente e agora oscila em torno de 500 mortes, ainda alta se comparada com novembro de 2020. Mais de 3 mil municípios não registraram mortes em setembro, motivo para comemoração.
Os aspectos mais constantes foram o trino de Plutão e a oposição de Netuno a Mercúrio do mapa brasileiro, o que sinaliza as 600 mil mortes, segundo lugar mundial. Em nenhum dos 5 eventos há qualquer aspecto importante ao Sol do mapa, o que evidencia a inação estatal. Três eventos ocorreram na fase nova do ciclo lunar.
Nos eventos 4 e 5 o Sol e Júpiter atravessaram o Ascendente. Urano passou duas vezes no grau 9 de Touro onde se encontra Saturno, regente da casa 12, nas duas vezes a mortalidade refluiu.  Marte e Júpiter estavam relacionados em 3 eventos. Há muito a pesquisar ainda.
E no vasto mundo
Os preços do óleo e gás subiram, faltam containers, semicondutores e outras matérias primas, os fretes marítimos escalaram e outros fenômenos geraram instabilidades na economia mundial. Na Europa há grande preocupação com gás para calefação no inverno. Se a alta de preços espalhar para outros setores teremos encrenca séria.
China — A bolha imobiliária estourou, faz tempo vemos nas reportagens e documentários bairros desertos no país, muitos edifícios prontos e desocupados, muita gente comprando imóveis por investimento. A empresa privada Evergrande declarou que não conseguiria pagar dívidas de 300 bilhões de dólares e no dia seguinte as bolsas caíram ao redor do mundo. Não era para tanto.
A maioria das dívidas está cotada em yuan e o sistema bancário é totalmente nacional e quase todo estatal. O governo tem algumas opções para conter o problema que representa um sério obstáculo, pois outras imobiliárias também apresentam dívidas. Já estava claro, tempos atrás, que havia um excesso de investimento no setor, mas construção civil era um componente importante do PIB, agora ficou claro que não há renda suficiente das famílias para consumir o que era produzido. Agora será necessário sanear o setor.
Prédios vazios na China - Torre de Babel
Prédios vazios na China.
Em www.idelista.pt
Ocorreram também alguns apagões elétricos no nordeste do país, sinal de fragilidade da rede elétrica e que o uso de carvão ainda é necessário apesar do crescimento de energia solar. O país está com o Ascendente e a Lua cercados por Saturno e Plutão, Júpiter faz quadratura a Vênus regente da casa 4, imobiliário, A Lua Nova ativa os planetas em Libra (veja o mapa da China).
EUA — Mais de 25% da população adulta se recusa a vacinar e a pandemia ainda fustiga o país. A dívida pública chegou ao teto e precisa de autorização do Congresso para ser elevada, isto já aconteceu antes e depois de duras negociações o Congresso autorizou, mas agora a hostilidade política é tal que o governo pode dar calotes e suspender pagamentos de funcionários por dias ou semanas.
Na ânsia de hostilizar a China o governo ianque atropelou um aliado, a França que tinha um contrato de entrega de submarinos à Austrália, ele foi desfeito porque o país aceitou a oferta de submarinos nucleares, algo que não tem precedente na história americana. Outro exemplo de hostilidade foi a divulgação de listas com nomes de pessoas do mundo todo com conta nos paraísos fiscais, nenhum empresário americano consta das listas. A Lua Nova com Marte de carona estimula a quadratura Sol/Saturno natal (veja o mapa dos EUA).
Alemanha — O resultado das eleições foi apertado como esperado pelas pesquisas. Nos últimos 16 anos a Democracia cristã governou com Merkel com apoio explícito ou implícito da Social Democracia. Agora esta última ganhou com vantagem ínfima e diz tentar formar um governo com os Verdes, com Die Linke e o partido Liberal. É difícil e no fim a coalização anterior pode voltar.
Seja como for a Alemanha está sendo pressionada pelo governo americano para rever suas transações com a China e sua dependência do óleo e do gás russos. Se ceder pode virar um puxadinho e verá sua excelência industrial declinar. A Lua Nova ocorreu próxima ao Ascendente e estimulando a oposição Lua/Netuno (veja o mapa da Alemanha).
Inglaterra — A população descobriu repentinamente que faltam mil caminhoneiros no país, o resultado é que a as entregas de alimentos em supermercados e óleo e gás nos postos estão atrasadas e caras. Correria e longas filas para abastecimento, até pensaram em convocar soldados para dirigir caminhões. Aonde foram parar os caminhoneiros se perguntam os ingleses e a resposta é o Brexit. Boa parte do transporte rodoviário de cargas era feito por estrangeiros que agora não podem mais trabalhar na bela Albion, naturalmente o governo desconversa. O país vive uma longa quadratura de Plutão à Lua natal e uma oposição de Urano a Saturno natal (veja o mapa da Inglaterra).
América Latina — A instabilidade política continua. Na Argentina o peronismo dos Kirchners governou por mais de década, veio o neoliberal Macri, depois o peronismo de Alberto e agora estão perdendo as eleições para o legislativo. Nenhum partido, nenhuma política econômica consegue reverter a situação calamitosa de câmbio e inflação nas nuvens. Daqui a pouco a população acreditará que só um político providencial, um pai do povo resolve o problema.
No Peru, o ministério renunciou depois de alguns meses de uma eleição conturbada, parece que o grau de sustentação do presidente Castillo é pequeno, e grande será a turbulência do mandato.
Na Bolívia, os golpistas que derrubaram Evo Morales estão de volta agitando o país e trazendo de volta a velha tradição de golpe militar. Macri, Pinera e outros políticos da região estão listados no Pandora Papers, contas em paraísos fiscais. Ser político por aqui é muito cansativo, eles merecem um bônus.
Rui Sá Silva Barros é historiador, astrólogo.
Mestre em História social (USP) e autor de textos sobre simbologia
(Esoterismo, ciência e sociedade). Pesquisador em Kaballa (Tarô e Qabbalah).
Oferece consultas astrológicas com ênfase nas soluções para todos os temas.
Contatos e informações: rui.ssbarros@uol.com.br ou fone: 11 2367-9179.
Outros trabalhos seus no Clube do Tarô: Autores
Edição: CKR – 12/10/2021
Fórum: partilhe seus comentários ou deixe questões para o Rui responder
  Baralho Cigano
  Tarô Egípcio
  Quatro pilares
  Orientação
  O Momento
  I Ching
Publicidade Google
 
Todos os direitos reservados © 2005-2020 por Constantino K. Riemma  -  São Paulo, Brasil