Home page

18 de maio de 2022

Responsável: Constantino K. Riemma


  Santos do Dia: jan | fev | mar | abr | mai | jun | jul | ago | set | out | nov | dez  
Os Santos do Dia : Dezembro
1º.dezembro: Santo Elígio (Sto. Elói) e o Valete de Copas
Santo Elígio ou Santo Elói, nasceu em Limoges (França) no ano de 588, de nobre família galo-romana. Seguindo a orientação dos pais, ainda jovem, ingressou na escola de ourives de Limoges, a mais conceituada da Europa da época e respeitada ainda hoje. Ao se formar mestre da profissão, já era afamado pela competência, integridade e honestidade.
Santo Elígio (Sto. Elói) - 1º de dezembro
Carta do Tarô dos Santos de Robert Place e a
pintura Santo Elígio no Trabalho de Manuel Deutsch (1515)
Em Paris, trabalhou como aprendiz com o superintendente de confecções de moedas reais; ele se empenhou tanto e com tamanha honestidade que, com o precioso metal (ouro) que lhe foi fornecido para fazer um trono para o rei Clotário II, ele fez dois tronos, o que lhe valeu a promoção de diretor da casa da moeda e ourives do rei.
No tempo de Dagoberto II, filho e sucessor de Clotário II, Elígio foi um dos conselheiros mais influentes do rei. Diz-se que os enviados dos príncipes estrangeiros se avistavam previamente com ele, antes de serem recebidos oficialmente pelo soberano. Era diplomata hábil e por mais de uma vez conseguiu evitar a guerra.
Além disso, e acima de tudo, Elói era um homem religioso e não lhe faltou inspiração para grandes obras beneméritas e na arte de dedicar-se ao próximo, em especial aos pobres e abandonados. O dinheiro que recebia pelos trabalhos na Corte, usava para resgatar prisioneiros de guerra, fundar e reconstruir mosteiros masculinos e femininos, igrejas e para contribuir com o bem estar espiritual e material dos mais necessitados.
Em 639, morto o rei, demitiu-se de todos os cargos para entrar na vida eclesiástica. Foi sagrado Bispo em Ruão, no dia 14 de maio de 641, e ocupou, desde então, a Sé Episcopal de Noyon. Foi grande organizador, apóstolo cheio de zelo, sabedoria e bondade. A sua atividade irradiou para Flandres, Holanda e até, segundo se conta, para a Suécia e Dinamarca.
Faleceu em 1º de dezembro de 659, aos 71 anos de idade, na Holanda, durante uma missão evangelizadora. Santo Elígio é padroeiro dos joalheiros e ourives.
*   *   *
Robert Place, autor do Tarô dos Santos, sintetiza: "O símbolo de Santo Elígio é a ferradura. Ele se destacava pela beleza milagrosa do seu trabalho. É o padroeiro dos ourives e daqueles que trabalham com metais".
"Essa carta representa habilidade, arte, frugalidade e a capacidade de criar nossas próprias condições ou felicidade".
Fonte: www.franciscanos.org.br - Edit. CKR - 28/11/2021
4 de dezembro: Dia de Santa Bárbara e de Iansã
 
Santa Bárbara foi uma virgem mártir do século III, comemorada como santa cristã na Igreja Católica Romana, na Igreja Ortodoxa e na Igreja Anglicana.
Por ser filha única e com receio de deixar sua filha no meio da sociedade corrupta daquele tempo, seu pai, Dióscoro, decidiu fechá-la numa torre. Santa Bárbara na sua solidão, contemplava a mata virgem como quintal. Por ser muito bela e, acima de tudo, rica, não lhe faltavam pretendentes para casamentos, mas Bárbara não aceitava nenhum.
Santa Bárbara - 4 de dezembro
Carta 16. A Torre no Tarô dos Santos de Robert Place e
pintura de Santa Bárbara, padroeira das Forças Armadas na Itália.
Desconcertado, Dióscoro concluiu que as "desfeitas" da filha se justificavam pelo fato de ter ficado trancada muitos anos na torre. Então, permitiu que ela fosse conhecer a cidade. Durante essa visita ela teve contato com cristãos, que lhe contaram os ensinamentos de Jesus sobre o mistério da Santíssima Trindade. Pouco tempo depois, um padre vindo de Alexandria a batizou.
Seu pai decidiu construir uma casa de banho com duas janelas para Bárbara. Dias mais tarde, ele se viu obrigado a fazer uma longa viagem. Enquanto Dióscoro viajava, Barbara ordenou a construção de uma terceira janela na torre, esculpindo uma cruz sobre a fonte.
O seu pai Dióscoro, quando voltou, reparou que a torre tinha agora três janelas em vez das duas que ele mandara abrir. Ao perguntar à filha o porquê das três janelas, ela explicou que isso era o símbolo da sua nova Fé. Este fato deixou o pai furioso. Sob o impulso da fúria, e obedecendo a suas tradições romanas, Dióscoro denunciou a própria filha ao prefeito Marciniano que a mandou torturar numa tentativa de que ela renunciasse sua fé, fato que não aconteceu. Assim, Márcio condenou-a à morte por degolação.
Durante sua tortura em praça pública, uma jovem cristã de nome Juliana denunciou os nomes dos carrascos, e imediatamente foi presa e entregue à morte juntamente com Bárbara.
Ambas foram levadas pelas ruas de Nicomédia por entre os gritos de raiva da multidão. Bárbara teve os seios cortados, depois foi conduzida para fora da cidade onde o seu próprio pai a executou, degolando-a. Quando a cabeça de Bárbara rolou pelo chão, um imenso trovão estrondou pelos ares fazendo tremer os céus. Um relâmpago flamejou pelos ares e atravessando o céu fez cair por terra o corpo sem vida de Dióscoro.
Santa Bárbara passou a ser conhecida como "protetora contra os relâmpagos e tempestades" e é considerada padroeira dos artilheiros, dos mineiros e de todos quantos trabalham com fogo.
*   *   *
Iansã, orixá dos ventos, também homenageada em 4 de dezembro, rege igualmente os raios e tempestades, comanda os espíritos dos mortos, e foi sincretizada com Santa Bárbara.
Oya ou Iansã identificada à Santa Bárbara
Iansã representada por artistas anônimos
Em Salvador, Oyá ou Iansã é sincretizada com Santa Bárbara, madrinha do Corpo de Bombeiros e padroeira dos mercados. É homenageada no dia 4 de dezembro na Festa de Santa Bárbara da Igreja Católica. É um grande evento sincrético, composto de missa, procissão feita por católicos e praticantes do Candomblé, além das festas nos terreiros, o caruru de Iansã, samba de roda e apresentação de grupos de capoeira e maculelê.
*   *   *
No Tarô dos Santos, Robert Place, afirma: "Na carta do tarô, assim como em seu ícone, Santa Bárbara segura o símbolo da torre, que ela transformou na Casa de Deus aos construir as três janelas. O relâmpago conecta a torre com o céu, e seu pai cai do cume."
"Esta carta, que vem depois da carta do Diabo, representa a libertação das armadilhas do demônio. É a transformação, a destruição das ilusões e mudanças súbitas. Esse tipo de transformação é abrupta, podendo ser desconfortável ou perturbadoras. Pode marcar a perda de uma posição, ou se referir a uma esperada punição por um crime".
Fonte do texto: Wikipedia  -  27/11/2021
6 de dezembro: São Nicolau
Irmãs Vicentinas
São Nicolau de Mira, (também conhecido como São Nicolau de Bari) é muito querido pelos católicos e ortodoxos. O nome Nicolau vem do grego nikos, que significa "vitória", e de laos, "povo", isto é, "vitória do povo". Sua comemoração é realizada em 6 de Dezembro, logo no início do advento. Devido aos seus milagres ele também é conhecido como São Nicolau Taumaturgo (capacidade de um santo para realizar milagres).
Ele é celebrado como protetor dos marinheiros e comerciantes, como santo casamenteiro e principalmente como um grande amigo das crianças. Contam que São Nicolau era humilde e simples: ele se vestia com modéstia e se alimentava com o mínimo necessário, apenas uma vez por dia, durante à noite.
São Nicolau e o Mago
Pintura de São Nicolau e carta do Mago no Tarô dos Santos de Robert Place.
Filho de nobres, Nicolau nasceu na cidade de Patara, na Ásia Menor, na metade do século III, provavelmente no ano 250. Foi consagrado bispo de Mira, atual Turquia, quando ainda era muito jovem e desenvolveu seu apostolado também na Palestina e no Egito. Mais tarde, durante as perseguições do imperador Diocleciano, viveu como prisioneiro até ser decretado o Edito de Constantino, quando foi finalmente libertado. Segundo alguns historiadores, o bispo Nicolau esteve presente no primeiro Concílio, em Nicéia, no ano 325.
Morreu no dia 6 de dezembro de 326, em Mira. Imediatamente, o local da sepultura se tornou meta de intensa peregrinação.
A sua figura bondosa e caridosa, símbolo da fraternidade cristã, mantém-se viva e impressa na memória de toda a cristandade. Agora, também na da humanidade toda, porque perpetuada através dos comerciantes nas vestes de Papai Noel nos países latinos, de Nikolaus na Alemanha e de Santa Claus nos países anglo-saxões. Mesmo sob falsas vestes, São Nicolau nos exemplifica e recorda o seu grande amor às crianças e aos pobres e a alegria em poder servi-los em nome de Deus.
Um verdadeiro santo, foi transformado pela propaganda e pelo consumismo em nada mais nada menos que um velho gordo de roupas vermelhas, que distribui presentes, o que literalmente "mata" o Natal, desvirtuando o verdadeiro sentido do o nascimento de Jesus e da vida de São Nicolau.
Figura comercial do Papai Noel ocupando o lugar de São Nicolau.
Uma gradativa apropriação comercial da figura de São Nicolau
ocorreu até chegar ao garoto propaganda da Coca Cola.
O Natal, o nascimento de Jesus, fica em segundo plano, quase esquecido.
A tradição diz que os pais de Nicolau eram nobres, muito ricos e extremamente religiosos. Que ele era uma criança com inclinação às virtudes espirituais, pois nas quartas e nas sextas-feiras rejeitava o leite materno, ou seja, já praticava jejum voluntário. Quando jovem, se afastava dos divertimentos e vaidades, preferindo frequentar a igreja. Costumava fazer doações anônimas em moedas de ouro, roupas e comida às viúvas e aos pobres. Dizem que Nicolau colocava os presentes das crianças em sacos e os jogava dentro das chaminés à noite, para serem encontrados por elas pela manhã. Dessa tradição veio a sua aura de amigo das crianças. Mais tarde, ele foi incluído nos rituais natalinos no dia 25 de dezembro, ligando Nicolau ao nascimento do Menino Jesus.
Quando era bispo, um pai, não tendo o dinheiro para constituir o dote de suas três filhas e poder bem casá-las, havia decidido mandá-las à prostituição. Nicolau tomou conhecimento dessa intenção, encheu três saquinhos com moedas de ouro, o dote de cada uma das jovens, para salvar-lhes a pureza. Durante três noites seguidas, foi à porta da casa daquele pai, onde deixava o dote para uma delas. Existem muitas tradições e também lendas populares que se criaram em torno deste santo, tão singelo e singular.
*   *   *
No Tarô dos Santos de Robert Place, São Nicolau ocupa o lugar do Mago: "No nivel mais mundano, essa carta representa habilidade, inicitivas e começos. O Mago do Tarô de Marselha aponta simultanemante o céu e terra – assim como é acima, é embaixo – significando que o caminho do Paraíso deve se manifestar na Terra. Isto é o que São Ficolau fez ao ajudar as crianças e ao salvar as jovens mulheres de uma vida de vergonha. Ele melhorou e curou o mundo e trouxe o Paraíso à Terra."
"Essa carta pode nos ajudar a buscar o caminho para fazermos o mesmo em nossas vidas".
Texto de www.irfranciscanas.org.br/sao-nicolau-4 - Edit. CKR - 30/11/2021
25 de dezembro: Natal e o Presépio
O presépio é uma das mais antigas formas de representação do Natal. Sabe-se que foi São Francisco de Assis, na cidade italiana de Greccio, em 1.223, o primeiro a usar a manjedoura com figuras esculpidas formando um presépio, tal qual o conhecemos hoje. O presépio de São Francisco incluía uma manjedoura, acima da qual foi improvisado um altar.
Nesse cenário ocorreu a missa da meia-noite, na qual o próprio santo com a vestimenta de diácono cantou o Evangelho juntamente com o povo simples e pronunciou um sermão sobre o nascimento do Menino Jesus.
Natal - São Francisco no presépio
São Francisco e o Menino Jesus
Aquarela e lápis de autoria de Mark Satchwill
Conta-se que naquela noite especial, enquanto o santo proferia as palavras do Evangelho sobre o nascimento do Menino Jesus, todos os presentes puderam ver uma criança em seu colo, envolvida em um raio de luz. A cena foi narrada em 1.229 por Tomás de Celano, biógrafo de São Francisco de Assis. Desde então, os presépios foram se tornando cada vez mais populares e, além das figuras tradicionais do Menino Jesus deitado na manjedoura, Maria e José, acabaram incluindo uma enorme variedade de personagens como os pastores, os Reis Magos, a estrela e os animais.
A partir dessa representação criada por São Francisco de Assis em 1223, em companhia de Frei Leão e com a ajuda do senhor Giovanni Vellina, foi montada em uma gruta da floresta na região de Greccio, Itália, a encenação do nascimento de Jesus.
presepio-s.francisco--afresco-na-gruta-do-santuário-de-Greccio
Afresco na gruta do Santuário de Greccio (Itália),
representando São Francisco na criação do Presépio.
São Francisco morreu três anos após e os Frades Franciscanos continuaram a representação do presépio utilizando imagens. No Brasil, a cena do presépio foi apresentada pela primeira vez aos índios e colonos portugueses em 1552 por iniciativa do jesuíta José de Anchieta. "Fazer presépios é unir mundos". O mundo animal, os povos de diferentes países e continentes, o mundo mineral (pedras e presentes) se unem na contemplação do nascimento de Jesus.
Os reis Magos, em uma interpretação mais recente, são lembrados como um símbolo da união dos povos: Gaspar, o negro: Melchior, o branco e Baltazar, o asiático.
O Natal represenado em imagens chinesas.
A simplicidade no nascimento de Jesus, representado em imagens chinesas.
Foto no USF-Ricci Institute (2008)
As palavras de paz e serenidade de São Francisco trazem até nós o sentido verdadeiro do Natal: "Todos os homens nascem iguais, pela sua origem, seus direitos naturais e divinos e seu objetivo final".
Natal - manjedouro - Candido Alencar
São Francisco e o Menino Jesus na manjedoura
Arte de Cândido Alencar - Vale do Matutu (MG)
No hemisfério sul, o Natal coincide com o solstício de verão (21.dezembro), o dia mais longo do ano. Dada a sua ênfase solar, o Natal pode ser colocado em paralelo, no tarô, ao arcano 19. O Sol.
20/122020
27 de dezembro: São João, o Apóstolo e Evangelista
São João foi um dos doze apóstolos de Jesus e além do Evangelho segundo João, também escreveu as três epístolas de João (1, 2, e 3) e o livro do Apocalipse.
João seria o mais novo dos 12 discípulos, tinha provavelmente cerca de vinte e quatro anos de idade ao ser chamado por Jesus. Solteiro, vivia com os seus pais em Betsaida. Era pescador de profissão, consertava as redes de pesca. Trabalhava junto com seu irmão Tiago Maior, em provável sociedade com André e Pedro.
As heranças deixadas nos escritos de João, demonstram uma personalidade extraordinária. De acordo com as descrições ele seria imaginativo nas suas comparações, pensativo e introspectivo nas suas dissertações e pouco falador como discípulo. É notório o seu amadurecimento na fé através da evolução da sua escrita.
São João Evangelista e o arcano A Papisa
Pintura de São João por autor desconhecido e a carta II de Catelin Geoffroy
Em Patmos, ilha no leste do Mar Egeu, onde ficou exilado, João escreveu o Livro da Revelação do Apocalipse. João viajou muito, trabalhou incessantemente e, depois de tornar-se dirigente das igrejas da Ásia, estabeleceu-se em Éfeso. Orientou o seu colaborador, Natan, na redação do chamado "evangelho segundo João", em Éfeso, aproximadamente no ano 90 D.C.
De todos os doze apóstolos, João se tornou o mais destacado teólogo, tendo morrido de morte natural, em Éfeso, no ano 103 d.C., quando tinha 94 anos. Segundo algumas interpretações João era o apóstolo que Jesus mais amava, e que tinham um enorme afeto um pelo outro.
Se tentarmos encontrar nexo entre São João e algum arcano do tarô, o que chama atenção é o fato de que o único livro retratado nas cartas, encontra-se na mão da Papisa. Estaria ela meditando sobre as revelações de São João?
27/12/2020
  Santos do Dia: jan | fev | mar | abr | mai | jun | jul | ago | set | out | nov | dez  
  Baralho Cigano
  Tarô Egípcio
  Quatro pilares
  Orientação
  O Momento
  I Ching
Publicidade Google
 
Todos os direitos reservados © 2005-2020 por Constantino K. Riemma  -  São Paulo, Brasil