Home page

16 de setembro de 2019

Responsável: Constantino K. Riemma


Curso de Tarô com Betoh Simonsen
    [< voltar]
18. A Lua
 
    Temos neste arcano, a representação de um lago; de um caminho que relaciona o lago com a montanha; dois cachorros ou lobos; duas torres; um caranguejo e a própria Lua, gotejando o que pode ser sangue.
    O lago, em termos psíquicos, pode representar o território de nossas emoções; o caminho conectado com a montanha, nosso consciente; as torres nossos projetos; os lobos ou cachorros, nossos censores e o caranguejo uma espécie de mouse ou foco de atenção.
 
18. A Lua
[Tarot Balbi]
       Ficava com peninha de o caranguejo ter que subir a estrada, quando me lembrei que ele anda para trás, lidando com assuntos passados na medida em que entra no lago das emoções.
    Se pensarmos que cada vez que temos uma frustração não integrada, sonhos não realizados ou mal resolvidos, paixões e emoções intensas não harmonizadas e isto provavelmente por varias vidas, poderemos ver como nosso ser está fragmentado e o trabalho que teremos para juntar nossos cacos. Felizmente, todos estes focos criam padrões intermitentes de manifestação, trazendo situações da mesma freqüência para que possam ser curados, o que nem sempre fazemos. Uma das funções da Lua é ser guardião de toda nossa bagagem psíquica e ciclicamente trazê-la à nossa consciência. Enquanto não fizermos isto, estaremos perdendo energia e vitalidade, simbolizadas pelas gotas de sangue.
    A Lua funciona também como filtro de impressões. Se imaginarmos que tudo que os outros emanam a nosso respeito, bom ou mau, chega ao nosso campo áurico, poderemos imaginar o quanto nossa percepção consciente estaria sobrecarregada, se tivesse acesso direto a todas estas impressões. Mas estas impressões não se perdem, ficam armazenadas no limiar de nossa consciência, até que nos posicionemos em relação a elas, com a atenção equilibradora do Hierofante, o que nem sempre fazemos; tendo como conseqüência a energia psíquica não trabalhada caindo de vibração, criando uma espécie de poluição. De outro lado, também não gostaríamos que os outros soubessem tudo o que pensamos e sentimos a seu respeito, e a função da Lua atua como filtro também nesse sentido. Não deixa de ser uma forma de proteção.
Ela modula aquilo que queremos passar ao nível da receptividade de quem está recebendo. Nem sempre é saudável passarmos todas nossas impressões sobre os outros ou toda a informação que temos disponíveis e precisamos sintonizá-la com quem a recebe.
    Representa também a função da imaginação e visualizações e estamos cada vez mais conscientes como esta função é importante na criação de nossa realidade e nas comunicações intra-psíquicas.
    Gostaria de relatar uma historia ocorrida há alguns anos. Estava participando de um seminário onde o orientador estava conduzindo um trabalho de visualizações. Visualizamos nossa casa, que na época estava a uns 300 km do local do evento, com suas mobílias, compartimentos, etc., quando ele pediu para nos comunicarmos com alguém da família. Pensei em ir ao quarto de minha filha, na época com três anos, que naquele momento deveria estar dormindo, e qual minha surpresa, em minha fantasia ela antes veio até mim e me perguntou o que estava fazendo lá. O mais interessante é que no dia seguinte, quando efetivamente fui até lá, ela me perguntou se não estivera na noite anterior lá. Este limiar entre mundo mágico e concreto, muito percorrido em todas as formas de magia, é simbolizado pela Lua.
    Ainda dentro deste rico arcano poderíamos falar de canalizações. Sem entrar em grandes detalhes, que não é o objetivo aqui, estou convencido que sempre existe uma relação entre a energia que está sendo contatada e a psique de quem está servindo de canal.
    É importante percebermos isto para evitar uma atitude excessivamente crédula, que poderia ser perigosa, ou excessivamente cética, e poderia eventualmente nos fazer perder uma boa oportunidade. Sugiro nos ocuparmos mais com a qualidade da informação. Para isso, poderemos confiar em nosso discernimento e sensibilidade do que nos preocuparmos com autoridade do comunicador; inclusive porque, particularmente, se for uma força de manipulação, ela procurará se encaixar em nossas melhores expectativas quanto às suas credenciais. Sugiro recebermos todas as informações com respeito e prudência, conscientes de que nada substitui a sinalização de nossa voz interior.
    A Lua com o Hierofante falam sobre a integração do princípio do equilíbrio em meio de situações dinâmicas ou de incertezas e o poder de visualização ou imaginação ativa nos processos de resolução de nossa realidade, atuando ativa ou passivamente.
    
Para continuar nos Arcanos Maiores com Betoh Simonsen escolha os links:
 
18
 
 
 
 
Contato com o autor
Betoh Simonsen
- betohsimonsen@uol.com.br
Outros trabalhos seus no Clube do Tarô: Autores
out.07
 
 
  Baralho Cigano
  Tarô Egípcio
  Quatro pilares
  Orientação
  O Momento
  I Ching
Publicidade Google
 
Todos os direitos reservados © 2005-2019 por Constantino K. Riemma  -  São Paulo, Brasil