Home page

16 de setembro de 2019

Responsável: Constantino K. Riemma


Curso de Tarô com Betoh Simonsen
    [< voltar]
21. O Mundo
 
    Existem hoje muitas discussões sobre a era de Aquário, se ela vai chegar ou se já estamos nela, e sobre qual o seu significado. O fascinante é que estes questionamentos se aproximam muito das perguntas sobre o Reino no tempo Cristo.
    Em Nag Hammadi, no Alto Egito foram descobertos textos gnósticos muito antigos. Eles foram abertos há alguns poucos anos para estudos, além daqueles que a fundação Jung já tinha em sua guarda.
 
1. O Mundo
[Tarot Balbi]
      Vou fazer algumas citações do excelente livro de Elaine Pagels “Os Evangelhos Gnósticos”, que falam sobre o Reino: “... Antes, o reino está dentro de vocês e esta fora de vocês”. Em outro momento, seus discípulos lhe perguntaram “Quando virá... o novo mundo?” “Não virá porque se espera por ele; nem por se dizer, ei-lo aqui ou ei-lo ali. Antes, o Reino do pai espalha-se por toda Terra e os homens não o vêm”.
    Jesus viu crianças sendo amamentadas e, disse a seus discípulos: “Essas crianças sendo amamentadas são como aquelas que entram no Reino”. Eles lhe perguntaram: “Nós, como crianças, entraremos no Reino?”. Jesus lhes respondeu: “Quando tornarem o dois um e o exterior como o interior, e o que está em cima como o que está em baixo, e quando tornarem o masculino e o feminino uma coisa só... então haverão de entrar no Reino”.
    Podemos perceber então, um estado de consciência transformada, trabalhando experiências muito atuais como a integração de polaridades (masculino e feminino uma coisa só), a possível integração de mente e coração (o dois um), as inspirações, revelação e analogias de freqüências, ou seja, a experiência da multidimencionalidade (o que está em cima como o que está em baixo) e a relação muito maior do que supúnhamos entre o exterior e o interior, entre o objetivo e o subjetivo, o que percebemos e realizamos fora e sua conexão com o que está dentro e vice-versa. Todo este estado de consciência está associado na percepção de muitos com a era de Aquário.
    É claro que a carta do Mundo se refere a este estado. Temos uma mulher ou um ser andrógino no centro apenas com um véu ou uma grinalda, que não deixa de ser uma serpente estilizada e quatro seres no canto representando os quatro elementos. É a dança da criação.
    Quando atingimos este estado, nada mais acontece por acaso ou por acidente. Está tudo relacionado. Seremos aqueles que Gurdjieff chamou de homens de destino. Através de sincronicidade, sensibilizações e exteriorizações de nossas disposições internas estaremos conectados com a rede de consciência universal, perceberemos um universos pulsante e vivo em vários níveis, literalmente cheio de cores, sons e propósito. Será tudo muito intenso.
    Em um nível mais mundano, quando tiramos esta carta pode significar simplesmente que iremos realizar exteriormente aquilo que esta passando em nosso interior.
    As cartas do Mundo e da Alta Sacerdotisa se complementam, pois existem pessoas muito poderosas que conseguem realizar muitas coisas; a voz, a caneta e outras formas de expressão têm uma força fantástica. Em certa medida, realizaram a carta do Mundo. Porém estas pessoas podem não ter a compaixão, de forma que suas ações beneficiem ao planeta e às pessoas, sendo, portanto necessário serem temperados com a força da Alta Sacerdotisa. O contrário é também verdadeiro: existem pessoas muito sensíveis e compassivas, mas não tem o poder de realização. A força do Mundo é necessária.
    
Para continuar nos Arcanos Maiores com Betoh Simonsen escolha os links:
 
21
 
 
 
 
Contato com o autor
Betoh Simonsen
- betohsimonsen@uol.com.br
Outros trabalhos seus no Clube do Tarô: Autores
out.07
 
 
  Baralho Cigano
  Tarô Egípcio
  Quatro pilares
  Orientação
  O Momento
  I Ching
Publicidade Google
 
Todos os direitos reservados © 2005-2019 por Constantino K. Riemma  -  São Paulo, Brasil