Home page

19 de março de 2019

Responsável: Constantino K. Riemma


Curso completo de Tarô com Betoh Simonsen
 
 
Arcanos Menores
 
 
 
 
 
 
Apresentação dos Arcanos Menores
 
    Enquanto que nos arcanos maiores existe um relativo consenso quanto aos significados, nos menores diversos tarólogos ou escolas desenvolveram interpretações singulares. Não pretendo elaborar aqui avaliações desta ou daquela linguagem; em realidade praticamente todas tem seu valor, mas apresentar aqui uma linguagem que desenvolvi nos últimos 20 anos baseada na tradição astrológica.
    Os arcanos menores na maioria dos baralhos da época atual são constituídos de 56 cartas, sendo 10 números de cada naipe, mais as figuras da corte.
    Em tudo se assemelham ao baralho comum, que provavelmente foi derivado do Taro, com a exclusão da figura do Cavaleiro. Este, por significar liberdade e independência, deve ter sido censurado e deliberadamente excluído dos baralhos pelo receio que ficasse alimentando as fantasias das damas e donzelas de então...
    Neste sistema é feita uma relação de correspondência dos 10 primeiros signos com os 10 primeiros números, com cada elemento aproximando-se ou afastando-se em relação à idéia básica do signo, de acordo com a maior ou menor afinidade com o elemento daquele signo. Para tranqüilizar a questão de sempre sobre onde ficam os signos de Peixes e Aquário e evitando fazer a brincadeira clássica de que eles não são importantes, posso dizer que eles são signos de síntese, e lidam cada um à sua maneira com as energias de todos os outros signos.
    Este sistema tem a grande vantagem de simplificar a aprendizagem dos arcanos menores, pois estaremos lidando com a interação de 14 informações (4 naipes ou elementos e os 10 números) contra 56 informações (totalidade dos arcanos menores).
    
Os quatro elementos
    O tema central do conhecimento astrológico e dos arcanos menores são os 4 elementos:
- elemento fogo é representado pelo naipe de paus
- o elemento ar pelo naipe de espadas
- o elemento água pelo naipe de copas
- o elemento terra pelo naipe de ouros.
    A realidade tem sido decodificada pelas pessoas sensíveis em freqüências de vibrações simbolizadas pelos elementos. Para que possamos entender com maior facilidade a natureza dos elementos, os antigo apresentaram 4 estados da natureza associados a eles:
    Quente: aquilo que é quente está sempre em expansão, ocupando novos espaços.
    Frio: aquilo que é frio concentra, retém, conserva. É a força de atração pelo outro.
    Úmido: aquilo que úmido é flexível, adaptável, permeável e receptivo.
    Seco: aquilo que é seco é duro, impermeável, determinado, consistente.
    
    Tendo entendido estes aspectos, podemos perceber que:
    Fogo: é quente e seco, portanto é expansivo, determinado, consistente, associado no homem ao exercício de sua vontade e à manifestação de seu ser.
    Água: é fria e úmida, portanto, retém, conserva, adapta-se, recebe. É ligada no homem, às emoções, sentimentos e sensitividade.
    Ar: é quente e úmido, portanto se expande e se molda com facilidade. É ligada no homem à função do pensamento e à mente como um todo.
    Terra: é fria e seca, portanto é consistente, determinada à sensação e ao concreto de maneira geral.
Hierarquias
    Agora vamos abordar um dos pontos chaves deste sistema, que é a hierarquia dos elementos ou a maior ou menor sintonia dos elementos.
    Os elementos de maior afinidade são aqueles que participam do mesmo estado do eixo quente-frio. Assim, o fogo é muito compatível com o ar, pois ambos são quentes, isto é se expandem. Pelo mesmo motivo, a terra é muito compatível com a água, pois ambos são frios, isto é, se concentram.
    Os elementos de media sintonia, são aqueles que compartilham do mesmo estado do eixo seco-úmido. Desta maneira, a terra tem certa afinidade com o fogo, pois ambos são secos, isto é, determinados. E o ar tem certa afinidade com a água, pois ambos são úmidos, isto é, são flexíveis e adaptáveis.
    O fogo não tem nada em comum com a água e o ar não tem nada em comum com a terra.
    Cada signo tem uma afinidade elemental básica e, como faço uma associação de cada número com cada signo, cada número dos arcanos menores tem a mesma afinidade básica.
    A partir desta afinidade-padrão, posso traçar uma espécie de hierarquia de elementos em cada número. Vamos considerar, a título de exemplo, o número 3 que tem como vimos uma relação com o signo de Gêmeos, de elemento ar. A hierarquia seria: primeiro o 3 de espadas, ou ar, pois é do mesmo elemento do signo; depois, 3 de paus, ou fogo, pois o fogo é o que melhor combina com o ar; a seguir, 3 de copas, ou água, por ter uma afinidade menor e, finalmente, o 3 de ouros, ou terra, por não ter nada em comum o ar.
    E o que significa esta hierarquia? Não significa, é claro, que um arcano é mais importante do que outro, pois todos são importantes, mas que todos gravitam em torno da idéia-chave daquele número, mais próximos ou mesmo se opondo, de acordo com o nível de afinidade.
    Assim, no exemplo acima, a idéia central do número 3 poderia ser troca de informações ou de impressões. O 3 de espadas seria de significado idêntico; o 3 de paus seria uma comunicação intensa ou empolgada, mais ativa do que receptiva; o 3 de copas seria uma comunicação mais emocional, mais passiva e mais difícil por ter apenas uma afinidade média com espadas e, finalmente, o 3 de ouros sendo um obstáculo ou uma barreira à comunicação.
    
Caminhos
    Antes de entrar no detalhamento do significado de todos os números e seus elementos, gostaria de sugerir que pode ser traçado um caminho de cada elemento manifestando-se de diversas formas ou números.
    O caminho de ouros está ligado à experiência do concreto, que nos oferece a base e suporte material e estrutural para nossa experiência.
    O caminho de espadas é ligado à experiência da mente, da comunicação, da independência, da diversificação e da individuação.
    O caminho de copas é relacionado às emoções; às empatias, simpatias e antipatias; ao envolvimento com pessoas e situações; ao magnetismo.
    O caminho de paus é dinâmico, relacionado ao impulso de ser, à vontade, à criatividade e motivação, ao impulso de poder.
    Com esta base, podemos passar ao estudo dos números.    
    
Para continuar nos Arcanos Menores com Betoh Simonsen escolha os links:
 
 
 
 
Arcanos Menores
 
 
Contato com o autor
Betoh Simonsen
- betohsimonsen@uol.com.br
Outros trabalhos seus no Clube do Tarô: Autores
out.07
 
 
  Baralho Cigano
  Tarô Egípcio
  Quatro pilares
  Orientação
  O Momento
  I Ching
Publicidade Google
 
Todos os direitos reservados © 2005-2019 por Constantino K. Riemma  -  São Paulo, Brasil