Home page

15 de dezembro de 2018

Responsável: Constantino K. Riemma


 
O sorteio das mensagens
Constantino K. Riemma
 
O I Ching é a representação viva e generosa do Velho Sábio, ao qual podemos recorrer sempre que necessitarmos. Não cabe diante dele qualquer sentimento de apreensão ou de respeito exagerado, que acabariam nos afastando e nos privando de sua boa influência. Para este mestre compassivo e justo, qualquer interrogação, mesmo a de aparência mais banal, terá boa acolhida se for sincera.
Embora seja uma grande fonte de ensinamentos e de conselhos e indicações para o crescimento pessoal, o I Ching é principalmente utilizado por sua função oracular.
 
Como a linguagem do livro é simbólica, suas respostas às nossas perguntas deverão ser interpretadas em função do assunto que estamos tratando. Muitos iniciantes sentem dificuldade para entender a reposta porque viciam a consulta com perguntas tipo "sim ou não". Na verdade, na maior parte das vezes a resposta do oráculo consiste mais em orientar o consulente para chegar a um bom resultado, e não simplesmente em responder com um sim ou não. Uma pessoa, por exemplo, pode estar doente e, nesse caso, a resposta mais útil para uma pergunta sobre saúde será a orientação para encontrar a cura e não apenas para confirmar, com um sim ou não, que de fato ela se encontra doente, o que provavelmente ela já deve
estar sabendo. A postura mais eficaz para a consulta, portanto, é a de expor a questão da maneira mais clara possível e pedir uma orientação ou prognóstico, de acordo com o que for mais importante naquele determinado momento.
O I Ching não exige ritos ou complicações. É preferível imaginá-lo como um bom e sábio avô que, sem formalidades, está antes de mais nada interessado em dar a melhor ajuda possível. Não existe, porém, qualquer contra-indicação aos rituais, se essa for a disposição do consulente. Acender incenso, fazer orações ou meditação constituem para algumas pessoas recursos benéficos para abrir a receptividade. É bom lembrar, porém, que as forças de ajuda celeste estão sempre disponíveis. Elas não precisam ser seduzidas ou compradas. O que estabelece uma conexão verdadeira é o nosso anseio de compreender a situação.
Modos de sortear
Para se obter do I Ching uma orientação específica, existem várias maneiras de sortear o hexagrama que responderá à nossa questão. Alguns recorrem ao modo direto e simples de abrir o Livro das Transmutações ao acaso, enquanto outros preferem um sistema mais elaborado, que exige o manuseio de 50 varetas.
No site Clube do Tarô o processo de sorteio randômico oferece como resposta o conteúdo central do hexagrama, sem incluir as linhas móveis e o hexagrama final. Anos e anos de experiências demonstrou que mesmo esse processo via internet, simples, é pontual e de grande auxílio. Prova que as forças sutis de ajuda nos chegam por todos os meios disponíveis.
A forma mais comum de sorteio utiliza três moedas. Que moedas usar? Qualquer moeda serve. Os chineses usam moedas chinesas porque as encontram à mão. No Brasil, o simples e óbvio será utilizar as nossas moedas. Muitas pessoas, porém, se confundem e deixam de consultar o livro porque não têm moedas chinesas. Não devemos cair nesse equívoco. Se o mais importante, o texto, já se encontra em versão brasileira, por que não as moedas?
Para sortear as respostas do I Ching, no entanto, faz sentido para muitas pessoas guardar moedas exclusivas para isso ou usar moedas que tenham alguma história pessoal, porque podem ajudar a estabelecer um vínculo. Mas a criatividade poderá dar outras soluções, como a utilização de medalhas ou moedas antigas.
Talvez, o cuidado mais importante seja o de refletirmos sobre a nossa questão e deixar que ela fique o mais claro possível para nós mesmos. É por essa razão que muitas pessoas reservam um caderno próprio para registrar suas dúvidas, suas perguntas; feito o sorteio, anotam a resposta e, eventualmente, o que entenderam dela. Com isso, dispõem de material para avaliar os prognósticos e, no mais das vezes, validar o que o Livro indica e, assim, ganhar a confiança firme e comprovada nas orientações recebidas.
Todas as possibilidades de sorteio funcionam bem. O I Ching, tal como todos os textos que transmitem os ensinamentos do Mais Alto, está acima das meras formalidades.
O sorteio com moedas
O processo é simples: lançamos as três moedas 6 vezes, uma vez para cada linha. As linhas sorteadas são yin ou yang, dependendo das combinações de cara e coroa das moedas.
Explicar por escrito é sempre mais complicado que demonstrar. Com um pouco de paciência, porém, seguindo passo a passo as instruções, logo se aprende.
Como o hexagrama tem seis linhas, é preciso lançar seis vezes as três moedas escolhidas para o sorteio.
Em primeiro lugar precisamos convencionar com clareza qual é a cara e qual é a coroa das moedas, ou seja, qual é a face yang e qual a yin. Como sugestão, vamos considerar que a face na qual está cunhado o valor da moeda, a cara, é o lado yin. A face com o brasão ou qualquer outro elemento decorativo, a coroa, é o lado yang. Como explica Blofeld a face com o valor inscrito pode ser considerada yin (2), porque o yin é receptivo, isto é, "recebe e grava a cunhagem do valor", enquanto que a outra face, que em muitas moedas antigas era lisa, representa o yang (3).
O consulente, com as três moedas na mão, mantém em mente o assunto para o qual deseja obter orientação. A seguir, lança as três moedas ao mesmo tempo. A primeira jogada revela a linha inferior do hexagrama; a segunda jogada indica a segunda linha de baixo para cima e, assim por diante, até a sexta e última jogada, que indica a última linha superior.
 
Há quatro combinações possíveis de coroa-yang e cara-yin nos lançamentos das três moedas, e cada uma delas indica um tipo de linha, como pode ser visto na tabela que se segue:
A tabela das moedas
Nesta tabela, a cara da moeda está representada pelo 50, e a coroa pelo desenho. O lado com o valor inscrito é yin; o lado com o desenho é yang.
 
1 yin e 2 yang = linha yin, em repouso, 8
2 yin e 1 yang = linha yang, em repouso, 7
3 yin = linha yin móvel, 6
3 yang = linha yang móvel, 9
 
Cada linha também pode ser designada por um número específico, que se obtém pela soma dos valores atribuídos às faces yin e yang da moeda. O lado yin vale 2 e o lado yang vale 3. Exemplo: se saírem duas moedas com a face yang e uma com a face yin, somaremos 3 + 3 + 2 = 8. Isso quer dizer que obtivemos uma linha 8, ou seja, uma linha yin em repouso, ou estática, .
Não precisamos nos preocupar inicialmente com esses valores. Eles estão sendo mencionados porque, nos livros, as linhas são indicadas; por exemplo: "9 na primeira posição", "6 na quarta posição" e assim por diante.
Exemplo de sorteio
Para facilitar a compreensão, vamos imaginar um sorteio em que as moedas deram os seguintes resultados:
6ª linha: 3 yang =
5ª linha: 2 yang, 1 yin =
4ª linha: 2 yang, 1 yin =
3ª linha: 1 yang, 2 yin =
2ª linha: 1 yang, 2 yin =
1ª linha: 2 yang, 1 yin =
Esse hexagrama é formado pelos seguintes trigramas:
 
o trigrama Montanha (as três linhas superiores)
e o trigrama Vento (as três linhas inferiores)
Para encontrar no Livro o texto correspondente a esse símbolo, basta verificar na tabela abaixo o número do hexagrama sorteado, ou seja, o número de ordem em que se encontra no Livro.
Encontre o trigrama inferior na coluna à esquerda (o 6º de cima para baixo, no exemplo), e o trigrama superior na fila de cima da Tabela (o 4º da esquerda para a direita, no exemplo); no cruzamento da coluna com a linha está o número do hexagrama procurado (no nosso caso, o 18).
A tabela dos trigramas
 
















 
Nota sobre os textos disponíveis:
Os textos do I Ching apresentados em nossa seção de Consultas on-line poderão ser acessados com um clique sobre os números da tabela acima.
Para a leitura dos textos completos, que incluem as linhas móveis, os links se encontram na seção Hexagramas: Os 64 hexagramas.
Caso não ocorram linhas móveis durante o sorteio, os textos do hexagrama obtido (Julgamento-Oráculo, Comentários-Interpretação e Imagem-Conselho) contêm todos os elementos para orientar a questão formulada.
No caso de saírem linhas móveis, deve ser traçado um segundo hexagrama resultante da mutação destas linhas. A linha yang móvel, , transforma-se numa yin em repouso, , e a linha yin móvel, , numa yang em repouso, .
Em nosso exemplo, só a sexta linha é móvel, fazendo com que o hexagrama 18 dê origem ao 46.
 
Quando ocorrem linhas móveis, além da leitura do Julgamento (ou oráculo) e da Imagem (ou Conselho) do hexagrama inicial, devemos ler também os textos referentes a essas linhas móveis (que no nosso exemplo seria apenas  a  sexta  linha  do  hexagrama  18) e, a seguir,
completar com a leitura do Julgamento-Oráculo e Imagem-Conselho do hexagrama final (46, no exemplo). Deste último hexagrama, por ser a conclusão e não ter mais linhas móveis envolvidas, não precisaremos ler os textos referentes às linhas.
O conjunto desses textos representa a resposta do I Ching ao consulente.
Nota sobre as linhas móveis:
Nos textos do I Ching apresentados em nossa seção de Consultas on-line não foram incluídos os significados das linhas móveis, mas apenas o recado fundamental de cada hexagrama.
Para o conhecimento e a consideração dos textos referentes às linhas móveis, recomendamos a visita ao conteúdo disponível neste site em Os 64 hexagramas ou a aquisição de uma das obras indicadas na seção Livros.
A interpretação
Quanto mais utilizamos o I Ching, para nós próprios ou ajudando outras pessoas, tanto mais rápido compreendemos as respostas e confiamos nelas. A convivência é a via mais eficaz para a aprendizagem e serve para demonstrar na prática o poder magnífico do Livro.
Uma dúvida muito comum entre os iniciantes, quando interessados em previsões, refere-se ao tempo em que ocorrerão os prognósticos dados pelo Livro. De um modo geral, podemos considerar que existe uma seqüência temporal que começa com o hexagrama inicial, passa pelas linhas móveis e conclui com o hexagrama final.
Com um pouco de prática e à medida que deixamos bem clara a pergunta para nós próprios, aprendemos a identificar qual passagem dos textos se refere ao nosso presente. Não existe uma regra fixa para isso: às vezes, o presente é retratado pelo hexagrama inicial, enquanto que o futuro fica indicado pelas linhas móveis e pelo hexagrama final. Outras vezes, no entanto, poderemos reconhecer que o hexagrama inicial e as linhas falam dos antecedentes de nossa questão e que o hexagrama final retrata o presente ou o futuro imediato.
Outros modos de sortear
Existem várias maneiras de proceder ao sorteio para obter uma orientação do Livro das Transformações. Além da mais conhecida, com as moedas, existe a que manipula 50 varetas para identificar cada linha. No entanto, podemos encontrar incontáveis variações no modo e na quantidade de moedas utilizadas no sorteio, bem como a consideração do horário e de outros indícios referentes ao momento da consulta e ao tema que será abordado.
Com o tempo e com a participação dos colaboradores do site, divulgaremos as alternativas utilizadas pelo mundo afora, por estes séculos e séculos nos quais o Livro tem ajudado aos buscadores do conhecimento.
Contato com o autor:
Constantino K. Riemma - constantinokr@clubedotaro.com.br
Outros trabalhos seus no Clube do Tarô: Autores
Atualizado: julho.2015
 
 

  Baralho Cigano
  Tarô Egípcio
  Quatro pilares
  Orientação
  O Momento
  I Ching
Publicidade Google
 
Todos os direitos reservados © 2005-2018 por Constantino K. Riemma  -  São Paulo, Brasil